A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Saúde mental, diagnóstico organizacional e do trabalho Livia de Oliveira Borges Silvânia da Cruz Barbosa Sandra Souza da Silva Chaves Palloma Rodrigues.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Saúde mental, diagnóstico organizacional e do trabalho Livia de Oliveira Borges Silvânia da Cruz Barbosa Sandra Souza da Silva Chaves Palloma Rodrigues."— Transcrição da apresentação:

1 Saúde mental, diagnóstico organizacional e do trabalho Livia de Oliveira Borges Silvânia da Cruz Barbosa Sandra Souza da Silva Chaves Palloma Rodrigues de Andrade Grupo de estudos de saúde mental e trabalho

2 Roteiro da apresentação  Numa perspectiva psicossociológica  Pressupostos  Pólo teórico  Técnicas aplicadas  Aplicabilidade (nossa experiência)

3 O campo de estudo e de atuação  O nexo entre saúde mental e trabalho Pressuposto básico Pressuposto básico Diferente de hipóteses Diferente de hipóteses Paradoxo: pressuposto e hipótese Paradoxo: pressuposto e hipótese  Nexo constituinte  questões  Problema a cada pesquisa, a cada diagnóstico, a cada caso  A dificuldade de constituição do campo em decorrência da fragmentação Enunciados (explícitos ou não) que servem de ponto de partida para o desenvolvimento dos empreendimentos de investigação Objetos de teste, de verificação, observação, demonstração e/ou avaliação - Um determinado regime de trabalho aumenta a incidência de uma específica alteração psíquica? - O descompasso de exigências ao trabalhador e as condições que lhe são oferecidas torna crônico o estresse vivenciado? - A eliminação de tarefas repetitivas promove o bem- estar? - Trabalho empobrecido no seu conteúdo aumenta a incidência de depressão em trabalhadores com instrução superior? - Trabalho repetitivo e/ou esvaziado de conteúdo impacta negativamente na flexibilidade e desenvolvimento do raciocínio? - O adoecimento se deve ao trabalho? - Ou a pessoa independente do trabalho que exercia já tinha ou desenvolveu a alteração observada? - O que prova a ocorrência da alteração psíquica? - Tal alteração psíquica implica que prejuízos? - Tais prejuízos são de responsabilidade de quem?

4 Saúde Mental Trabalho Psicólogo Clínico Psicólogo Organizacional e do Trabalho

5 Perspectiva psicossociológica Pressupostos fundamentais  O papel estruturante do trabalho  A existência precede a essência  Tudo se relaciona  Relacionameno dialético entre variáveis  O conhecimento científico como probabilístico Em nível individual Identificação e inserção social Bem-estar Fonte de realização Oportunidade de criar, produzir, ser útil e contribuir com a sociedade Em nível macro Marx  papel fundante da própria condição humana Impactos na estrutura e no funcionamento da sociedade Emprego desemprego O homem primeiro existe, depois pensa, toma consciência de sua existência e decide o rumo que quer dar a ela. O ser humano não é predefenido; ele se define a si mesmo por meio do seu trabalho e de outras opções que faz na vida (Sartre, 1961) Compete à ciência distinguir entre as relações principais e as secundárias, bem como desnudar redes de relações. Todo fenômeno psicossocial é histórico, portanto seu sentido depende de sua rede de relações. - Elaborar a melhor resposta possível, diante das informações disponíveis. - Ser passível de contestação - Importância do contexto da produção de conhecimento (Kuhn)

6  Pressupostos derivados Muldimensionalidade e determinação Muldimensionalidade e determinação Estratégias multiníveis de análises Estratégias multiníveis de análises Diversidade metodológica Diversidade metodológica Necessidade de aperfeiçoamento dos instrumentos Necessidade de aperfeiçoamento dos instrumentos Os métodos e instrumentos devem apoiar o esforço de distinguir o que é principal e secundário nas relações do indivíduo com o mundo do trabalho Os métodos e instrumentos devem apoiar o esforço de distinguir o que é principal e secundário nas relações do indivíduo com o mundo do trabalho Perspectiva sócio-histórica Perspectiva sócio-histórica Adoção de uma perspectiva pragmática contextualizante Adoção de uma perspectiva pragmática contextualizante Perspectiva psicossocial

7 Pólo teórico: conceito de saúde mental  Conceito positivo  Saúde Mental = bem-estar psíquico  Implicações: Foco na prevenção Foco na prevenção Atenção nos fatores geradores de bem-estar sem abandonar as questões psicopatológicas Atenção nos fatores geradores de bem-estar sem abandonar as questões psicopatológicas Atenção as pequenas alterações ou transtornos psíquicos Atenção as pequenas alterações ou transtornos psíquicos Atenção a especificidade de cada profissão e ocupações Atenção a especificidade de cada profissão e ocupações Não vamos encontrar as mesmas endemiasNão vamos encontrar as mesmas endemias

