A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

O Papel da Sociedade Brasileira de Microbiologia na formulação de políticas e estratégias para o setor de Coleções de Microrganismos Coleções Biológicas.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "O Papel da Sociedade Brasileira de Microbiologia na formulação de políticas e estratégias para o setor de Coleções de Microrganismos Coleções Biológicas."— Transcrição da apresentação:

1 O Papel da Sociedade Brasileira de Microbiologia na formulação de políticas e estratégias para o setor de Coleções de Microrganismos Coleções Biológicas Microrganismos / Material Biológico Rosana Filomena Vazoller - SBM/ICB - USP SBM Sociedade Brasileira de Microbiologia

2 SBM Sociedade Brasileira de Microbiologia Motivação - Coleções de Culturas no Brasil: Implementar Coleções Institucionais Implementar Coleções Institucionais Implantar Coleções de Serviço Implantar Coleções de Serviço Apoiar a criação de um Centro Depositário Nacional de Microrganismos Credenciado INPI Criar um Sistema Suporte Nacional de Referência Informação de Qualidade Estabelecer a Rede Nacional de Coleções de Culturas Estabelecer a Rede Nacional de Coleções de Culturas Formar Profissionais dedicados ao Setor – Sistematas / Taxonomistas; Curadores; Técnicos Especialistas Formar Profissionais dedicados ao Setor – Sistematas / Taxonomistas; Curadores; Técnicos Especialistas

3 Iniciativas Promoveu um debate sobre “Coleções de serviços e centros de recursos biológicos, como infra-estrutura de apoio ao programa nacional de inovação e competitividade industrial – Situação Nacional e Recomendações – Promoveu um debate sobre “Coleções de serviços e centros de recursos biológicos, como infra-estrutura de apoio ao programa nacional de inovação e competitividade industrial – Situação Nacional e Recomendações” – MCT e pesquisadores - Novembro 2004 MCT e pesquisadores - Novembro 2004 Apoiou a iniciativa da comissão formada no VI ENZITEC 2004 (RJ) através de Carta aos Ministérios de Ciência & Tecnologia e do Desenvolvimento da Indústria e Comércio Exterior – Janeiro 2005 Coordenou a elaboração do documento em prol do estabelecimento de uma Política Nacional de Criação de Coleções de Culturas e Centros Depositários - encaminhado ao MCT – Maio / Julho encaminhado ao MCT – Maio / Julho 2005 SBM Sociedade Brasileira de Microbiologia

4 Participou nos fóruns de discussão do Conselho de Gestão do Patrimônio Genético do - MMA – 2004 e 2005 Em conjunto com a SBZ e SBB: redação do documento REDE VIRTUAL DE INFORMAÇÃO SOBRE A BIODIVERSIDADE BRASILEIRA ASSOCIADA A ACERVOS BIOLÓGICOS - PROPOSTA PARA OBTENÇÃO DE FINANCIAMENTO DO GLOBAL ENVIRONMENT FACILITY – GEF - DOCUMENTO DE AVALIAÇÃO – BANCO MUNDIAL - Proponente: Ministério da Ciência e Tecnologia – MCT; Secretaria de Políticas e Programas em Biodiversidade – SEPED; Agência Implementadora: Banco Mundial. Apoiou iniciativas junto ao INPI nos estudos para a criação do Centro Depositário Nacional – Protocolo de intenções SBM Sociedade Brasileira de Microbiologia

5 Iniciativas A SBM participará do COP8 – Reunião da Conferência das Partes que integra a Convenção da Diversidade Biológica a se realizar em Março de Fará parte da mesa do GEF e GTI (Global Taxonomy Initiative)– programas em ação - ligados a taxonomia e biodiversidade mundiais – Estará com a SBZ e a SBB. A SBZ está coordenando os esforços nesse sentido. Fará parte da mesa do GEF e GTI (Global Taxonomy Initiative)– programas em ação - ligados a taxonomia e biodiversidade mundiais – Estará com a SBZ e a SBB. A SBZ está coordenando os esforços nesse sentido. Viabilizar Lista de Espécies – Editor Científico no Portal da SBM & Links - Sicol – Assembléia CBM 2005 criou a Área Coleções de Culturas de Microorganismos da SBM – dois representantes SBM Sociedade Brasileira de Microbiologia

