A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Tecido nervoso Jorge Clarêncio Andrade

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Tecido nervoso Jorge Clarêncio Andrade"— Transcrição da apresentação:

1 Tecido nervoso Jorge Clarêncio Andrade

2 Tecido nervoso Sistema Nervoso DivisãoPartesFunções gerais Sistema nervoso central (SNC) Encéfalo e Medula espinhal Processamento e integração de informações Sistema nervoso periférico (SNP) Nervos e Gânglios Condução de informações entre órgãos receptores de estímulos, o SNC e órgãos efetuadores (músculos, glândulas...) Divisão Anatômica Sistema Nervoso Central: Massa branca e cinzenta (encéfalo e medula espinhal) Sistema Nervoso Periférico; gânglios nervosos (motor e autônomo-simpático e parassimpático) Componentes principais de tecido nervoso: Neurônios Células da glia

3 Sistema nervoso Junqueira & Carneiro, 2005

4 Neurônios Dendritos Corpo celular ou pericário Axônio Junqueira & Carneiro, 2005

5 Neurônio típico

6 Tipos de Neurônios Quanto ao tamanho e forma: Neurônios multipolares Neurônios bipolares Neurôneos pseudo-unipolares Quanto a função: Neurônios motores Neurônios sensoriais Internerônios

7 Tipos de Neurônios Junqueira & Carneiro, 2005

8 Tipos de Neurônios

9 Corpo Celular O corpo celular ou pericário é o centro metabólico e contém e núcleo e a maioria das organelas do neurônio. Núcleo Retículo endosplasmático rugoso Corpúsculos de Nissl Mitocôndrias Complexo de Golgi Neurofilamentos e Microtúbulos

10 Corpo Celular Junqueira & Carneiro, 2005

11 Dendritos Os dendritos aumentam muito a superfície receptora dos neurônios, permitindo a captação de uma grande variedade de impulsos. Célula de Purkinje terminações A estrutura dos dendritos é muito semelhante à do corpo celular, não contendo porém, Complexo de Golgi. Apresentam pequenas projeções citoplasmáticas denominadas espinhos ou gêmulas. Axônios Os impulsos nervosos são enviados através dos axônios Cone de implantação segmento inicial Impulso nervoso

12 Corpo Celular Junqueira & Carneiro, 2005

13 Sinapses Na maioria das sinapses o impulso nervoso se transmite por meio de mediadores químicos, que vão ativar receptores de outros neurônios ou de células efetoras. Fenda sináptica Membrana pré-sinaptica Membrana pós-sinaptica Vesículas sinápticas Neurotransmissores

14 Comunicação sináptica Junqueira & Carneiro, 2005

15 Comunicação sináptica Junqueira & Carneiro, 2005

16 Comunicação sináptica Junqueira & Carneiro, 2005

17 Comunicação sináptica Guyton & Hall, Fisiologia médica, 2002

18 O sistema nervoso central apresenta as células da neuróglia, com funções estruturais e metabólicas Células da Glia Distinguem-se na neuróglia os seguintes tipos celulares: Astrócitos Olidendrócitos Micróglia Células ependimárias

19 Células da Glia Junqueira & Carneiro, 2005

20 Astrócitos Os astrócitos são as maiores células da neuróglia, possuem núcleos esféricos e centrais. Prolongamentos dos astrócitos envolvem os capilares sanguíneos. astrócitos protoplasmático fibrosos Possuem citoplasma abundante e granuloso Localizam-se preferencialmente na substância cinzenta do encéfalo e da medula espinha (ME) Caracterizados pela presença de prolongamentos lisos delgados e longos Fibras neurogliais Substância branca do encéfalo e da ME

21 Astrócitos Junqueira & Carneiro, 2005

22 Oligodendrócitos São menores que os astrócitos e se caracterizam por apresentar poucos e curtos prolongamentos celulares. são encontrados tanto na substância branca como na cinzenta. A maioria das células satélites do SNC são olidendrócitos Os oligodendrócitos produzem a mielina do SNC. O citoplasma dos Oligodendrócitos são mais ricos em organelas que outras células da neuróglia aparecendo assim mais eletrodenso à microscopia eletrônica. Junqueira & Carneiro, 2005

23 Oligodendrócitos Gartner, Tratado de histologia, 2003

24 Micróglia O corpo das células da micróglia é alongado e pequeno com núcleo também alongado e denso. São pouco numerosas com prolongamentos curtos cobertos por saliências finas o que confere o aspecto espinhoso. Se encontram tanto na substância branca como na cinzenta São células macrofágicas Células Ependimárias As células ependimárias revestem as cavidades do encéfalo e da medula possuindo arranjo epitelial. São células cilíndricas com base afilada e muitas vezes ramificadas Possuem núcleos alongados e no embrião são ciliadas, algumas permanecendo assim no adulto.