8 Modelos teóricos  Modelo ecológico (Warr, 1987) Dimensões da saúde mental: Bem-estar afetivo Competência Autonomia Aspirações Funcionamento integrado 9 fatores ambientais: Relação não- linear com a saúde mental - Efeito constante (EC): - recursos econômicos - segurança física - posição social valorada -Diminuição adicional (DA): - controle sobre o meio - desenvolvimento de habilidades - objetivos do meio - variedade de atividades - clareza ambiental - relações interpessoais

9 O modelo de Maslasch sobre desenvolvimento da síndrome de burnout Principais fontes do estresse Dimensões da síndrome Sobrecarga Falta de controle sobre o meio Remuneração insuficiente Ausência de equidade Conflitos de valores Exaustão emocional Diminuição da realização pessoal Ceticismo ou cinismo

10 Classificação de Gil-Monte e Peiró  Desencadeadores: Aspectos do ambiente: conteúdo da tarefa, novas tecnologias, etc. Aspectos do ambiente: conteúdo da tarefa, novas tecnologias, etc. Relação do indivíduo com o trabalho: desempenho de papéis, relações interpessoais, desenvolvimento de carreira, etc. Relação do indivíduo com o trabalho: desempenho de papéis, relações interpessoais, desenvolvimento de carreira, etc.  Facilitadores: Aspectos pessoais: características demográficas, aspectos de personalidade, etc. Aspectos pessoais: características demográficas, aspectos de personalidade, etc. Ambiente do trabalho: suporte social, estratégias coletivas de enfrentamento, etc. Ambiente do trabalho: suporte social, estratégias coletivas de enfrentamento, etc.

11 O papel do modelo teórico  Questionamento de Kuhn Importância limitada Importância limitada  Saber manter a teoria sob suspeição  Aplicação flexível dos modelos  Apoiar-se numa compreensão sócio-histórica do fenômeno em estudo, das ocupações /ou das organizações  Importância da clareza conceitual sobre fenômenos como saúde mental, bem-estar, trabalho, ocupações e epidemiologia

12 Uma proposta metodológica  Não há um roteiro fixo  Articular várias técnicas  Coerência com o corpo teórico, objetivos e questões de pesquisa  Deve garantir: Apreender a situação Apreender a situação Permitir a fluidez do pensamento do geral para o particular e vice-versa e entre os diversos níveis de análise Permitir a fluidez do pensamento do geral para o particular e vice-versa e entre os diversos níveis de análise Fase epidemiológica e fases de aprofundamento de casos Fase epidemiológica e fases de aprofundamento de casos Background do analista Background do analista

13 As experiências de pesquisa/diagnóstico da equipe  Pesquisas de iniciativa acadêmica Possíveis beneficiados tardam a fazerem uso dos resultados Possíveis beneficiados tardam a fazerem uso dos resultados Posteriormente  há um uso extensivo Posteriormente  há um uso extensivo Exemplos: Exemplos: Ex-funcionários do BANDERNEx-funcionários do BANDERN Os profissionais de saúde e seu trabalhoOs profissionais de saúde e seu trabalho  Diagnósticos solicitados Há uma apropriação concreta e “imediata” Há uma apropriação concreta e “imediata” Exemplo: Exemplo: estudo sobre os petroleirosestudo sobre os petroleiros Maternidade da UFRNMaternidade da UFRN

14 Concluindo  Campo ainda em processo de construção  Já conta com perspectivas de análises bem articuladas.  Ainda tem muito a desenvolver, mas já tem o que oferecer.  A aplicação a partir dos órgãos públicos, tendo em vista a reflexão que gera ou redireciona políticas públicas, precisa ser pensada mais diretamente.

15 NETE Unitrabalho PEPOT Psicologia Ciências Sociais Geografia Administração Serviço Social Economia CCHLA CCSA

16 Os profissionais de saúde Os fatores de burnout e na força motivacional por padrões do significado do trabalho Padrões do significado do trabalho BurnoutForça Motivaci onal Exaustão Emoci- onal Diminui- ção da Realiza- ção Pessoal Desper- sona- lização Apático 2,372,122,0262,6 Instrumental econômico-moral 2,101,901,6493,7 Central valorativo 2,101,871,61103,8 Instrumental econômico Auto-expressivo responsável 2,442,001,7090,7 Valorativo-insatisfeito 2,882,272,0773,4 Instrumental econômico-familiar e expressivo 2,292,111,6982,1 Valorativo da austeridade moral 2,642,351,9880,3

17 O caso dos petroleiros Quartiles na distribuição dos participantes da amostra segundo os escores nos fatores do QSG-12. Proporções acumuladas da amostra Quartis Deterioração da Auto-EficáciaTensão Emocional e Depressão 25%,781,25 50%1,441,67 75%1,832,33 Escores da distribuição Bem-estar e/ou saúde mental (QSG-12) Fatores do QSG-12 MínimoMáximoMédiaDesvio- Padrão Deterioração da Auto-Eficácia,442,441,34,61 Tensão Emocional e Depressão,333,001,73,71


Carregar ppt "Saúde mental, diagnóstico organizacional e do trabalho Livia de Oliveira Borges Silvânia da Cruz Barbosa Sandra Souza da Silva Chaves Palloma Rodrigues."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google