6 Ações Política Nacional de Coleções SBM 2005 Diretrizes e Estratégias para a Modernização de Coleções Biológicas Brasileiras e a Consolidação de Sistemas Integrados de Informação sobre Biodiversidade – demanda MCT / CGEE; operacionalização CRIA ( Integrar o grupo das sociedades científicas de Botânica, Zoologia e Microbiologia desenvolvimento do projeto

7 Coleções de culturas são centros de conservação de recursos genéticos ex-situ e podem ser classificadas como coleções de trabalho, institucionais e de serviço. Sua importância é destacada na pesquisa, conhecimento, conservação e exploração da diversidade genética e metabólica de material biológico. SBM Sociedade Brasileira de Microbiologia

8 MATERIAL BIOLÓGICO: Todo material que contenha informação genética, e seja capaz de auto-reprodução ou de ser reproduzido em um sistema biológico; “Todo material que contenha informação genética, e seja capaz de auto-reprodução ou de ser reproduzido em um sistema biológico; Material biológico inclui os organismos cultiváveis e microrganismos (bactérias, arquéias, fungos filamentosos, algas, vírus, leveduras e protozoários); as células humanas, animais e vegetais; as partes replicáveis desses organismos e células (bibliotecas genômicas, plasmídeos e fragmentos de DNA clonado) e os organismos ainda não-cultivados, assim como os dados associados a esses organismos, incluindo informações moleculares, fisiológicas e estruturais.”

9 Documento 1 - Coleções de Culturas de Serviços e Centros de Recursos Biológicos Rosana Filomena Vazoller (SBM-USP) & Vanderlei Perez Canhos (CRIA) Documento 2 - Taxonomia Microbiana João Lúcio de Azevedo (ESALQ-USP) Taxonomia de Procariontes – Bactérias e Arquéias Fabiano L. Thompson& Valéria Maia de Oliveira (CBMAI – UNICAMP) Taxonomia de Fungos João Lúcio de Azevedo, Welington Luiz de Araújo (ESALQ-USP) & Carlos A. Inácio (UNB) Taxonomia de Protozoários Mirna Helena Regali Seleghim (UFSCar) Taxonomia de Vírus Elliot Watanabe Kitajima (ESALQ-USP)

10 NT - Autoridades Depositárias de Material Biológico para Fins de Patente Fabiana Fantinatti-Garboggini (CBMAI-UNICAMP) NT - Certificação de Material Biológico Reinaldo Dias Ferraz de Souza (MCT) NT - Estratégias para Melhoria, Manutenção e Dinamização do Uso dos Bancos de Germoplasma Relevantes para a Agricultura Brasileira. Maurício Antônio Lopes (EMBRAPA) NT- Levantamento Preliminar das Coleções Microbiológicas Nacionais (Cadastro) Cristina Yoshie Umino (CRIA), Rosana Filomena Vazoller & Vanderlei Perez Canhos NT - Formação de Recursos Humanos e Infra-Estrutura de Coleções Microbiológicas Lara Durães Sette (CBMAI-UNICAMP) & Vanderlei Perez Canhos

11 Documento 1 - Coleções de Culturas de Serviços e Centros de Recursos Biológicos Importância Importância - Material biológico das coleções é matéria prima Indústria - fármacos, alimentos, bebidas alcoólicas e ácidos orgânicos; Saneamento ambiental - biorremediação de resíduos tóxicos; tratamento de resíduos sólidos e líquidos; Agricultura – fixação do nitrogênio e controle biológico de pragas; Atividades de ensino, estudos taxonômicos, identificação de patógenos e testes de controle de qualidade de produtos e materiais Produtos Biotecnológicos = Produtos Biotecnológicos Estimativa Estimativa do mercado global para produtos derivados de recursos genéticos nas áreas de fármacos, fitofármacos, agricultura e outras aplicações biotecnológicas se situa na faixa de US$ 500 a 800 bilhões por ano. Estado da arte Estado da arte - Coleções de Culturas Nacionais e Internacionais

