A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Planejamento das Ações de Conservação (PAC)

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Planejamento das Ações de Conservação (PAC)"— Transcrição da apresentação:

1 Planejamento das Ações de Conservação (PAC)
Medidas de conservação

2 São necessárias melhorias
As medidas desenvolvidas para medir a efetividade das estratégias são muito fracas Há poucas evidências de que as estratégias de conservação estão funcionando Como vocês provavelmente têm se dado conta, na TNC temos muito trabalho a fazer para avançar no desenvolvimento de medidas para garantir a eficácia de nossas estratégias. Além da aquisição das terras para evitar o desaparecimento dos habitats, existem poucas evidências diretas para poder reportar que nossas estratégias estão funcionando. Infelizmente, isto não é raro no exercício da conservação. São necessárias melhorias

3 Conseqüências de não medir os resultados
Bernhardt e outros. (2005)[1] Dos projetos de restauração dos rios nos Estados Unidos, cujo custo está entre 14 e 15 bilhões de dólares, menos de 10% têm algum tipo de monitoramento. “Já que a maioria das informações registradas para os projetos não permitiram extrair nem a informação mais elementar sobre suas ações e resultados, é evidente que estão se perdendo muitas oportunidades para aprender com os sucessos e fracassos e, por tanto, para melhorar as práticas futuras”. Vale a pena ler a pesquisa de Bernhardt e seus colegas. Examinando mais de projetos de restauração dos rios nos Estados Unidos, que custaram aos contribuintes cerca de 15 bilhões de dólares, os pesquisadores descobriram que menos de 10% destes projetos têm algum tipo de monitoramento. Uma das conclusões do estudo é que, sem um cadastramento aceitável da evolução dos projetos, estamos desperdiçando a oportunidade de aprender com os nossos sucessos e fracassos - um aprendizado que é NECESSÁRIO se vamos melhorar a efetividade e o impacto de nossas ações de conservação. [1] Bernhardt, E.S., e outros Síntese dos projetos para a restauração dos rios nos Estados Unidos. Ciência 308 (5722).636

4 O que é uma Cadeia de Resultados?
1) Registrar suposições/hipóteses O que é uma Cadeia de Resultados? É uma ferramenta que esclarece as suposições sobre como as estratégias de conservação contribuem para a redução das ameaças e a concretização da conservação dos alvos. PRIMEIRO – Queremos apresentar o conceito de cadeia de resultados. Se vocês já viram exemplos de cadeias de resultados, esperamos que esta introdução sirva para refrescar a memória. Se não, esperamos demonstrar o porquê da utilidade deste método para desenvolver medidas de efetividade das estratégias. O que é uma Cadeia de Resultados? É uma ferramenta simples que esclarece as suposições sobre como as estratégias de conservação contribuem para a redução das ameaças e a concretização da conservação dos alvos.

5 1) Registrar suposições/hipóteses
Componentes básicos de uma cadeia de resultados: Estratégia Impacto sobre o alvo Resultado Resultado (Ameaça direta) Os componentes básicos de uma cadeia de resultados são: (1) uma estratégia (representada no diagrama pelo hexágono amarelo) que implica em ações ou intervenções e que, em geral, conduz para (2) um resultado que, por sua vez, conduz para a (3) redução de alguma ameaça direta, que, em última instância, produz (4) um impacto positivo no alvo de conservação. Algumas vezes, as estratégias podem gerar uma série de vínculos menores entre a ação e o impacto sobre o alvo de conservação, como acontece com as estratégias de restauração, e outras vezes podem gerar uma série de vínculos maiores, como acontece com as estratégias traçadas para influenciar na formulação das políticas. Uma estratégia bem traçada define indicadores para cada uma das etapas desta série, tudo para atingir a meta final de melhorar o estado de um alvo de conservação. Objetivo: Objetivo: Meta:

6 Mais sobre as cadeias de resultados…
1) Registrar suposições/hipóteses Mais sobre as cadeias de resultados… São diagramas que representam uma série de enunciados do tipo “se… então…” (enunciados de causas). As cadeias definem a forma como imaginamos que uma estratégia ou atividade de projeto contribuirá para reduzir uma ameaça e para conservar um alvo. A cadeia tem foco nos resultados, e não na execução de ações. Está composta por hipóteses que podem ser submetidas a teste.  Ao longo dos anos foram desenvolvidos vários aspectos importantes das cadeias de resultados para: - a sua construção de forma que permitam elaborar medidas para estratégias eficazes que são bem fundamentadas. - o aumento da probabilidade de sucesso da estratégia. PRIMEIRO: os diagramas das cadeias de resultados são elaborados melhor como séries de enunciados do tipo “se… então…”. Estes enunciados geram vínculos de causas e efeitos. SEGUNDO: definem e representam graficamente como esperamos que uma determinada estratégia ou atividade reduzirá uma ameaça e conservará um alvo. TERCEIRO: têm foco na obtenção de resultados, e não são uma simples lista de atividades. e QUARTO: estão compostas por hipóteses que podem ser submetidas a teste.

7 Visão: conservação da biodiversidade no lugar X
Cadeias de Resultados Suposições implícitas: Visão: conservação da biodiversidade no lugar X Estratégia O PRIMEIRO benefício que trazem as cadeias de resultados é a descrição das suposições que estão por trás da estratégia – como a estratégia afetará a biodiversidade - de forma que outros possam ver com clareza o objetivo que se quer alcançar. Como bem sabemos, muitas de nossas estratégias para influenciar na formulação de políticas têm sofrido da carência de tal enunciado explícito.

