A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Desafios e Perspectivas do Setor de Transporte Ferroviário de Cargas no Brasil 2008 a 2015.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Desafios e Perspectivas do Setor de Transporte Ferroviário de Cargas no Brasil 2008 a 2015."— Transcrição da apresentação:

1 Desafios e Perspectivas do Setor de Transporte Ferroviário de Cargas no Brasil 2008 a 2015

2 Associadas da ANTF Malhas Sul, Ferroban, Ferronorte e Novoeste Malha Nordeste Malha Sudeste Malha Tereza Cristina Malha Centro-Leste Malhas EFVM, EFC e Trecho da Norte Sul

3 Sumário 1. Principais Resultados do Período 1997 a Perspectivas para o Período 2008 a Os Planos Nacionais de Desenvolvimento 4. Análise dos Dados 5. Conclusões

4

5 Principais Resultados Aumento da produtividade, da eficiência e da segurança: TU76% maiorContêiner64 vezes mais transporte TKU88% maior Minério81 % mais transporte Produtos Agrícolas2,6 vezes mais transporte Consumo de combustível17% menor, em média Acidentes81% menos acidentes por milhão de trem km Tributos (Municipais, Estaduais e Federais) 11,5 vezes maior Valor das Concessões e Arrendamento 8,1 vezes maior Número de Empregos2,1 vezes maior

6 Transporte de contêineres – TEU 1997 a 2007 Crescimento de 64 vezes

7 Redução de 17% no consumo por TKU Consumo de diesel total e por TKU 1997 a 2007

8 Investimento consolidado por categoria 1999 e 2007

9 Crescimento de 11,5 vezes Tributos arrecadados por instância de governo 1997 e 2007

10 Crescimento de 8,1 vezes Arrecadação com concessão e arrendamento 1997 a 2007

11 Redução de 81% Benchmark internacional = 8 a 13 acidentes por milhão de trem km Índice de acidentes 1997 a 2007

12 Crescimento de 2,1 vezes Geração de emprego no período 1997 a 2007

13

14 PeríodoCrescimento TU 1997 a % 2008 a % PeríodoCrescimento TKU 1997 a % 2008 a % Total de transporte – TU e TKU Projeção 2008 a 2015

15 PeríodoCrescimento TU 1997 a % 2008 a % PeríodoCrescimento TKU 1997 a % 2008 a % Transporte de minério e carvão – TU e TKU Projeção 2008 a 2015

16 Transporte de carga geral – TU Projeção 2008 a 2015

17 Transporte de carga geral – TKU Projeção 2008 a 2015

18 Distância PeríodoCrescimento km 1998 a 20077% 2008 a 20156% Distância média para o total transportado (km) Projeção 2008 a 2015

19 Distância média para minério e carvão (km) Projeção 2008 a 2015 Distância PeríodoCrescimento km 1997 a 20076% 2008 a 20152%

20

21 Investimentos Previstos no Setor Ferroviário PlanoInvestimentosExtensão PAC R$ 7,9 bilhões2.518 km MP 427 de 12/05/2008 PNLT R$ 17,0 bilhões4.099 km PNLT R$ 3,1 bilhões2.183 km PNLT R$ 30,5 bilhões km Total PNLT R$ 50,6 bilhões km

22 Projetos PAC Integração da Ferrovia Norte - Sul com a Estrada de ferro Carajás 2. Ferrovia Norte Sul: Trecho Anápolis – Uruaçú 3. Ferrovia Nova Transnordestina 4. Integração da Ferrovia Transnordestina com os Portos de Pecém e Suape 5. Integração da Ferrovia Transnordestina com a BR 101 e BR Variante Ferroviária: Camaçari - Aratú (BA) 7. Contorno Ferroviário de São Félix (BA)

