A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Administração Financeira: princípios, fundamentos e práticas brasileiras Ana Paula Mussi Szabo Cherobim Antônio Barbosa Lemes Jr. Cláudio Miessa Rigo Material.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Administração Financeira: princípios, fundamentos e práticas brasileiras Ana Paula Mussi Szabo Cherobim Antônio Barbosa Lemes Jr. Cláudio Miessa Rigo Material."— Transcrição da apresentação:

1 Administração Financeira: princípios, fundamentos e práticas brasileiras Ana Paula Mussi Szabo Cherobim Antônio Barbosa Lemes Jr. Cláudio Miessa Rigo Material de apoio para aulas

2 I. Introdução à Administração Financeira II. O Ambiente dos Negócios III. A Decisão de Investimento IV. A Decisão de Financiamento V. Administração Financeira de Curto Prazo VI. Tópicos Especiais em Finanças Administração Financeira: princípios, fundamentos e práticas brasileiras

3 Cap 11: Administração do caixa Cap 12: Administração de crédito e contas a receber Cap 13: Administração Financeira de Estoques Cap 14: Fontes de financiamento de curto prazo Cap 15: Planejamento econômico - financeiro Administração Financeira de Curto Prazo

4 13.1 Introdução Tipos de estoques Manutenção de estoques Custos dos estoques A gestão dos estoques Comprar Controles de estoques Sistemas de administração de estoques Administração internacional de estoques Resumo Questões Exercícios Bibliografia Adicional. Capítulo 13 – Administração financeira dos estoques

5 Os estoques são componentes importantes dos ativos circulantes, principalmente nas empresas comerciais e industriais, por representarem grandes volumes de dinheiro aplicado em relação aos demais ativos circulantes. São ainda os ativos circulantes de menor liquidez. Os estoques são representados por matérias-primas, componentes, insumos, produtos em processo e produtos acabados e se constituem nos bens comercializáveis pelas empresas comerciais e destinados à produção e venda pelas empresas industriais. Introdução

6 Quanto maior for o volume de Estoque maior será a flexibilidade da Empresa e vice-versa. As vantagens dessa flexibilidade devem ser comparadas com os custos de manutenção dos estoques. Os custos vinculados aos estoques estão classificados em três diferentes categorias: custos de manter, comprar ou repor e de faltar estoque. Custos dos estoques

7 Matérias primas Componentes Insumos Produtos em processo Produtos acabados Tipos de Estoque Estoques operacionais, funcionais ou mínimos. Estoques de Segurança Estoques especulativos Manutenção de Estoque

8 Nível ideal : flexibilidade operacional X custos de manutenção. Custos de manter Custos de comprar CUSTOS DE MANTER: Investimento aplicado, Armazenagem, Transferência, Impostos, Seguros, Perdas, Controle, Desuso / obsolescência. Também podem ser chamados de custos de estocar, custos de carregar o estoque, ou ainda, custo de carregamento. Em inglês "carrying costs". Custos de Estoque

9 Se uma empresa vende ou utiliza, Q quantidade de um produto em um ano, sem sazonalidade, e compra N lotes uniformes, ao longo do ano; então o volume encomendado será: Ue = Q/N E o estoque médio será : Uem = Ue 2 O valor do estoque médio = Uem * p Aplicação Prática

10 Imagine uma empresa que utiliza peças por ano na fabricação do principal produto de venda. Faz 8 compras por ano. Cada peça custa R$ 17,00 Volume comprado por encomenda Ue = /8 = peças. Estoque médio Uem = 3.000/2 = peças Valor do estoque médio x 17,00 = R$ ,00 Se o custo financeiro de manter o estoque for de 18% ao ano, o encargo de financiamento será de ,00 x 0,18 = R$ 4.590,00 Aplicação Prática