8 A partir de um modelo conceitual…
Alvo Objeto Fator chave Ameaça direta …construir uma Cadeia de Resultados inicial Estratégia As cadeias de resultados são mais bem construídas a partir de um modelo conceitual inicial – ou diagrama da situação - na qual a equipe do projeto identifica o fator ou os fatores chave que influenciam uma ameaça direta, a qual, por sua vez, tem um impacto no alvo de conservação. Uma vez estabelecido este modelo conceitual, pode-se construir uma cadeia de resultados inicial que reflita como a estratégia produz um resultado relacionado com o fator chave, e este, por sua vez, se traduz em outro resultado relacionado com a ameaça direta, que culmina num impacto no alvo de conservação. Impacto (objeto) Impacto (alvo) Resultado (fator chave) Resultado (ameaça direta)

9 As boas cadeias de resultados …
Têm foco na obtenção de resultados: os quadros contém resultados desejados (por exemplo: diminuição da caça) e não atividades (por exemplo: realizar uma pesquisa). Estão conectadas por relação de causa e efeito: entre cada quadro e o seguinte existe uma conexão clara do tipo “se… então…” Detalham as mudanças: cada quadro descreve como as equipes dos projetos esperam que seja modificado o fator relevante (por exemplo: melhora, aumenta ou diminui). A análise das centenas de cadeias de resultados revelou que as boas cadeias têm certas características, dentre elas, as seguintes: UMA - Têm foco na obtenção de resultados: os quadros contêm os resultados desejados (por exemplo, diminuição da caça) e não atividades (por exemplo, realizar uma pesquisa). DUAS - Estão conectadas por relação de causa e efeito: entre cada quadro e o seguinte existe uma conexão clara do tipo “se… então…” TRÊS – Detalham as mudanças: cada quadro descreve como se espera que o fator relevante mudará (por exemplo, melhora, aumenta ou diminui)

10 As boas cadeias de resultados …
São relativamente completas: têm quadros suficientes para construir conexões lógicas mas não tantos para se ter uma cadeia muito complexa. São simples: cada quadro contém somente um resultado. QUARTA – São relativamente completas: As equipes tendem a construir cadeias excessivamente complexas – se requer alguma habilidade para não elaborar cadeias compridas como espaguete. POR ÚLTIMO: como no caso de qualquer modelo considerado bom, as cadeias são melhores quando são simples. Concentram-se no essencial – somente um resultado por quadro - e devem limitar-se naquilo onde podemos exercer uma influência razoável, e não do aparecimento de manchas solares, por exemplo.

11 O que não é uma cadeia de resultados?
Não é um diagrama de etapas sucessivas de uma implementação... Desenvolver um programa de educação sobre o meio ambiente (EMA) Treinar os professores Trabalhar com os colégios para integrar EMA ao currículo Realizar oficinas de EMA nas comunidades Monitorar o conhecimento, as atitudes e as práticas Também é importante identificar o que não é uma cadeia de resultados… Não é um simples diagrama de atividades conectadas, como aquele apresentado aqui. Enviar um relatório dos resultados ao doador

12 Desenvolvmento de Estratégias e Medidas
2) Desenvolver objetivos e indicadores mensuráveis Objetivos Desenvolvmento de Estratégias e Medidas Viabilidade do alvo Ameaças críticas Análise da situação Objetivos e ações Medidas Objetivos focados nos resultados Antes: “reduzir os impactos gerados com pastagem de gado” Depois: entre 2005 e 2010, manter livre de gado uma faixa de cem pés em cada lado, ao longo de 75 milhas do Rio Willow. Graças ao nosso trabalho como facilitadores do PAC, muitos dos que estão aqui hoje conhecem os grandes esforços que investimos no processo de planejamento para desenvolver objetivos mensuráveis para nossas estratégias. Isto é uma parte fundamental do processo PAC. Para mim, é a etapa mais importante. Existem diretrizes para desenvolver bons objetivos mensuráveis. Por exemplo: devem poder ser medidas, cumpridas num prazo determinado, serem viáveis e possuírem outras características que não vou repetir aqui. Apesar da orientação e treinamento, o desenvolvimento de objetivos mensuráveis ainda apresenta dificuldades para muitos profissionais de conservação. Lembremos, por exemplo, que, durante o desenvolvimento das 3 YIPs, esta etapa do processo foi uma das que recebeu críticas mais insistentes na avaliação mútua entre colegas. Este é um exemplo simples sobre o que muitas estratégias costumam ser no início e de como elas se transformam depois em objetivos mensuráveis. A importância destes objetivos mensuráveis está no fato de que quando são incorporadas na cadeia de resultados, servem de base para as medidas para estratégias eficazes. Em resumo, nosso processo de PAC deve gerar as medidas para estratégias eficazes que precisamos.

13 Onde devem se localizar os objetivos?
2) Desenvolver objetivos e indicadores mensuráveis Setting objectives Onde devem se localizar os objetivos? Estratégia Impacto sobre o objeto Impacto sobre o alvo Resultado Resultado (redução da ameaça) Um dos desafios é determinar onde se devem localizar os objetivos na cadeia causal. Objetivo? Objetivo? Objetivo?

14 (diminuição da ameaça)
2) Desenvolver objetivos e indicadores mensuráveis Setting objectives Não há um método rígido ou normativo… Mas, quando a incumbência principal da ação é reduzir uma ameaça, recomendamos estabelecer um objetivo para diminui-la. Estratégia Impacto sobre o objeto Impacto sobre o alvo Não há um método rígido ou de aplicação obrigatória, mas recomendamos seguir algumas regras simples. Por exemplo, se a estratégia foi elaborada para reduzir uma ameaça, então é necessário determinar um objetivo de redução da ameaça. Resultado Resultado (diminuição da ameaça) Objetivo Meta

15 Análise da situação diante da cadeia de resultados
2) Desenvolver objetivos e indicadores mensuráveis Análise da situação diante da cadeia de resultados Análise da situação Expõe a situação atual Identifica as estratégias Cadeias de resultados Apresentam a situação futura desejada Começam com as estratégias escolhidas  mostram os resultados esperados Tem havido certa confusão sobre a diferença entre nossos modelos conceituais – ou diagramas da situação - e as cadeias de resultados. Em resumo, os diagramas da situação apresentam a situação atual e explicam porque a estratégia é importante e pertinente. As cadeias de resultados acrescentam objetivos e indicadores mensuráveis que expõem a situação futura que se espera alcançar com a aplicação da estratégia. Agora passarei a palavra ao Dan. Ele falará sobre alguns exemplos dos projetos onde trabalhou empregando cadeias de resultados.

