A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

OS MODELOS •O modo de implementação do trabalho de projecto, como metodologia de aprendizagem tem sido objecto de várias aproximações que se centram em.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "OS MODELOS •O modo de implementação do trabalho de projecto, como metodologia de aprendizagem tem sido objecto de várias aproximações que se centram em."— Transcrição da apresentação:

1 OS MODELOS •O modo de implementação do trabalho de projecto, como metodologia de aprendizagem tem sido objecto de várias aproximações que se centram em aspectos diferenciados a que podemos chamar modelos. •Vamos ver três, dois em apreciação muito simples e um terceiro numa apreciação mais detalhada: •Modelo Integrado •Modelo Operativo e •Modelo de DGDIC

2 Modelo Integrado Modelo que procura integrar em três fases simples as diferentes componentes do projecto, associado procedimentos e tarefas. 1.Identificação /formulação do problema. 2.Pesquisa/produção de materiais/construção do produto. 3.Avaliação final/apresentação do DGDIC

3 Modelo Operativo Modelo que se centra numa “leitura” operacional, ou seja, das tarefas, em detrimento da concepção. É um modelo que já se aproxima mais do que é necessário aplicar nas TIC e que pode ser seguido em soluções de trabalho muito próximas dos conteúdos técnicos. 1.Diagnóstico da situação, caracterizando o problema. 2.Descrição de meios e recursos. 3.Planificação das actividades. 4.Realização do projecto com execução do produto. 5.Avaliação. 6.Divulgação dos seus resultados mais DGDIC

4 Modelo de Produção •É um modelo que se centra sobretudo numa lógica de produção, e que é também um outro modo de fazer a abordagem da metodologia de projecto. Centra-se naturalmente no projecto e o desenho é feito por passos ou etapas, integradas em fases ou estádios. •Desde logo o modelo é definido como sendo um processo organizativo que tem como pressupostos clarificar expectativas, produtos e recursos, execução de produto, e a sua testagem e implementação. •A razão de ser de incluir esta abordagem da organização em fases, tem a ver com o facto dela se adaptar com grande objectividade às TIC, podendo portanto ser uma boa contribuição para a organização do trabalho de DGDIC

5 Concepção do projecto Esta fase consiste globalmente em definir com todos os intervenientes o que se deseja, o modo como se vai fazer o controlo e que recursos serão necessários para obter o produto. É uma fase de análise, onde se procura clarificar quais as reais possibilidades de se fazer o que está na mente das pessoas, e ter a certeza de que é isso que se deseja. É também aqui que se desenham desde logo as responsabilidades e as necessidades para levar o projecto a bom termo. Nesta fase incluem-se três etapas: FASE DGDIC

6 FASE 1 Etapa 01 - Recursos e objectivos Começando naturalmente pelos objectivos, ou seja clarificando aquilo que se quer, e complementando com o que se tem para se fazer aquilo que se quer. É essencial que assim seja, para que todos os passos subsequentes sejam coerentes. A definição de objectivos obedece a regras, que são sobretudo essenciais para o docente. Para o aluno, esta definição é muito próxima da enunciação do “que se deseja DGDIC

7 Etapa 02 - Responsabilidade e clarificação do plano de acção. É neste passo ou etapa que se procede primeiro a uma clarificação do plano de acção, descrevendo desde logo que passos e que tempos, e também à definição de responsabilidades e estabelecimento do que pode ser feito em termos do controlo de acção, nomeadamente de que tipo de instrumentos (relatórios por exemplo) isso pode ser feito. FASE DGDIC

8 Etapa 03 - Definição de controlo (vigilância) funcional Como podemos controlar o que se vai passando, quando o fazer e como. São as respostas a estas três questões que constituem esta etapa do processo. É um ponto sensível, que deverá ser objecto de negociação, quer quanto ao modo quer quarto à calendarização. FASE DGDIC

9 Desenho e execução do projecto Nesta segunda fase, o grupo de trabalho, ( a que os ingleses chamam curiosamente “the project team”, numa alusão ao conceito de equipa, que é bem mais significativo do que grupo… ) deve procurar desenvolver uma descrição detalhada e funcional do produto, que vai depois ser o fundamento do detalhe dos processos para lá chegar. Durante este processo, clarificam-se as especificações, os métodos as tarefas parcelares etc.... Possui 5 etapas: FASE DGDIC

10 FASE 2 Etapa 04 - Descrição funcional Como seu nome indica é a descrição detalhada da globalidade do produto. É nesta etapa, que se desenha o chamado anteprojecto, e se analisa o produto, com vista a obter uma descrição tão exaustiva quanto possível do que deverá ser o resultado do trabalho. Naturalmente que, como projecto que é, vai ser sujeito a ajustes e a correcções. Mas de um modo geral, fica aqui definido o que se “quer DGDIC

11 Etapa 05 - Descrição detalhada Centrada no processo, é a descrição do conteúdo e, sobretudo, do que se deve fazer para obter cada parcela constituinte do produto. Na continuação do anteprojecto, desenha-se aqui o conjunto de acções que conduzirão a cada passo ou a cada componente do produto final, numa perspectiva das acções necessárias para o conseguir. FASE DGDIC

12 Etapa 06 - Testagem e procedimentos Define um plano de acção de procedimentos a seguir e de testagem e controlo parcelar do que se vai obtendo. É a construção dos instrumentos de controlo, quer ao nível das : Listas de verificação, Escalas de satisfação de produto, Calendarização – cronograma. FASE DGDIC

13 Etapa 07 - Integração Organização e coordenação das actividades a desenvolver. Passo em que o ( ou os ) elemento(s) do grupo responsáveis elo projecto na sua globalidade, definem e aplicam um modelo ou estratégia de ligação entre os diferentes componentes que irão conduzir ao produto final. FASE DGDIC

14 Etapa 08 - Desenvolvimento do sistema É a fase de construção propriamente dita, em que cada um realiza o que lhe foi destinado. FASE DGDIC

15 Análise e implementação do produto A fase final, envolve sempre uma avaliação. Aqui os autores chamam-lhe análise, na medida em que se trata de um produto. Vamos ver como ele funciona e isso é, a melhor avaliação que se pode fazer. Mas importa também, perceber que, se é para ser divulgado, o produto pode necessitar ( e normalmente precisa ) de uma instalação, um modo de arranque, etc. o que é feito nesta fase.. FASE DGDIC

16 FASE 3 Etapa 09 - Análise e aceitação Depois de ver como funciona aceita-se ( ou não ) o produto final avaliando-o. É nesta etapa que se aplicam os instrumentos de avaliação, ou uma metodologia, de modo a que se possa ter um feedback mínimo antes de se proceder à divulgação do produto. Podemos estar a falar quer de instrumentos e avaliação quer de grupos de teste para aplicação e análise de processos ou de DGDIC

17 Etapa 10 - Apoios Criação dos mecanismos de instalação e arranque caso sejam necessários. Exemplos. Procedimentos de instalação ajuda off-line e on-line Detecção e correcção de erros Help etc.. FASE DGDIC

18 Etapa 11 - Documentação e memória descritiva Criação da documentação de apoio necessária, bem como de um descritivo do produto das suas funcionalidades e das suas virtudes ( e defeitos ?... ) Falamos de suportes papel, de e-books e de outro tipo de soluções exteriores ao produto, que o possam complementar e facilitar a sua utilização. FASE DGDIC


Carregar ppt "OS MODELOS •O modo de implementação do trabalho de projecto, como metodologia de aprendizagem tem sido objecto de várias aproximações que se centram em."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google