A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Caríssimos Estamos caminhando, neste tempo de Quaresma, cada dia mais na reflexão e na reconciliação com Deus. Este período é muito importante para.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Caríssimos Estamos caminhando, neste tempo de Quaresma, cada dia mais na reflexão e na reconciliação com Deus. Este período é muito importante para."— Transcrição da apresentação:

1

2

3 Caríssimos Estamos caminhando, neste tempo de Quaresma, cada dia mais na reflexão e na reconciliação com Deus. Este período é muito importante para a Igreja e para nós cristãos por ser um tempo especial de meditação na Paixão, Morte e Ressurreição de Jesus. Devemos, neste tempo, procurar nos reconciliar conosco mesmo e com nossos irmãos, superando, pela ação poderosa do Espírito Santo, as tentações. Procuremos rezar o Pai Nosso prestando bastante atenção nas palavras da oração que nos foi ensinada pelo próprio Jesus. Meditemos. Carinhosamente, Graziela

4 Um dia, em certo lugar, Jesus rezava. Quando terminou, um de seus discípulos pediu-lhe: Senhor, ensina-nos a orar, como João ensinou a seus discípulos. É em resposta a este pedido que o Senhor confia a seus discípulos e à sua Igreja a oração cristã fundamental – o Pai Nosso

5 O Pai nosso! Repitamos frequentemente esta oração durante a Quaresma, repitamo-la com íntimo enlevo. Chamando a Deus Pai nosso, tomaremos consciência de ser seus filhos e sentir-nos-emos irmãos entre nós. Deste modo, ser-nos-á mais fácil abrir o coração aos pequeninos, de acordo com o convite de Jesus: Quem acolher em meu nome uma criança como esta, acolhe-Me a Mim (Mt 18, 5). (Papa João Paulo II)

6 Quando fazemos a oração do Pai Nosso, temos a oportunidade de lembrar que para poder corresponder a todos os mimos e paparicos do nosso Pai do Céu, precisamos sair do nosso comodismo, trabalhar e perdoar a quem nos ofendeu, e assim, nos libertarmos de uma prisão que nós teimamos em construir em torno de nós mesmos.

7 Quando oramos a Deus, estamos lembrando a nós mesmos que é Ele quem está no comando das nossas vidas. E é com essa segurança que voamos cada vez mais alto, e saltamos cada vez mais longe, pois sabemos que Ele não vai nos desamparar. Na oração do Pai Nosso, também pedimos o alimento de cada dia e o perdão das nossas ofensas.

8 Esta oração acolhe e exprime também as necessidades humanas materiais e espirituais. E precisamente por causa das necessidades e das dificuldades de cada dia, Jesus exorta com força 'pedi e dar-vos-ão. Procurai e achareis. Batei e hão de abrir-vos'. Não é um pedir para satisfazer a própria vontade, quanto sobretudo manter viva esta amizade com Deus o qual – diz sempre o Evangelho – dará o Espírito àqueles que "lho pedem. (Papa Bento XVI)

9 A oração ou, como diz São Lucas, as orações é a quarta característica da Igreja primitiva de Jerusalém, descrita no livro dos Atos dos Apóstolos. A oração é desde sempre a atitude constante dos discípulos de Cristo, o que acompanha a sua vida diária em obediência à vontade de Deus, como nos atestam também as palavras do apóstolo Paulo, que escreve na primeira carta aos Tessalonicenses: Vivei sempre felizes. Orai sem cessar. Em todas as circunstâncias dai graças, porque esta é a vontade de Deus para vós em Jesus Cristo ( (Papa Bento XVI)

10 A oração cristã, participação na prece de Jesus, é experiência filial por excelência, como nos atestam as palavras do Pai-Nosso, oração da família o nós dos filhos de Deus, dos irmãos e das irmãs que fala ao Pai comum. Portanto, pôr-se em atitude de oração significa também abrir-se à fraternidade. Só no nós podemos recitar o Pai-Nosso. Por isso abramo-nos à fraternidade, que deriva do fato de sermos filhos do único Pai celeste e estarmos dispostos ao perdão e à reconciliação. (Papa Bento XVI)

11 O Pai Nosso é a Oração dominical e é o resumo de todo o Evangelho, a mais perfeita das orações. Quando rezamos ao Pai, nós o adoramos e o glorificamos com o Filho e o Espírito Santo.

12 Se rezamos ao Nosso Pai, saímos do individualismo, pois o Amor que acolhemos nos liberta. Os batizados não podem rezar ao Pai nosso sem levar para junto dele todos aqueles por quem Ele entregou seu Filho bem-amado. O amor de Deus é sem fronteiras; nossa oração também deve sê-lo. (Catecismo da Igreja Católica)

13 Senhor, abre-nos para as dimensões de Seu amor manifestado no Cristo: rezar com e por todos os homens que ainda não O conhecem, a fim de que sejam congregados na unidade. (CIC)

14 Nossa Senhora, mãe de Deus, nos ajude a redescobrir a beleza e a profundidade da oração cristã que nos põe em comunhão com o Pai e com seu Filho, Jesus Cristo. Interceda por nós a fim de que se desenvolva em nós um coração humilde e confiante. Amém

15 Texto – Catecismo da Igreja Católica e sites do Vaticano Imagens – Google trabalhadas Música – Pai Nosso (cantor desconhecido) Formatação - Graziela Nosso site para consultas: Nosso blog: Se você gostou deste pps e quer receber outros semanalmente:

16


Carregar ppt "Caríssimos Estamos caminhando, neste tempo de Quaresma, cada dia mais na reflexão e na reconciliação com Deus. Este período é muito importante para."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google