A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Naturalismo no Brasil. Introdução Aqui no Brasil, os escritores naturalistas ocuparam-se, principalmente, com os temas mais obscuros da alma humana (patológicos)

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Naturalismo no Brasil. Introdução Aqui no Brasil, os escritores naturalistas ocuparam-se, principalmente, com os temas mais obscuros da alma humana (patológicos)"— Transcrição da apresentação:

1 Naturalismo no Brasil

2 Introdução Aqui no Brasil, os escritores naturalistas ocuparam-se, principalmente, com os temas mais obscuros da alma humana (patológicos) e, por causa disso, outros fatos importantes da nossa história como a Abolição da Escravatura e a República foram deixados de lado. Segundo o Naturalismo, o homem é desprovido do livre- arbítrio, ou seja, o homem é uma máquina guiada por vários fatores: leis físicas e químicas, hereditariedade e meio social, além de estar sempre à mercê de forças que nem sempre consegue controlar. Para os naturalistas, o homem é um brinquedo nas mãos do destino e deve ser estudado cientificamente.

3 Introdução Este movimento chegou ao Brasil no final do século XIX. Os escritores brasileiros abordaram a realidade social brasileira, destacando a vida nos cortiços, o preconceito, a diferenciação social, entre outros temas. O principal representante do naturalismo na literatura brasileira foi Aluísio de Azevedo. Suas principais obras foram: O Mulato, Casa de Pensão e O Cortiço. Outros escritores brasileiros que merecem destaque: Adolfo Caminha, Inglês de Souza e Raul Pompéia.

4 Principais autores Aluísio Azevedo – Com a publicação de O Mulato (1881), Aluísio Azevedo consagrou-se como um escritor naturalista. A publicação dessa obra marca o início do Naturalismo brasileiro. – O livro (que não é a nossa obra naturalista mais marcante) causou impacto na sociedade, principalmente entre o clero e a alta sociedade de São Luís do Maranhão. – O Mulato aborda temas como o puritanismo sexual, o anticlericalismo e o racismo. – Em 1890, o Naturalismo atinge o seu ápice com a publicação de O cortiço (obra repleta de personagens marginalizados).

5 Principais autores Inglês de Souza – Em 1891, Inglês de Souza publicou O Missionário, obra que aborda a influência do meio sobre o individuo. Adolfo Caminha – Publicou as obras A Normalista, em 1892 e O bom crioulo, em 1895 que falam sobre desvios sexuais e mais especificamente, o homossexualismo em O bom crioulo. – A ficção regionalista (iniciada no Romantismo) teve continuidade durante o Naturalismo. As principais obras regionalistas são: – Luzia-Homem de Domingos Olímpio. – Dona Guidinha do poço de Manuel de Oliveira Paiva.

6 Principais obras O Mulato, Aluísio de Azevedo – Narra, na conservadora São Luís, de fins do século XIX, o amor proibido entre Ana Rosa, uma jovem branca, e Raimundo, seu primo mulato. Mas pesa sobre eles o preconceito de uma sociedade hipócrita, que não conhece limites para proteger a situação estabelecida.

7 Principais obras Casa de pensão, de Aluísio de Azevedo – Amâncio de Vasconcelos, um jovem maranhense, vem para o Rio de Janeiro, com o propósito de realizar o curso de Medicina. De início hospeda-se em casa de um conhecido da família, Luís Campos, que vivia com sua mulher Dona Maria Hortência e uma cunhada, Dona Cadotinha. Entretanto, Amâncio encontrara-se! com um amigo e coprovinciano, Paiva Rocha, e passa a viver uma vida desvairada e boêmia.

8 Principais obras O Cortiço, de Aluísio de Azevedo – O proletário e a desigualdade social são presenças marcantes na obra: o ganancioso e avarento comerciante português João Romão, a trabalhadeira Bertoleza, o vizinho rico Miranda, o malandro preguiçoso Jerônimo, a mulata Rita Baiana, todos tratados como uma extensão do cortiço, personagem principal cujo cotidiano é descrito ao longo da narrativa. Eis o primeiro grande romance social brasileiro e um dos principais do autor.

9 Principais obras O Missionário, de Inglês de Souza – É um romance de tese, propondo o conflito entre a vocação sacerdotal e o instinto sexual, instigado pelo relaxamento dos costumes e pelo sensualismo da mameluca Clarinha, que acabam por vencer a frágil resistência do Pe. Antônio de Morais.

