A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Carlos ArriagaEconomia política1 UNIDADE 6. Objectivos e instrumentos da macroeconomia. Os instrumentos de política económica. A procura e a oferta agregada.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Carlos ArriagaEconomia política1 UNIDADE 6. Objectivos e instrumentos da macroeconomia. Os instrumentos de política económica. A procura e a oferta agregada."— Transcrição da apresentação:

1 Carlos ArriagaEconomia política1 UNIDADE 6. Objectivos e instrumentos da macroeconomia. Os instrumentos de política económica. A procura e a oferta agregada. PIB, valor acrescentado e rendimento

2 Carlos ArriagaEconomia política2 CONCEITOS DA UNIDADE 6:. Macroeconomia versus microeconomia. Que instrumentos de política económica?. Conceitos teóricos: procura agregada; oferta agregada. Conceitos de medição da economia: PIB; valor acrescentado; rendimento

3 Carlos ArriagaEconomia política3 OBJECTO DE ESTUDO DA MACROECONOMIA Variáveis económicas agregadas: - PRODUÇÃO –EMPREGO –NÍVEL GERAL DE PREÇOS. –COMÉRCIO INTERNACIONAL Objecto da Macroeconomia: –Permitir a elaboração de políticas por parte do governo e que incidam positivamente sobre essas variáveis.

4 Carlos ArriagaEconomia política4 Quais as preocupações principais dos Macroeconomistas? Inflação Crescimento do Produto Desemprego

5 Carlos ArriagaEconomia política5 Inflação Aumento generalizado dos preços Os problemas que a hiper-inflação origina: –Dificuldade de planeamento a médio e longo prazo –Perda de poder de compra das pessoas com rendimentos constantes –…

6 Carlos ArriagaEconomia política6 Crescimento do Produto no médio e longo prazo Produto – montante de bens e serviços produzidos durante um certo período, normalmente um ano Recessões – quando o período decresce pelo menos em 2 trimestres consecutivos

7 Carlos ArriagaEconomia política7 Intervenção na Economia Política Fiscal (Governo) –Impostos –Despesa Pública Política Monetária (Banco Central) –Taxa de desconto –Reservas obrigatórias Políticas estruturais (Governo)

8 Carlos ArriagaEconomia política8 O fluxo circular do rendimento Mercado de bb e ss famílias Empresas Mercado de ff produtivos produção Movimentos físicos Movimentos monetarios Rendimento das famílias Gasto das famílias Proprietários ffpp Rendimento total Remuneração fact prod Oferecem ffpp

9 Carlos ArriagaEconomia política9 Fornecimento de Bens e Serviços Economia Simples FamíliasEmpresas Compra de Bens e Serviços Serviços dos Factores de Produção Remuneração dos Factores de Produção Fluxo Circular do Rendimento

10 Carlos ArriagaEconomia política10 Fornecimento de Bens e Serviços Economia Simples FamíliasEmpresas Compra de Bens e Serviços Serviços dos Factores de Produção Remuneração dos Factores de Produção Fluxo Circular de Rendimento Despesa Agregada = Consumo

11 Carlos ArriagaEconomia política11 Economia Simples Fechada Sem Governo Produz apenas bens de Consumo Procura agregada = C

12 Carlos ArriagaEconomia política12 Fornecimento de Bens e Serviços Economia Simples FamíliasEmpresas Compra de Bens e Serviços Serviços dos Factores de Produção Remuneração dos Factores de Produção Fluxo Circular do Rendimento Produto Agregado

13 Carlos ArriagaEconomia política13 Agregados Económicos Adiciona-se empresas que produzem bens de capital Investimento (Formação de Capital) –Aquisições de Máquinas e Equipamentos –Edifícios –Acumulação de stocks

14 Carlos ArriagaEconomia política14 Agregados Económicos Depreciação –Parcela dos bens de capital que é consumida a cada período produtivo –Investimento Bruto x Líquido –Produto Bruto x Líquido IL = IB - depreciação PL = PB - depreciação

15 Carlos ArriagaEconomia política15 produto Produto a preço de mercado Produto a custo de fatores Ppm = Pcf + impostos indirectos - subsídios

16 Carlos ArriagaEconomia política16 Fornecimento de Bens e Serviços Economia Simples FamíliasEmpresas Compra de Bens e Serviços Serviços dos Factores de Produção Remuneração dos Factores de Produção Fluxo Circular do Rendimento Rendimento Agregado

