A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

O MUNDO MODERNO SÉCULOS XIX E XX. PONTOS DE TRANSFORMAÇÃO Revolução industrial (segunda metade séc. XVIII); Revolução industrial (segunda metade séc.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "O MUNDO MODERNO SÉCULOS XIX E XX. PONTOS DE TRANSFORMAÇÃO Revolução industrial (segunda metade séc. XVIII); Revolução industrial (segunda metade séc."— Transcrição da apresentação:

1 O MUNDO MODERNO SÉCULOS XIX E XX

2 PONTOS DE TRANSFORMAÇÃO Revolução industrial (segunda metade séc. XVIII); Revolução industrial (segunda metade séc. XVIII); Invenção da máquina a vapor; Invenção da máquina a vapor; Bandeira da democracia; Bandeira da democracia; Escavações em Herculano e Pompéia; Escavações em Herculano e Pompéia; Soberania do progresso político-científico; Soberania do progresso político-científico; Detrimento da almejada felicidade; Detrimento da almejada felicidade; Planificação dos movimentos; Planificação dos movimentos; Movimento / contra-movimento; Movimento / contra-movimento; Mutação incessante dos movimentos artísticos; Mutação incessante dos movimentos artísticos;

3 “(...) Tendo rejeitado os quadros da autoridade tradicional que lhe impunham limites mas lhe apoiavam, o homem pode ter hoje uma liberdade de ação tanto exaltante como aterradora. Em um mundo onde todos os valores são questionados, ele busca incessantemente a sua própria identidade e o sentido da existência humana, individual e coletiva. Embora haja adquirido um conhecimento de si mesmo mais vasto e mais profundo, daí não lhe veio a segurança que esperava. Falta à civilização moderna a coesão do passado: na sua marcha não há períodos bem identificáveis nem sugerem estilos claramente definidos, na arte ou em outras formas de atividade.” (JANSON, H. W. – História da arte – O mundo Moderno. Pág. 827) “(...) Tendo rejeitado os quadros da autoridade tradicional que lhe impunham limites mas lhe apoiavam, o homem pode ter hoje uma liberdade de ação tanto exaltante como aterradora. Em um mundo onde todos os valores são questionados, ele busca incessantemente a sua própria identidade e o sentido da existência humana, individual e coletiva. Embora haja adquirido um conhecimento de si mesmo mais vasto e mais profundo, daí não lhe veio a segurança que esperava. Falta à civilização moderna a coesão do passado: na sua marcha não há períodos bem identificáveis nem sugerem estilos claramente definidos, na arte ou em outras formas de atividade.” (JANSON, H. W. – História da arte – O mundo Moderno. Pág. 827)

4 Neoclassicismo e Romantismo 1750 – 1850; 1750 – 1850; Inicialmente pensados como opostos; Inicialmente pensados como opostos; Posteriormente tentou-se o classicismo romântico; Posteriormente tentou-se o classicismo romântico; Neoclassicismo: tentativa mais coerente de se recuperar a antiguidade clássica; Neoclassicismo: tentativa mais coerente de se recuperar a antiguidade clássica; Romantismo: estado/atitude de espírito; Romantismo: estado/atitude de espírito; Arte romântica: Classe média! Arte romântica: Classe média!

5 Romantismo: Romantismo: Romances medievais escrito em língua românica; Romances medievais escrito em língua românica; Exacerbação e intensificação dos sentimentos e emoções; Exacerbação e intensificação dos sentimentos e emoções; Interesse pelo movimento gótico; Interesse pelo movimento gótico; Reação contra a ordem social e religiosa; Reação contra a ordem social e religiosa; Emoções novas; Emoções novas; Regresso à natureza – destemida, selvagem, variável, sublime ou pitoresca; Regresso à natureza – destemida, selvagem, variável, sublime ou pitoresca; Agir naturalmente afasta o mal; Agir naturalmente afasta o mal;

6 Contradição romântica Diziam interessar-se pela liberdade, pelo poder, pelo amor, pela violência, pelos gregos, pela Idade Média, tudo em nome da natureza; Diziam interessar-se pela liberdade, pelo poder, pelo amor, pela violência, pelos gregos, pela Idade Média, tudo em nome da natureza; Emoção pela emoção; Emoção pela emoção; Arte é emoção racionalizada; Arte é emoção racionalizada; Impossível ser exclusivamente e totalmente romântico; Impossível ser exclusivamente e totalmente romântico; O romantismo precisa se fixar a outros estilos: O romantismo precisa se fixar a outros estilos: Revivalismo; Revivalismo; Afinidade eletiva; Afinidade eletiva;