23 Projetos PAC Adequação Linha Férrea - Barra Mansa (RJ) 9. Contorno Ferroviário de Araraquara (SP) 10. Ferroanel SP - Tramo Norte 11. Ferronorte: Trecho Alto Araguaia - Rondonópolis (MT) 12. Corredor Ferroviário do Oeste do Paraná: Guarapuava - Pta Grossa 13. Contorno Ferroviário de Joinville (SC) 14. Contorno Ferroviário de São Francisco do Sul (SC)

24 Projetos PNLT Construção da Ferrovia Norte-Sul: Trecho Araguaína – Estreito 2. Construção da Ferrovia Norte-Sul: Trecho Araguaína - Palmas (c/ recursos da subconcessão) 357,5 km 3. Construção do Ferroanel de São Paulo - Tramo Norte 66 km 4. Ferronorte - Trecho Alto Araguaia - Rondonópolis 170 km (Constr. A carga de concessionário privado) 5. Ligação Ferroviária Ponta Grossa – Paranaguá 6. Ferrovia Norte-Sul, entre Anápolis e Porangatu 7. Ampliação de Capacidade da Ligação Ferroviária Barra do Piraí – Itaguaí 8. Construção da Variante Ferroviária de Belo Horizonte - Trecho Perdizes (MG) / Sete Lagoas (MG) 9. Ligação Ferroviária Alto Araguaia - Goiandira (630 km)

25 Projetos PNLT Ferrovia do Aço, entre Jeceaba (MG) e Barra Mansa (RJ) 11. Remodelação da Linha Ferroviária Cacequi - Rio Grande 12. Reativação do Tráfego Ferroviário Passo Fundo - Cruz Alta 13. Remodelação da Linha Ferroviária Porto Alegre – Uruguaiana 14. Nova Transnordestina: Ferrovia passando por Eliseu Martins/Salgueiro/Suape/Salgueiro/Pecém 15. Ferrovia Leste-Oeste: recuperação do Trecho Divisa MG/BA Brumado - Tanhaçú (27,52 km) 16. Construção da Ferrovia Bahia - Oeste: Trecho Luiz Eduardo Magalhães - Brumado (575 km) 17. Outros investimentos

26

27 Análise dos Resultados ●A análise dos resultados deste estudo indica que, no período houve uma expressiva melhoria nos indicadores, o que mostra, com clareza, a importância do processo de desestatização das ferrovias. ●Com as ferrovias operadas pela RFFSA os prejuízos eram contínuos mas, desde que as concessões ocorreram, a arrecadação total, incluindo impostos, arrendamento e concessão atingiu mais de R$ 7,0 bilhões.

28 Análise dos Resultados ●Os valores projetados para o período 2008 a 2015 mostram que os indicadores tendem a melhorar consistentemente, sendo possível chegar ao final do período com uma ampliação significativa da contribuição das ferrovias para a matriz brasileira de transportes. ●Com os investimentos previstos pelas concessionárias e pelo governo através do PAC e considerando também o PNLT, o crescimento da malha ferroviária trará uma efetiva ocupação do território nacional, especialmente no norte e centro-oeste.

29

30 Conclusões ●A análise realizada aponta para uma evolução consistente do sistema ferroviário brasileiro na redução de gargalos, na capacidade de transporte e, conseqüentemente, na contribuição para a matriz brasileira de transporte. ●No entanto, há uma forte possibilidade desse processo se acelerar, em virtude do vertiginoso crescimento da demanda de cargas próprias da ferrovia e isso trará consigo novos desafios de expansões e novos gargalos.

31 Conclusões ●É, portanto, essencial que haja uma ação perene por parte das concessionárias e, em especial, do governo, para que o setor se desenvolva de forma compatível com as urgentes necessidades do país. ●Cumpre realçar que o aumento da capacidade logística do transporte ferroviário depende fundamentalmente da ação governamental, já que a expansão da malha ferroviária está além das atribuições das concessionárias.

32 Visite nosso site:


Carregar ppt "Desafios e Perspectivas do Setor de Transporte Ferroviário de Cargas no Brasil 2008 a 2015."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google