A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Prof. Diego Wolney

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Prof. Diego Wolney"— Transcrição da apresentação:

1

2 Prof. Diego Wolney

3 Logística Integrada No caso das empresas, os gastos com logística variam normalmente de 5 a 35% do valor das vendas, dependendo do tipo de atividade e da área geográfica de operação. O transporte agrega valor de local aos produtos e serviços, enquanto a manutenção dos estoques agrega-lhes valor de tempo.

4 O serviço na logística O serviço da logística é medido em termos de (1) disponibilidade; (2) desempenho operacional; e (3) confiabilidade de serviço. Disponibilidade: significa ter estoque para atender de maneira consistente à demanda. Desempenho operacional: O cliente obtém pouco benefício quando um fornecedor promete uma entrega em 24 horas, mas quase sempre atrasa. Confiabilidade: Para obter confiabilidade no serviço é essencial adotar medidas para avaliar a disponibilidade de estoque e o desempenho operacional.

5 A LOGÍSTICA DE TRANSPORTE NO BRASIL A logística é hoje responsável por aproximadamente 12% do PIB brasileiro e o transporte de cargas corresponde a 60% dos custos logísticos no País, o maior em toda a cadeia de suprimentos.

6 ESTOQUES: PRÓS E CONTRAS RELATIVOS À SUA MANUTENÇÃO Segundo Ballou (2006), argumenta-se que gerenciar torna-se mais fácil quando se tem a segurança dos estoques, assim como também se torna mais fácil defender-se das críticas pela manutenção de estoque em excesso do que arcar com estoque esgotado. A maior parte dos custos de manutenção é custo de oportunidade, assim, não sendo identificada nos relatórios contábeis.

7 ESTOQUES: PRÓS E CONTRAS RELATIVOS À SUA MANUTENÇÃO A necessidade de manutenção é contestada a partir de vários argumentos, como de que estes são considerados desperdício, pois absorvem capital que apresentaria maior rentabilidade se destinado a incrementar a produtividade e a competitividade.

8 ESTOQUES: PRÓS E CONTRAS RELATIVOS À SUA MANUTENÇÃO De acordo com Wanke (1999), as companhias buscam garantir a disponibilidade de seus produtos ao cliente final com o menor nível de estoque possível, devido aos seguintes fatores: Diversidade crescente no número de produtos, tornando mais complexa e trabalhosa a contínua gestão dos níveis de estoque, dos pontos de pedido e dos estoques de segurança; Elevado custo de oportunidade de capital,resultante das taxas de juros do mercado nacional que têm tornado a posso e a manutenção de estoques onerosos.

9 ESTOQUES: PRÓS E CONTRAS RELATIVOS À SUA MANUTENÇÃO O custo de manutenção dos estoques representa entre 20% e 40% do seu valor por ano, tornando-se economicamente sensato administrá-lo cuidadosamente. No entanto mesmo quando a presença de estoque é justificável no SCM, sua manutenção é criticada por ser considerada onerosa e desnecessária. A falta de resposta instantânea dos sistemas operacionais em relação aos pedidos, por exemplo, fazem com que os estoques proporcionem um nível de disponibilidade de produtos ou serviços que, quando perto dos clientes, satisfazem às expectativas destes, resultando, muitas vezes, no aumento do nível de vendas (Ballou, 2006).

10 Importância do sistema de transportes e distribuição na cadeia logística

11 Analisando a distribuição dos custos logísticos, verifica-se que 65% deste custo corresponde a atividade de transporte. Fonte: Pesquisa CEL/Coppead – Custos Logísticos 2005 Custo Logístico e de Transporte Transportes e Distribuição

12 FORNECEDOR TRANSPORTADOR FÁBRICA DISTRIBUIDOR VAREJO CONSUMIDOR LOGÍSTICA REVERSA DISTRIBUIÇÃO FÍSICA OPERAÇÕES SUPRIMENTOS Principais Macroprocessos Logísticos Transportes e Distribuição