16 As cadeias de resultados no ciclo do PAC
Esta metodologia não substitui – mas sim complementa - os melhores métodos científicos de monitoramento e avaliação. Do ponto de vista do nosso trabalho com o Conselho Científico e partindo do nosso desejo de ser preciso na ciência que praticamos, as cadeias de resultados não substituem o rigor dos métodos científicos de avaliação e monitoramento. Ao invés disto, constituem a base necessária para formular tanto as hipóteses concretas que submetemos a teste, como aquelas que não testamos... que adotamos como suposições de nosso trabalho. Quando não testamos alguma hipótese, simplesmente confiamos que muitas de nossas suposições são acertadas, desde a quantidade de insumos que necessita uma estratégia para ser bem sucedida, até as estimativas sobre o impacto de nossas estratégias e ações. Desta forma temos trabalhado no passado, mas não é este o caminho que queremos prosseguir no futuro.

17 4) Aprender com a experiência
(Demonstração baseada somente em produtos ainda em preparação – as informações deste projeto ainda não foram registradas no ConPro) Plano de monitoramento Objetivo: conseguir que, para 2008, tenham-se registrado hectares de áreas prioritárias nas reservas legais (RL) do estado de Mato Grosso. Indicador Método Quem mede Quando Onde Comentários IND. 1,1. Número anual e hectares registrados em RLs Com um plano de monitoramento desenvolvido para cada indicador

18 As medidas de conservação são melhor definidas através de perguntas
Protegemos a natureza. Conservamos a vida. A) Perguntas sobre as condições – “Tem boa saúde a biodiversidade que nos preocupa?” “As ameaças em relação à biodiversidade estão mudando?” “Qual é o nível de manejo da conservação?” B) Perguntas sobre a eficácia das estratégias – “Nossas ações estão conseguindo os resultados esperados?” As medidas de conservação estão elaboradas para responder a determinadas perguntas, e são estas perguntas a melhor maneira de defini-las. No sentido mais amplo, temos dois tipos de pergunta para facilitar a estruturação e definir o enfoque de nosso trabalho sobre medidas de conservação... CLIC1 – As primeiras são perguntas sobre as condições e sua finalidade é detectar mudanças. Os seguintes são exemplos chave deste tipo de pergunta: 1) Tem boa saúde a biodiversidade que nos preocupa? 2) As ameaças estão mudando? E… 3) Qual o nível de manejo da conservação? Ao colher as medidas das condições, ao longo do tempo, isto nos proporciona uma perspectiva das tendências. Esta informação é levantada de forma INDEPENDENTE do trabalho que estamos realizando. CLIC2 – O segundo tipo de pergunta trata da eficácia das estratégias, para saber se elas estão funcionando. Neste caso, nos concentramos especificamente em saber se nossas estratégias e ações estão alcançando os resultados desejados. CLIC3 – O propósito geral de um programa de medidas de conservação é de responder as estas perguntas com evidências, ao invés de intuição. A sessão de hoje terá foco, sobre tudo, nas perguntas sobre a eficácia das estratégias. Medidas de conservação – responder estas perguntas com evidências ao invés da intuição.

19 Perguntas sobre as condições e a eficácia
Protegemos a natureza. Conservamos a vida. Como usamos as informações sobre as condições e a eficácia? A B A = circuito de feedback do manejo adaptativo “Nossas estratégias estão fazendo diferença?” Definir o seu Projeto Estabelecer metas e prioridades Uma vez obtida esta informação, também nos interessamos no retorno sobre as estratégias de mudanças nas condições . Assim, levanta a questão se nossas ações coletivas estão fazendo uma diferença e mudando as medidas das condições na direção que desejamos. Em outras palavras, “Nossas estratégias estão fazendo uma diferença?” CLIC1 – O conceito deste retorno sobre o manejo adaptativo está demonstrado em nossas apresentações sobre Conservação por Delineação e Planejamento das Ações de Conservação… CLIC2 - …onde as informações coletadas através de nossas medidas de conservação são usadas para melhorar a prática da conservação ao longo do tempo. Usar os Resultados para Adaptar e Melhorar Planejamento das Ações de Conservação Desenvolver Estratégias e Medidas Medir resultados Desenvolver estratégias Implementar Estratégias e Medidas Atuar

20 Monitoramento das condições frente ao monitoramento da eficácia
Objetivo: avaliar a condição atual de um alvo, de uma ameaça ou do manejo da conservação. Propósito: determinar se é necessário atuar e/ou qual ação é necessária. Monitoramento da eficácia Objetivo: encontrar uma relação entre uma ação e uma reação no alvo ou a ameaça. Propósito: determinar se a ação ou as ações estão alcançando os resultados esperados. A arte desta ciência consiste em encontrar o equilíbrio adequado entre os dois tipos de monitoramento. Quais são os melhores tipos de monitoramento para responder as perguntas sobre as condições e a eficácia? O monitoramento do estado tem o objetivo explícito de avaliar a condição atual do alvo de conservação ou a ameaça, mas NÃO procura estabelecer um vinculo direto entre a condição e as ações. Seu propósito é determinar se há necessidade de realizar alguma ação e qual tipo de ação deveria ser. CLIC1 – o principal objetivo do monitoramento da eficácia é estabelecer um vinculo explícito entre as estratégias e ações e a resposta a um alvo de conservação ou ameaça. Seu propósito é determinar se a ação ou ações estão alcançando os resultados desejados. CLIC2 – estabelecer o equilíbrio apropriado entre estes dois tipos de medidas é um desafio... é aí que entra a arte desta ciência.