11 Se a empresa tem custos de armazenamento de R$ 600,00, custos de seguro de R$ 250,00 e custos com perdas por obsolescência de $ 500,00; então o custo total para manter o estoque médio será de: Custo de manter CM = custo financeiro + custo de armazenamento + custo de seguro + custo com perdas e obsolescência. CM = 4.590, , , ,00 = 5.940,00 Em termos porcentuais = 5.940,00 / = 0,233 = 23,3% Confirmando: CM = taxa x p x Uem = 0,233 x 17,00x = 5.941,00 A diferença está no arredondamento da taxa. Perceba que o custo de estocagem se altera, em alterando: o número de pedidos por ano, a quantidade pedida e a quantidade consumida no ano. Aplicação Prática

12 Ocorrem sempre que houver nova compra ou reposição e este fato deve influenciar a definição dos níveis de estoques. Relacionados com: Pesquisa de preços Comunicações (correio, telefone - fax, Internet, plataforma de comunicação de dados) Negociação com fornecedores de bens e serviços Emissão das ordens de compra Recepção e conferência dos produtos comprados Devoluções ocasionais Custo de comprar

13 Esse custo tende a ser fixo por pedido ou encomenda, independente do tamanho. CC = N x Cce onde: CC = custos de comprar N= número de encomendas Cce = custos de comprar por encomenda Custo de comprar

14 CT = CM + CC = taxa x p x Uem + N x Cce, Como N = Q/2Uem então: CT = taxa x p x Uem + Q x Cce 2Uem Como Uem = Ue/2 então: CT = taxa x p x Ue + Q x Cce 2 Ue A utilização dos termos em inglês ou as mais diversas formas de tradução dos termos, podem levar o estudante a confundir: custo de manter, carrying cost, com o custo total de estocar, inventory cost. Custo Total = manter + comprar

15 A falta de estoques pode trazer conseqüências negativas sérias para a empresa, como: Atraso na produção / entrega do produto ao cliente: quando todo o pedido do cliente não pode ser atendido. Custo da compra eventual, fora de programação e com reduzido poder de negociação. Custos de re-emissão de faturamento, embalagem e despacho de mercadoria: quando parte do pedido é atendido e os produtos em falta seguem posteriormente. Custo da venda perdida: quando o cliente vai comprar o produto no concorrente. Custo do cliente perdido; quando o cliente vai comprar o produto no concorrente e troca de fornecedor. Custo de faltar

16 Depende ainda de: Velocidade de Reposição Duração do ciclo de produção Hábitos de compra dos clientes Durabilidade dos produtos estocados Custo de faltar

17 Método da faixa vermelha Métodos das duas caixas ou gavetas Sistema ABC : Lei de Pareto Método do Lote Econômico de Compra: LEC Sistemas de Administração de Estoques

18 Custos considerados Custos de comprar - "CC" Custos de manter - "CM" Custos totais (comprar + manter) - "CT Matematicamente, o cálculo pode ser feito seguindo as etapas: 1a etapa: CC = Cce * Q / Ue onde: CC = Custo de comprar Cce = Custo de comprar, por encomenda Q = Quantidade necessária por período Ue = Quantidade da encomenda = LEC LEC – Lote Econômico de Compras

19 2a etapa: Cálculo dos custos de manter "CM onde: CM= Custo de Manter CMe= Custo de Manter por período, por unidade Ue= Quantidade da encomenda A expressão Ue/2 calcula o estoque médio. Sistemas de Administração de Estoques - LEC

20 3a etapa: Como o custo total CT é a soma dos custos de comprar e de manter, temos: Para se calcular o LEC (Ue) Sistemas de Administração de Estoques - LEC

21 Método do ponto de re-encomenda. Sistema MRP – Material Requirement Planning Sistema MRP II – Manufacturing Resources Planning II Sistema Just in Time JIT Sistemas de Administração de Estoques

22 Questões para discussão


Carregar ppt "Administração Financeira: princípios, fundamentos e práticas brasileiras Ana Paula Mussi Szabo Cherobim Antônio Barbosa Lemes Jr. Cláudio Miessa Rigo Material."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google