12 Situação - Coleções de Culturas Nacionais e Internacionais • • 470 coleções de culturas de microrganismos e células registradas no Centro Internacional de Dados da Federação Mundial de Coleções de Culturas; • • Número inferior a 20 coleções - categoria de “Coleções de Serviço” - acervos abrangentes, curadoria profissional, sistemas de informação que permitem monitorar e rastrear as condições de processamento, conformidade dos produtos e registros do material biológico distribuído pela coleção; • • As coleções de serviço - financiamento governamental substancial de longo termo em países industrializados; • • As demais 450 coleções - classificadas como coleções especializadas de trabalho / pesquisa e coleções institucionais - curadoria especializada - carecem da adoção de práticas adequadas de documentação, gerenciamento do acervo e prestação de serviços especializados com eficiência e qualidade -

13 Classificação • Coleções de Culturas Especializadas de Trabalho / Pesquisa • Coleções de Culturas Institucionais • Coleções de Culturas de Serviços • Centros de Recursos Biológicos – definição pela Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico - OCDE - doc desafios e oportunidades associadas ao estabelecimento de uma Rede Global de Centros de Recursos Biológicos • Centros Depositários – Fins Patentários

14 Brasil – Histórico • 1973 • Proposta de criação de Rede de Coleções de Culturas de Microrganismos - tema da Segunda Conferência Internacional sobre Coleções de Culturas (São Paulo) - World Federation for Culture Collections (WFCC) e SBM – relevância do tema no setor científico; • 1976 e 1977 • 1976 e implantação da Rede Nacional de Coleções de Culturas de Referência como infra-estrutura de apoio para o Programa Nacional de Biotecnologia; • 1982 • Fundação Tropical de Pesquisas e Tecnologia "André Tosello" - levantamento dos acervos das coleções de culturas do país; • 1984 • Primeiro Catálogo de Coleções de Culturas de Microrganismos. • 1985 • Dados do Catálogo Nacional - on-line / Cirandão da EMBRATEL que representou um fato pioneiro internacional; • 1985 • FINEP - reunião de especialistas para definir as diretrizes de implantação do Sistema Nacional de Coleções de Culturas; • 1986 • 1986 – (apoio WFCC) - diagnóstico das coleções de culturas no BR para o Programa Nacional de Biotecnologia - Rede Nacional de Coleções de Culturas com centros regionais coordenada por um colegiado de especialistas e usuários do setor público e privado -;

15 Brasil - Histórico • 1986 • coleções em 43 instituições - grande maioria - categoria “Coleções de Pesquisa”; • 1987 • "Programa Setorial de Coleções de Culturas – PSCC” - 12 coleções apoiadas - investimento emergencial de US$ 1,5 milhão - ao longo dos dois anos de implementação ( ) - perdas inflacionárias - o valor efetivo de US$ 530 mil; • 1989/1990 • 1989/ Três volumes revisados do Catálogo Nacional de Linhagens (Bactérias; Leveduras e Fungos Filamentosos; Células e Tecidos Celulares) e disponibilizados on-line; • 1986/2000 • 1986/ Programa de Treinamento - FINEP, Conselho Britânico e do Programa de Formação de Recursos Humanos em Áreas Estratégicas -RHAE - Profissionais • 2001 • Programa de Biotecnologia e Recursos Genéticos do MCT – buscou a consolidação de uma rede de centros de serviços com coleções abrangentes nas áreas de saúde, agricultura, meio ambiente e indústria; • 2002 • o MCT apoiou o desenvolvimento e a implementação do Sistema de Informação de Coleções de Interesse Biotecnológico (Sicol).

