A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

HIGH FREQUENCY OF THE METABOLIC SYNDROME IN PATIENTS WITH SYSTEMIC LUPUS ERYTHEMATOSUS: ASSOCIATION WITH DISEASE CHARACTERISTICS AND CARDIOVASCULAR RISK.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "HIGH FREQUENCY OF THE METABOLIC SYNDROME IN PATIENTS WITH SYSTEMIC LUPUS ERYTHEMATOSUS: ASSOCIATION WITH DISEASE CHARACTERISTICS AND CARDIOVASCULAR RISK."— Transcrição da apresentação:

1 HIGH FREQUENCY OF THE METABOLIC SYNDROME IN PATIENTS WITH SYSTEMIC LUPUS ERYTHEMATOSUS: ASSOCIATION WITH DISEASE CHARACTERISTICS AND CARDIOVASCULAR RISK FACTORS Cecilia P. Chung M.D. M.P.H., Ingrid Avalos M.D., Annette Oeser B.S., Tebeb Gebretsadik M.P.H., Ayumi Shintani Ph.D., M.P.H., Paolo Raggi, M.D., C. Michael Stein M.D. Ann Rheum Dis published online 10 Aug 2006; doi: /ard

2 Conjunto de fatores de risco cardiovascular: OBESIDADE ABDOMINAL DISLIPIDEMIA HAS ALTERAÇÃO METABOLISMO DA GLICOSE FORD et al, 2002 Preditor independente de morbidade e mortalidade cardiovascular – risco adicional (somado aos riscos individuais) KIP et al, 2004 SÍNDROME METABÓLICA (SM)

3 HOMENS COM A SÍNDROME METABÓLICA: 1,9-3,0 vezes mais probabilidades de morrer de qualquer causa 2,9-4,2 vezes mais probabilidades de morrer de doença cardíaca coronária LAKKA et al, 2002 MULHERES COM O SÍNDROME METABÓLICA 2-vezes maior risco de eventos adversos cardiovasculares e morte KIP et al, 2004 SÍNDROME METABÓLICA (SM)

4 Forte relação com a inflamação -Presente antes e depois do desenvolvimento da Síndrome JONKERS et al, 2002 Festa et al, 2000 – estudo populacional Indivíduos não diabéticos sem doença arterial coronariana correlação com os diversos componentes do síndrome: (proteína C-reativa (PCR), fibrinogênio e contagem de células brancas) marcadores inflamatórios SÍNDROME METABÓLICA (SM)

5 INFLAMAÇÃO aumentar a prevalência de componentes da síndrome metabólica: SÍNDROME METABÓLICA (SM) MECANISMOS: Aumento [Triglicérides] TNF-α (resistência a insulina) Hipertensão (prejuízo da vasodilatação) JONKERS et al, 2002 RASK-MADSEN et al, 2003 HUNG et al, 2003

6 Aumento da prevalência – causas não são claras SÍNDROME METABÓLICA (SM) e LUPUS ERITEMATOSO SISTÊMICO (LES) Obesidade foi independentemente associada com fatores de risco cardiovasculares, tais como PCR em pacientes com LES OESER et al, 2005 P ossibilidade a síndrome metabólica pode ser mais freqüente no LES. EL MAGADMI et al, 2006

7 OBJETIVO: Examinar a hipótese de que pacientes com LES possuem uma maior prevalência de SM, e que existe uma associação entre esta e outros fatores de risco cardiovascular e de inflamação. SÍNDROME METABÓLICA (SM) e LUPUS ERITEMATOSO SISTÊMICO (LES)

8 SÍNDROME METABÓLICA (SM) E LUPUS ERITEMATOSO SISTÊMICO (LES) METODOLOGIA 102 pacientes com lupus 101 pacientes controles maiores de 18 anos preencheram critérios de classificação de LES doença duração superior a um ano não cumprir a classificação critérios para LES ou outra doença auto- imune

9 Grupos pareados por idade, sexo e raça não haver diferença significativa em relação a essas variáveis SÍNDROME METABÓLICA (SM) E LUPUS ERITEMATOSO SISTÊMICO (LES) METODOLOGIA Recrutamento dos pacientes LUPUS - ambulatório de Reumatologia de Nashville, cartas e propagandas CONTROLE – conhecidos dos pacientes, propaganda e banco de voluntários do ambulatório

10 Critérios de exclusão (pacientes e controles) história prévia de infarto do miocárdio, angina ataque cardíaco SÍNDROME METABÓLICA (SM) E LUPUS ERITEMATOSO SISTÊMICO (LES) METODOLOGIA Aprovado pelo Comitê de Ética

11 AVALIAÇÃO: SÍNDROME METABÓLICA (SM) E LUPUS ERITEMATOSO SISTÊMICO (LES) METODOLOGIA entrevista clínica padronizada exame físico exames laboratoriais - glicose, colesterol total, de alta densidade lipoproteínas (HDL), lipoproteína de baixa densidade (LDL), triglicerídeos, Lipoproteína Lp (a), homocisteína, e da insulina, em jejum em pacientes - revisão de prontuário história familiar de doença coronariana

