A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

CENÁRIO DA ÁREA MÉDICA E TENDÊNCIAS José Edilberto Ramalho Leite – SAS/MS.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "CENÁRIO DA ÁREA MÉDICA E TENDÊNCIAS José Edilberto Ramalho Leite – SAS/MS."— Transcrição da apresentação:

1 CENÁRIO DA ÁREA MÉDICA E TENDÊNCIAS José Edilberto Ramalho Leite – SAS/MS

2 SUS DEVE BUSCAR PERMANENTEMENTE Integralidade das ações - todas as diversas faces e níveis da atenção à saúdeIntegralidade das ações - todas as diversas faces e níveis da atenção à saúde Equanimidade- oferta sem diferenças de estratos sociais, raças, territórios de saúde ( áreas rurais ou citadinas; bairros)Equanimidade- oferta sem diferenças de estratos sociais, raças, territórios de saúde ( áreas rurais ou citadinas; bairros) Universalidade -consubstanciação da eliminação de percalços legais e normativos ao acesso de todos a todos os serviçosUniversalidade -consubstanciação da eliminação de percalços legais e normativos ao acesso de todos a todos os serviços

3 Demanda e Oferta ESCOLHA DO PROVEDOR DEMANDA DO CONSUMIDOR INFLAÇÃO MÉDICA SERVIÇOS INSATISFATÓRIOS CUSTOS NOVAS TÉCNICAS Integralidade Equanimidade Universalidade FINANCIAMENTO DESPERDÍCIO ESCOLHAS FILAS DE ESPERA

4 CONCEPÇÕES MÍDIA E INDÚSTRIA MÍDIA E INDÚSTRIA Lógica do Direito POPULAÇÃO - USUÁRIO Lógica do Direito POPULAÇÃO - USUÁRIO Lógica Política O ESTADO Lógica Política O ESTADO MÉDICOS (PROFISSIONAIS) Lógica Técnico-Científica MÉDICOS (PROFISSIONAIS) Lógica Técnico-Científica CRISES DE INTERESSES Lógica de Mercado Lógica de Mercado ORGANISMOS PAGADORES Lógica Tecnocrática ORGANISMOS PAGADORES Lógica Tecnocrática

5 Procedimentos Hospitalares Qual é o custo ?

6 Peso da Ortopedia e Traumatologia - Componentes da AIH PESO RELATIVO DOS COMPONENTES DA AIH Valor_totalVal_SHVal_SPVal_SADTVal_OPM 2000 TOTAL ORTOP %6%5%7%5%19% 2001 TOTAL ORTOP %6%5%6%4%18% 2002 TOTAL ORTOP %6%5%6%4%16% 2003 TOTAL ORTOP %7%5%7%4%18% 2004 TOTAL ORTOP %7%5%7%4%19% 2005 TOTAL ORTOP %7%6%7%5%18%

7 Comparação entre Componentes das AIHs Gerais (TOTAL) e AIHs Tráumato-Ortopédicas (ORTOP) Valor total 10 6 Val SH 10 6 %SH Val SP 10 6 %SP Val SADT 10 6 % SADT Val OPM 10 6 % OPM 2000 TOTAL %97520%2355%2395% ORTOP %7225%114%4716% 2001 TOTAL %86217%2785%3016% ORTOP %5117%124%5418% 2002 TOTAL %90417%3266%3817% ORTOP %5617%134%6219% 2003 TOTAL %96616%3356%5259% ORTOP %6416%144%9524% 2004 TOTAL % %3575%5869% ORTOP %7015%163%11224% 2005 TOTAL % %3745%66710% ORTOP504051%7415%173%12224%

