A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Administração Financeira: princípios, fundamentos e práticas brasileiras Ana Paula Mussi Szabo Cherobim Antônio Barbosa Lemes Jr. Cláudio Miessa Rigo Material.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Administração Financeira: princípios, fundamentos e práticas brasileiras Ana Paula Mussi Szabo Cherobim Antônio Barbosa Lemes Jr. Cláudio Miessa Rigo Material."— Transcrição da apresentação:

1 Administração Financeira: princípios, fundamentos e práticas brasileiras Ana Paula Mussi Szabo Cherobim Antônio Barbosa Lemes Jr. Cláudio Miessa Rigo Material de apoio para aulas

2 I. Introdução à Administração Financeira II. O Ambiente dos Negócios III. A Decisão de Investimento IV. A Decisão de Financiamento V. Administração Financeira de Curto Prazo VI. Tópicos Especiais em Finanças Administração Financeira: princípios, fundamentos e práticas brasileiras

3 Cap 11: Administração do caixa Cap 12: Administração de crédito e contas a receber Cap 13: Administração Financeira de Estoques Cap 14: Fontes de financiamento de curto prazo Cap 15: Planejamento econômico - financeiro Administração Financeira de Curto Prazo

4 Capítulo 12 – Administração de crédito e contas a receber Introdução O crédito O faturamento Políticas de crédito O Processo de Concessão de Crédito O custo do crédito Administração internacional de crédito A gestão da cobrança Resumo Questões Exercícios Bibliografia Adicional.

5 O Crédito Disposição de alguém ceder temporariamente parte de seu patrimônio ou prestar serviços a terceiro, com a expectativa de receber de volta o valor cedido ou receber pagamento, depois de decorrido o período de tempo estipulado, na sua integralidade ou em valor correspondente. É a troca de bens presentes por bens futuros.

6 Por que conceder crédito Aumento do volume de vendas Conquista de novos clientes B2B – dar prazo ao cliente para ele produzir e vender o produto acabado, para então fazer caixa para pagar as matérias-primas, embalagens e insumos adquiridos. B2C – apresentar ao consumidor final facilidade na compra. Conquistar clientes do concorrente; Tornar o produto acessível a maior número de pessoas; Aumentar a participação de mercado.

7 Faturamento Emissão do documento de venda ( Nota Fiscal) e do documento de cobrança Fatura – Duplicata – bloqueto bancário Cheques pré datados Vendas por cartão de crédito: terceiros e próprios Vendas por cartão de débito Débito automático em conta corrente Cobrador / Representante

8 Políticas de crédito Estabelecer: Quanto emprestar ou adiantar para clientes; Por quanto tempo emprestar; Quais as exigências: garantias; Para quem emprestar.

9 Padrões de crédito 1. Vendas: Condições mínimas muito exigentes restringem o universo de pretendentes a crédito e, conseqüentemente, de compradores o que virá a dificultar a realização de vendas. Já padrões menos exigentes ampliam esse universo, abrindo as portas para a realização de maiores vendas. 2. Valores a Receber: Padrões de crédito que facilitam a realização de vendas são indicativos de aumento de necessidade de mais recursos para financiamento de Valores a Receber. 3. Riscos: Os riscos de não recebimento de Valores a Receber variam de acordo com a definição dos padrões de crédito que, quando menos exigentes tendem a aumentar o risco de perdas pelo não recebimento.

10 Padrões de crédito Prazo: O prazo de pagamento é o período de tempo concedido ao cliente para efetuar o pagamento do compromisso assumido. O tempo estipulado para o pagamento decorrente da concessão do crédito é condição tão importante quanto à concessão do crédito em si. É fator considerado tanto por quem pleiteia o crédito como para quem está analisando a sua concessão. Garantias: O mecanismo utilizado para reduzir o risco nas vendas a crédito é a exigência de garantias sobre o valor do crédito concedido ao cliente no ato da formalização do crédito. Representam o comprometimento de outras pessoas, físicas ou jurídicas, pela dívida assumida ou a definição de bens, que podem ser móveis ou imóveis, que responderão pela dívida caso o devedor não consiga pagar.