13 Atividades logísticas primárias Transportes e Distribuição transportes processamento de pedidos manutenção de estoques

14  Sem um sistema de transporte eficiente e confiável, regiões e nações ficam impossibilitadas de crescer e desenvolver-se.  O transporte representa, em média, 64% dos custos logísticos, 4,3% do faturamento e, em alguns casos, mais que o dobro do lucro  O transporte impacta diretamente sobre o nível do serviço, influenciando o tempo de entrega, a confiabilidade e a segurança dos produtos.  Os sistema de transporte vêm passando por mudanças significativas a partir de avanços tecnológicos, tanto em infra- estrutura, quanto em softwares e métodos de gestão.  A logística diz respeito à criação de valor. Produtos e serviços não têm valor a menos que estejam sob a posse do cliente quando (tempo) e onde (lugar) eles desejam consumi-los Importancia dos Transportes Transportes e Distribuição

15 Nível de Serviço Clientes

16  A empresa deve ser capaz de traduzir o desempenho de seu serviço aos clientes em uma vantagem competitiva no mercado.  Pouco serviço aos clientes significa perda de “market-share” (participação no mercado).  Excessivo nível de serviço significa perda nas margens de lucro.  Em termos logísticos, o fornecedor deve primeiro conhecer as necessidades de seus clientes mais impotantes.  Dedique um tratamento diferenciado àqueles clientes que representam a parte substancial das suas vendas totais. Nível de Serviço ao Cliente Transportes e Distribuição

17 Conceitos de Transportes

18 Sistema de Transporte Transportes e Distribuição Conceito: Conjunto de trabalho, facilidades e recursos que compõe a capacidade de movimentação da economia Fonte: Ballou (2008): Logistica Empresarial

19 A função principal do órgão de transporte é compatibilizar-se com as seguintes variáveis: Gestão de Transportes Custos QualidadePrazo valores de custos de transportes superiores às médias de mercado aumentam as dificuldades de concorrência do produto nos casos em que, devido à vida do produto ser extremamente curta. um fator primordial para a qualidade do transporte é a embalagem do produto transportado

20 Modais de Transporte

21  O transporte pode acontecer em sistema/modal especifico ou pela integracao entre dois ou mais sistemas (denominado intermodal) Modais de Transporte  Fatores que influenciam a escolha do modal  Características do cliente (dispersão, quantidade, tamanho dos pedidos etc)  Características do produto  Disponibilidade do transporte  Velocidade  Freqüência  Confiabilidade

22  O tamanho do embarque é inversamente proporcional ao preço Modais de Transporte Tabela

23 1.Peso ou cubagem 2.Distância 3.Facilidade de manuseio 4.Risco da carga 5.Sazonalidade (mercado) 6.Trânsito 7.Existência de carga de retorno 8.Especificidade do veículo Fatores que influenciam o custo do frete

24 Modal Aéreo

25  Serviço confiável  Baixos níveis de avarias e extravios  Alto custo de operação e do veículo  Limitado em termos de espaço  Adequado p/materiais de alto valor ou muito perecíveis  Altíssima velocidade  Evitar a demora nos terminais  Materiais mais leves na fuselagem Modal Aéreo

26 Modal Rodoviário

27  Características positivas:  Grande disponibilidade, alcançando a maioria dos pontos do território nacional  Investimentos fixos relativamente pequenos  Serviço flexível (porta-a-porta) e rápido  Adequado para pequenas cargas e curtas distâncias Caracteristicas Modal Rodoviario

28 Características negativas: inexistência de padronização dos tipos e capacidade de cargas ( peso/volume ). carroçarias não padronizadas ( fabricantes ). carga de retorno em nível nacional. relativo pouco emprego de paletes. consumo de combustível por t/km. distribuição de carga fracionada aos pontos de vendas Caracteristicas Modal Rodoviario

