A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Glomerulonefrites Asssociadas à Hipocomplementemia Disciplina de Nefrologia Faculdade de Medicina do ABC.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Glomerulonefrites Asssociadas à Hipocomplementemia Disciplina de Nefrologia Faculdade de Medicina do ABC."— Transcrição da apresentação:

1 Glomerulonefrites Asssociadas à Hipocomplementemia Disciplina de Nefrologia Faculdade de Medicina do ABC

2 Introdução O sistema complemento é constituído por diversas proteínas de membrana que atuam na defesa inata contra microorganismos e colaboram com a imunidade humoral. São reconhecidas três vias de ativação desses sistema: VIA CLÁSSICA, VIA ALTERNATIVA E VIA DAS LECTINAS.

3 A resposta do sistema complemento é amplificada através do mecanismo em cascata, onde um componente ativa o seguinte e assim sucessivamente. Ativada quando Anticorpos IgM ou IgG reconhecem antígenos como vírus, bactérias e autoantígenos. Funciona como um sistema de vigilância e não necessita de Anticorpos específicos para ativação.

4 Após a sua ativação, o sistema complemento é responsável pela opsonização de bactérias e vírus, permitindo seu reconhecimento por fagócitos do sangue periférico. A via final comum desse sistema é a formação do complexo de ataque à membrana (CAM), que pode induzir lise celular diretamente em bactérias Gram (-).

5 Avaliação Laboratorial Teoricamente, qualquer componente do sistema complemento pode ser mensurado laboratorialmente. Entretanto, a avaliação da atividade do sistema complemento é realizada mais frequentemente com as dosagens de CH50, C3 e C4. A deposição tecidual de componentes do sistema complemento é avaliada através da imunofluorescência, como a deposição renal de C1q e C3.

6 Avaliação Laboratorial (Interpretação) A dosagem de CH50 atua como screening para a detecção de deficiências e/ou consumo de componentes da VIA CLÁSSICA (isoladamente ou em conjunto). A ativação da via clássica é confirmada por níveis reduzidos de C3 e C4. A ativação da via alternada é comprovada com consumo de C3 e níveis normais de C4.

7 Doenças Glomerulares A causa mais comum de hipocomplementemia nas doenças glomerulares é a ativação excessiva de componentes da VIA CLÁSSICA do sistema complemento por imune- complexos circulantes, pex, LES, GNDA. Consumo Síntese

8 Doenças Glomerulares Outras causas de hipocomplementemia nas doenças glomerulares estão relacionadas com as deficiências hereditárias de componentes do sistema complemento e com a presença de fatores circulantes que promovem a ativação desse sistema.

9 Doenças Glomerulares As deficiências hereditárias de componentes do sistema complemento estão associadas ao surgimento de doenças auto-imunes e infecções de repetição por germes encapsulados. Exemplos: 1. Deficiência de C2 2. Deficiência de C4 3. Deficiência de C5-9 Presentes em 15 a 30% dos pctes. com LES Infecções recorrentes por Neisseria sp.

10 Doenças Glomerulares A presença de fatores circulantes promove a ativação do sistema complemento através da VIA ALTERNADA, independentemente da presença de imune-complexos circulantes. A descrição mais comum está relacionada com a presença do fator nefrítico C3 nos pacientes com Glomerulonefrite Membranoproliferativa, que através da inibição da C3 convertase, leva à ativação contínua de C3.

11 Diagnóstico Diferencial A hipocomplementemia também pode ocorrer em doenças renais e/ou sistêmicas não relacionadas com nenhum tipo de acometimento glomerular.

12 Diagnóstico Diferencial Doença Renal Ateroembólica – Pode ocorrer consumo de complemento em função da exposição da placa de ateroma. Microangiopatia Trombótica – A lesão endotelial também pode levar à ativação da cascata do complemento. Sepsis, pancreatite aguda e doenças hepáticas em estágio avançado.


Carregar ppt "Glomerulonefrites Asssociadas à Hipocomplementemia Disciplina de Nefrologia Faculdade de Medicina do ABC."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google