A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Os Profissionais de TI no mercado atual Palestrante Ricardo Portella de Aguiar 8866-8362 Realização:

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Os Profissionais de TI no mercado atual Palestrante Ricardo Portella de Aguiar 8866-8362 Realização:"— Transcrição da apresentação:

1

2 Os Profissionais de TI no mercado atual Palestrante Ricardo Portella de Aguiar Realização: Aulavox.com.br Apoio:

3 Os Profissionais de TI no mercado atual Ricardo Portella de Aguiar Programa Os processos perceptivos As bases filosóficas da Informática Personalidade – O que é? Erros de Avaliação Traços de Personalidade para os profissionais de Informática Habilidades sociais – Preciso disto? Manipulação: estão bloqueando a minha assertividade? Bibliografia

4 Filtros perceptivos Sensação Percepção Crenças/ Valores Cognição Emoção A ç ã o

5 O que pode alterar a PERCEPÇÃO?

6 FILOSOFIA Os saberes Filosófico Religioso Popular Científico comprováveis / sistemáticos ?

7 Linguagem X Significado Linguagem X Evolução humana Linguagem  Objeto Objeto  Linguagem Os sentidos do corpo e a percepção do mundo

8 "O objeto só se determina como um ser identificável através de uma série aberta de experiências possíveis, e só existe para um sujeito que opera esta identificação" (MERLEAU-PONTY, 1999, p. 286) MERLEAU-PONTY, Maurice. Fenomenologia da percepção, São Paulo: Martins Fontes, 1999 Os Profissionais de TI no mercado atual

9 Teorias da personalidade Psicanálise Psicologia da forma - Gestalt Comportamentalismo (S – R) Cognitivismo Teoria de Campo Os Profissionais de TI no mercado atual

10 Componentes decisivos das principais atividades produtivas da sociedade. Informação tem que ser sistematizada e organizada para disponibilidade de uso imediato e à medida da necessidade. Conhecimento e Informação

11 As bases filosóficas da Informática Os Profissionais de TI no mercado atual

12 Sócrates ( a.C.) FILOSOFIA Antigüidade Método Socrático = Maiêutica + Ironia Ironia socrática - alegava ignorância em assuntos de que os outros se julgavam profundos conhecedores, apenas para demolir suas opiniões, levando o interlocutor à contradição e, desse modo, a purificar o espírito de idéias falsas e preconceitos. Ao se passar por ignorante, Sócrates obrigava as pessoas a usar o senso comum. Ele não hesitava em agir desse modo na praça da cidade; Maiêutica - auxiliava o interlocutor a encontrar a resposta por meio de um trabalho de reflexão; em outras palavras, Sócrates via como sua tarefa ajudar as pessoas a "dar à luz" a compreensão correta, uma vez que o verdadeiro entendimento deve vir do interior. Ele não pode ser transmitido por outra pessoa. E só o entendimento que vem de dentro pode levar ao verdadeiro conhecimento. Conhece-te a ti mesmo. Só sei que nada sei

13 FILOSOFIA Idade moderna Racionalismo René Descartes ( ) - Dualista Discurso do método, publicado em 1637 Cogito, ergo sum. Penso, logo sou. Quando penso com cuidado no assunto, não encontro uma única característica capaz de marcar a diferença entre o estado acordado e o sonho...Tanto eles se parecem, que fico completamente perplexo e não sei se estou sonhando neste momento. René Descartes Ocupou-se de duas questões, a primeira foi a de saber se nossos conhecimentos eram realmente seguros e a segunda foi a relação entre o corpo e a alma.

14 FILOSOFIA Idade moderna Positivismo A experiência, os fatos positivos e os dados sensíveis são as fontes únicas de conhecimento e do critério de verdade. Propõe a idéia de uma ciência sem teologia ou metafísica, baseada apenas no mundo físico/material (Causa e efeito). Isidore Auguste Marie François Xavier Comte ( ) Por quê? X Como? I N F O R M Á T I C A ?

15 Charles Babbage ( ) INFORMÁTICA Ada Lovelace ( )

16 Em 1952, foi preso por "indecência", sendo obrigado a se submeter à pisicoanálise e a tratamentos que visavam curar sua homosexualidade.Turing suicidou-se em Manchester, no dia 7 de junho de 1954, durante uma crise de depressão, comendo uma maçã envenenada com cianureto de potássio. Alan Mathison Turing ( ) Teste de Turing Turing Universal Machine INFORMÁTICA

17 Teste de Turing

18 Modelos mentais / Esquemas mentais Sensação X Percepção Temos modelos mentais para tudo ? Busca pelo imponderável, pelo novo, pelo imprevisível Curiosidade Representação

19

20 Profissionais de Informática Analista de sistemas Programador de computador Webmaster / Webdesigner Analista de Redes Administrador de dados Administrador de BD Analista de negócio Operador de computador Cargos gerenciais ?

