A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

© 2005 Pearson Education, Inc. Slide 1- 0 AULA 02: VELHOS PODERES, NOVAS IDEIAS e NOVOS MERCADOS HISTÓRIA DO RN.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "© 2005 Pearson Education, Inc. Slide 1- 0 AULA 02: VELHOS PODERES, NOVAS IDEIAS e NOVOS MERCADOS HISTÓRIA DO RN."— Transcrição da apresentação:

1 © 2005 Pearson Education, Inc. Slide 1- 0 AULA 02: VELHOS PODERES, NOVAS IDEIAS e NOVOS MERCADOS HISTÓRIA DO RN

2 © 2005 Pearson Education, Inc. Slide 1- 1 Entres os séc. XVIII e XIX, as elites da capitania do Rio Grande (Norte) enfrentavam dois problemas: A intermediação lusitana e pernambucana nas relações comerciais; A subordinação administrativa e econômica a PE (1701); OBS: Quanto à Justiça o RN estava sujeito a PB (1687); 1. VELHOS PODERES

3 © 2005 Pearson Education, Inc. Slide 1- 2 Repúdio da Câmara de Natal a tal situação, exigindo: Liberdade de comércio interno e externo; Isenção de impostos para todas as mercadorias que entrassem ou saíssem da capitania; OBS: Algumas desses conquistas seriam alcançadas no contexto da Revolução de 1817.

4 © 2005 Pearson Education, Inc. Slide RN E A REVOLUÇÃO DE 1817 No RN, o Movimento de 1817 envolveu senhores de engenho, padres e militares. A insurreição compreendeu a área de domínio dos Albuquerque Maranhão – litoral ao sul, de Natal até a Paraíba – além de Portalegre e Serra do Martins. A liderança coube a André de Albuquerque Maranhão, senhor de terras no Cunhaú sertão; capitão-mor de Vila Flor e Arez.

5 © 2005 Pearson Education, Inc. Slide 1- 4 André de Albuquerque Maranhão, tomou o governo de Natal e presidiu uma Junta Provisória de Governo; Em Portalegre, reuniram-se proprietários rurais da Ribeira do Apodi, que deram apoio à Revolução O novo governo durou apenas um mês, terminando com a execução de André de Albuquerque Maranhão;

6 © 2005 Pearson Education, Inc. Slide 1- 5 No Rio Grande, os que aderiram ao movimento tiveram suas penas abrandadas ou foram perdoados; Por decreto régio o RN foi emancipado da sujeição à PE e à PB, bem como foi criada a Alfândega de Natal (1820). OBS: Após a Independência do Brasil o RN foi elevado a condição de Província.

7 © 2005 Pearson Education, Inc. Slide RN E A CONFEDERAÇÃO DO EQUADOR A adesão do RN à Confederação ocorreu nos seguintes termos: união das províncias nordestinas contra o governo imperial; liberdade constitucional para as províncias insurgentes; envio de tropas de apoio para a divisa com a Paraíba; Mobilização para a formação de tropas revolucionárias; OBS: O envolvimento de camadas populares e a proposta de abolição da escravidão enfraqueceu o movimento A repressão imperial levou ao recuo de Membros da Confederação, inclusive Tomás de Araújo Pereira – presidente da província do RN; Aqui foram presas e enviadas para o RJ 13 rebeldes.

8 © 2005 Pearson Education, Inc. Slide 1- 7 A repressão imperial levou ao recuo de Membros da Confederação, inclusive Tomás de Araújo Pereira – presidente da província do RN; Aqui foram presas e enviadas para o RJ 13 rebeldes.

9 © 2005 Pearson Education, Inc. Slide NOVOS MERCADOS Entre os séc. XVIII e XIX, o RN atravessou uma fase de diversificação econômica: Engenhos açucareiros no litoral; Fazendas criatórias de Gado no Sertão; Salinas no litoral norte; Extração de carnaúbas ao longo dos rios Piranhas-Açu e Apodi-Mossoró; Cultivo de algodão no sertão; Integração da economia norte-riograndense à economia internacional: Casas de importação/exportação; Fundação dos portos de Natal, Macau e Areia Branca; Construção de estradas de ferro;

10 © 2005 Pearson Education, Inc. Slide 1- 9 A Revolução Industrial, ocorrida na Inglaterra, impulsionou o cultivo de algodão, no Nordeste, para abastecer sua fábricas têxteis; OBS: O algodão era nativo do sertão, utilizado pelo tapuias e colonos desde os primórdios colonização; Surto cotonicultor resultante da Guerra Independência dos EUA e a Guerra de Secessão Americana;

11 © 2005 Pearson Education, Inc. Slide A cultura do algodão tornou-se um agricultura mercantil, voltada para o mercado externo; Desenvolvimento comercial do RN, tanto nas áreas secas, melhor para o cultivo, como em terras do litoral. Em 1820, foi implantada no RN da Casa de Inspeção do Algodão – fiscalizar o produto que era enviado exportado;

12 © 2005 Pearson Education, Inc. Slide Concorrência entre sesmeiros (latifundiários) e posseiros (pequenos e médios proprietários); Utilização da mão de obra livre ou escrava; OBS: Entre 1805 e 1844, houve um aumento de 315% no número de escravos existentes no Rio Grande; As riquezas proporcionadas pelo algodão fortaleceram o poder das elites e permitiram obras de modernização: Hospital Público (1856); Cemitério Público do Alecrim (1856); Mercado Público (1860); Escola de Ofícios (1858); Biblioteca Pública Municipal (1868); Iluminação pública com lampiões (1859).


Carregar ppt "© 2005 Pearson Education, Inc. Slide 1- 0 AULA 02: VELHOS PODERES, NOVAS IDEIAS e NOVOS MERCADOS HISTÓRIA DO RN."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google