8 Comparação entre Componentes das AIHs Gerais (TOTAL) e AIHs Tráumato-Ortopédicas (ORTOP)

9 AS TECNOLOGIAS EM SAÚDE EXCEDEM À CAPACIDADE DE OFERTA Recursos finitos e escassos Recursos finitos e escassos Benefício das intervenções ultrapassam a oferta de recursos Opções de determinados programas e tecnologias implicam em não provisão de outros Escolhas geram sempre perdas de oportunidades Escolhas geram sempre perdas de oportunidades Recursos finitos e escassos Recursos finitos e escassos Benefício das intervenções ultrapassam a oferta de recursos Opções de determinados programas e tecnologias implicam em não provisão de outros Escolhas geram sempre perdas de oportunidades Escolhas geram sempre perdas de oportunidades

10 Qualidade do material Busca do menor custo com qualidade Uso eficiente de recursos Abrangência e eqüidade Impacto econômico e social Qualidade do material Busca do menor custo com qualidade Uso eficiente de recursos Abrangência e eqüidade Impacto econômico e social AVALIAÇÃO TECNOLÓGICA

11 Necessidade ou só “Sedução” ? de técnicas em uso: de novas técnicas : Ainda funcionam ? REFLEXÃO E ANÁLISE

12 AVALIAÇÃO CLÍNICA X ECONÔMICA Avaliação clínica : Eficácia – funciona? Efetividade – em que condições? Avaliação econômica : Eficiência – maior benefício ao menor custo para a sociedade Avaliação clínica : Eficácia – funciona? Efetividade – em que condições? Avaliação econômica : Eficiência – maior benefício ao menor custo para a sociedade

13 Passos Reavaliação das lógicas e do modeloReavaliação das lógicas e do modelo Ouvidoria para os atoresOuvidoria para os atores Estabelecimento de ParâmetrosEstabelecimento de Parâmetros

14 I - Secretaria de Atenção à Saúde (SAS/MS):INTO;DAE;DRAC; II - Secretaria de Ciência, Tecnologia e Insumos Estratégicos (SCTIE/MS): DECIT III - Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA: IV - Conselho Nacional de Secretários Municipais de Saúde (CONASEMS); V - Conselho Nacional de Secretários de Saúde (CONASS); CÂMARA TÉCNICA EM TRÁUMATO- ORTOPEDIA (Pt.GM 2279 de 26/09/2006)

15 VI - Hospital Universitário indicado pela ABRAHUE; VII - Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia (SBOT); e VIII - Associação Brasileira de Enfermagem em Tráumato- Ortopedia (ABENTO) CÂMARA TÉCNICA EM TRÁUMATO- ORTOPEDIA (Pt.GM 2279 de 26/09/2006)

16 § 1º A Câmara Técnica em Tráumato-Ortopedia será coordenada pela Secretaria de Atenção à Saúde (SAS/MS) e terá como Secretaria-Executiva o Instituto Nacional de Tráumato-Ortopedia (INTO/SAS). § 2º A Câmara Técnica em Tráumato-Ortopedia, quando julgar necessário, poderá convidar participantes ad hoc, sempre de caráter institucional, internos ou externos ao Ministério da Saúde, nas áreas correlacionadas com a ortopedia, a traumatologia e a reabilitação do sistema músculo-esquelético. CÂMARA TÉCNICA EM TRÁUMATO- ORTOPEDIA (Pt.GM 2279 de 26/09/2006)

17 § 3º À Câmara Técnica em Tráumato-Ortopedia cabe pronunciar-se sobre: IV - a atualização das tabelas de ortopedia e de traumatologia do SUS referentes aos procedimentos e seus atributos e às órteses, próteses e materiais (OPM); V - utilização de implantes no tratamento das doenças e agravos do sistema músculo-esquelético; VI - a incorporação tecnológica para ações de promoção da saúde, de prevenção, de diagnóstico e de tratamento de doenças e agravos, e de reabilitação do sistema músculo- esquelético; CÂMARA TÉCNICA EM TRÁUMATO-ORTOPEDIA (Pt.GM 2279 de 26/09/2006)