16 NT - Levantamento Preliminar das Coleções de Culturas Nacionais (Cadastro) Informações = respostas à demanda formulada / CRIA - Maio e Junho de 2005; sistemas de dados SICOL (www.sicol.cria.org.br) e Species Link (www.splink.cria.org.br); 26 Coleções de Culturas - em sua maioria - Coleções de Pesquisa; disponibilizam culturas microbianas procariontes e eucariontes, bem como de germoplasma, mediante solicitações dos setores acadêmico e produtivo; As coleções possuem Curadores e formas de contato facilitadas; Destacam-se as Coleções com caráter de prestação de serviço (fornecem culturas microbianas e apresentam controle de qualidade das coleções): - FIOCRUZ -RJ; - EMBRAPA; - CBMAI (CPQBA-UNICAMP); - Instituto Adolfo Lutz; - Instituto Biológico SP; - Coleção de Culturas de Fitobactérias do Instituto Biológico de Campinas; - Micoteca da UFPE; Poucas coleções possuem os dados em parte ou totalmente informatizados e/ou disponíveis na Internet. Informações são facilmente obtidas - contato com os Curadores das Coleções; Fundamentalmente as coleções atendem o setor industrial – produtos biotecnológicos, agrícola (fitossanidade) e ambiental (biorremediação).

17 Considerações Considerações Documento 2 – Taxonomia Microbiana: Procariontes – Bactérias e Arquéias; Fungos; Protozoários; Vírus Dados Escassos sobre a diversidade microbiana brasileira - “Ausência de dados sobre microrganismos no BR é marcante e revela o descaso e a falta de conhecimento sobre a diversidade microbiana, tanto por falha dos pesquisadores como pelo desconhecimento de sua importância por parte dos órgãos governamentais.” Faltam Sistematas / Taxonomistas Não há uma política de financiamento direcionada para pesquisa em taxonomia e estabelecimento de CC de Pesquisa / Referência e de Serviços / Centros de Recursos Biológicos = MAIOR impedimento taxonômico no País; Investimento pode ser elevado para a descrição de uma espécie Ausência de uma rede que favoreça elos de ligação entre Coleções de Culturas Brasileiras; forte interação com as Universidades e institutos de pesquisas que possuam papel chave na construção de informação sobre Biodiversidade.

18 Taxonomia • 5% das espécies existentes de fungos no PLANETA foram descritas, estima-se 1,5 milhões de espécies, cerca de são mantidas em CC; • espécies de procariontes descritas e estocadas em CC, a estimativa é de que este valor constitua apenas 1 a 10% do total existente no Planeta. • Se o BRASIL apresenta uma alta biodiversidade vegetal e animal e, considerando as estimativas mencionadas para a descoberta de novos microrganismos que vivem em conjunto com as mais de espécies vegetais existentes - É de se esperar que o BRASIL possua uma enorme diversidade microbiana praticamente desconhecida!

19 Taxonomia Procariontes – Bactérias e Arquéias - Taxonomia Polifásica – Métodos moleculares associados aos clássicos – FUNDAMENTAL para o estabelecimento das novas espécies e para as práticas rotineiras de CC; Brasil: há acervos significativos; Fungos – Métodos clássicos associados a moleculares - Brasil: é o grupo mais estudado, há acervos em CC; Protozoários – Métodos clássicos – Brasil: pouco conhecimento e acervos não significativos em CC; Vírus - Métodos moleculares associados aosclássicos - Brasil: razoável conhecimento dos grupos / doenças – há acervos em CC Vírus - Métodos moleculares associados aosclássicos - Brasil: razoável conhecimento dos grupos / doenças – há acervos em CC.

