A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

PROCESSO DE TRABALHO PROCESSO: Ato de Proceder, ir por diante; seguimento curso marcha; sucessão de estados ou mudanças; maneira pela qual se realiza uma.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "PROCESSO DE TRABALHO PROCESSO: Ato de Proceder, ir por diante; seguimento curso marcha; sucessão de estados ou mudanças; maneira pela qual se realiza uma."— Transcrição da apresentação:

1 PROCESSO DE TRABALHO PROCESSO: Ato de Proceder, ir por diante; seguimento curso marcha; sucessão de estados ou mudanças; maneira pela qual se realiza uma operação segundo determinadas normas, técnica, método; TRABALHO: Atividade coordenada, de caráter físico e/ou intelectual necessária pára a realização de qualquer tarefa, serviço ou empreendimento; maneira de trabalhar a matéria, com manejo ou a utilização de instrumentos de trabalho; Origem: Do latim Tripalium (instrumento de tortura), derivado do adjetivo Tripalis (sustentado por 3 estacas ou mourões), donde vem o verbo romance Tripaliare, fonte do verbo português trabalhar: o suplício identificado ao trabalho.

2 PROCESSO DE TRABALHO (Denise Pires): “Para Marx o trabalho é o fundamento da vida social e assume características determinadas em cada momento histórico dado. Portanto, todos os momentos do trabalho, a finalidade, o objeto e os meios do trabalho são categorias sociais.” “No processo de trabalho, a atividade do homem opera uma transformação, subordinada a um determinado fim, no objeto sobre que atua por meio do instrumental. O produto é um valor de uso”.

3 “O processo de trabalho dos profissionais de saúde tem: - como finalidade a ação terapêutica de saúde; - como objeto, o indivíduo doente ou indivíduo/grupos sadios ou expostos a risco, necessitando preservar a saúde ou prevenir doenças (cuidado); - como instrumental de trabalho os instrumentos e as condutas que representam o nível técnico do conhecimento, que é o saber de saúde (tecnologias leves, leve-duras e duras); - o produto final do trabalho é um serviço.”

4 DIVISÃO DO TRABALHO A divisão do trabalho sempre existiu: divisão ao acaso (nas sociedades comunais) e divisão parcelar ou pormenorizada do trabalho (no modo capitalista de produção). “Do trabalho independente do artesão, que não vendia seu trabalho e sim um produto (e que tinha controle do processo de trabalho e do produto), adveio o trabalho coletivo da manufatura (onde o trabalhador vende sua força de trabalho ao capitalista e executa parcelas do trabalho e não tem mais controle do produto)”.

5 Os vários estágios da divisão do trabalho são determinados pelos momentos históricos de cada sociedade. “Os meios podem ser divididos em dois tipos: - a dimensão intelectual do trabalho, - a dimensão manual do trabalho”. Para o desenvolvimento do trabalho coletivo, surgem as funções gerenciais de coordenação do trabalho, supervisão, etc. Segundo Braverman o controle é o conceito fundamental de todos os sistemas gerenciais.

6 “Os serviços de saúde se organizaram dentro desta lógica e sob os princípios da gerência científica”. O modelo assistencial hegemônico desenvolveu-se a partir do Relatório Flexner (orientando a formação dos médicos para a pesquisa biológica e para a superespecialização sobre o corpo). Implicou diretamente na incorporação ao processo de trabalho em saúde do modelo taylorista/fordista, no qual a organização do trabalho se caracterizava pela dominância do trabalho prescrito, com poucas possibilidades de intervenção nos processos produtivos e pouca autonomia dos trabalhadores.

7 TAYLOR (Clara Teixeira da Silva) Foi com o objetivo de melhorar a produtividade que as denominadas teorias de administração foram surgindo. Era a busca pela racionalização do processo produtivo. Esses estudos tiveram seu início no princípio do século XX. Escola clássica é o nome que se dá à linha de pensamento que definia a administração como um processo de planejar, organizar, dirigir e controlar, cujos fundamentos teóricos foram cultivados por Frederick Winslow Taylor ( ). Ele foi uma das figuras que mais se destacaram, por sua contribuição para a chamada Administração Científica.

8 IDÉIAS BÁSICAS * Quanto mais dividido for o trabalho em uma organização, mais eficiente será a empresa. * Quanto mais o agrupamento de tarefas em departamentos obedecer ao critério da semelhança de objetivos, mais eficiente será a empresa. * Um pequeno número de subordinados para cada chefe e um alto grau de centralização das decisões, de forma que o controle possa ser cerrado e completo, tenderá a tornar as organizações eficientes. * O objetivo da ação de organizar é voltado antes para as tarefas do que para os homens. Desta forma, ao organizar, o administrador não deverá levar em consideração os problemas de ordem pessoal daqueles que vão ocupar a função.