7 Arquitetura Revivalista Revivalismo máximo do romantismo; Revivalismo máximo do romantismo; Movimento Paladiano (Inglaterra) – ou Georgiano (América) Nascimento da arquitetura Romântica – 1720; Nascimento da arquitetura Romântica – 1720; Patrocinado por um “rico amador”; Patrocinado por um “rico amador”; Tentativa de reafirmar a superioridade dos antigos em sua simplicidade e abstração em detrimento da pompa do Barroco Tentativa de reafirmar a superioridade dos antigos em sua simplicidade e abstração em detrimento da pompa do Barroco Mais racionalistas: geométricos, compactos e simples; Mais racionalistas: geométricos, compactos e simples;

8 Chiswick House – Lord Burlington

9 Sem causar o desaparecimento da arquitetura Gótica; Sem causar o desaparecimento da arquitetura Gótica; 1800 – exacerbação do gótico como movimento nacional contra as dominações napoleônicas; - neo- gótico; 1800 – exacerbação do gótico como movimento nacional contra as dominações napoleônicas; - neo- gótico; Sir Charles Barry e A. Welby Pugin. O Parlamento de Londres. Iniciado em 1836

10 Jardins à Inglesa Parecer naturais; Parecer naturais; Arbustos e árvores irregulares; Arbustos e árvores irregulares; Caminhos serpenteados; Caminhos serpenteados; Lagos e riachos dispostos irregularmente; Lagos e riachos dispostos irregularmente; Ausência de geometrismos; Ausência de geometrismos; Ausência de taques e canais regulares; Ausência de taques e canais regulares; Confusão entre os limites do natural e do artificial; Confusão entre os limites do natural e do artificial;

11 Jardim da Chiswick House

12 Racionalismo Francês 1713 – 1800; 1713 – 1800; Movimento contra o Rococó; Movimento contra o Rococó; Ideal: combinar ordens clássicas com a leveza de alguns edifícios góticos. Ideal: combinar ordens clássicas com a leveza de alguns edifícios góticos. Forte influência inglesa – que determinará o desenvolvimento arquitetônico europeu; Forte influência inglesa – que determinará o desenvolvimento arquitetônico europeu; Figura de Étienne-Louis Boullé (1728 – 1799) – Arquitetura de nobreza majestosa – esfera como forma perfeita; Figura de Étienne-Louis Boullé (1728 – 1799) – Arquitetura de nobreza majestosa – esfera como forma perfeita; Pensar o impensável; Pensar o impensável;

13 Arqutetura de nobreza majestosa – Étienne-Louis Boullé

14 Opera de Paris – Movimento neo- Barroco

15

16

17 Arquitetura industrial Pós Século XVIII; Pós Século XVIII; Utilização do ferro como estrutura básica; Utilização do ferro como estrutura básica; Desenvolvimento de novos técnicas; Desenvolvimento de novos técnicas; Produção em larga escala; Produção em larga escala; Desenvolvimento da arquitetura neo- Renascentista; Desenvolvimento da arquitetura neo- Renascentista;

18 Bibliothèque Geneviève de Paris – – Henri Labrouste

19 Pintura Mais individualista; Mais individualista; Não dependia da aceitação coletiva; Não dependia da aceitação coletiva; Associada às idéias e temas literários dominantes; Associada às idéias e temas literários dominantes; Primeira reação contra artificialidade barroca; Primeira reação contra artificialidade barroca; Benjamin West (1738 – 1820) – 1º representante romântico americano; Benjamin West (1738 – 1820) – 1º representante romântico americano;

20 A Morte do General Wolf – West

21 A morte do General Wolf trata da guerra entre os franceses (representando a organização clássica dos fatos) e os pele- vermelhas (representando a crueza da realidade moderna); A morte do General Wolf trata da guerra entre os franceses (representando a organização clássica dos fatos) e os pele- vermelhas (representando a crueza da realidade moderna); Representa a transferência da devoção religiosa para o sentimento de nacionalidade; Representa a transferência da devoção religiosa para o sentimento de nacionalidade; Trata da constituição histórica, seus acontecimentos, dentro do espaço do Novo Mundo; Trata da constituição histórica, seus acontecimentos, dentro do espaço do Novo Mundo;

22 Stubbs e a Pintura Animalista George Stubbs (1724 – 1806); George Stubbs (1724 – 1806); Inglaterra; Inglaterra; Grandiosidade e violência da natureza; (ele envereda por essa tendência após uma Viagem à África) Grandiosidade e violência da natureza; (ele envereda por essa tendência após uma Viagem à África) Identificação emocional do artista com o animal; Identificação emocional do artista com o animal; Forças climáticas e contraste de potencialidades dos animais; Forças climáticas e contraste de potencialidades dos animais;