20 MCT NT – CERTIFICAÇÃO DE MATERIAL BIOLÓGICO - MCT • Motivações básicas: - POSSIBILITAR ao Brasil a estruturação de um modelo fundamentado no conjunto de funções compreendidas pela Tecnologia Industrial Básica - TIB (metrologia, normalização e avaliação da conformidade) - favorecer um mecanismo de certificação com base em normas e regulamentos técnicos, em consonância com as normas guias, recomendações e orientações emanados dos foros internacionais e aderentes ao Acordo de Barreiras Técnicas da OMC; -a possibilidade de o Brasil PREVINIR-SE contra o surgimento de modelos de certificação com base em normas de associações técnicas, sem condições de influir direta e abertamente nesse processo; - FAVORECER a complementação do marco regulatório nessa área, compreensivelmente disperso e com lacunas, dado o caráter de novidade que ainda cerca o tema. • Certificação de material biológico - programas do MCT Biotecnologia e Recursos Genéticos - Sistema de Informação sobre Coleções de Interesse Biotecnológico (SICol); - Tecnologia Industrial Básica - TIB, as atividades de metrologia, normalização e avaliação da conformidade no Brasil. Delineamento de Certificação de Material Biológico – ESSENCIAL às CC / Centros de Recursos Biológicos

21 NT: Autoridades Depositárias de Material Biológico para Fins de Patente É FUNDAMENTAL e de extrema urgência a criação de Centros de Recursos Biológicos a partir da transformação das coleções de serviço já existentes, para servir a comunidade acadêmica e industrial especialmente quanto ao depósito de material biológico para fins de patente. Neste segmento, até o momento, não existe nenhuma autoridade depositária de material biológico para fins patentários na América Latina; • Patentes – indica o importante papel do INPI; • • A Lei de Patente e as Autoridades Depositárias Internacionais; • Tratado de Budapeste para o Reconhecimento Internacional do Depósito de Microorganismos para Fins de Patente, estabelecido em 1977 ; • Brasil não é signatário - para atender a exigência legal das invenções biotecnológicas (parágrafo único do artigo 24 da LPI) com o depósito do material biológico, o INPI com o Ato Normativo 127/96 (item ) autoriza o depósito em qualquer Autoridade Depositária Internacional reconhecida pelo Tratado de Budapeste; • Criação de um Centro Depositário Nacional.

22 NT: Recursos Humanos e Infra-Estrutura para Coleções Microbiológicas – “Coleções de Serviço” Perfil integral do profissional sistemata e do futuro Curador da Coleção. Competência técnica acurada em procedimentos e/ou conhecimento na propagação de células eucarióticas e procarióticas, biologia molecular, imunologia, imunoquímica, genômica, microscopia, Bioinformática, Biossegurança, mecanismos de preservação de células, classificação e estoque de produtos, gerenciamento de produção, estoque e distribuição, inventários, administração, informatização; Controle de Qualidade – aquisição, manutenção e distribuição de material biológico ; Controle do Acervo - autenticação, caracterização e identificação taxonômica; avaliação da viabilidade celular do material biológico; controle de contaminação biológica ; depósito em diferentes categorias -público, confidencial, para fins legais e para fins de patentes; Rotina - programas de pesquisa, consultoria, cursos e treinamentos. Responsabilidade de uma coleção de serviço: garantir a qualidade de seu acervo; operar com base em padrões apropriados para que o material biológico microbiano possa ser certificado, garantindo ao cliente (consumidor) padrão de qualidade, manutenção do potencial biotecnológico (estabilidade genética) e autenticidade.

23 Documento 3: Estratégias para Melhoria, Manutenção e Dinamização do Uso dos Bancos de Germoplasma Relevantes para a Agricultura Brasileira. CC A importância da EMBRAPA para as CC Embrapa Recursos Genéticos e Biotecnologia Três décadas: atividades de introdução, coleta, intercâmbio, caracterização, conservação, documentação e informação em recursos genéticos no país, englobando espécies vegetais nativas e exóticas, além de raças animais e microrganismos; Objetivo: aumentar a variabilidade dos recursos genéticos, de forma a suprir os programas de melhoramento com o germoplasma necessário para o desenvolvimento de novas variedades de plantas, raças animais, produtos e processos microbiológicos, além de conservar esse material a longo prazo para uso futuro; De 1976 a 2004: a Embrapa operou um sistema de introdução e quarentena de germoplasma, que movimentou mais de amostras, sendo mais de importadas de todos os continentes do mundo; o sistema alimenta uma rede de 187 Bancos Ativos de Germoplasma, com um acervo de 152 gêneros e 221 espécies, dando suporte a centenas de programas de melhoramento genético públicos e privados, desenvolvidos em todos os cantos do país.

