A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

PROJETO : EDUCAÇÃO AMBIENTAL PRÓSINOS MZ COLETIVOS EDUCADORES- TERRAS ALTAS Lizete M.V. de Camargo Consultora Ambiental.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "PROJETO : EDUCAÇÃO AMBIENTAL PRÓSINOS MZ COLETIVOS EDUCADORES- TERRAS ALTAS Lizete M.V. de Camargo Consultora Ambiental."— Transcrição da apresentação:

1 PROJETO : EDUCAÇÃO AMBIENTAL PRÓSINOS MZ COLETIVOS EDUCADORES- TERRAS ALTAS Lizete M.V. de Camargo Consultora Ambiental

2 [...] O primeiro pressuposto de toda existência humana e, portanto, de toda história, é que: os homens devem estar, em condições de viver para poder fazer história. Marx e Engels. [...] O primeiro pressuposto de toda existência humana e, portanto, de toda história, é que: os homens devem estar, em condições de viver para poder fazer história. Marx e Engels.

3 PROGRAMA: PROGRAMA: Vivência SOCIO AMBIENTAl CIRCULO MÁGICO QUALIDADE DE VIDA E MEDIAÇÃO TRANSFORMATIVA: Vivência SÓCIOAMBIENTAL. JARDIM DAS LIDERANÇAS.

4 QUALIDADE DE VIDA E MEDIAÇÃO TRANSFORMATIVA: Lizete M.V. de Camargo-Consultora Ambiental. Vivência SÓCIOAMBIENTAL. JARDIM DAS LIDERANÇAS. QUALIDADE DE VIDA E MEDIAÇÃO TRANSFORMATIVA: Lizete M.V. de Camargo-Consultora Ambiental. Vivência SÓCIOAMBIENTAL. JARDIM DAS LIDERANÇAS.

5 EDUCAÇÃO AMBIENTAL Intrumento capaz de provocar mudanças na sociedade; Melhoria das condições de vida dos seres vivos em nossa casa, a TERRA; Tais mudanças culturais e éticas buscam formar na sociedade o surgimento da vontade, do desejo de resolver teus problemas, contribuindo para o ponderamento de cada pessoa e de cada comunidade;

6 Visa provocar reflexões de mudança comportamental e conseqüentemente desencadear ações; Proposta de trabalho globalizado, integralizar todas as informações disponíveis; Conhecer as características sócioambientais e seus potenciais naturais, no uso consciente de seus recursos.

7 MEDIAÇÃO TRANSFORMATIVA Transformação do Conflito Quanto maior o conflito, maior o tempo de duração e mais diversificadas as estratégias para sua finalização. Conflito poderá se tornar: Negativo/Destrutivo; Alienante/Desumanizador(as pessoas estão sendo mais vistas como objetos ou categorias do que seres humanos).

8 Afeta a Percepção do Cidadão(sobre si mesmo): Sentimento de- Incapacidade Fraqueza Perda de Controle da Situação Confusão Dúvida Incerteza Indecisão

9 Em Relação aos Outros: Senso de auto-absorção(egocentrismo); cada parte se torna focada em si mesma, mais auto-protegida, desconfiada, hostil, fechada e impermeável à perspectiva de outras pessoas. Do Ciclo do Enfraquecimento, Triângulo de Perseguição ou de Salvação e do Não reconhecimento que favorece a escalada do conflito.

10 CONFLITO-CONCEITO Não é estático- é Dinâmico; Pode sair da fragilidade para a força do egocentrismo para a receptividade do outro; As partes no Conflito, podem se mover e mudar de maneiras notáveis; Sair da fragilidade(mais calmas, esclarecidas, confiantes e mais decididas); Geralmente mudam da fragilidade para a força(mais atenciosas, abertas, capazes de confiar, compreensivas);

11 Mudanças dinâmicas= empowerment (fortalecimento, ponderamento) e reconhecimento mútuo(recognitrón). 1. Ponderamento=Evolução das partes no sentido de adquirir maior clareza em relação aos problemas/maior capacidade de decidir autonomamente. 2. Reconhecimento=No âmbito da Mediação Transformativa ( compreensão de uma parte em relação no ponto de vista do outro).

12 CONFLITO pode ser transformado em algo Positivo, Construtivo, proporcionando a conexão entre as pessoas resgatando o aspecto humano das relações e a cidadania das pessoas.