17 Carlos ArriagaEconomia política17 Agregados Económicos Rendimento Agregado –Remuneração dos factores de produção Salários Juros Lucros Outras rendas

18 Carlos ArriagaEconomia política18 Agregados Económicos Despesa Agregada –Possíveis destinações do produto Consumo Investimento Gastos do Governo Exportações

19 Carlos ArriagaEconomia política19 Governo Prover bens públicos Impostos –Directos (irs etc) –Indirectos (IVA, etc) Gastos Públicos Y = C + S + T DA = C + I + G S – I = G - T

20 Carlos ArriagaEconomia política20 Agregados Económicos Poupança Agregada –Parcela do Rendimento Agregado Não consumido Y = C + S DA = C + I Y = Rendimento Agregado S = Poupança Agregada I = Investimento Agregado Destino dado aos Produtos Destino dado ao Rendimento

21 Carlos ArriagaEconomia política21 Resto do Mundo Exportações e Importações Rendimento Líquido Enviado ao Exterior (Serviços de Factores) –Juros da dívida externa –Pagamento de royalties –Remessa de lucros

22 Carlos ArriagaEconomia política22 Resto do Mundo Y = C + S + T Y = C + I + G + X - M (X – M) = (T – G) + (S – I)

23 Carlos ArriagaEconomia política23 Resto do Mundo Produto Nacional Produto Interno PN = PI - RLEE

24 Carlos ArriagaEconomia política24 Agregados Económicos Identidade Macroeconómica Básica Produto Agregado = Despesa Agregada = Rendimento Agregado

25 Carlos ArriagaEconomia política25 A revolução Keynesiana The General Theory of Employment, Interest and Money, por John Maynard Keynes, publicada em O governo devia intervir na alturas de recessão para levar a uma recuperação.

26 Carlos ArriagaEconomia política26 Aspectos essenciais da Revolução Keynesiana Não aceitação da tendência automática ao pleno-emprego da força de trabalho; Dependência do nível de actividade e do nível de emprego com relação à procura efectiva; Função consumo em função do rendimento; Papel crucial das expectativas num mundo em que existe incerteza (essas expectativas podem fazer com que os agentes económicos formulem planos inconsistentes e realizem transações a preços que não são os de equilíbrio); Mercados são vistos com mecanismos rígidos e imperfeitos; Papel essencial da política económica na determinação do nível de procura efectiva.

27 Carlos ArriagaEconomia política27 Princípios Básicos da Teoria de Keynes Princípio da temporariedade dos processos económicos. –A produção é um processo que leva tempo, de forma que a decisão de contratação das matérias primas e factores de produção deve ocorrer antes da venda da produção acabada no mercado. –Daqui se segue que a decisão de produção e emprego deve ser tomada com base em expectativas a respeito da procura futura pelos produtos da empresa.

28 Carlos ArriagaEconomia política28 Princípio da procura Efectiva Mostrar que as economias de mercado, actuando estritamente com base no laissez-faire, irão apresentar flutuações do nível do rendimento e de emprego em torno de uma tendência de longo-prazo que é menor do que o nível de pleno-emprego.

29 Carlos ArriagaEconomia política29 Procura e Oferta Agregadas

30 Carlos ArriagaEconomia política30 Curva de procura agregada: relaciona o nível de emprego com a receita que os empresários esperam receber da venda no mercado da produção resultante desse nível de emprego. –Supondo uma estrutura de mercado concorrencial, as firmas devem apenas formar expectativas sobre o preço pelo qual poderão vender a sua produção no mercado. –Keynes supõe também que os rendimentos marginais do trabalho são decrescentes. Isso não decorre da lei das proporções variáveis, mas do facto de que os factores de produção não são homogéneos e a racionalidade económica impõe que os empresários utilizem primeiro os trabalhadores e o equipamento de capital mais eficiente.

