A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

ANATOMIA E FISIOLOGIA HUMANA Prof(a): Rafaela Ferreira dos Santos.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "ANATOMIA E FISIOLOGIA HUMANA Prof(a): Rafaela Ferreira dos Santos."— Transcrição da apresentação:

1 ANATOMIA E FISIOLOGIA HUMANA Prof(a): Rafaela Ferreira dos Santos

2 Definição Anatomia É a ciência que estuda macro e microscopicamente, a constituição e o desenvolvimento dos seres organizados. Na anatomia observa-se e estuda-se o conhecimento do corpo humano com a DESCRIÇÃO dos ossos, junturas, músculos, vasos e nervos.

3 Regiões do Corpo Humano Cabeça, pescoço, tronco (tórax e abdome) Membros superiores (torácicos): raiz (ombro), parte livre: braço, antebraço, mão (palma e dorso da mão) Membros inferiores (pélvicos): raiz (quadril), parte livre: coxa, perna, pé (planta e dorso do pé).

4 Divisão Anatômica O corpo humano na posição anatômica pode ser dividido conceitualmente em planos. medianoO plano mediano é um plano vertical que passa através do eixo mais longo que cruza o corpo, dos pés até a cabeça; próximo mediallonge lateral.O que quer que esteja situada próximo a este plano e chamado medial, e o que esta longe dele, lateral.

5 Plano mediano

6 Divisão Anatômica coronalvertical dos pés a cabeça ventre dorsoO plano coronal é também um plano vertical que passa pelo eixo maior (dos pés a cabeça), mas é perpendicular ao plano mediano, separando a frente do corpo, ou ventre, da parte de trás, ou dorso. atrás posteriorAlgo em posição a frente do plano frontal e chamado anterior, ao passo que algo situado atrás desse plano e chamado posterior.

7 Plano Coronal

8 Divisão Anatômica horizontal eixo menorO plano horizontal, transverso ou axial atravessa o eixo menor do corpo, do dorso ate o ventre, isto e, da posição posterior para a anterior. superior e inferiorDivide a estrutura atravessada em porções superior e inferior.

9 Plano Horizontal

10 Divisão Anatômica

11 Decúbitos Decúbito dorsal ou supina Decúbito ventral ou pronal Decúbito lateral

12 Fisiologia Definição: do grego, "physis e logos", conhecimento e estudo, ou seja, é a ciência que estuda as funções dos seres multicelulares.

13 Fisiologia: Unidades estruturais Células: É a menor unidade estrutural básica do ser vivo.

14 Tecido: É um conjunto de células especializadas, iguais ou diferentes entre si, separadas ou não por líquidos e substancias intercelulares, que realizam determinada função num organismo multicelular. Fisiologia: Unidades estruturais

15 Tipos de Tecidos Epitélio revestimento da superfície externa do corpo (pele), os órgãos (fígado, pulmão e rins) e as cavidades corporais internas; Conjuntivo constituído por células e abundante matriz extracelular, com função de preenchimento, sustentação e transporte de substancias; Muscular constituído por células com propriedades contrateis; Nervoso formado por células que constituem o sistema nervoso central e periférico (o cérebro, a medula espinhal e os nervos).

16 Tipos de Tecidos

17 Órgãos Órgãos do Corpo Humano Baco Rins Bexiga Urinaria Sangue Célula Traquéia Cérebro Vesícula biliar Coração Pulmão Dentes Pâncreas Esôfago Laringe Esqueleto Intestino Grosso Estomago Intestino Delgado Faringe Glândulas Salivares Fígado

18 Praticando... Dê a definição de anatomia e fisiologia. Quais os planos anatômicos? Quais os decúbitos existentes? Quais os tipos de tecido? Dê exemplo de cada um. Cite 7 órgãos do corpo humano.

19

20 Órgãos dos sentidos

21 Visão Audição Paladar Olfato Tato

22 Visão A energia luminosa (luz) chega aos nossos olhos trazendo informações do que existe ao nosso redor. Nossos olhos conseguem transformar o estimulo luminoso em uma outra forma de energia (potencial de ação) capaz de ser transmitida até o nosso cérebro. Criação de uma imagem a partir das informações retiradas do meio.