24 Estratégias para Melhoria, Manutenção e Dinamização do Uso dos Bancos de Germoplasma Relevantes para a Agricultura Brasileira. A conservação ex situ utiliza diferentes estruturas para manter a variabilidade genética, dentre elas: coleção de base, coleção ativa, coleção de trabalho, coleção a campo (in vivo), coleção in vitro, criopreservação e coleção genômica; Rede Nacional de Recursos Genéticos – RENARGEN - concentra as atividades do Sistema Nacional de Curadoria de Recursos Genéticos bancos de germoplasma, onde mais de amostras de plantas, animais e microorganismos são conservados. Estrutura organizacional do sistema: - curadoria composta por uma supervisão, curadorias de produtos ou grupos de produtos; curadorias adjuntas; curadorias de bancos de germoplasma e curadores ad hoc (http://www.cenargen.embrapa.br/recgen/curadoria/curadoria.html); Conservação de longo prazo - Bancos Ativos de Germoplasma são conservados na forma de sementes, compondo a Coleção de Base (COLBASE) -cerca de acessos de germoplasma, nativos e exóticos, de 223 gêneros e 901 espécies; Conservação in vitro - em condições variadas conforme as espécies (3.000 amostras de aproximadamente 400 espécies); existem coleções a campo de espécies nativas e de forrageiras; Embrapa Recursos Genéticos e Biotecnologia - mantém um herbário de referência nacional, com cerca de exemplares.

25 Perspectivas - METAS 3 a 5 anos ANO BASE 2006 ELABORAR Protocolos para Transformação de Coleções de Serviços em Centros de Recursos Biológicos - avaliar a capacitação institucional para criar uma estrutura de serviços tecnológicos que responda aos procedimentos de avaliação da conformidade e que sejam capazes de fornecer, mediante certificação e formas correlatas, a evidência de que os produtos atendem a requisitos técnicos especificados em normas e regulamentos [Doc Base]; ESTRUTURAR a rede integrada de coleções de trabalho, de serviço, centros de referência e repositórios de material biológico certificado - Organização e Gestão de Material Biológico/ Modelos de organização em rede, através da organização de Plataformas e Consórcios multitinstitucionais [Docs Base; Taxon., NT Agricultura]

26 FOMENTAR o sistema de informação integrado de coleções de interesse ao setor acadêmico e produtivo, notadamente, as bases de dados SICOL (Sistema de Informação de Coleções de Interesse Biotecnológico) e o Species Link - ESTABELECER ao menos um Centro / Autoridade Depositária (adequação e elegibilidade) de material biológico para fins de patentes [Doc Base, NT Aut Deposit]

27 ELABORAR cursos para Formação de Recursos Humanos – Sistematas, Curadores e Gestores de Coleções de Culturas [Docs Taxon.]; ATUAR junto à CAPES – estimular disciplinas como Sistemática Microbiana, filogenia e evolução – cursos de graduação e pós-graduação [Docs Taxon.]; IMPLEMENTAR tecnologias informáticas para acelerar a catalogação e difusão do conhecimento sobre a taxonomia de procariontes e facilitar seu acesso e uso [Doc. Base, Taxon., NT Agricultura]

28 ESTABELECER um Sistema de Avaliação da Conformidade de Material Biológico 1, tendo como base o documento do MCT que recomenda uma política de fomento para a construção da base técnica de um sistema de avaliação da conformidade de material biológico, de forma a ampliar a oferta de material biológico certificado, estimulando o seu uso em pesquisas científicas e de inovação tecnológica; - SELO de CERTIFICAÇÃO [NT Conformidade]; ELABORAR e consolidar um modelo em rede eletrônica que instrua cada Coleção de Serviço no sentido de construir seu plano estratégico para médio e longo prazo.