31 Carlos ArriagaEconomia política31 Curva de Oferta Agregada: Relaciona o nível de emprego com a receita mínima que os empresários desejam para oferecer esse nível de emprego. –Trata-se da receita que cobre os custos de produção, incluindo o lucro normal –É o análogo, a nível agregado, da curva de custo total da firma, mas relacionando o custo de produção com o número empregado de trabalhadores. –Na derivação da curva de oferta agregada iremos supor que: (i) os salários nominais são fixados no início do período de produção permanecendo constantes (devido a existência de contratos de trabalho) ao longo do mesmo; (ii) o trabalho é o único consumo intermédio variável de produção; (iii) as firmas são maximizadoras de lucro, ou seja, elas irão produzir até o ponto em que o preço for igual ao custo marginal de produção.

32 Carlos ArriagaEconomia política32 Agregados Econômicos Oferta agregada global Oferta interna Y + M = C + I + G + X Y = C + I + G + X - M

33 Carlos ArriagaEconomia política33 O nível de emprego é determinado no ponto em que a curva de procura agregada se intercepta com a curva de oferta agregada, pois nesse ponto os empresários estarão maximizando os seus lucros.

34 Carlos ArriagaEconomia política34 A oferta e a procura agregadas Procura Agregada = C + I + G + X - M Oferta Agregada = Produção (PIB) Sendo : C = Consumo das familias I = Investimentos das famílias ou das empresas, incremento do stock de Capital na Economía, incluindo-se a acumulação de existencias G = Despesa Pública X = Exportação M = Importação Procura AGREGADA = OFERTA AGREGADA X - M = Saldo da balança comercial

35 Carlos ArriagaEconomia política35 Agregados económicos exemplo Produto Agregado –Soma de bens e serviços finais durante certo período –Calculado em unidades monetárias –Exemplo

36 Carlos ArriagaEconomia política36 OS CICLOS ECONÓMICOS Numa economia podem observar-se momentos em que se dá uma expansão simultânea da maioria dos factores de produção e noutros momentos em que se dá uma contracção. PNB tiempo tendencia alto baixo Recuperacão recessão

37 Carlos ArriagaEconomia política37 PRODUCÃO EMPREGO INDICE GERAL DE PREÇOS (Inflação) COMERCIO INTERNACIONAL INDICADORES ECONÓMICOS PNB : valor de mercado de todos os bens / serviços finais produzidos durante 1 ano num país Taxa de desemprego IPC : Índice Geral de Preços do Consumo. Trocas comerciais Balança de pagamentos (inclui Balança Comercial)

38 Carlos ArriagaEconomia política38 PRODUTO NACIONAL BRUTO Preços de mercado: incluem os impostos indirectos Produtos finais: não se trata dos bens intermédios Produção corrente : relativo ao período de referência (os bens com um período de produção superior a um ano são registados no ano de sua finalização) Valor Bruto: não se desconta a depreciação. Definicão: Valor de mercado de todos os bens / serviços finais produzidos durante um ano num país. Os seus movimentos reflectem o crescimento económico e o nível de desenvolvimento de um país. Nominal: a preços correntes Real: a preços constantes (utilizando os preços de um ano base)

39 Carlos ArriagaEconomia política39 Medição Preços Constantes Preços Correntes

40 Carlos ArriagaEconomia política40 Agregados Econômicos PIBpm PIB = C + I b + G + X - M

41 Carlos ArriagaEconomia política41 Resumo PNBpm PNBcf PNLpm PNLcf (Renda Nacional) PIBpm PIBcf PILpm PILcf Preços Correntes Preços Constantes

42 Carlos ArriagaEconomia política42 Conta Produto Interno Bruto

43 Carlos ArriagaEconomia política43 Conta Renda Nacional Disponível Bruta

44 Carlos ArriagaEconomia política44 Conta de Capital

45 Carlos ArriagaEconomia política45 Transações Correntes com o Resto do Mundo

46 Carlos ArriagaEconomia política46 Conta Corrente das Administrações Públicas

47 Carlos ArriagaEconomia política47 CONCLUSÃO Macroeconomia e microeconomia são duas abordagens de analisar a economia O principio de equilíbrio (entre a oferta agregada e procura agregada) é um dos dos objectivos da macroeconomia As políticas económicas pretendem-se de estabilização: dos preços…da oferta de moeda…do emprego… do controle orçamentaçal… Aprendemos a medir alguns indicadores da economia


Carregar ppt "Carlos ArriagaEconomia política1 UNIDADE 6. Objectivos e instrumentos da macroeconomia. Os instrumentos de política económica. A procura e a oferta agregada."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google