21 Qual é o nível desejado de precisão e rigor científico?
Perguntas sobre o monitoramento Protegemos a natureza. Conservamos a vida. Qual é o nível desejado de precisão e rigor científico? Que grau de mudança nos interessa detectar? Em que período de tempo? Que planos de pesquisa podem fortalecer as relações de causa e efeito? Para desenhar o programa de monitoramento adequado às necessidades de cada projeto, é necessário formular uma série de perguntas adicionais sobre o monitoramento. Deve se determinar o grau de precisão e rigor científicos que seria necessário para responder às perguntas sobre as condições e a eficácia. Em particular, existem três perguntas adicionais críticas: - Que grau de mudança nos interessa detectar? - Em que período de tempo? Que planos de pesquisa podem fortalecer a relação de causalidade entre as ações de conservação e a resposta do alvo ou ameaça?

22 Respostas sobre o monitoramento
As respostas às perguntas sobre o monitoramento dependem de vários fatores: Custos e recursos Incerteza Riscos x 2 Parcerias e oportunidades Desejo de mostrar a relação entre causa e efeito As respostas destas perguntas sobre o monitoramento dependem de uma variedade de fatores, muitos dos quais não são de ordem científica. Por exemplo, a escolha entre diferentes planos de monitoramento dependerá do custo de cada um e sua adequação aos recursos humanos e financeiros disponíveis. O grau de incerteza que associada à estratégia é um fator que pesará em nossas decisões, sendo que as estratégias geram mais dúvidas necessitarão de um maior investimento no monitoramento para compreender as relações causais. Também influencia em nossas decisões o grau de risco, tanto ao alvo de conservação afetado por ameaças muito altas, como à organização quando se pensa aplicar uma estratégia nova ou polêmica. Os tipos de parcerias e oportunidades para obter recursos para o monitoramento também terão influência. E, por último, a importância relativa de revelar as relações de causa e efeito deve ter um peso significante na escolha final do método de monitoramento.

23 Medidas para uma estratégia eficaz
Cadeias de Resultados 1. Descrevem com clareza os resultados desejados 2. Estabelecem claro vínculos entre as estratégias e os resultados desejados 3. Identificam os indicadores que mostrarão o progresso 4. Escolhem os planos de pesquisa e os métodos 5. Monitoram e comunicam com regularidade a posição dos indicadores 6. Usam os resultados para adaptar as estratégias e compartilhar as lições aprendidas Os componentes básicos das medidas para estratégias eficazes podem se resumir nestas seis etapas. Embora pareça simples, na grande maioria das ações que estão sendo tomadas, uma ou mais destas etapas geralmente são omitidas. Em conseqüência, o exercício da conservação costuma ser fraco na medição e divulgação da eficácia das estratégias. CLIC1 – Hoje focaremos na Cadeia de Resultados, um novo método para melhorar nossa capacidade para identificar e escolher medidas para estratégias eficazes. É importante lembrar os seguintes pontos chave: As cadeias de resultados podem aplicar-se a projetos de qualquer tipo e escala, desde aqueles que envolvam uma pequena área protegida, até grandes projetos, como o Triângulo de Coral, que abrangem múltiplas redes de áreas protegidas. 2) As cadeias de resultados são úteis, independentemente do tipo de plano de pesquisa e informações levantadas – sejam de uma abordagem científica detalhada dotada de uma complexa análise estatística, ou de simples observações a partir das deduções das causas.

24 Escopo do Projeto: Rio Mackinaw (Tratamento – Controle)
Cadeia de resultados com objetivos e indicadores S Escopo do Projeto: Rio Mackinaw Educação e abrangência Aumento de MPGs (Melhores Práticas de Gestão) agrícolas Diminuição de fertilizantes em águas residuais Melhora da qualidade da água Sistemas de riachos da cabeceira de drenagem Obj. Obj. Meta Obj. Lugares de águas acima Canais com grama (acres) Canais com grama (acres) Conjuntos de Mexilhões Tratamento Controle Riqueza de espécies Aqui vemos a mesma cadeia de resultados, ilustrada com objetivos e indicadores. Eles levantaram informações para demonstrar que com seu programa de extensão, alcançaram mais agricultores que na bacia de controle, e que estes agricultores, por sua vez, adotaram mais MPMs (Melhores Práticas de Manejo) agrícolas que aqueles que não foram contatados por meio do programa de extensão. CLIC1 – Aqui se podem ver dados provenientes de três indicadores - cada um representando uma melhor prática de manejo agrícola. As linhas azuis correspondem à bacia em tratamento, onde se realizou o programa de extensão; as linhas vermelhas correspondem à bacia de controle, onde não se realizou programa de extensão. O gráfico do meio mostra o número de acres onde se adotou um tipo de MPM agrícola: Os filtros de vegetação. Estes filtros foram criados para interceptar o escoamento da água superficial e reduzir a quantidade de terra e o excesso de fertilizantes que fluem para os rios, riachos e corpos de água. Até este ponto na cadeia de resultados, a estratégia estava alcançando os resultados desejados para as três MPMs. CLIC2 – o som e imagem desaparecem gradualmente. CLIC3 – Eles também monitoraram alterações na qualidade da água. Neste caso, podemos ver graficamente as concentrações de nitrogênio nas seções superiores e inferiores das sub-bacias, e podemos ver que não houve diferença significativa entre as sub-bacias. CLIC4 – Em relação aos alvos de conservação, também não houve mudança. Estes dois gráficos monitoram a riqueza e abundância de mexilhões ao longo do tempo. Foram levantadas informações sobre outra biota, como insetos macro invertebrados e peixes, e também não se revelou nenhuma diferença. Em ambos os casos, tanto no que corresponde a redução das ameaças quanto na melhora das condições dos alvos de conservação, não foi encontrada evidência de que as MPMs agrícolas foram suficientes para atingir os resultados desejados. Então, o que isto significa? Como pode ser usada esta informação para melhorar o trabalho de conservação? Filtros de vegetação (acres) Lugares de águas abaixo (Tratamento – Controle) Número total Filtro (% de bacia) Data:

25 Oficina regional de MEE
Pontos chaves para lembrar: A TNC está dando maior ênfase na avaliação da eficácia das estratégias de conservação. Na TNC estão se empregando muitos enfoques diferentes para avaliar a eficácia das estratégias. Há desafios para superar na implementação das medidas para estratégias eficazes (MEE), ainda que estejam surgindo algumas soluções e oportunidades. A organização está aprendendo como melhorar ao mesmo tempo em que continua avançando. Ao final do “workshop”, esperamos que cada participante volte à sua casa lembrando as seguintes mensagens: A TNC está dando uma ênfase maior na avaliação da eficácia das estratégias de conservação. Na TNC estão se empregando muitos enfoques diferentes para avaliar a eficácia das estratégias. Há desafios na implementação de medidas para estratégias eficazes, mas estão surgindo soluções e oportunidades. Juntos, a organização está aprendendo a forma de melhorar, a medida que avançamos.

26 Onde encontrar mais ajuda
Espaço de trabalho da Equipe de Métodos e Ferramentas (Methods & Tools Team Workspace) Medidas para Estratégias Eficazes Visitar este “Workspace”: Contatos Tim Tear ou Dan Salzer Miradi (www.miradi.org) A versão 2.0 de Miradi é grátis para os parceiros e pessoal da TNC A página para baixar esta apresentação em PowerPoint e Miradi está disponível em: Para ajuda ou maiores informações, contatar: Dan Salzer ou Rachel Neugarten Vou deixar este slide na tela enquanto respondemos a algumas perguntas iniciais Temos criado vários espaços ou áreas de trabalho que fornecem informações adicionais Para aprender mais sobre a Equipe de Métodos e Ferramentas, os interessados podem visitar a área de trabalho que criamos em ConserveOnline Para aprender mais sobre a Eficácia das Estratégias, podem visitar esta área de trabalho ou entrar em contato com Tim Tear ou Dan Salzer Para mais informações sobre Miradi, visite a página na web principal da Miradi. Você pode baixar a apresentação utilizando o código de acesso. Também será possível consultar os exemplos que estaremos disponibilizando na área de trabalho da Miradi. Para receber assessoria adicional, os interessados podem entrar em contato com Dan Salzer ou Rachel Neugarten. Obrigado por sua atenção!

27 Follow the trail from targets to objectives
Objetivo: para 2012, ter eliminado em PCNP, DRFR, GSCP, e BNR os incêndios florestais originados pelo homem. Alvo de conservação: planícies de pinho Ameaça: incêndios florestais Métodos: Fazer um mapa de localização e extensão dos incêndios florestais. Cadastrar os incêndios e os horários em que se apresentam Monitorar o desenvolvimento do plano Indicadores: Hectares de sistemas ecológicos nativos queimados por incêndios florestais. Número de horas decorridas entre o aviso e a contenção do fogo. Número de estratégias e planos integrados para conter o fogo.

28 Atributo ecológico chave Fonte de financiamento
Categoria: Atributo ecológico chave Indicador Métodos: Prioridade Freqüência Quem monitora Custo/ano Fonte de financiamento Direcionado para a ameaça Volume de água extraída para fins agrícolas Conseguir os registros correspondentes no organismo de manejo de águas e fazer a comparação com anos anteriores Alta Anual O responsável pelo projeto $200 Fundos gerais da TNC Hectares de terras agrícolas que passaram de cultivos de alto consumo de água a cultivos de baixo consumo Conseguir os registros do escritório do distrito agrícola da região Tamanho Tamanho da população População de saída do salmão Chinook Biólogos especializados em peixes inspecionam a área completa de habitat de desova Anual (outubro a dezembro) DFG, TNC, UCD, FF FF - $1550, UCD - $1500, DFG? TNC - $375 Calfed, DFG, fundos gerais da TNC Condição Recrutamento Número de ninhos construídos por salmões no fundo rochoso dos rios Biólogos especializados em peixes inspecionam a área completa do habitat de desova $1.200 Contexto paisagístico Migração: fluxos de indivíduos que se deslocam Magnitude e calendário dos fluxos no outono Verificação em campo dos lugares chave durante os períodos de migração, para determinar se há conectividade TNC, Fisheries Foundation $700 Fundos gerais da TNC, Calfed Monitoring Plan for Chinook Salmon at Cosumnes River Compare to previous years O plano de monitoramento deve incluir uma breve descrição de todas as atividades de monitoramento. Tem que incluir indicadores vinculados especificamente aos objetivos (tanto os objetivos relacionados com as ameaças, como os objetivos relacionados com os alvos de conservação), assim como indicadores adicionais de viabilidade. A ferramenta de livro de trabalho da Excel fornece um modelo para descrever brevemente os métodos, atribuir prioridades para diferentes indicadores, determinar com que freqüência os indicadores devem ser medidos, definir quem se encarregará do trabalho, calcular o custo anual e identificar as fontes de financiamento. Um projeto também necessita de um plano de monitoramento que descreva os métodos com detalhes suficientes para que um integrante novo da equipe possa continuar colhendo a informação empregando os mesmos procedimentos.