29 Implementação Editais e/ou Demanda Induzida para:  Diagnóstico Base das Coleções Brasileiras: Pesquisa, Institucionais e Serviços  Aprimoramento das Coleções de Serviço com acervos abrangentes para Criação de Autoridades Depositárias (ADs) para fins de patentes;  Aprimoramento dos Centros de Referência e Coleções Especializadas caracterizam as modalidades de Coleções de Culturas de Microrganismos;  Formação de Profissionais

30 Significado do APOIO: ampliação do acervo com novos isolados e aquisição de linhagens de referência para testes de controle de qualidade e estudos taxonômicos; melhoria e ampliação das atividades de rotina da coleção com incorporação de tecnologias adequadas de caracterização, preservação, controle de estoque, controle de qualidade e distribuição de culturas autenticadas e regentes certificados; melhoria dos procedimentos de documentação e informatização das atividades de rotina da coleção, de forma a permitir a rastreabilidade de processamento das amostras, o controle da conformidade do material biológico, e a rastreabilidade de distribuição de linhagens e de reagentes biológicos; plano estratégico da coleção para médio e longo prazos.

31 Estimativa de Custos de Implementação e Operacionalização • Orçamento – R$ 15 milhões/ano – Horizonte de 10 anos para consolidação da rede de centros de excelência – serviços especializados integrando coleções de trabalho – informação; • Sustentabilidade – Apoio Governamental (recursos destinados) – Fundos Setoriais para Aplicação Industrial em Insumos Biólógicos; Lei de Incentivo a Criação de CC ; Geração de receita das CC (fornecimento de insumos, capacitação de profissionais...); • Institucionalidade – Buscar um modelo de gerenciamento facilitador para a implementação das CC nas instituições públicas de origem; • Modelo de Governança – sistema que inclua em rede representantes do governo e sociedade civil

32 ATCC e Diversidade Microbiana • A coleção de cultura americana ATCC possui um acervo abrangente, que incluí desde vírus até clones de DNA e reagentes para pesquisa biológica, é uma coleção comercial com um orçamento superior a US$20 milhões anuais; • Interessante comparação de valores obtidos a partir da análise de seus registros sobre procariontes e dos amplamente divulgados sobre macrofauna e flora de diferentes ambientes terrestres, tidos como hotspots – AEM, Junho de 2005; • Estudo com procariontes de sua base de dados revelaram diferenças consideráveis sobre a DM em coleções em relação à macrofauna e plantas;

33 Números: Microrganismos e Espécies Superiores ContinenteHotspotFloraFaunaMicrorganismos América do Sul Andes Tropical América do Norte Mesoamérica Ásia - Pacífico Terra do Sol Europa e Ásia Central Mediterrâneo América do Sul Mata Atlântica ÁsiaIndo-Burma América do Norte Caribe Ásia China - SE Africa Madagascar e Ilhas do Índico América do Sul Cerrado Brasil Fauna = vertebrados terrestresAEM, junho 2005

34 Diversidade Microbiana - ATCC • DOIS PONTOS importantes: - FOCO nos países tropicais pela ATCC, em relação a problemática de amostragens; atraente para novas coletas; AMPLO inventário daquilo que se conhece nos trópicos brasileiros, relacionando esse conhecimento aos ecossistemas de origem e, até mesmo, realizando comparações como a realizada pela ATCC a cerca de seu acervo microbiano. Nesse sentido, uma das prioridades do nosso grupo de trabalho se justificaria plenamente “amplo levantamento e diagnóstico das coleções de cultura brasileiras e consolidação das bases de dados existentes, usando como base o Sicol”.

35


Carregar ppt "O Papel da Sociedade Brasileira de Microbiologia na formulação de políticas e estratégias para o setor de Coleções de Microrganismos Coleções Biológicas."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google