A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

ANÁLISE DE DESEMPENHO 1ª Categoria: ESTRUTURA de CAPITAIS  ANALISA OS GRAUS DE ENDIVIDAMENTO E IMOBILIZAÇÃO DA EMPRESA. * ÍNDICES DO TIPO ”QUANTO MENOR,

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "ANÁLISE DE DESEMPENHO 1ª Categoria: ESTRUTURA de CAPITAIS  ANALISA OS GRAUS DE ENDIVIDAMENTO E IMOBILIZAÇÃO DA EMPRESA. * ÍNDICES DO TIPO ”QUANTO MENOR,"— Transcrição da apresentação:

1 ANÁLISE DE DESEMPENHO 1ª Categoria: ESTRUTURA de CAPITAIS  ANALISA OS GRAUS DE ENDIVIDAMENTO E IMOBILIZAÇÃO DA EMPRESA. * ÍNDICES DO TIPO ”QUANTO MENOR, MELHOR”: 1 – PARTICIPAÇÃO do CAPITAL de TERCEIROS 2 – COMPOSIÇÃO do ENDIVIDAMENTO 3 – IMOBILIZAÇÃO do PATRIMÔNIO LÍQUIDO 4 – IMOBILIZAÇÃO dos RECURSOS NÃO-CORRENTES

2 PARTICIPAÇÃO do CAPITAL de TERCEIROS Fórmula  PCT = ET / PL ou PCT = CT / PL onde ET: Exigível Total = Capital de Terceiros (PC + ELP) PL: Patrimônio Líquido = Capital Próprio) * Revela o grau de ENDIVIDAMENTO da empresa, ou seja, quanto (R$) ela está utilizando de Capital de Terceiros para cada real de Capital Próprio. Exemplo: MAHLE METAL LEVE S/A (em mil R$) Anos  ET ou CTPLCálculos (R$ x 100 = %) 2006: R$ 1,22 ou 121,83% 2005: R$ 1,34 ou 134,10% Análise  Para cada R$ 1,00 de Capital Próprio, a MAHLE devia a terceiros R$ 1,34 em 2005 e R$ 1,22 em 2006 (Melhora de 9%). O Endividamento ainda é alto, porém o conceito é Satisfatório, se comparado à mediana do setor (136%).

3 COMPOSIÇÃO DO ENDIVIDAMENTO * Fórmula  PC / ET ou PC / CT onde: PC: Passivo Circulante ; ET: Exigível Total= Capital de Terceiros (PC+ELP) ; PL: Patrimônio Líquido= Capital Próprio) * Revela quanto a empresa deve a curto e a longo prazo. Exemplo: MAHLE METAL LEVE S/A (em mil R$) Anos  PCET ou CTCálculos (R$ x 100 = %) 2006: R$ 0,80 ou 80,24% 2005: R$ 0,81 ou 81,26% Análise  Para cada 100% da dívida total, 81,26% venceram a curto prazo em 2005 e 80,24% em 2006 (longo prazo de 2005: 18,74% e 19,76% de 2006), com leve melhora de 1,26%. Em 2006: conceito BOM, abaixo 15,54% da mediana do setor 95%.

4 IMOBILIZAÇÃO do PATRIMÔNIO LÍQUIDO* ou IMOBILIZAÇÃO do CAPITAL PRÓPRIO Fórmula  IPL ou ICP = AP / PL onde: A P = Ativo Permanente e PL = Patrimônio Líquido * Revela quanto (R$) a empresa aplicou de recursos próprios (capital próprio = PL) no Ativo Permanente. Exemplo: MAHLE METAL LEVE S/A (em mil R$) Anos  APPLCálculos (R$ x 100 = %) 2006: R$ 0,89 ou 88,69% 2005: R$ 1,02 ou 102,23% Análise  Em 2005, para cada R$ 1,00 de patrimônio próprio, foram aplicados R$ 1,02 no permanente, e R$ 0,89 em 2006 (sobrou R$ 0,11 para o giro no circulante). A melhora foi de 12,7%; conceito SATISFATÓRIO, 15% acima da mediana 77%.

5 IMOBILIZAÇÃO dos RECURSOS NÃO-CORRENTES Fórmula  AP / (PL + ELP) onde A P: Ativo Permanente PL: Patrimônio Líquido e ELP: Exigível a Longo Prazo Revela quanto (R$) a empresa aplicou no Imobilizado com recursos próprios e com dívidas de longo prazo. Exemplo: MAHLE METAL LEVE S/A (em mil R$) Anos  APPL + ELPCálculos (R$ x 100 = %) 2006: R$ 0,71 ou 71,48% 2005: R$ 0,82 ou 81,70% Análise  Em 2005, para cada R$ 1,00 de capital próprio e recursos de terceiros de longo prazo, foram investidos R$ 0,82 no Permanente e R$ 0,71 no ano de Apesar da melhora de 12,5%, esse índice teve conceito SATISFATÓRIO, ficando 8,3% acima da mediana do seu setor ( 66 % ).