11 Tipos de Garantias Garantias pessoais ou fidejussórias: Aval e fiança Garantias reais: Alienação fiduciária, Hipoteca, Penhor, Anticrese Riscos do Crédito Risco do crédito: possibilidade de não recebimento do todo ou de parte da venda realizada. Compliance: Métodos de gerenciamento do risco. A expansão do crédito implica em maior risco de crédito.

12 O processo de concessão de crédito Os Cinco C’s do CréditoCaráterCapacidadeCapitalColateralCondições

13 Obtenção de Informações sobre o Cliente: Pessoa Jurídica Documentação legal da empresa. Demonstrações Financeiras dos últimos três anos. Ficha cadastral: principais clientes, principais fornecedores acionistas, proprietários, dirigentes.

14 Obtenção de Informações sobre o Cliente: Pessoa Física Ficha cadastral de pessoa física Comprovante de renda e de outras pessoas da família. Cópia da documentação RG, CPF, comprovantes de residência, rendimentos, outros bens ( se estão onerados ou não) Confirmar as informações. Analisar as informações.

15 Tomada de decisão sobre o crédito pretendido. Tabela de Classificação de Crédito Estabelece os critérios a serem considerados para analisar a capacidade financeira do cliente.

16 Tabela de Classificação de crédito – faixa de pontuação. A decisão deve ser formalmente informada ao cliente.

17 O custo do crédito. A concessão de crédito representa custos para a empresa, pois: Valores a receber aumentam. Valores a receber aumentam. Perdas com incobráveis aumentam. Perdas com incobráveis aumentam. Custo de oportunidade aumenta. Custo de oportunidade aumenta. Exemplo: Capital circulante ou Capital de Giro Exemplo: Capital circulante ou Capital de Giro CC = AC – PC Se AC  e PC = então: CC  Se AC  e PC = então: CC  Se AC  e PC também , na mesma proporção, então CC = Se AC  e PC também , na mesma proporção, então CC =

18 Cálculo do custo do crédito Giro de valores a receber = vendas / valores a receber (1) Investimento médio em valores a receber = Custo variável total das vendas anuais / giro dos valores a receber (2) Período médio de cobrança=valores a receber / (vendas/360) Giro dos valores a receber = 360 / período médio de cobrança Custo do investimento médio em valores a receber = Investimento médio em valores a receber * custo de oportunidade.

19 Aplicação prática Considere a empresa de refeições industriais Carbovari Ltda, apresentada no capítulo 11. Vislumbra-se aquecimento na economia e por conseqüência aumento de horas extras e novas contratações. Isto deverá aumentar a quantidade de refeições servidas em 20%. A quantidade de clientes não aumenta. Os clientes estão solicitando ampliação de trinta dias nos prazos de pagamento, sem aumento de preços. Caso a Carbovari Ltda conceda esta expansão de crédito, será necessário utilizar a linha de crédito rotativo que a empresa já tem previamente aprovada em um banco comercial, ao custo de 1,5% ao mês. Considere que a margem bruta aumenta proporcionalmente ao faturamento, ou seja, não é necessário calcular a margem bruta por cliente. Para sugerir se a mudança é viável financeiramente, calcule:

20 Aplicação prática a) Alteração no prazo médio de cobrança. b) Alteração no giro de duplicatas a receber. c) Alteração no montante de duplicatas a receber. d) Aumento no investimento médio em duplicatas a receber. e) Custo do investimento médio adicional em duplicatas a receber f) Margem liquida da situação atual e proposta

21 Resolução a) PMC proposto = = 60 dias: aumento de 30 dias. b) c)

22 d) e) Resolução

23 f) Resolução

24 Fatores complicadores: Risco cambial. Diferentes legislações. Barreiras alfandegárias, protecionismos, demora no transporte. Alternativas: Exigência de carta de crédito bancária irrevogável. Administração Internacional do Crédito

25 Via bancária: Cobrança simples. Caução de títulos. Desconto de títulos. Via carteira: Via representante: Mecanismos alternativos: Cartões de crédito Cartões de débito Débito automático em conta corrente Gestão da cobrança

26 Questões para discussão


Carregar ppt "Administração Financeira: princípios, fundamentos e práticas brasileiras Ana Paula Mussi Szabo Cherobim Antônio Barbosa Lemes Jr. Cláudio Miessa Rigo Material."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google