29 Lições aprendidas A tabela de viabilidade é uma ferramenta que serve para colher idéias sobre medidas, mas não queremos ou não precisamos monitorar tudo o que aparece nesta tabela. Evitamos os planos de monitoramento que nunca executamos ou, mais ainda, os que aplicamos durante um ou dois anos e no final abandonamos. Nunca faremos o monitoramento de algo que não possamos fazer ou que não pretenderemos fazer.

30 Perguntas cruciais Temos, no mínimo, um indicador e um resumo de monitoramento para cada um de nossos objetivos prioritários? Já excluímos os indicadores sem importância, irrelevantes ou redundantes? É viável a implementação do plano de monitoramento?

31 Recurso sócio-econômico focalizado
Atributo Indicador No de dias de atividades dos pescadores/estação A pesca CPUE /viagem do pescador Pesca recreativa Receitas financeiras Média de gasto diário por pescador Oportunidade de recursos No de pontos de acessos para a pesca pública

32 Valor do Indicador Pesca recreativa Recurso sócio-econômico focalizado
Atributo Indicador No de dias de atividades dos pescadores/estação 1983 45.000 2007 Meta A pesca CPUE /viagem do pescador Pesca recreativa Receitas financeiras Média de gasto diário por pescador Meta do Plano de Desenvolvimento Rural 2006 Atual Mínimo histórico Oportunidade de recursos No de pontos de acessos para a pesca pública

33 Session Objective Ao final desta sessão, os participantes entenderão e adquirirão experiência na aplicação de um arcabouço de medidas para estratégias eficazes.

34 Situação de análise Captura marinha (peixes e camarões)
Legislação para estabelecer uma área de utilização para a comunidade Pesca comercial de arraste nas áreas tradicionais de pesca da comunidade PT Mina Raya (Companhia de pesca de camarões) Campanha de extensão e sensibilização Captura excessiva de peixes e camarões Leis e políticas que permitam aplicar penalidades e multas Captura marinha (peixes e camarões) Pesca com redes de três tipos de malhas Exemplo de um caso em que se aplicou uma versão modificada do processo PAC na Baía de Bintuni, na Indonésia. Num encontro de três dias com a participação de 20 habitantes da localidade foi desenhado um plano do PAC . Foram utilizados cavaletes “flip chart” para elaborar diagramas de análise de situação. Culpados dentro da comunidade local Pesca com venenos Práticas de pesca destrutivas Inspeções mensais do mercado de peixes

35 Bintuni Bay Results Chain
Leis e políticas que permitam aplicar penalidades e multas As autoridades locais patrulham a área de uso comunitário Para 2008, aumentar a pesca diária de cada pescador para: 100 fieiras de peixe 5 cestas de camarões No de infrações reportadas No de sanções aplicadas Legislação para estabelecer uma área de utilização para a comunidade A área de uso comunitário é implementada e delimitada Redução da pesca comercial de arraste nas áreas tradicionais de pesca da comunidade Captura de peixes e camarões em nível sustentável Captura marinha (peixes e camarões) Aprovação da legislação No de marcadores de limites Fieiras de peixes capturados diariamente por cada pescador Cestas de camarões capturados diariamente No de avistamentos mensais de barcos pesqueiros comerciais de arraste navegando nas águas locais Campanha de extensão e sensibilização Os barcos pesqueiros de arraste comerciais conhecem as áreas de pesca restringida e as leis % de conscientização dos pesqueiros de arraste

36 NW Yunnan, China – Fuel wood threat
Objetivo: num prazo de dez anos, reduzir em 75% o consumo de combustível de madeira extraída de florestas com condições biológicas vulneráveis incluídas na área do projeto Diagrama de cadeia de resultados Noroeste de Yunnan Florestas primárias de abete / espruce / carvalho - Florestas mistas Campanha dirigida aos usuários e instalação de aparelhos e fontes de energia alternativa Mudança para aparelhos eficientes de aquecimento e de cozinha Diminuição da queima de madeira como combustível Redução do corte de árvores Agora gostaria de examinar alguns dos temas chave quando se empregam as cadeias de resultados para desenvolver medidas para estratégias eficazes. Mostrarei o exemplo de uma estratégia de um projeto do Pacífico Asiático com o qual me familiarizei numa visita à região Noroeste de Yunnan, na China. Seu objetivo era ambicioso: num período de dez anos, reduzir em 75% o consumo de madeira para combustível extraída de florestas com condições biológicas vulneráveis dentro da área do projeto.

37 Planejar suas ações e o monitoramento
2ª etapa 2. Planejar suas ações e o monitoramento Formular metas, desenvolver estratégias, elaborar suposições e definir objetivos Desenvolver o plano de monitoramento Desenvolver o plano operacional 38

38 Formular suas metas Etapa 2A
Meta: um enunciado formal que descreve em detalhe o impacto desejado de um projeto, como, por exemplo, o condição futura esperada para um alvo de conservação. 39

39 Formular suas metas Uma boa meta satisfaz este critério:
Etapa 2A Uma boa meta satisfaz este critério: Está associada aos alvos de conservação e seu propósito é provocar um impacto: deve ser formulada em termos de um atributo ecológico importante do alvo que queremos conservar. Tamanho (por exemplo, o impacto atingirá todo o recife de coral) Condição (por exemplo, composição da comunidade do recife de coral) Contexto paisagístico (por exemplo, regime hidrológico) NOVO SLIDE - CONCORDAMOS INCLUIR UMA REFERÊNCIA AOS ATRIBUTOS ECOLÓGICOS CHAVE (AEC) NESTA APRESENTAÇÃO. ISSO É SUFICIENTE? FAZ SENTIDO? ISTO VAI OBSCURECER OS CRITÉRIOS? O EXEMPLO DO CONTEXTO PAISAGÍSTICO FAZ SENTIDO? 40

