A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

MANEJO INTEGRADO DE DOENÇAS DA SOJA. Conceitos Conceitos Controle integrado: é definido como um sistema de manejo de organismos nocivos que utiliza todas.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "MANEJO INTEGRADO DE DOENÇAS DA SOJA. Conceitos Conceitos Controle integrado: é definido como um sistema de manejo de organismos nocivos que utiliza todas."— Transcrição da apresentação:

1 MANEJO INTEGRADO DE DOENÇAS DA SOJA

2 Conceitos Conceitos Controle integrado: é definido como um sistema de manejo de organismos nocivos que utiliza todas as técnicas e métodos apropriados, da maneira mais compatível possível, para manter as populações destes organismos em níveis abaixo daqueles que causem dano econômico. Manejo integrado: implica a utilização de todas as técnicas de controle dentro de um programa unificado, de tal modo a manter a população dos organismos nocivos abaixo do LDE e a minimizar os efeitos colaterais ao meio ambiente.

3 Agricultura como atividade sustentável ! Qualidade total na agricultura - Agricultura sustentável = Aumento da produtividade = Redução do custo (aumento da lucratividade) = Proteção do meio ambiente Qual o caminho à seguir ? = PLANTIO DIRETO Qual é a ameaça a sustentabilidade ? = DOENÇAS

4 Aonde ? Quando ? = Por quanto tempo ? R: Agente biotrófico X Agente necrotrófico R: semente, restos culturais, solo, plantas voluntárias (PV), hospedeiros secundários (HS), estruturas de resistência (ER). Implicações nas estratégias de controle Sobrevivência dos patógenos

5 Oídio e ferrugem: PV e HS Podridão radicular: solo, palha, semente, ER Podridão da haste: semente, palha, ER Manchas foliares: semente, palha, PV Nematóides: solo, ER, HS, PV Vírus: semente, PV, HS Bacteriose: semente, palha, PV Sobrevivência

6 Principais estratégias de controle Resistência genética Rotação de culturas Semente sadia Tratamento químico da semente - TS Época e escalonamento de semeadura População adequada de plantas Eliminação de PV e HS Aplicação de fungicidas nos órgãos aéreos

7 Controle cultural - podridões radiculares - Controle cultural - podridões radiculares -

8 Medidas de controle Resistência varietal (sim) Rotação de culturas ( ? ) Sementes sadias ( ? ) Controle químico (não) - tratamento de semente - tratamento parte aérea Práticas culturais ( ? )

9 Rotação de culturas 1. Controle de patógenos sem habilidade de competição saprofítica habilidade de competição saprofítica (só no resto cultural do hospedeiro) Ex: manchas foliares, doenças de haste ou vagens e algumas podridões radiculares.

10 Rotação de culturas 2. Controle de patógenos com habilidade de competição saprofítica habilidade de competição saprofítica (trocam de substrato morto no solo para garantir a sobrevivência) Ex: podridão vermelha da raíz, podridão por Macrophomina, rizoctoniose...

11 Importante lembrar ! - esses patógenos não tem preferência por um hospedeiro - muito adaptados ao saprofitismo - são habitantes naturais do solo - controle difícil (Patógenos abandonados !!!)

12 Como, através da rotação de culturas, é possível controlar ? DESENVOLVENDO A SUPRESSIVIDADE DO SOLO...

13 Supressividade do Solo Solo apresenta inospitabilidade a Solo apresenta inospitabilidade a alguns fitopatógenos. = = patógeno não se estabelece ou não persiste no solo; = = se estabelece e não causa dano; = = se estabelece, causa dano e declina sob monocultura;

14 Ocorrência natural da supressividade do solo Como constatou-se esse fenômeno ? Existe lavoura sem problema ? Os pesquisadores procuram soluções nas lavouras sem problemas ? Esse fenômeno é estável ?

15 Como explorar este princípio ? Como explorar este princípio ? = Pelo manejo da fonte nutricional ou substrato (rotação e/ou sucessão). quantidade qualidade; freqüência de seu fornecimento. Resultado: Aumento da competição entre patógeno e antagonistas.

16 Experimento no campo: Seleção de culturas (substrato x freqüência de fornecimento) Inverno: trigo, aveia, azevém, ervilhaca, nabo forrageiro e pousio; forrageiro e pousio; Verão: milho e soja.

17 Delineamento a campo: Cultivo em faixas (8,5 x 80 m); Cultivos de inverno cruzados sobre cultivos de verão; cultivos de verão; Possibilita diferentes combinações de cultivo; cultivo; 30 combinações: milho com 1 ano de rotação e soja em monocultura, 1 ano e 2 rotação e soja em monocultura, 1 ano e 2 anos de rotação; anos de rotação;

18 Esquema plantio de inverno: Plantio

19 Esquema plantio de verão: Plantio

20

21 Avaliações no ensaio: Culturas de inverno: biomassa (kg/ha), período de decomposição dos restos culturais e densidade de inóculo (estruturas patógeno / g de palha);

22 Avaliações no ensaio: Culturas de verão: emergência de plântulas de soja; intensidade de doenças radiculares; isolamento de raízes; densidade de inóculo do patógeno alvo no solo e quantificação de danos.

23 Efeito da rotação e sucessão de culturas sobre população de plantas, plantas doentes (n°/m²), e incidência de podridão radicular em soja FONTE: Reis, C.V. (%) = 11,86 Médias seguidas pela mesma letra não diferem pelo teste de Tukey a 5% PF = População Final; PD = Plantas Doentes; I = Incidência de Podridões Radiculares Podridão nas raízes: Macrophomina (61%), Phomopsis (27%), Fusarium spp. (22%), Rhizoctonia (8%).

24 Efeito da rotação e sucessão de culturas sobre o rendimento potencial, rendimento real e dano na cultura da soja FONTE: Reis, C.V. (%) = 14,53 Médias seguidas pela mesma letra não diferem pelo teste de Tukey a 5% Rp= Rendimento potencial; Rr= Rendimento real.

25 Efeito da rotação de culturas sobre componentes do rendimento na cultura da soja FONTE: Reis, Avaliação em 50 plantas sadias e em 50 plantas doentes.

26 Desafios ! Estudo a longo prazo... Caracterização dos solos onde se constata a presença de supressividade... a presença de supressividade... Como obter uma lavoura sadia ? Qual o potencial de rendimento de uma lavoura sadia ? lavoura sadia ? Plantas sem sintomas até maturação fisiológica... fisiológica...

27 Controle cultural - esclerotinia ou mofo branco - Controle cultural - esclerotinia ou mofo branco -

28 10 cm Superfície Sobrevivência de esclerócios de Sclerotinia sclerotiorum na superfície e a 10 cm de profundidade, FAMV/UPF, 1998


Carregar ppt "MANEJO INTEGRADO DE DOENÇAS DA SOJA. Conceitos Conceitos Controle integrado: é definido como um sistema de manejo de organismos nocivos que utiliza todas."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google