23 Visão

24 Acidentes Oculares Os acidentes oculares são muito comuns, representando cerca de 12% de todos os acidentes ocupacionais na Finlândia, 4% na França e 3% das ocorrências nos Estados Unidos da América. Aproximadamente 2,4 milhões de acidentes oculares ocorrem anualmente nos Estados Unidos, estimando-se entre e lesões graves, capazes de ameaçar a visão, exigindo cuidados hospitalares mais complexos.

25 Doenças do olho relacionadas ao trabalho Blefarite (H01.0): Blefarite é uma inflamação crônica das bordas livres das pálpebras. Conjuntivite (H10): Inflamação da conjuntiva. Queratite e Queratoconjuntivite (H16): é uma inflamação da córnea. Catarata (H28): é uma opacificação do cristalino Inflamação Coriorretiniana (H30): inflamação da retina Neurite Óptica: inflamação, degeneração ou desmielinização do nervo óptico. Recomenda-se consultar a NR 15, que define os LT das concentrações em ar ambiente de algumas substâncias químicas

26 Blefarite A exposição à radiação infravermelha em siderúrgicas. As radiações ionizantes, raios X e raios Gama Trabalhadores expostos ao cimento podem apresentar quadros graves de blefarite A exposição ao arsênio e seus compostos Em trabalhadores expostos, a blefarite, excluídas outras causas não-ocupacionais, é considerada como doença relacionada ao trabalho, do Grupo I.

27 Conjuntivite ácido sulfídrico (sulfeto de hidrogênio); acrilatos; arsênio e seus compostos arsenicais; berílio e seus compostos tóxicos; cimento; cloreto de etila; enzimas de origem animal, vegetal ou bacteriana; flúor e seus compostos tóxicos; furfural e álcool furfurílico; iodo; isocianatos orgânicos; outros solventes halogenados tóxicos; radiações ionizantes; radiações ultravioleta; selênio e seus derivados; tetracloreto de carbono.

28 Conjuntivite A conjuntivite pode ocorrer em trabalhadores portadores de conjuntivite alérgica de outras etiologias. Neste caso, a conjuntivite seria uma doença relacionada ao trabalho, do Grupo III. A conjuntivite ocupacional (por irritantes ou por sensibilização) Grupo I

29 Queratite e Queratoconjuntivite arsênio e seus compostos arsenicais; ácido sulfídrico (sulfeto de hidrogênio) em exposições muito altas; radiação ionizante; radiação infravermelha; radiação ultravioleta.

30 Catarata A radiação infravermelha catarata dos vidreiros Os indivíduos que trabalham em fornos de fundições ou laminação a quente de metais são As radiações ionizantes em trabalhadores da indústria nuclear, Solda elétrica queimadura nas pálpebras Grupo I

31 Inflamação Coriorretiniana Trabalhadores expostos ao manganês Grupo I

32 Neurite Óptica brometo de metila; cloreto de metileno (diclorometano) e outros solventes clorados neurotóxicos; metanol (no caso de intoxicação aguda sistêmica por ingestão, muito raras). sulfeto de carbono (solvente usado na fabricação do rayon viscose – tecido – e de papel celofane). tetracloreto de carbono. Grupo I

33 Audição Percepção dos sons Posição de nossos corpos equilíbrio. líquidos existentes nos canais semicirculares e no vestíbulo da orelha interna transmitindo-nos com isso a noção de equilíbrio.

34 O pavilhão auditivo (orelha externa) concentra e capta o som para podermos ouvir os sons Da orelha interna partem os impulsos nervosos. Nosso aparelho auditivo consegue ampliar o som cerca de cento e oitenta vezes até o estimulo chegar ao nervo acústico, o qual levara a informação ao cérebro.

35 Estrutura do Ouvido

36 Doenças do Ouvido Relacionadas ao Trabalho Otite Média Não-Supurativa (Barotrauma do Ouvido Médio) (H65.9) Perfuração da Membrana do Tímpano (H72 ou S09.2) Labirintite (H83.0) Perda da Audição Provocada pelo Ruído e Trauma Acústico (H83.3) Síndrome devida ao Deslocamento de Ar de uma Explosão (T70.8)

37 Otite Média Não-Supurativa (Barotrauma do Ouvido Médio) O trabalho sob condições hiperbáricas inclui o trabalho sob ar comprimido e trabalhos submersos. Entre eles, destacam-se: mergulho civil (livre, raso, profundo); aviadores; mergulho militar (convencional, operações militares táticas); construção civil: tubulão pneumático e túnel pressurizado; Grupo I