29 falta de estrutura compatível com a sua importância. apresenta deficiências difíceis de eliminar. os carreteiros em sua maioria não possuem condições de concorrer sozinhos com as transportadoras. os carreteiros não possuem estruturas de atendimento nacional aos clientes. Caracteristicas Modal Rodoviario

30 Indicadores: 60% do total de carga do país é escoada por estradas. A produtividade do transporte no Brasil equivale a 22% da registrada nos Estados Unidos. O consumo energético nas rodovias é 29% superior ao dos Estados Unidos. A emissão de poluentes é 2,6 superior à americana. FONTE: CONFEDERAÇÃO NACIONAL DE TRANSPORTE – CNT / COPPEAD-UFRJ(2002) A dependência brasileira -transporte rodoviário

31  É excessivo o tempo gasto em postos fiscais estaduais, no comércio interno e em procedimentos alfandegários para o comércio internacional  Com a transmissão prévia das informações do conhecimento via Web, alguns postos estão agilizando a liberação de carga entre estados Demora nos postos de fiscalização

32 Modal Marítimo

33  Baixa disponibilidade de navios na cabotagem de contêineres  Apesar do recente crescimento no número de navios porta-contêineres que aportam na costa brasileira, o número de saídas semanais ainda é baixo  Normalmente, os produtos transportados em contêineres possuem um alto valor agregado.  Logo, a espera representa um alto custo financeiro Transporte Marítmo no Brasil

34 CABOTAGEM LONGO CURSO ROTAS DE NAVEGAÇÃO NORTH- BOUND SOUTH- BOUND A cabotagem corresponde ao transporte de cargas pelas costas brasileiras e o longo curso é o transporte fora das costas do Brasil.

35 Mil Unidades * Fonte: ANTAQ Análises: Instituto ILOS Movimentação de cargas por tipo de navegação

36 Modal Dutoviário

37 custos altos de implantação custos baixos de operação Modal Dutoviário  Utilizado principalmente para a movimentação de petróleo, derivados e gás  Linha de produtos atendida: limitada (apenas produtos líquidos e gasosos)

38 Modal Ferroviário

39  Altos custos fixos de conservação, operação dos terminais etc  Maior capacidade (espaço p/armazenagem)  Custo unitário mais baixo (economia escala)  Velocidade mediana (demora nas estações)  Mais adequado para cargas volumosas e longas distâncias.  Utilizado para grandes volumes Modal Ferroviário

40 Densidade de Ferrovia Km/100 m2 Modal Ferroviário  Baixa disponibilidade do sistema ferroviário brasileiro

41  O investimento por km de linha férrea no Brasil é cerca de 1/3 daquele das ferrovias norte-americanas Modal Ferroviário

42 Transporte Multimodal

43  Operadores de Transporte Multimodal (OTM) é a denominação da pessoa jurídica responsável pelo transporte de cargas da origem até o destino, com documento único de transporte  Lei de fevereiro de dispõe sob os OTM Transporte Multimodal

44 Resumo da Aula

45  Analisando a distribuição dos custos logísticos, verifica-se que 65% deste custo corresponde a atividade de transporte.  A escolha do modal de transporte e uma decisão estratégica de fundamental importância para a empresa  Nesta decisão é preciso considerar o conceito de custo total e o trade-off entre nível de serviço ao cliente e custo  Pernambuco apresenta uma grande oportunidade de rescimento econômico através do complexo de Suape. Transportes e Distribuição

46 Obrigado!

47 Referências Bibliográficas BALLOU, Ronald H. Gerenciamento da cadeia de suprimentos/logística empresarial. 5. ed. Porto Alegre: Bookman, BERTAGLIA, Paulo Roberto. Logística e gerenciamento da cadeia de abastecimento. São Paulo: Saraiva, BOWERSOX, Donald J; CLOSS, David J. Logística empresarial: o processo de integração da cadeia de suprimento. 1. ed. São Paulo: Atlas, 2001.


Carregar ppt "Prof. Diego Wolney"

Apresentações semelhantes


Anúncios Google