A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM EFICIÊNCIA ENERGÉTICA 6- Processos Produtivos de Uso Intensivo de Energia Profª Drª Maria de Fátima Ribeiro Raia - 2012 4º AULA.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM EFICIÊNCIA ENERGÉTICA 6- Processos Produtivos de Uso Intensivo de Energia Profª Drª Maria de Fátima Ribeiro Raia - 2012 4º AULA."— Transcrição da apresentação:

1 CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM EFICIÊNCIA ENERGÉTICA 6- Processos Produtivos de Uso Intensivo de Energia Profª Drª Maria de Fátima Ribeiro Raia º AULA

2 2 Os setores considerados eletrointensivos (grandes consumidores industriais) e também energointensivos são: metalurgia (designa um conjunto de procedimentos e técnicas para extração, fabricação, fundição e tratamento dos metais e suas ligas) siderúrgia (aço); cobre; ferro gusa alumínio; produção da alumina; extração da bauxita; ferro-ligas; pelotização; química e petroquímica; papel e celulose; soda cloro; têxtil; indústrias de cimento, etc. são empresas que estão na cabeceira das cadeias produtivas.

3 3 3 Curiosidade : o ferro e a obtenção do aço a diferença entre o ferro e o aço foi definida na Revolução Industrial com o aparecimento dos fornos, a onde é possível: corrigir as impurezas do ferro; e adicionar propriedades como resistência ao desgaste, ao impacto e à corrosão. é encontrado em toda crosta terrestre, e é fortemente associado ao oxigênio e à sílica, então, minério de ferro é um óxido de ferro, misturado com areia fina. o carvão mineral é largamente usado na siderurgia, podendo em alguns casos ser usado o carvão vegetal. o carvão tem duplo papel na fabricação do aço: como combustível chega a temperaturas de 1500ºC na fusão do minério; como redutor, o carvão, associa-se ao oxigênio liberado do minério com a alta temperatura quando o ferro fica livre (1ª etapa abaixo) O aço é uma liga de ferro e carbono 1ª etapa da obtenção do aço: redução ocorre dentro de um alto forno e é o processo de remoção do oxigênio do minério de ferro (óxido de ferro) que depois é ligado ao carbono.

4 44 o minério de ferro e o carvão antes de irem para o alto forno são preparados para aumentar o rendimento e economia do processo: o minério é transformado em pelotas (pelotização); e o carvão é destilado, obtendo-se o coque de carvão e obtendo também dele subprodutos carboquímicos. na redução, o ferro é liquefeito e é chamado de ferro gusa ou ferro de 1ª fusão: é obtida então a escória pela fusão das impurezas do minério de ferro (sílica) juntamente com a adição de fundentes (calcário e dolomita) e as cinzas do coque. as escórias são utilizadas na produção de cimento. 2ª etapa: refino ferro gusa, ainda em estado líquido, vai para a aciaria (máquinas e equipamentos convertedores), que junto com as sucatas são transformados em aço; o refino do aço é feito em convertedores: fornos a oxigênio, onde o oxigênio injetado se junta com o carbono do ferro gusa, formando gases que são liberados; ou fornos elétricos. 3ª etapa: laminação o aço é solidificado e transformado em produtos siderúrgicos como: chapas fina e grossa, bobinas, barras, perfilados, vergalhões, arames, usados na indústria de transformação.

5 5 Pelotização é o processo de compressão ou moldagem de um dado material na forma de um pellet. Uma grande variedade de materiais diferentes podem passar por tal processo, incluindo produtos químicos, minério de ferro, ração animal composta, dentre outros. no caso do ferro, a pelotização tem como produto aglomerados esféricos de tamanhos na faixa de 8 a 18 mm, com características apropriadas para alimentação das unidades de redução, tais como altos-fornos. Curiosidades :

6 6 Ferro Gusa: gusa é uma liga de Ferro e Carbono, obtida em alto fornos pela reação de minério de ferro com carvão e calcáreo. É matéria prima na obtenção de outras ligas de ferro e aço. Coque de carvão: o coque é obtido a partir da destilação do carvão mineral em fornos, na ausência de ar, a altas temperaturas. No processo de coqueificação tem-se a formação do coque, do gás de coqueria, alcatrão e outros hidrocarbonetos pesados.

7 7 setores econômicos onde o cloro é aplicado: - resinas de PVC (policloreto de vinila); - defensivos agrícolas; - fabricação do silício empregado em microprocessadores eletrônicos; - pigmentos brancos para tintas; - indústria metalúrgica; - indústria de papel e celulose; - indústria têxtil; - poliuretanos; e - tratamento dágua. Na maioria dos casos acima, o cloro não é incorporado, é eliminado. soda – aplicações mais importantes: -uso na digestão da madeira para a obtenção de celulose; - produção de alumina para a indústria de alumínio; - produção de sabões e detergentes; e - reagente de neutralização na indústria de petróleo e química. Soda Cloro: o cloro e a soda cáustica (soda) são produzidos simultaneamente, pela eletrólise de sal, numa proporção fixa de 1 tonelada de cloro para 1,12 t de soda cáustica

8 8 Alumina o beneficiamento ou processamento da rocha minério tem como produto final a alumina, óxido de alumínio (Al 2 O 3 ) um composto químico de alumínio e oxigénio, que sofre um processo de redução para a obtenção do alumínio metálico no estado líquido. rocha minério - bauxita, o principal minério de alumínio, outros podem ser rochas do tipo alumínio-silicatos as pedras preciosas rubi e safira são compostas principalmente por óxido de alumínio e as suas cores características são dadas por traços de impurezas. Seu principal uso é na produção do alumínio, e também usado como um abrasivo devido à sua dureza e como um material refratário devido a seu alto ponto de fusão bauxita alumina

9 Eletro e energointensivas são empresas que: gastam muita energia elétrica e térmica; 20% de toda energia consumida no Brasil, e 45% do consumo de energia elétrica, e 40% da energia térmica da indústria brasileira usam muita tecnologia; o custo da energia é um dos principais componentes no preço final do produto; geram poucos empregos diretos em termos relativos; muitas vezes geram produtos de baixo valor agregado. 9 a questão do emprego precisa ser analisada em função do que elas geram de empregos indiretos para trás (fornecedores) e para frente (usuários).