21 Atenção concentrada Capacidade de análise Concentração visual Criatividade Dons de observação Espírito de pesquisa Memória Meticulosidade Método Organização Percepção espacial Responsabilidade Oliveira, Rynaldo – Manual de orientação vocacional, São Paulo : Vetor, 1995 Traços de Personalidade / Informática

22 DADO ARMAZENADO MÉTODO DE ACESSO SISTEMA DE GERÊNCIA DE BANCO DE DADOS APLICAÇÔES SISTEMAS DE INFORMAÇÂO USUÁRIOS Os Profissionais de TI no mercado atual

23 Gerência de projetos de software Administração de pessoal técnico Planejamento para o projeto de software Engenharia de requisitos Estimativa de custos Implementação de software Linguagens de programação Técnicas de verificação e validação de software Manutenção de software Legislação específica Elaboração de Políticas de Segurança Fatores considerados no desenvolvimento de software

24 Os Profissionais de TI no mercado atual Modelos Mentais

25 O que pode alterar a PERCEPÇÃO?

26 Cognição – aquisição de um conhecimento. Conhecimento, percepção. O conjunto dos processos mentais usados no pensamento, na percepção, na classificação, reconhecimento, etc. Cognição social – é o estudo de como as pessoas fazem inferências a partir de informação obtida no ambiente social. Mentir / Enganar – Inteligência + Aptidão + Personalidade ? Os sentidos do corpo e a percepção do mundo Em todos os níveis, desde a camuflagem bruta até a visão poética, a capacidade lingüística de ocultar, desinformar, deixar ambigüidades, formular hipóteses e inventar é responsável para o equilíbrio da consciência humana. George Steiner Escritor / Crítico litrário Mentira – “qualquer forma de comportamento cuja função seja fornecer aos outros informações falsas ou privá-los de informações verdadeiras” – David Livingstone

27 “Personalidade consiste concretamente em uma série de valores ou termos descritivos que descrevem o indivíduo que está sendo estudado em termos das variáveis ou de dimensões que ocupam uma posição central dentro de uma teoria específica” CALVIN S. HALL Conjunto dos aspectos psíquicos que, tomados como uma unidade distinguem uma pessoa. [Houaiss] Segundo Hall (*) : O primeiro uso “iguala o termo à habilidade ou à perícia social.”. O segundo uso “considera a personalidade do indivíduo como constituindo-se na impressão mais destacada ou saliente que ele cria nos outros.” Personalidade (*)Teorias da Personalidade - CALVIN S. HALL & GARDNER LINDZEY & JOHN B. CAMPBELL, SP : ARTMED, 2000

28 Teoria de Campo / Espaço vital Kurt Lewin “os únicos determinantes do comportamento de um indivíduo são as percepções que ele tem do seu espaço vital, ou seja, a totalidade dos eventos possíveis para o indivíduo.” SCHULTZ, D.P. e SCHULTZ, S. E. Teorias da personalidade. São Paulo: Pioneira Thomson Learning, Os sentidos do corpo e a percepção do mundo

29 Sigmundo Freud (1856 – 1939) : Áustria - a personalidade é constituída por três grandes sistemas : o ID, o EGO e o SUPEREGO. [Roudinesco]. Burrhus Frederick Skinner ( ) : USA - o comportamento é aquilo que pode ser objetivamente estudado; a personalidade é uma coleção de comportamentos objetivamente analisáveis [Shultz]. Harry Stack Sullivan (1892 – 1949) : USA - a personalidade é “o padrão relativamente duradouro de situações interpessoais recorrentes que caracteriza uma vida humana”. [Shultz] Personalidade Kurt Lewin ( ) : Alemanha -Psicologia Social - Teoria de campo Jacob Levy Moreno ( ) : Romênia - Psicodrama / Sociodrama / Sociograma

30 Ivan Petrovich Pavlov ( ) Condicionamento Clássico Os sentidos do corpo e a percepção do mundo

31 Burrhus Friederich Skinner ( ) Retira-se um estímulo agradável após o sujeito apresentar um determinado comportamento Procedimento Efeito no Comportamento Operante Aumenta a frequência desse comportamento Aumenta a frequência desse comportamento Reduz a frequência desse comportamento Reduz a frequência desse comportamento Apresentação de um estímulo agradável após o sujeito apresentar um determinado comportamento Retira-se um estímulo desagradável após o sujeito apresentar um determinado comportamento Apresentação de um estímulo desagradável após o sujeito apresentar um determinado comportamento Punição negativa Tipo de Reforço Reforçamento positivo Reforçamento negativo Punição positiva Condicionamento operante Os sentidos do corpo e a percepção do mundo

32 Charles Robert Darwin ( ) Teoria da evolução das espécies Seleção natural “Os organismos mais bem adaptados ao meio têm maiores chances de sobrevivência do que os menos adaptados, deixando um número maior de descendentes. Os organismos mais bem adaptados são, portanto, selecionados para aquele ambiente.”