38 Perfuração da Membrana do Tímpano É uma forma grave do barotrauma do ouvido médio, decorrente de súbitas alterações da pressão do ar ambiental. Além do barotrauma, exposições súbitas a altos níveis de pressão sonora podem causar a perfuração da membrana do tímpano. Grupo I

39 Labirintite mergulho civil (livre, raso, profundo); aviação; mergulho militar (convencional, operações militares táticas); construção civil: tubulão pneumático e túnel pressurizado; brometo de metila, utilizado em processos de refrigeração e como extintor de fogo, está associado à produção de quadros neurotóxicos Grau I

40 Ofato Partículas saídas dos alimentos, de líquidos, de flores, etc. chegam ao nosso nariz e se dissolvem no tecido que reveste a região interna do teto da cavidade nasal, a mucosa olfatória. Informação é transformada, para ser conduzida, através do nervo olfatório, até o cérebro, onde será decodificada.

41 Olfato

42 Tato A nossa pele nos transmite as sensações táteis. a textura dos diferentes materiais assim como a temperatura dos objetos captando as variações da energia térmica As sensações de dor. Potencial de ação Impulso nervoso

43 Doenças de pele Dermatoses Complicações Infecciosas (L08.9) Dermatites Alérgicas de Contato (L23.-) Dermatites de Contato por Irritantes Urticária de Contato (L50.6) Queimadura Solar (L55.-) Outras Alterações Agudas da Pele devidas à Radiação Ultravioleta (L56.-): Alterações da Pele devidas à Exposição Crônica a Radiação Não-Ionizante (L57.-): Radiodermatites (Aguda, Crônica, Não-Especificada) (L58.-) Outras Formas de Acne: Cloracne (L70.8) Outras Formas de Hiperpigmentação pela Melanina: Melanodermia (L81.4) Geladura (Frostbite) Superficial: Eritema Pérnio (T33)

44 Paladar Identificamos o sabor dos alimentos mesmo com os olhos vendados. Partículas se desprendem do alimento e se dissolvem na nossa boca, onde a informação é transformada para ser conduzida até o cérebro, que vai decodificá-la.

45 Paladar Os seres humanos distinguem as sensações de doce, salgado, azedo e amargo através das papilas gustativas, situadas nas diferentes regiões da língua.

46

47 Praticando... Quais os órgão do sentido? Qual a função de cada órgão do sentido? Cite três doenças do ouvido, de olho e de pele e diga as principais causas. De acordo com a imagem abaixo indique qual o sabor corresponde para cada letra.

48 SISTEMA ESQUELÉTICO E TEGUMENTAR

49 Esqueleto Sustentação ao corpo Proteção aos órgãos internos Fornece pontos de apoio para a fixação dos músculos. 208 ossos no individuo adulto cartilagens articuladas

50 Tipos de Esqueleto Esqueleto axial Esqueleto apendicular

51 Caixa craniana

52 Coluna vertebral

53 Caixa torácica É formada pela região torácica de coluna vertebral, osso esterno e costelas: Existem 12 de cada lado, sendo as 7 primeiras verdadeiras, 3 falsas e 2 flutuantes

54 Esqueleto Apendicular Membros e cinturas articulares Membro superior: braço, antebraço, pulso e mão. O osso do braço – úmero – radio e ulna. O pulso: constitui-se de ossos pequenos e maciços, os carpos. A palma da mão é formada pelos metacarpos e os dedos, pelas falanges.

55 Membros e cinturas articulares Membro inferior fêmur, o mais longo do corpo. Tíbia Fíbula. A região frontal do joelho esta protegida por um pequeno osso circular: a patela. Ossos pequenos e maciços, chamados tarsos, formam o tornozelo. A planta do pé e constituída pelos metatarsos e os dedos dos pés, pelas falanges. Esqueleto Apendicular

56

57 Cintura torácica ou escapular: Clavícula escapula) Cintura pélvica: (bacia) sacro - osso volumoso resultante da fusão de cinco vértebras, por um par de ossos ilíacos e pelo cóccix, formado por quatro a seis vértebras rudimentares fundidas).

58 Juntas e articulações Junta é o local de junção entre dois ou mais ossos. As do crânio, são fixas Nas articulações, os ossos são moveis e permitem ao esqueleto realizar movimentos.