10 Principais obras A normalista, de Adolfo Caminha – O romance relata as muitas tristezas e poucas alegrias de uma jovem que é entregue por seu pai ao padrinho, para criá-la. Ela é uma menina normal, que estuda, que tem uma amiga confidente, um pretenso namorado de nível muito superior ao seu e, desgraçadamente, é engravidada pelo padrinho e acaba casando-se com um alferes da polícia.

11 Principais obras O Bom crioulo, de Adolfo Caminha – Ainda num tempo em que a Abolição não fora proclamada, Amaro ingressa na Marinha. Não queria voltar à fazenda como escravo e embarcou na corveta, onde foi aceito como marinheiro. Durante uma viagem conheceu o grumete Aleixo. Passou a dar conselhos ao rapaz sobre a vida de marinheiro: que não se metesse em brigas. Aleixo não saía de sua cabeça. Aproxima-se de Aleixo. Tornam-se amantes.

12 Principais obras regionalistas Luzia-Homem, de Domingos Olímpio – A obra tematiza a violência e o sadismo que florescem como literatura naturalista. Há nuances de Romantismo na morosidade da descrição das paisagens. Explora a duplicidade da personagem principal, ela é bonita, gentil e retirante da seca, mas também tem força descomunal. No romance, Luzia integra um grupo de retirantes, e sua figura forte e personalidade marcante logo atrai a atenção dos homens que disputam o amor da heroína.

13 Principais obras regionalistas Dona Guidinha do Poço, de Manuel de Oliveira Paiva – Narra a história da poderosa Margarida Reginaldo de Oliveira Barros, mulher bravia e apaixonada, que se envolve com um sobrinho de seu marido. Acusado de homicídio, o rapaz se esconde na casa do tio, que, desconfiado de seus amores com a mulher, resolve entregá-lo à polícia. Como vingança, Dona Guidinha manda um caboclo matar o marido.

14 Raul Pompeia e O Ateneu Surgido pela primeira vez em 1888, no Gazeta de Notícias, O Ateneu é um dos romances mais curiosos da Literatura Brasileira, pois escapa a qualquer classificação rígida de periodização literária. É, em parte, naturalista, pois utiliza elementos que denotam um apego exagerado à sexualização. É, também, impressionista, pois não há o relato exato e documental de fatos do passado.

15 Outras artes Na pintura, o Naturalismo se manifestou especialmente nas obras de Gustave Courbet, Édouard Manet e outros artistas realistas que evoluiriam, mais tarde, para o impressionismo. "Os comedores de batatas", conhecida tela da Van Gogh de 1885, mostra personagens muito semelhantes aos mineiros oprimidos descritos por Zola no romance Germinal, do mesmo ano.

16 Os Comedores de Batata.

17 Outras artes Foi no teatro, entretanto, que a estética naturalista promoveu mudanças definitivas. A busca realista da verossimilhança deu lugar à disposição de encenar a própria vida real, o que teve profunda repercussão sobre as técnicas teatrais. Ao Naturalismo o teatro deve a adequação dos cenários, figurinos e objetos de cena ao texto e à atmosfera pretendida pelo encenador, já que até avançado o século XIX, era freqüente que o ator escolhesse seus trajes mais ricos para vir à cena, qualquer que fosse o papel interpretado, e que os mesmos cenários fossem usados em diferentes peças. Cenários e figurinos adquiriram então a função de dar um depoimento visual sobre personagens e situações dramáticas.

18 Conclusão A narrativa do romance naturalista é marcada pela análise social a partir dos grupos humanos marginalizados, valorizando o coletivo. A influência de Darwin é marcante na máxima naturalista segundo a qual o homem é um animal, deixando-se levar pelos instintos naturais, que não podem ser reprimidos pela moral da classe dominante. A constante repressão leva às taras patológicas, bem ao gosto dos naturalistas; esses romances são mais ousados, apresentando descrições minuciosas de atos sexuais, tocando até em temas como o homossexualismo. Foi cultivado no Brasil por Aluísio de Azevedo (O Mulato) e Júlio Ribeiro. Raul Pompéia é um caso a parte, pois seu romance, O Ateneu, apresenta características ora naturalistas, ora realistas, ora impressionistas. Existem várias semelhanças entre o romance realista e o naturalista, podendo-se até mesmo afirmar que ambos partem de um ponto comum para chegarem a mesma conclusão, sendo que percorrendo caminhos distintos.

19 Saiba mais sobre o Naturalismo P-g P-g W0kw W0kw M6Y M6Y


Carregar ppt "Naturalismo no Brasil. Introdução Aqui no Brasil, os escritores naturalistas ocuparam-se, principalmente, com os temas mais obscuros da alma humana (patológicos)"

Apresentações semelhantes


Anúncios Google