33 “A Criação de Adão” – Michelangelo : Pintado no teto da Capela Sistina em 1512 C O M E N T Á R I O S ?

34 "O objeto só se determina como um ser identificável através de uma série aberta de experiências possíveis, e só existe para um sujeito que opera esta identificação" (MERLEAU-PONTY, 1999, p. 286) MERLEAU-PONTY, Maurice. Fenomenologia da percepção, São Paulo: Martins Fontes, 1999 Os Profissionais de TI no mercado atual

35 Mapa somatotópico Homúnculo de Penfield - homenagem ao seu descobridor, o neurocirurgião norte americano Wilder Penfield ( ) Percepção tátil

36 Muito agradável Agradável Claramente desagradável Ligeiramente agradável CABALLO, VCENTE, E. MANUAL DE AVALIAÇÃO DE TREINAMENTO DAS HABILIDADES SOCIAIS, SP : SANTOS, 2003 Percepção tátil

37 Representação Imagem Texto Som Textura Cheiro Sabor

38 O que pode alterar a PERCEPÇÃO?

39 “A ilusão nos engana justamente fazendo-se passar por uma percepção autêntica, em que a significação nasce no berço do sensível e não vem de outro lugar. Ela limita esta experiência privilegiada em que o sentido recobre exatamente o sensível, articula-se visivelmente ou se profere nele; ela implica esta norma perceptiva; não pode, portanto, nascer de um encontro entre o sensível e as recordações, e a percepção muito menos ainda. A ‘projeção’ das recordações torna uma e outra incompreensíveis” (MERLEAU-PONTY, 1999, p.45) MERLEAU-PONTY, Maurice. Fenomenologia da percepção, São Paulo: Martins Fontes, 1999 Os Profissionais de TI no mercado atual

40

41

42

43

44

45

46

47

48

49

50

51

52

53

54 “A ilusão nos engana justamente fazendo-se passar por uma percepção autêntica, em que a significação nasce no berço do sensível e não vem de outro lugar. Ela limita esta experiência privilegiada em que o sentido recobre exatamente o sensível, articula-se visivelmente ou se profere nele; ela implica esta norma perceptiva; não pode, portanto, nascer de um encontro entre o sensível e as recordações, e a percepção muito menos ainda. A ‘projeção’ das recordações torna uma e outra incompreensíveis” (MERLEAU-PONTY, 1999, p.45) MERLEAU-PONTY, Maurice. Fenomenologia da percepção, São Paulo: Martins Fontes, 1999 Os Profissionais de TI no mercado atual

55 A Mentira Os sentidos do corpo e a percepção do mundo

56 A Mentira Os animais mentem ? Mentira – “qualquer forma de comportamento cuja função seja fornecer aos outros informações falsas ou privá-los de informações verdadeiras” – David Livingstone Educamos nossos filhos com a mentira? A cultura está baseada na mentira? Os sentidos do corpo e a percepção do mundo

57 Os sinais paralinguísticos da mentira A Mentira Emblemas – Culturais. Aparecem cortados e/ou incompletos quando a pessoa mente, surgindo, geralmente, fora da região de apresentação (entre pescoço e quadris). Pessoas mentindo levantam sutilmente um dos ombros antes de responder a algumas perguntas, promovendo, desta forma, um sinal de mentira ou dizem sim negando com a mão ou cabeça. Ilustradores - Diretamente ligados à fala. Os ilustradores servem apenas para enfatizar ou ilustrar o discurso.Há uma tendência das pessoas usarem menos ilustradores quando falseiam uma informação. Na mentira, os ilustradores aparecem fora de sincronia com o discurso. Por exemplo, ao enumerarmos tópicos ilustrando com os dedos (um, dois, três, quatro, etc) estes aparecem atrasados em relação à contagem verbal. Manipuladores ou Adaptadores - Gestos que não estão diretamente relacionados à fala. Caracterizam-se como movimentos de auto-manipulação, como coçar o nariz, passar a mão no cabelo, esfregar o queixo, etc. A freqüência de manipuladores aumenta quando a pessoa está tensa e ansiosa (não necessariamente quando está mentindo). Entretanto, como muitas pessoas sentem-se tensas e ansiosas quando estão mentindo, estes gestos podem aparecer nestas ocasiões, em função de um maior “desconforto psicológico”. Os sentidos do corpo e a percepção do mundo