6 Análise da Categoria LIQUIDEZ*  Evidencia o grau de solvência da empresa: capacidade de garantir o pagamento das suas obrigações contraídas com terceiros. * ÍNDICES DO TIPO “QUANTO MAIOR, MELHOR“: 1 – LIQUIDEZ GERAL 2 – LIQUIDEZ CORRENTE 3 – LIQUIDEZ SECA

7 LIQUIDEZ GERAL * Fórmula  ( AC + RLP ) / ET ou (PC + ELP) onde AC: Ativo Circulante; RLP: Realizável Longo Prazo; ET: Exigível Total (Passivo Circulante+Exigível Longo Prazo) * Revela se os recursos financeiros da empresa aplicados no Ativo Circulante e Realizável a Longo Prazo, serão suficientes para pagar as dívidas totais à terceiros. Exemplo: MAHLE METAL LEVE S/A (em mil R$) AnosAC + RLPPC + ELPCálculo do Índice R$ 1,09 (- 9,4%) R$ 0,98 Análise  Para cada R$ 1,00 de dívidas totais, ela tinha R$ 0,98 de haveres totais em 2005 e R$ 1,09 em 2006 (melhora de 11,2%). Conceito: satisfatório, comparado à mediana R$ 1,14.

8 LIQUIDEZ CORRENTE * Fórmula  LC = AC / PC onde AC: Ativo Circulante; PC: Passivo Circulante * Revela a capacidade financeira da empresa para pagar as dívidas de curto prazo. Exemplo: MAHLE METAL LEVE S/A (em mil R$) AnosACPCCálculo do Índice R$ 1, R$ 1,08 Análise  Em 2005, tinha R$ 1,08 de haveres de curto prazo p/cada R$ 1,00 de dívidas de curto prazo e R$ 1,22 em 2006 (melhorou 13%). Conceito: Satisfatório (mediana: R$ 1,29)

9 LIQUIDEZ SECA * Fórmula  LS = (AC – Est) / PC onde AC: Ativo Circulante; Est: Estoques; PC: Passivo Circulante * Revela a capacidade financeira líquida da empresa (excluído o estoque) para pagar as dívidas de curto prazo. Exemplo: MAHLE METAL LEVE S/A (em mil R$) Anos  ACEstoquesPCCálculo R$ 0, R$ 0,80 Análise  Em 2005, havia R$ 0,80 (sem estoque) p/ cada R$ 1,00 de dívidas de curto prazo e R$ 0,87 em 2006, c/ melhora 8,75%. Conceito: Satisfatório (mediana R$ 0,82)

10 Análise da Categoria RENTABILIDADE  Revela a lucratividade obtida pelo capital investido no período (quanto o investimento rendeu à empresa). * Índices do tipo “QUANTO MAIOR, MELHOR”: 1 – GIRO DO ATIVO 2 – MARGEM LÍQUIDA 3 – RENTABILIDADE do ATIVO 4 – RENTABILIDADE do PATRIMÔNIO LÍQUIDO

11 GIRO DO ATIVO * FÓRMULA  GA = VL / AT onde: VL: Vendas Líquidas; AT: Ativo Total (AC+RLP+AP) * Revela quanto a empresa vendeu em relação ao investimento total (Ativo Operacional) no período. Exemplo: MAHLE METAL LEVE S/A (em mil R$) AnosVLATCálculo R$ 1, R$ 1,56 Análise  Em 2005, cada R$ 1,00 do Ativo Operacional gerou R$ 1,56 de vendas e R$ 1,49 em Apesar da piora (4,5%), conceito: BOM, acima da mediana R$ 1,26

12 MARGEM LÍQUIDA * FÓRMULA  ML = LL / VL onde LL: Lucro Líquido e VL: Vendas Líquidas * Revela quanto a empresa obteve de lucro no período em relação ao seu faturamento. Exemplo: MAHLE METAL LEVE S/A (em mil R$) AnosLLVLCálculo (índice x 100=%) ,067 ou 6,7 % ,0688 ou 6,88% Análise  Em 2005, de cada R$ 1,00 vendido, a Mahle obteve R$ 0,07 (6,88%) de lucro e R$ 0,07 (6,7%) em 2006 (piorou 2,62%). Conceito: BOM (mediana 3,1%).

13 RENTABILIDADE DO ATIVO * FÓRMULA  RA = LL / AT onde LL: Lucro Líquido e AT: Ativo Total * Revela quanto a empresa obteve de lucro para cada real investido no ativo (taxa de retorno). Exemplo: MAHLE METAL LEVE S/A (em mil R$) AnosLLATCálculo (índice x 100=%) ,099 = 9,99% ,107 = 10,7% Análise  Em 2005, de cada R$ 1,00 investido, a Mahle obteve R$ 0,11 (10,7%) de lucro e R$ 0,10 (9,99%) em 2006 (piorou 6,81%). Conceito: BOM (mediana 4,1%).

14 RENTABILIDADE do PATRIMÔNIO LÍQUIDO FÓRMULA  RPL = LL / PL onde LL: Lucro Líquido e PL: Patrimônio Líquido Esse índice revela quanto a empresa teve de lucro líquido para cada real de capital próprio. Exemplo: MAHLE METAL LEVE S/A (em mil R$) AnosLLPLCálculo (índice x 100=%) ,22 = 22,15% ,25 = 25,09% Análise  De cada R$ 1,00 capital próprio, a Mahle obteve lucro de R$ 0,25 (25,09%) em 2005 e em 2006 r$ 0,22 (22,15), piorou 11,7%. Conceito: BOM (mediana 14%).


Carregar ppt "ANÁLISE DE DESEMPENHO 1ª Categoria: ESTRUTURA de CAPITAIS  ANALISA OS GRAUS DE ENDIVIDAMENTO E IMOBILIZAÇÃO DA EMPRESA. * ÍNDICES DO TIPO ”QUANTO MENOR,"

Apresentações semelhantes


Anúncios Google