A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Foro Social Ibérico por la Educación ¿Qué Educación para que Sociedad? UNA ALTERNATIVA PARA LA PAZ Y EL DESARROLLO DE UNA CIUDADANÍA INTEGRAL Córdoba 29,30,31.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Foro Social Ibérico por la Educación ¿Qué Educación para que Sociedad? UNA ALTERNATIVA PARA LA PAZ Y EL DESARROLLO DE UNA CIUDADANÍA INTEGRAL Córdoba 29,30,31."— Transcrição da apresentação:

1 Foro Social Ibérico por la Educación ¿Qué Educación para que Sociedad? UNA ALTERNATIVA PARA LA PAZ Y EL DESARROLLO DE UNA CIUDADANÍA INTEGRAL Córdoba 29,30,31 de Octubre y 1 de Noviembre 2005 LA COEDUCACIÓN:

2 Um olhar sobre a coeducação em Portugal União de Mulheres Alternativa e Resposta Artemisa Coimbra (2005)

3 COEDUCAÇÃO Ruptura político-social em Portugal 25 de Abril de 1974 Dinamizador de diversos sectores da sociedade Campo Educativo: algumas transformações significativas na área da Igualdade de Oportunidades, mas confinadas a: Generalização Generalização do ensino misto Diversidade Diversidade das escolhas de carreiras Acesso Acesso mais fácil ao prosseguimento de estudos Fernanda Henriques e Teresa Pinto (2001)

4 COEDUCAÇÃO Falta de relevância da questão da igualdade de género em educação Não atribuição de significado nas políticas educativas Escassez de legislação Não consciencialização académica Poucas investigações significativas

5 COEDUCAÇÃO ANOS 80 Aumento e diversificação da produção: Investigação académica institucionalizada (dissertações) Iniciativas de divulgação pública (congressos e similares) Actividades de acção/intervenção (projectos)

6 COEDUCAÇÃO MARCOS DE MUDANÇA A primeira tese de doutoramento em Educação e Género da autoria de Ana Benavente (1985) A primeira tese de doutoramento em Educação e Género da autoria de Ana Benavente (1985) Os colóquios: Os colóquios: A Mulher na Sociedade Portuguesa (IHES da Fac. Letras da Univ. Coimbra) (1985) A Mulher na Sociedade Portuguesa (IHES da Fac. Letras da Univ. Coimbra) (1985) Mulheres em Portugal (ICS da Univ. Lisboa) (1985) Mulheres em Portugal (ICS da Univ. Lisboa) (1985) Diversas iniciativas ao nível da produção no campo da Igualdade de Oportunidades em Educação Diversas iniciativas ao nível da produção no campo da Igualdade de Oportunidades em Educação

7 COEDUCAÇÃO Categorias temáticas: Educação e Género Educação e Género História da Educação História da Educação

8 COEDUCAÇÃO Educação e Género (produção) Artigos / Capítulos em obras 82 Artigos / Capítulos em obras 82 Obras 47 Obras 47 Projectos 21 Projectos 21 Dissertações de Mestrado 19 Dissertações de Mestrado 19 Comunicações em congressos 18 Comunicações em congressos 18 Congressos específicos 11 Congressos específicos 11 Teses de Doutoramento 3 Teses de Doutoramento 3

9 COEDUCAÇÃO Origem das produções Até 1985: - Da área da Educação e dos Estudos sobre as Mulheres Após 1985: - Psicologia, Sociologia, História Entidades promotoras de congressos e projectos CCF / CIDM 9 FPCE-UP 5 ONG de Mulheres 3 Ministério da Educação 2

10 COEDUCAÇÃO RESISTÊNCIAS À MUDANÇA PRODUÇÃO CIENTÍFICA PRODUÇÃO CIENTÍFICA LEGISLAÇÃO LEGISLAÇÃO RELAÇÕES DE PODER RELAÇÕES DE PODER ESTRUTURAS CURRICULARES ESTRUTURAS CURRICULARES PRÁTICAS EDUCATIVAS PRÁTICAS EDUCATIVAS DIVERSIFICAÇÃO DE ESCOLHAS DE PROSSEGUIMENTO DE ESTUDOS DIVERSIFICAÇÃO DE ESCOLHAS DE PROSSEGUIMENTO DE ESTUDOS Fernanda Henriques e Teresa Pinto (2001)