40 Formular suas metas Etapa 2A 41 Visão: Alcance: reserva marinha
Corrupção Pesca ilegal de tubarões realizada por barcos do continente Fraco cumprimento da lei Meta Baixos salários para os agentes da lei Demanda internacional por barbatana de tubarão Tubarões Aquecimento global Falta de capacitação para os guias de turismo Danos causados por mergulho e âncoras Meta Recifes de coral Interesse no turismo ecológico Necessidade local de fontes de receitas Pesca legal mas não sustentável por pescadores locais Meta Economia fraca no continente Sistemas entre marés Emigração do continente Aumento da densidade da população local Água de esgoto Demanda do turismo internacional Turismo Meta Aves marinhas Potencial vazamento de petróleo Falta de um plano para responder a vazamentos Para 2015, pelo menos 80% do habitat de recife de coral na região biológica do norte, e 60% na região biológica ocidental serão ecologicamente funcionais* e conterão população saudável de espécies importantes**. Recursos financeiros novos para diminuir os vazamentos de petróleo Rotas de navegação nas proximidades Introdução de predadores (ratazanas) * Ecologicamente funcional = terá cobertura de, ao menos, 75% de coral vivo e conterá uma diversidade representativa de espécies de coral Ameaça indireta e oportunidade Alvo Ameaça direta Muito alta Alta ** População saudável de espécies que lideram a cadeia alimentícia, como os tubarões, e abundância de outras espécies importantes, como as lagostas e o coral negro. Média Baixa 41

41 Melhorar o alvo de conservação
Cadeias de Resultados Suposições implícitas: Melhorar o alvo de conservação Estratégia

42 Definir seus objetivos
Etapa 2A Definir seus objetivos Objetivo: um enunciado formal em que se descreve em detalhe o resultado desejado, como, por exemplo, reduzir uma ameaça crítica. Um bom objetivo deve satisfazer o seguinte critério: Buscar resultados: especifica mudanças necessárias nas ameaças críticas e outros fatores que afetam uma ou mais metas do projeto. 43

43 Uma cadeia de resultados
Estratégia Impacto sobre o alvo Resultado Resultado (Ameaça direta) Objetivo Objetivo Meta 44

44 Planejar suas ações e o monitoramento
2ª etapa 2. Planejar suas ações e o monitoramento Formular metas, desenvolver estratégias, elaborar suposições e definir objetivos Desenvolver o plano de monitoramento Desenvolver o plano operacional 45

45 Identificar seus indicadores
Etapa 2B Identificar seus indicadores Para 2011, pelo menos 50% da frota pesqueira local empregará somente técnicas de pesca sustentável % da frota pesqueira local que aplica somente técnicas de pesca sustentável Os pescadores apóiam o uso das novas técnicas de pesca Pescadores que conhecem as novas técnicas de captura e processamento Uso reduzido das técnicas de pesca não sustentável nos recifes de coral Promoção de técnicas de pesca sustentável Os produtos da pescaria cumprem com os padrões internacionais de qualidade Os pescadores ganham mais dinheiro usando as novas técnicas Recifes de coral mais saudáveis Os pescadores capturam e processam o peixe empregando as novas técnicas Os pescadores sabem como acessar os nichos de mercado que procuram peixes capturados por meios sustentáveis As cooperativas de pesca atendem aos nichos de mercado (vendem seus produtos) Para 2009, 60% dos produtos locais da pescaria atenderão os padrões de qualidade dos mercados internacionais e nacionais % de produtos locais da pescaria que atendem os padrões de qualidade dos mercados internacionais e nacionais 46

46 Desenvolver o plano de monitoramento
Etapa 2B Desenvolver o plano de monitoramento Que (Indicador) Como (Métodos) Quando Quem Onde Comentários Objetivo: para 2007, 40% dos produtos locais da pescaria atendem os padrões de qualidade dos mercados internacionais e nacionais % de produtos locais da pescaria que atendem os padrões de qualidade dos mercados nacionais Examinar os registros Cada ano em outubro Alejandra (WWF) Centros de processamento da reserva marinha da ilha % de produtos locais da pescaria que atendem os padrões de qualidade dos mercados internacionais Escritório da INP em Puerto Arena 47

47 Como “aplicamos as Medidas para Estratégias Eficazes”?
Ajustar as estratégias e atividades conforme as necessidades Definir seu projeto Equipe do projeto Alcance do projeto e alvos de conservação Formular objetivos mensuráveis Usar os resultados para adaptar e melhorar Analisar as ações e os dados Aprender com os resultados Adaptar o projeto Compartilhar os resultados Desenvolver estratégias e medidas Viabilidade do alvo Ameaças críticas Análise da situação Objetivos e ações Medidas Project Mgmt Cycle Ciclo de gestão do projeto Então, quando falamos “aplicar as medidas para estratégias eficazes”, o que significa exatamente? Muitos de nós estamos familiarizados com este ciclo básico de manejo, que é o fundamento do processo para o Planejamento das Ações de Conservação (PAC), criado pela TNC. Estes quatro quadros azuis ressaltam os componentes mais importantes das medidas para estratégias eficazes. Suponhamos que conhecemos os alvos que queremos conservar, que temos feito algum tipo de avaliação das ameaças e temos desenvolvido algumas estratégias iniciais. Com isso em mente, a eficácia das estratégias significa elaborar alguns objetivos mensuráveis para a implementação da estratégia, definir alguns indicadores para avaliar o progresso em direção à realização dos objetivos, monitorar os indicadores para medir o progresso real e, com as informações obtidas, fornecer retorno aos administradores do projeto e ajustar as estratégias quando sejam necessárias. Implementar estratégias e medidas Desenvolvimento de planos de trabalho Implementação de ações Implementação de medidas Monitorar o progresso e os impactos Identificar indicadores para cada objetivo