59 Ligamentos Mantêm os ossos unidos às articulações Resistentes constituídos por tecido conjuntivo fibroso. Os ligamentos estão firmemente unidos as membranas que revestem os ossos.

60 Classificação dos ossos De acordo com a forma: Longos: fêmur, úmero Curtos: tarso, carpo, (ossos da mão e pé) Chatos ou Planos: ossos do crânio

61

62 Neoplasia Maligna dos Ossos A ocorrência de osteossarcoma em trabalhadores adultos, com história de exposição ocupacional a radiações ionizantes, deve ser classificada como doença relacionada ao trabalho, do Grupo I

63 Praticando... Qual a função do esqueleto? Quais os tipos de esqueleto? Cite três ossos da caixa craniana. De quantas regiões é formada a coluna vertebral? Quais são elas? Cite os três tipos de costelas existentes. Quais os ossos do braço e da perna? O que são juntas, articulações e ligamentos? Como são classificados os ossos? Dê um exemplo de cada um. Qual a principal causa do osteossarcoma? Em que gral ele é classificado?

64 O SISTEMA MUSCULAR

65 Sistema muscular Existem cerca de 600 músculos no corpo humano; Representam 40 a 50% do peso total Contração e relaxamento.

66 Tipos de músculos Músculo não estriado (músculo liso); Músculo estriado esquelético; Músculo estriado cardíaco.

67 Músculo não estriado (liso) Músculos associados aos movimentos peristálticos e ao fluxo de sangue no organismo.

68 Músculo estriado esquelético Fixam-se aos ossos geralmente por meio de tendões. Possuem contração vigorosa e voluntária, isto é, seus movimentos obedecem a nossa vontade.

69 Músculo estriado cardíaco É o miocárdio, que promove os batimentos cardíacos. Contração involuntária.

70 Praticando... Qual a função dos músculos? Quais os tipos de músculos? Caracterize cada um deles.

71 O SISTEMA DIGESTÓRIO

72 Caminho do Alimento Boca Faringe Esôfago Estômago intestino delgado intestino grosso ânus

73 Boca Dentes 20 dentes de leite 32 dentes permanente Língua A: Amargo B: Azedo ou ácido C: Salgado D: Doce Há três pares de glândulas salivares que lançam sua secreção na cavidade bucal: parótida, submandibular e sublingual

74 Faringe e Esôfago A faringe: situada no final da cavidade bucal O esôfago: localiza-se entre os pulmões, atrás do coração, e atravessa o músculo diafragma, que separa o tórax do abdômen. O bolo alimentar leva de 5 a 10 segundos para percorrê-lo.

75 ESTÔMAGO

76 Intestino Intestino delgadoIntestino grosso

77 Doenças do Sistema Digestivo Relacionadas ao Trabalho Erosão Dentária (K03.2): Névoas de fluoretos ou seus compostos tóxicos Exposição ocupacional a outras névoas ácidas Alterações Pós-Eruptivas da Cor dos Tecidos Duros dos Dentes (K03.7): Névoas de Cádmio ou seus compostos Exposição ocupacional a metais: Cobre, Níquel, Prata Gengivite Crônica (K05.1): Mercúrio e seus compostos tóxicos

78 Estomatite Ulcerativa Crônica (K12.1): Arsênio e seus compostos arsenicais Bromo Mercúrio e seus compostos tóxicos Gastroenterite e Colite Tóxicas (K52.-): Arsênio e seus compostos arsenicais Cádmio ou seus compostos Radiações ionizantes Cólica do Chumbo (K59.8):

79 Doença Tóxica do Fígado (K71.-): Cloreto de Vinila, Clorobenzeno, Tetracloreto de Carbono, Clorofórmio, e outros solventes halogenados hepatotóxicos Hexaclorobenzeno (HCB) Bifenilas policloradas (PCBs) Tetraclorodibenzodioxina (TCDD) Hipertensão Portal (K76.6): Arsênio e seus compostos arsenicais Cloreto de Vinila Tório

80 Praticando... Quais as principais partes do sistema digestivo? Qual a função dos dentes e línguas? Caracterize anatomicamente o estômago. Quais as partes do intestino? Cite três doenças do aparelho digestivo no trabalho.


Carregar ppt "ANATOMIA E FISIOLOGIA HUMANA Prof(a): Rafaela Ferreira dos Santos."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google