25 Astrócitos fibrosos Astrócitos protoplasmáticos Micróglia Oligodendrócitos Células da Glia Junqueira & Carneiro, 2005

26 Funções da Neuróglia ou conjunto de células da glia A neuróglia exerce múltiplas funções: Apóia, isola e participa da nutrição dos neurônios; Participa do equilíbrio iônico do fluido extracelular; Participam na formação de circuitos neuronais no SNC; Formação de cicatrizes no SNC. Junqueira & Carneiro, 2005

27 Fibras Nervosas Podem Levar os Impulsos Para Órgãos Distantes Fibras nervosas axônios e bainhas envoltórias Célula de Schwann Sistema Nervoso Periférico Olidendrócitos Sistema Nervoso Central Fibras Nervosas MielínicasAmielínicas

28 Bainha de mielina Junqueira & Carneiro, 2005

29 Fibras Mielínicas- Nestas fibras as células envoltórias se enrolam em espiral e suas membranas formam um complexo lipoprotéico denominado mielina que pode ser demonstrada por tetracloreto de ósmio. Nódulos de Ranvier internódulos

30 Impulso nervoso Gartner, Tratado de histologia, 2003

31 Impulso nervoso

32 Impulso nervoso Abraham, Histologia e biologia celular, 2006

33 Impulso nervoso Abraham, Histologia e biologia celular, 2006www.guia.heu.nom.br/neuronios.htm

34 Cerebelo corado com HE Branca- fibras mielínicas, oligodendrócitos, astrócitos fibrosos e células da micróglia. Cinzenta- corpo de neurônios, fibras amielínicas em grande quantidade, astrócitos protoplásmatico, oligodendrócitos e células da micróglia. Junqueira & Carneiro, 2005

35 Medula espinhal Junqueira & Carneiro, 2005

36 Sistema nervoso periférico Abraham, Histologia e biologia celular, 2006

37 Sistema Simpático Os núcleos do simpático são formado por grupos de células nervosas e estão localizadas na porção torácica e lombar da ME. O mediador químico das fibras do simpático é a noradrenalina Sistema Parassimpático Tem seus núcleos no encéfalo e na porção sacral da medula espinhal O mediador químico das fibras do parassimpático é a acetilcolina Sistema nervoso periférico Autônomo

38 Os nervos, sensorias e motores são constituídos por feixes de axônios e suas bainhas O tecido de sustentação dos nervos -Tecido conjuntivo denso não modelado. Epineuro Perineuro Endoneuro Os nervos estabelecem comunicação entre os centros nervosos e os órgãos e os efetores (músculos e glândulas). Podem ser: Sensitivos Motores mistos Sistema nervoso periférico Gartner, Tratado de histologia, 2003

39 Sistema nervoso periférico Mielinizadas Não mielinizadas Abraham, Histologia e biologia celular, 2006

40 Sistema nervoso periférico: gânglio Junqueira & Carneiro, 2005

41 Nervo periférico corado com HE Junqueira & Carneiro, 2005

42 Nervo periférico corado para colágeno Junqueira & Carneiro, 2005

43 Gânglio Corado com prata Corado com azul de toluidina Corpúsculo de Nissal. RNA Células satélites (glia) Corpos celulares de neurônios Junqueira & Carneiro, 2005

44 Meninges Junqueira & Carneiro, 2005

45 Dura-máter É a meninge mais externa A dura-máter, que envolve a medula espinhal, é separada do periósteo das vértebras formando o espaço epidural. Aracnóide Apresenta duas partes, uma em contato com a dura-máter e outra constituída por traves que ligam a aracnóide com a pia-máter. Espaço subaracnóideo Pia-máter É muito vascularizada e aderente ao tecido nervoso Segue todas as irregularidades da superfície do SNC e penetra no tecido nervoso por certa extensão com os vasos sanguíneos. Meninges

46 Barreira Hematoencefálica A barreira hematoencefálica é devida a uma menor permeabilidade dos capilares sanguíneos do tecido nervoso. As zônulas de oclusão existentes entre as células endoteliais destes capilares representam o maior componente estrutural desta barreira. Plexo coróide São dobras e invaginações altamente vascularizadas da pia-máter que formam saliência para o interior dos ventrículos. São formados por tecido conjuntivo frouxo da pia-máter, revestido por epitélio simples colunar derivado do tuboneural. Sua principal função é secretar liquido encefaloraquidiano.

47 Liquido encefaloraquidiano Este líquido ocupa as cavidades dos ventrículos, o canal central da medula, o espaço subaracnóideo e os espaços perivasculares Homem adulto 140ml produzidos de uma forma constante. É muito pobre em proteínas e com composição iônica semelhante à do líquido extracelular do encéfalo. Aproximadamente metade do líquido encefaloraquidiano é produzida pelo plexo coróide e a metade restante é formada ao longo dos capilares sanguíneos de cérebro.

48 Liquido encefaloraquidiano Abraham, Histologia e biologia celular, 2006

49 Esquema da regeneração nervosa Gartner, Tratado de histologia, 2003


Carregar ppt "Tecido nervoso Jorge Clarêncio Andrade"

Apresentações semelhantes


Anúncios Google