48 Exemplo da eficácia da estratégia: Área marinha protegida da Baía de Kimbe
Objetivo: para 2007, hectares das áreas marinhas protegidas da Baía de Kimbe estarão sob gestão eficaz. Indicador: hectares com classificação aceitável da eficácia de gestão. Objetivo: para 2012, reduzir a freqüência de pesca destrutiva para menos de 6 incidentes ao mês. Indicador: freqüência de pesca com veneno. Objetivo: para 2012, aumentar a extensão de coral vivo dos sistemas de recifes para mais de 50%. Indicador: avaliação da extensão de coral nos lugares de amostra. Pesca com veneno Este é um exemplo real dos objetivos e indicadores de um projeto da TNC na Baía de Kimbe, Papua-Nova Guiné, que faz parte do projeto de conservação mais amplo do Triângulo de Coral. Monitoramento 49

49 O que são as medidas de conservação?
Estudo das aves em reprodução na América do Norte Resultados e análises Medidas da condição Situação dos alvos e ameaças e do manejo da conservação São utilizadas para determinar quais são os lugares e as estratégias prioritárias Águia de cabeça branca, Columbia Britânica Contagem ANO Efeitos da AMP no peixe barbeiro ÁREA MARINHA PROTEGIDA (AMP) Pesca permitida sem limite temporário 12 10 8 6 4 2 Medidas da eficácia das estratégias Avaliação do progresso Nossas ações estão tendo o impacto desejado? Não vamos passar muito tempo hoje falando do por que necessitamos da conservação ou de um programa de medidas organizacionais. Isso consta no plano de negócios e foi amplamente discutido em muitos lugares ao longo dos anos. Também não temos muito tempo hoje para definir as medidas em detalhes ou avaliar exemplos detalhados da sua aplicação. Mas vale a pena dedicar um momento para definir os dois tipos de medidas de conservação que nos interessam, e isto não é somente da TNC - de fato, são os dois tipos de medidas de conservação utilizadas mais amplamente pelas comunidades científicas e conservacionistas. Refiro-me as medidas das condições e da eficácia das estratégias. A diferença entre elas é realmente simples, já que cada uma responde a perguntas diferentes. As medidas das condições tratam da condição da biodiversidade, das ameaças à própria biodiversidade, e a situação da gestão das áreas protegidas e de conservação. Um dos melhores exemplos de medidas das condições é o “Breeding Bird Surveys (Estudos das Aves Reprodutoras)”, realizado em toda a América do Norte por conservacionistas voluntários. Estas pesquisas nos fornecem informações sobre as tendências da população de muitas espécies de aves pertencentes à região norte do continente, categorizado por estado e província. Aqui temos um exemplo de estudo da Columbia Britânica, que revela a tendência demográfica da águia de cabeça branca durante os últimos anos. Para quem é familiarizado com as planilhas do PAC, as tabelas de resumos das ameaças e da viabilidade dos alvos de conservação também são excelentes exemplos de medidas das condições. Por outro lado, as medidas para estratégias eficazes respondem a pergunta se nossas ações de conservação estão ou não produzindo os efeitos esperados. Por exemplo, aqui temos alguns dados do Triângulo de Coral, que revelam o impacto do estabelecimento de uma área marinha protegida sobre a população de uma espécie alvo de peixe. Somente com este gráfico, sem se aprofundar nos detalhes explicativos científicos, podemos observar que os peixes que queremos conservar têm se beneficiado da criação desta área protegida. A informação que aparece aqui é autêntica e provém do monitoramento realizado no lugar. MÉDIA PARA 100 M2 ANO

50 Visão do Programa de Medidas de Conservação
A avaliação periódica dos nossos investimentos em conservação direciona todo o trabalho da TNC e mantém informado nosso pessoal, os grupos de interesse, os nossos parceiros e os doadores. As medidas de conservação contribuem significativamente para o estabelecimento de prioridades e o desenho de projetos em todos os níveis da administração da TNC e promovem o alinhamento de nossas ações com a meta estabelecida para The Nature Conservancy é reconhecida como líder global no aproveitamento estratégico das medidas de conservação para catalisar e impulsionar as ações de nossos parceiros . A melhoria constante através das medidas de conservação é um dos fundamentos da cultura administrativa da TNC. Estabelecer metas e prioridades Medir resultados Desenvolver estratégias Atuar Percebemos a rapidez com que o mundo pode mudar, num período muito curto, bem como o dinamismo do mundo em que vivemos. As transformações que tem sofrido a economia global e os relatórios dos últimos anos sobre a velocidade das mudanças climáticas são apenas dois exemplos disso. Em muitos aspectos, vivemos hoje num mundo tão incerto, como nunca antes. Esta incerteza deve nos levar a adotar o hábito de realizar avaliações freqüentes de nossas prioridades de conservação e de nossas estratégias e ações. É isso que a visão deste plano pede: As avaliações periódicas se tornem um guia de nosso trabalho. Medidas, especialmente as medidas das condições, para que nos ajudem a estabelecer prioridades e a desenhar projetos em todos os níveis da organização. Aproveitamos nosso trabalho com as medidas como uma estratégia para catalisar o trabalho de nossos parceiros e de muitas outras organizações. E por último, incorporar na cultura de administração da TNC a disposição de melhorar continuamente o exercício da conservação, o que nos tornará mais efetivos e eficientes. Método de conservação


Carregar ppt "Planejamento das Ações de Conservação (PAC)"

Apresentações semelhantes


Anúncios Google