23 George Stubbs. Cavalo Atacado por um Leão.

24 3º Movimento da Pintura Romântica Profundezas do espírito humano; Profundezas do espírito humano; Pesadelos; Pesadelos; Mais associada aos amaneiramentos; (crenças, costumes, ideal físico – mitologia esotérica medieval); Mais associada aos amaneiramentos; (crenças, costumes, ideal físico – mitologia esotérica medieval); Inspiração; Inspiração; Na Alemanhã – (Caspar David Friedrich) a recuperação da pintura do século XV (Arte Gótica) trouxe o que denominaram de herança pictórica nacional; Na Alemanhã – (Caspar David Friedrich) a recuperação da pintura do século XV (Arte Gótica) trouxe o que denominaram de herança pictórica nacional;

25 Pesadelo -John Henry Fuseli La Dame Eve - Fuseli

26 Escultura Romântica Teve um desenvolvimento inferior à pintura; Teve um desenvolvimento inferior à pintura; Pressão da veneração das obras gregas como inatingíveis; Pressão da veneração das obras gregas como inatingíveis; Exigência da solidez dos trabalhos na construção do novo mundo; Exigência da solidez dos trabalhos na construção do novo mundo; Guerras e destruições de espaços públicos; Guerras e destruições de espaços públicos; Quase estritamente neoclássica; Quase estritamente neoclássica;

27 Amore e Psique – Antonio Canova –

28 O realismo O advento da fotografia (1822) – primeiros exemplares de imagens permanentes; O advento da fotografia (1822) – primeiros exemplares de imagens permanentes; Entre 1830 e 1850 – convulsões revolucionárias; Entre 1830 e 1850 – convulsões revolucionárias; Charles Baudelaire – Artista e Crítico – Pede que aos artistas que exprimissem “O heroísmo da Vida Moderna” Charles Baudelaire – Artista e Crítico – Pede que aos artistas que exprimissem “O heroísmo da Vida Moderna”

29 Gustave Courbet ( 1817 – 1877) – 1º Realista Europeu; Gustave Courbet ( 1817 – 1877) – 1º Realista Europeu; A ênfase ao sentimento e à imaginação (romantismo) representam a fuga às realidades da época; A ênfase ao sentimento e à imaginação (romantismo) representam a fuga às realidades da época; A arte deveria ser regida pela experiência direta; A arte deveria ser regida pela experiência direta; 1º Quadro do realismo programático – Os Britadores de Pedra; 1º Quadro do realismo programático – Os Britadores de Pedra; 1º - Movimento de recusa pela sociedade; 1º - Movimento de recusa pela sociedade; Courbet Escreve o manifesto do realismo; Courbet Escreve o manifesto do realismo; O artista vai pintar seu relacionamento objetivo com o que é pintado; O artista vai pintar seu relacionamento objetivo com o que é pintado; O mundo está; o artista da vida ao mundo; O mundo está; o artista da vida ao mundo; Artista como criador ativo; Artista como criador ativo;

30 Os Britadores de Pedra – Gustave Coubert

31 Manet – “A revolução da mancha de cor” Admirador de Courbet; Admirador de Courbet; Prega a liberdade artística; Prega a liberdade artística; Uma realidade específica da pintura, que é diferente da realidade cotidiana; Uma realidade específica da pintura, que é diferente da realidade cotidiana; Mistura de realidades para se atingir um ideal estético; Mistura de realidades para se atingir um ideal estético; Tela como cortina e não como janela; Tela como cortina e não como janela; As pinceladas e as manchas de tinta constituem a realidade da tela; As pinceladas e as manchas de tinta constituem a realidade da tela; Pinturas de pinturas; Pinturas de pinturas; Arte pela arte; Arte pela arte; Resposta ao desafio imposto pela fotografia; Resposta ao desafio imposto pela fotografia;

32 Déjeuner – Manet

33 Impressionismo O artista deve minuciosamente construir imagens que façam com que o observador olhe para a tela e não através dela; O artista deve minuciosamente construir imagens que façam com que o observador olhe para a tela e não através dela; Trabalho com rede cintilante de manchas de cor; Trabalho com rede cintilante de manchas de cor; Imagens-espelhos; Imagens-espelhos; Introspecção das personagens; Introspecção das personagens; Cenas do mundo dos espetáculos; Cenas do mundo dos espetáculos; Trabalho de pinceladas fortes com cores e sombras; luz e sombra; brilho e sombra; Trabalho de pinceladas fortes com cores e sombras; luz e sombra; brilho e sombra; Parecer improvisada, mas é detalhadamente pensada; Parecer improvisada, mas é detalhadamente pensada;

34 Impressão: Nascer do Sol – Monet

35 O Pensador – Auguste Rodin – – Bronze;


Carregar ppt "O MUNDO MODERNO SÉCULOS XIX E XX. PONTOS DE TRANSFORMAÇÃO Revolução industrial (segunda metade séc. XVIII); Revolução industrial (segunda metade séc."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google