11 COEDUCAÇÃO PLANO DAS MENTALIDADES Ainda se pensa que ser mulher corresponde a uma natureza específica Ainda se pensa que ser mulher corresponde a uma natureza específica Dicotomia de papéis atribuídos aos homens e às mulheres Dicotomia de papéis atribuídos aos homens e às mulheres Persistência de estereótipos Persistência de estereótipos PLANO EPISTEMOLÓGICO Persistência do paradigma positivista na investigação Persistência do paradigma positivista na investigação Persistência do universal neutro na formação dos/as investigadores/as Persistência do universal neutro na formação dos/as investigadores/as PLANO POLÍTICO-SOCIAL Difícil acesso a cargos públicos Difícil acesso a cargos públicos Menor poder económico das mulheres Menor poder económico das mulheres Reduzida visibilidade dos movimentos feministas Reduzida visibilidade dos movimentos feministas

12 COEDUCAÇÃO É necessário: inflectir a produção de políticas educativas no que respeita à problematização das orientações e práticas da coeducação (Silva e Perista, 1995) inflectir a produção de políticas educativas no que respeita à problematização das orientações e práticas da coeducação (Silva e Perista, 1995) ultrapassar a fase de acumulação caracterizada por pesquisas empíricas de valor desigual (Cova, 1998) ultrapassar a fase de acumulação caracterizada por pesquisas empíricas de valor desigual (Cova, 1998)

13 COEDUCAÇÃO Perspectiva da UMAR ( (União de Mulheres Alternativa e Resposta) Sistema Escolar implementar o conceito de igualdade combater a divisão sexual do trabalho e das funções reflectir sobre a utilização dos espaços informais nas escolas integrar diferentes culturas numa perspectiva crítica e reflexiva sem cair na anulação nem na aceitação incondicional

14 COEDUCAÇÃO Perspectiva da UMAR ( (União de Mulheres Alternativa e Resposta) Manuais escolares implementar regulamentação e um observatório de avaliação para desconstrução de estereótipos, eliminação da linguagem sexista e do falso neutro

15 COEDUCAÇÃO Perspectiva da UMAR ( (União de Mulheres Alternativa e Resposta) Currículo introduzir conteúdos na área da igualdade de oportunidades e da igualdade de resultados dar visibilidade ao papel das mulheres nas diferentes áreas (científica, política, artística,…) introduzir temas relevantes: violência / violência contra as mulheres / violência doméstica a guerra o comércio justo

16 COEDUCAÇÃO Perspectiva da UMAR ( (União de Mulheres Alternativa e Resposta) Currículo paridade e representatividade de género conciliação entre a vida familiar e a profissional partilha das decisões educação para os afectos acesso igualitário à diversidade das carreiras profissionais

17 COEDUCAÇÃO Perspectiva da UMAR ( (União de Mulheres Alternativa e Resposta) Currículo direito à sexualidade, ao prazer, sem discriminação de orientação sexual prevenção das doenças sexualmente transmissíveis, da SIDA, das Hepatites planeamento familiar / contracepção aborto maternidade e paternidade conscientes respeito pelo meio ambiente igualdade da justiça social para acabar com a pobreza cooperação entre os povos

18 COEDUCAÇÃO Perspectiva da UMAR ( (União de Mulheres Alternativa e Resposta) Práticas pedagógicas impulsionar a construção de uma rede de docentes que partilhe e trabalhe entre si com vista à mudança Liderança das escolas implementar o modelo igualitário em detrimento do modelo patriarcal

19 COEDUCAÇÃO Perspectiva da UMAR ( (União de Mulheres Alternativa e Resposta) Sensibilizar os sindicatos do professorado para as temáticas atrás referidas Sensibilizar os sindicatos do professorado para as temáticas atrás referidas Continuar e aumentar a investigação nas questões de género e educação Continuar e aumentar a investigação nas questões de género e educação

20 COEDUCAÇÃO Perspectiva da UMAR ( (União de Mulheres Alternativa e Resposta) FACTORES FUNDAMENTAIS NA CONSTRUÇÃO DE UMA EDUCAÇÃO PARA A PAZ E PARA A CIDADANIA COEDUCAÇÃO IGUALDADE DE OPORTUNIDADES DIALÉCTICA ENTRE: IDENTIDADE / DIFERENÇA MESMIDADE / ALTERIDADE INTERNALIZAR A PERSPECTIVA DE GÉNERO (Manuela Silva)

21 Rua Formosa, 433-3º andar Porto Tel..: União de Mulheres Alternativa e Resposta


Carregar ppt "Foro Social Ibérico por la Educación ¿Qué Educación para que Sociedad? UNA ALTERNATIVA PARA LA PAZ Y EL DESARROLLO DE UNA CIUDADANÍA INTEGRAL Córdoba 29,30,31."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google