18 CONHECIMENTO DA QUALIDADE DE IMPLANTES USADOS NO BRASIL NO BRASIL REMATO

19 TENDÊNCIAS Definições PORTARIA Nº 421, DE 23 DE JULHO DE 2007 CIRURGIA MÚLTIPLA são atos cirúrgicos sem vínculo de continuidade, interdependência ou complementaridade, realizado em conjunto pela mesma equipe ou equipes distintas, aplicados a órgão único ou diferentes órgãos localizados em região anatômica única ou regiões diversas, bilaterais ou não, devidos a diferentes doenças, executados através de única ou várias vias de acesso e praticados sob o mesmo ato anestésico.

20 TENDÊNCIAS Redefinições PORTARIA SAS Nº 421, DE 23 DE JULHO DE 2007 PROCEDIMENTOS SEQÜENCIAIS são atos cirúrgicos com vínculo de continuidade, interdependência e complementaridade, realizados em conjunto pela mesma equipe ou equipes distintas, aplicados a órgão único ou região anatômica única ou regiões contíguas, bilaterais ou não, devidos à mesma doença, executados através de única ou várias vias de acesso e praticados sob o mesmo ato anestésico.

21 TENDÊNCIAS Redefinições Autorização de OPM em cada Procedimento Seqüencial em cada ato das Cirurgias Múltiplas

22 TENDÊNCIAS Redefinições Abrangência das Habilitações – A. C. Avaliações de técnicas Parâmetros hospitalares

23 TENDÊNCIAS Em estudo: Redução da restrição; Passagem da Alta para Média Complexidade Artoplastias não cimentadas ou híbridas do quadril; Ligamentoplastia do Cruzado Anterior; Outras

24 TENDÊNCIAS Em estudo: Desdobramento placas – parafusos Classif. das Placas Tamanho: Gr. Frag. / Peq. Frag/Mini Frag. Formato: Retas / Formato específico Função: Neutralização / Compressão Dinâmica / Bloqueada / Reconstrução Classif. Dos Parafusos Tamanho: Gr. Frag. / Peq. Frag/Mini Frag. Função: Convencional / Bloqueado / Canulado / Bloqueante de Hastes / Desliz. para Placa-Tubo

25 TENDÊNCIAS Em estudo: Os fixadores externos FIOS METÁLICOS FLEXÍVEIS (LISO/ROSQUEADO OU COM OLIVA PINOS METÁLICOS RÍGIDOS PARA USO EM FIXAÇÃO EXTERNA (SCHANZ, ETC) HASTE INTRAMEDULAR FLEXIVEL PARA USO ADULTO (ENDER, RUSH, ETC) ESTRUTURA CIRCULAR OU SEMI-CIRCULAR PARA FIXAÇÃO EXTERNA BARRA TELESCOPÁVEL PARA FIXAÇÃO EXTERNA CIRCULAR CONEXÕES (ANEL/PINO)(ANEL/FIO)(BARRA/PINO)(BARRA/FIO) P/FIX.CIRC. CONECTOR BARRA/PINO PARA FIXADOR EXTERNO LINEAR BARRA METÁLICA PARA FIXADOR EXTERNO LINEAR CONECTOR BARRA/BARRA PARA FIXADOR EXTERNO LINEAR CONECT ESTRUT CIRC OU SEMI-CIRCUL P/ FIX EXT LINEAR SISTEMA PLATAFORMA P/ ALONGA/ TRANSP/CORREÇÃO ANG –ROTAC CONECT ESTRUT CIRC OU SEMI-CIRCUL P/ FIX EXT SIST PLATAFORMA SISTEMA AUXILIAR DE ALONGAMENTO FIX EXT LINEAR / PLATAFORMA

26 TENDÊNCIAS Em estudo: Incorporação de Novos Materiais


Carregar ppt "CENÁRIO DA ÁREA MÉDICA E TENDÊNCIAS José Edilberto Ramalho Leite – SAS/MS."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google