13 MEDIAÇÃO TRANSFORMATIVA: MEDIAÇÃO TRANSFORMATIVA: Pesquisadores de Universidades Americanas: ROBERT BARUCH BUSH JOSEF FOLGER Foram, teoricamente, os elaboradores da MT.

14 MEDIAÇÃO Orientação por acordos( papel de mediadores que procuram direcionar as partes a um acordo formal sobre disputas); Perspectiva transformativa para a mediação e evitar que a busca de um acordo, ofusque a verdadeira causa,pois se bem conduzidas poderia transformar uma espiral negativa em um processo cooperativo de ponderamento e reconhecimento mútuo; M.T. não tem por finalidade buscar a solução consensual do conflito, mas trabalhar com as partes para que estas mudem a qualidade do conflito.

15

16 MEDIAÇÃO ORIENTADA X PRÁTICA TRANSFORMATIVA Rigidez do processo; Rito pré-construído; Crença subjacente ou intencional através de controle, evitando resultados danosos, baseado na ideologia da separação social e do controle do conflito. Ideologia do individualismo- A interação com os outros é importante apenas se é necessária para a satisfação dos desejos individuais; Os seres humanos não tem a capacidade de governar as suas próprias vidas e considerar os outros (visão de déficit de capacidade humana); O conflito deve ser contido porque a interação social em si é uma força negativa; Suporta e exige a adoção de práticas de controle diretivas;

17 MEDIAÇÃO TRANSFORMADORA/PEDAGOGIA Ideologia da conexão social e da transformação do conflito; Vinculada à ideologia relacional; Há uma capacidade inerente nos seres humanos para força e a conexão, em vez de um déficit; O controle externo não é necessário para que o conflito se mova para uma direção mais construtiva;

18 Apoiado pacientemente em vez de rigidamente controlado, o conflito não assumirá uma escalada de violência ou impasse, mas a uma melhor comunicação, as decisões que consideram e respondem as necessidades de cada um, baseadas em escolhas genuínas e no entendimento; De acordo com a ideologia da conexão social e da transformação do conflito, através de estratégias rígidas, o mediador pode perceber e transformar a interação destrutiva de um conflito- recapturar seu senso de competência, reverter o ciclo negativo do conflito e restabelecer uma interação construtiva;

19

20 MEDIAÇÃO PARA ACORDOS Mediação Orientada : Percebe o mediador como: Esclarecedor Transmissor de mensagens de uma parte à outra Com plano prévio de negociação orientado. Mediação Transformativa : Percebe o mediador como: Parte integrante do sistema de comunicação entre as partes Dotado de ação Capaz de impulsionar a compreensão que as partes tem de si mesma, do outro e do conflito.

21 HABILIDADES DO MEDIADOR TRANSFORMATIVO: Não insiste em chegar a um acordo( poderá ser um dos resultados possíveis mas não único; A prática transformadora/benesses, entre elas o acordo; Não reduz o conflito ao problema posto, mas analisa a interação intersubjetiva como a possibilidade de crescimento moral e pessoal. OBJETIVOS DO MEDIADOR TRANSFORMATIVO: Viabilizar estratégias( ponderamento e o reconhecimento mútuo das partes).O acordo se for viável, será determinado por elas e a partir das percepções que elas tem do conflito; O mediador não trabalha no nível da compreensão do conflito, baseado numa versão coerente, concreta e objetiva dele-estratégia de CHECAGEM Opera mais adequadamente no nível lingüístico, no estilo de comunicação das próprias partes.

22 PROCESSO DE NEGOCIAÇÃO: Diálogo com flexibilidade; O modelo MT sustenta a menor intervenção possível e ampla liberdade das partes para se manifestarem; O mediador deve acompanhar as partes no desenrolar do conflito e não as conduzir; Organizar um sumário dos aspectos do problema descutido; Busca sintetizar e organizar o que as partes discutiram tornando as questões mais claras e possibilitando saltos de ponderamento e decisões legítimas. ESTRATÉGIAS MEDIAÇÃO TRANSFORMATIVA: Busca reconhecimento, maior autonomia e ponderamento das partes; Incentiva a autodeterminação num processo decisório; Identificação e reconhecimento do ponto de vista da outra parte; Desenvolvimento de habilidades para resolução.


Carregar ppt "PROJETO : EDUCAÇÃO AMBIENTAL PRÓSINOS MZ COLETIVOS EDUCADORES- TERRAS ALTAS Lizete M.V. de Camargo Consultora Ambiental."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google