12 altura e peso (IMC) e circunferência cintura SÍNDROME METABÓLICA (SM) E LUPUS ERITEMATOSO SISTÊMICO (LES) METODOLOGIA pressão arterial - duas medições obtidas 5 minutos após os indivíduos descansado e em posição supina por 10 minutos *pacientes com lupus: PCR, velocidade de hemossedimentação (VHS) e Índices SLICC e SLEDAI (dano e grau atividade da doença, respectivamente)

13 DEFINIÇÕES DE SÍNDROME METABÓLICA SÍNDROME METABÓLICA (SM) E LUPUS ERITEMATOSO SISTÊMICO (LES) METODOLOGIA Pacientes com LES e controles – NCEP e WHO

14 Obesidade abdominal - cintura > 102 cm. em homens e > 88 cm. nas mulheres Hipertrigliceridemia mg / dl (HDL) baixo - <40 mg / dl em homens e <50 mg / dl em mulheres Pressão arterial elevada - 130/85 mm Hg ou uso de medicação para pressão 3 ou mais dos seguintes 5 fatores devem ser preenchidos: NCEP (The National Cholesterol Education Program Adult Treatment Panel III) SÍNDROME METABÓLICA (SM) E LUPUS ERITEMATOSO SISTÊMICO (LES) METODOLOGIA Glicose de jejum alta mg / dl

15 Dislipidemia – triglicérides ( 150 mg / dl) ou HDL <40 mg / dl em mulheres, ou 35 mg / dl em homens Pressão arterial elevada - 140/90 mm Hg ou uso de medicamentos anti- hipertensivos Presença de resistência à insulina* + 2 dos 3 critérios seguintes: WHO (Organização Mundial da Saúde) SÍNDROME METABÓLICA (SM) E LUPUS ERITEMATOSO SISTÊMICO (LES) METODOLOGIA Obesidade abdominal - cintura > 102 cm. em homens e > 88 cm. nas mulheres

16 SÍNDROME METABÓLICA (SM) E LUPUS ERITEMATOSO SISTÊMICO (LES) METODOLOGIA ANÁLISES ESTATÍSTICAS A prevalência da síndrome metabólica síndrome e seus componentes foram comparados entre os pacientes com LES e controles Fisher Wilcoxon-test Teste qui-quadrado Modelos de regressão logística Estatística Kappa 5% significância STATA versão 8.2

17 SÍNDROME METABÓLICA (SM) E LUPUS ERITEMATOSO SISTÊMICO (LES) RESULTADOS

18

19

20

21

22 SÍNDROME METABÓLICA (SM) E LUPUS ERITEMATOSO SISTÊMICO (LES) DISCUSSÃO Pacientes com LES - prevalência de Síndrome Metabólica (OMS) permaneceu significativo após ajuste para idade, sexo, raça, IMC Mecanismo comum – Aterosclerose prematura X Inflamação X LES Definição de Síndrome Metabólica: NCEP X OMS ausência de consenso OMS – exige a verificação direta da resistência à insulina mais fortemente relacionada com LES IMPORTANTE inflamação resistência à insulina Síndrome Metabólica no LES

23 SÍNDROME METABÓLICA (SM) E LUPUS ERITEMATOSO SISTÊMICO (LES) DISCUSSÃO Resistência à insulina X Marcadores Inflamatórios (significativo) fundamental para o desenvolvimento da SM > [INSULINA] / > prevalência de SM maiores nos pacientes com LES não relacionado à atividade da doença, uso de corticosteróides ou a utilização de anti-maláricos Os critérios da OMS mais apropriado do que os critérios do NCEP que incluem uma medida da sensibilidade à insulina na definição de uma doença inflamatória.

24 SÍNDROME METABÓLICA (SM) E LUPUS ERITEMATOSO SISTÊMICO (LES) DISCUSSÃO Resultados do estudo - implicações terapêuticas potenciais LES Medicamentos imunomoduladores Intervenções para controle de dislipidemia e obesidade (atividade física e dieta)

25 SÍNDROME METABÓLICA (SM) E LUPUS ERITEMATOSO SISTÊMICO (LES) CONCLUSÃO Pacientes com LES têm maior concentração de INSULINA e aumento da freqüência de SM, conforme determinado pela definição da OMS e que esta está associada com níveis mais elevados de INFLAMAÇÃO. A SM pode constituir um elo comum entre o AUMENTO DO RISCO CARDIOVASCULAR e níveis mais elevados de inflamação presente no LES

26 Obrigada! Juliana Morais A.de Almeida Departamento de Pós-Graduação em Ciência dos Alimentos – FAFAR UFMG


Carregar ppt "HIGH FREQUENCY OF THE METABOLIC SYNDROME IN PATIENTS WITH SYSTEMIC LUPUS ERYTHEMATOSUS: ASSOCIATION WITH DISEASE CHARACTERISTICS AND CARDIOVASCULAR RISK."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google