10 No Brasil várias empresas eletrointensivas estão fechando unidades no País ou migrando para outros locais por causa da perda de competitividade no mercado brasileiro: a carga tributária do setor na ordem de 40% e o custo da energia no Brasil é bem acima da média mundial: período , as tarifas de energia elétrica subiram 100% Isto está ocasionando um problema de grandes proporções pois: afetando inúmeras cadeias produtivas; com devastadores impactos nos empregos em geral; sem falar na falta de produtos para alimentar outras atividades, por ex. nas indústrias de transformação.. 10

11 11 Custo do MWh em 2012

12 12 REDUÇÃO DO ICMS É INSUFICIENTE PARA AUMENTAR COMPETITIVIDADE DA ELETRICIDADE Na maioria dos casos, o imposto é compensado nas cadeias produtivas; o foco da redução do custo tem de ser nos encargos e na adequada condução da questão das concessões. Fonte : ABRACE (Associação Brasileira de Grandes Consumidores Industriais de Energia e de Consumidores Livres)

13 13 Os encargos setoriais e impostos que incidem nas tarifas de energia elétrica ICMS imposto sobre circulação de mercadorias e prestação de serviços PIS/PASEP programa de integração social (PIS) e programa de formação do patrimônio do servidor público (PASEP) -pagamento salario desemprego, abono, receitas de orgãos públicos e entidades dos trabalhadores COFINS contribuição para o financiamento da seguridade social Tributo – CIP contribuição de iluminação pública

14 14 Fonte: BEN - EPE, 2011

15 15 Fonte: BEN - EPE, 2011

16 No Brasil, se nada for feito, o risco é de o setor sumir. Temos vários exemplos de países em que a indústria do alumínio fechou em dois anos. Há mais de 25 anos, nenhuma nova fábrica se instala no Brasil. O que tivemos foi expansão das já existentes e, mesmo assim, parou tudo. Spalding, Eduardo, coordenador da Comissão de Energia da Associação Brasileira do Alumínio (Abal). 16

17 Nesse contexto, enquadram-se pelo menos sete companhias: A Rio Tinto Alcan (alumínio e bauxita) está em negociando a instalação da maior fábrica de alumínio do mundo no Paraguai - Rio Tinto (anglo saxónica) comprou a Alcan (canadense)); A Braskem (petroquímica), maior produtora de termoplásticos da América Latina, controlada pela Odebrecht, vai inaugurar unidade de soda cáustica no México e faz prospecção em outros países, como Peru e Estados Unidos - produz polipropileno, plástico de cana de açúcar que venderá para a Tigre); A Stora Enso (papel e Celulose) em Arapoti PR, 1º unidade da América Latina, desde 1992, abrirá em breve fábrica de celulose no Uruguai; 17 A Stora Enso é uma das empresas mais antigas do mundo, está em atividade desde 1288 (724 anos), começou em Falun (Suécia). Em 1998 houve a junção das empresas Stora (Suécia) e Enso (Finlândia) tornando se a empresa de maior capital mundial.

18 18 A siderúrgica Gerdau Usiba (aço) (brasileira), na região metropolitana de Salvador (BA), esteve parada devido ao alto custo da energia - é a maior recicladora da América Latina e, do mundo, transforma sucata em aço A Valesul Alumínio, em Santa Cruz (RJ), também, ficou fechada pelo mesmo motivo - produz e comercializa alumínio primário e ligas para a indústria de transformação - empresa brasileira pertencente a Companhia Vale do Rio Doce A Novelis encerrou a fábrica de Aratu (BA) e está se transferindo para o Paraguai - subsidiária do Aditya Birla Group com sede em Bombaim, Índia); - é a líder mundial em laminados de alumínio e reciclagem de latas de bebida - o câmbio valorizado e a avanço no preço da energia elétrica A Companhia Brasileira de Alumínio (CBA), do Grupo Votorantim, está abrindo filial em Trinidad e Tobago - segunda maior produtora de alumínio primário do país, com 13 filiais no Brasil

19 o aumento exacerbado de produtos chineses é outra ameaça; a importação de alumínio chinês, que até 2009 ficou num patamar de 17 mil toneladas; aumentou para 88,1 mil toneladas em IMAGINEM O QUE DEVE ESTÁR ACONTECENDO EM 2012

20 20 Em 2009 a China passou a Alemanha e tornou-se a maior exportadora do mundo! Fábricas no mundo inteiro estão sendo fechadas, desde a Europa até as três Américas. Pra cada fábrica que se fecha no Brasil, uma se abre na China. alguns dizem : É a lei do mercado!


Carregar ppt "CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM EFICIÊNCIA ENERGÉTICA 6- Processos Produtivos de Uso Intensivo de Energia Profª Drª Maria de Fátima Ribeiro Raia - 2012 4º AULA."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google