9 "o taylorismo se implantou numa guerra aberta e declarada. Mediante a estandardização forçada e a direção minuciosa, os capatazes impuseram a nova modalidade de trabalho repetitivo e designaram as tarefas segundo as ordens patronais. Os cronômetros se instalaram sobre os ombros dos operários qualificados para descobrir seus tempos e movimentos. Com estes índices, logo foram elaboradas tábuas de produção sujeitas a ritmos muito mais intensos.”

10 “Desta maneira, ele contribui para a desumanização do processo de trabalho, transformando homens em máquinas, afastando-se profundamente da lógica de otimização da organização produtiva. Ampliou o abismo entre uma elite administrativa pensante e um proletariado "ignorante", reforçando a divisão social e técnica do processo produtivo, levando à degradação do trabalho”. Taylor considerava que o trabalhador possuía características negativas para o trabalho: era irresponsável, vadio e negligente e vivia "fazendo cera".

11 FORD Em 1913, Henry Ford, subtraindo a idéia dos matadouros de Chicago, onde as reses abatidas eram preparadas para consumo em sistema de carretilhas aéreas, implanta na Ford Motor Company as esteiras rolantes - sistema mecânico com base no movimento contínuo de circulação de peças. Agora, o trabalhador não precisaria sair de seu lugar para pegar peças ou ferramentas. Elas viriam em sua direção. Não haveria movimentos supérfluos. Todos os seus movimentos estariam ocupados.

12 O trabalhador faria sempre os mesmos movimentos e a ação da gravidade o estaria auxiliando. Não haveria necessidade de usar a mente, pois os movimentos eram repetitivos. O trabalhador era a continuação da própria máquina e via assim seu trabalho ser mais desqualificado. Usavam-se máquinas mais especializadas, de modo que o trabalhador só precisava fazer uso dos movimentos simplificados.

13 Como política de salário, Ford incorporou os ganhos de produtividade aos salários relativamente elevados, compensatórios ao aumento da carga de trabalho. Entretanto, na verdade, ela se restringia a certos setores, onde fosse possível compatibilizar investimentos em tecnologia de produção em série, com elevado consumo da produção em massa. Os trabalhadores deveriam ser controlados também fora do ambiente da fábrica. Para tanto, com a ajuda de profissionais com formação em áreas sociais, promoveu-se a socialização controlada e disciplinada da vida privada com a criação de vilas operárias ao redor da fábrica, clubes e visitas periódicas aos trabalhadores e suas famílias.

14 SERVIÇOS DE SAÚDE (Denise Pires) Os serviços de saúde se organizaram sob os princípios da administração científica: o hospital ou a rede de serviços ambulatoriais se organiza de forma que convivem no mesmo espaço institucional: a especialização do conhecimento, aplicada por um número cada vez maior de profissões de saúde, e a divisão pormenorizada do trabalho internamente às profissões, bem como se verifica o parcelamento do próprio ato de saúde que par atingir sua finalidade necessita da concorrência das diversas profissões do setor, controladas pelo poder da decisão terapêutica e do processo de trabalho em si desempenhados por um destes profissionais, o médico.

15 SERVIÇOS DE SAÚDE (Lislaine Fracolli e Elma Zobolli) A grande discussão das finalidades do trabalho em saúde se constitui na forma como o usuário pode ser tratado: - como um consumidor de atos de saúde, ou - como um sujeito.

16 De uma perspectiva biológica e multi-causal, a finalidade será a normalização da atividade biomédica (cura) e o objeto, a doença; de uma perspectiva psico-social, cultural e biológica, portanto coletiva, a finalidade será a promoção da saúde e a emancipação dos sujeitos. As intervenções em saúde coletiva consideram que a assistência à saúde é uma interferência consciente no processo saúde-doença, levando ao desenvolvimento de uma consciência crítica. (Ex. Lutos e Perdas)

17 COMO DEVERIA SER O PROCESSO DE TRABALHO EM SAÚDE? Numa Unidade Básica de Saúde, por exemplo, o fluxo assistencial é voltado para a consulta médica. O processo de trabalho carece de uma interação de saberes e práticas necessárias para o cuidado integral à saúde. Prevalece o uso de tecnologias duras (aquelas inseridas em máquinas e instrumentos), em detrimento de tecnologias leve-duras (conhecimento técnico) e leves (tecnologia das relações).

18 BIBLIOGRAFIA Lislaine Fracolli e Elma Zobolli: - Acolhimento: uma tecnologia para a assistência que “informa” a gerência nos serviços de saúde. - Descrição do acolhimento: uma contribuição para o programa de saúde da família Clara Teixeira da Silva. Saúde do trabalhador: um desafio para qualidade total no Hemorio. [Mestrado] Fundação Oswaldo Cruz, Escola Nacional de Saúde Pública; Denise Pires, Hegemonia Médica na Saúde e a Enfermagem, Ed. Cortez, Dicionários: Aurélio, Houaiss.


Carregar ppt "PROCESSO DE TRABALHO PROCESSO: Ato de Proceder, ir por diante; seguimento curso marcha; sucessão de estados ou mudanças; maneira pela qual se realiza uma."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google