58 Os sinais paralinguísticos da mentira (1) A Mentira Expressões quebradas - Surgem quando o sujeito percebe que uma expressão vai aparecer e tenta controlá-la, conseguindo-o apenas em parte. O resultado é que apenas alguns sinais da expressão total aparecem. Comumente, o sorriso ou uma expressão falsa é criada para encobrir a expressão original. Timing - Expressões verdadeiras são demonstradas rapidamente na face. Se a expressão não é verdadeira, esta tende a permanecer na face por mais tempo que o usual. Expressões Assimétricas - Existem evidências de que as expressões voluntárias (não espontâneas) são assimétricas, enquanto que as involuntárias (espontâneas) não o são. Localização - Se a expressão de uma emoção aparece depois das palavras relativas a esta, provavelmente ela é falsa. Normalmente, a expressão de uma emoção genuína aparece junto com as palavras e até alguns segundos antes. 1. Como Identificar a mentira – Sinais não-verbais da dissimulação : Monica Portella 2. Por que mentimos – os fundamentos biológicos e psicológicos da mentira : David Livingstone Smith Os sentidos do corpo e a percepção do mundo

59 Os sinais paralinguísticos da mentira A Mentira Fala: Torna-se mais alta e menos fluente na dissimulação. Hesitar no início da fala, particularmente se a hesitação ocorrer quando alguém estiver respondendo a uma pergunta, pode ser um sinal de mentira. Pausas: Podem ser mais longas e/ou mais freqüentes quando as pessoas mentem. É como se fosse necessário parar para pensar antes de responder uma pergunta. Tom de Voz: Quanto mais nervosa está uma pessoa mais aguda fica sua voz. Como as pessoas, em geral, ficam nervosas quando mentem, uma voz mais aguda pode ser indicador de mentira. Por outro lado uma pessoa pode estar nervosa por razões outras que não seja o medo de ser pego mentindo. “Para mentirmos de maneira eficaz, temos de mentir sobre o fato de mentir” David Livingstone Os sentidos do corpo e a percepção do mundo

60 Alterações Transtorno mental É uma síndrome ou padrão comportamental ou psicológico clinicamente reconhecível, que ocorre em um indivíduo e que está associado com sofrimento ou incapacitação funcional ou uma “perda da liberdade”. Diagnostic and Statistical Manual of Mental Disorders / DSM - IV Classificação Estatística Internacional de Doenças e Problemas Relacionados com a Saúde / CID - 10

61 Propensão egoísta A tendência a assumir o crédito pelo sucesso e culpar os fatores externos pelo fracasso. Propensão autocentrada A tendência de um contribuinte individual a assumir uma quantidade desproporcional de crédito pelo resultado de um esforço coletivo. Propensão ao egocentrismo A tendência a exagerar a importância do seu papel em eventos passados. Efeito de falso consenso A tendência a acreditar que a maioria das pessoas compartilha de suas opiniões e valores. Ilusão de controle A tendência a exagerar o grau do próprio controle sobre eventos externos. Propensão ao retrospecto A tendência de superestimar retrospectivamente a probabilidade de acontecimento de eventos passados. Propensão a se considerar virtuoso A tendência a considerar que os seus padrões morais são mais altos e mais coerentes do que os dos outros. Propensões cognitivas auto-enganosas / Propensões psicológicas

62 Propensão ao grupo interno/grupo externo A tendência a ver membros do grupo ao qual pertencemos sob uma luz mais positiva do que os membros de grupos aos quais não pertencemos. Os membros do grupo externo são vistos como menos valorosos, mais responsáveis por seus infortúnios e menos responsáveis por seus sucessos, e mais conformados a estereótipos do que os membros do grupo interno. Falácia da estatística A tendência a negar características populacionais e probabilidades prévias ao fazer inferências probabilísticas. Falácia da conjunção A tendência a ver a conjunção de dois eventos como mais provável do que o acontecimento de cada um dos eventos em separado. Propensões cognitivas auto-enganosas / Propensões psicológicas Conheço alguém assim?

63 O que pode alterar a PERCEPÇÃO?

64 •Influência Social •Comportamento conformista - confiança no “superior” •Contraste perceptivo * •Erros de avaliação Relacionamento interpessoal um vendedor interessado na venda de um determinado produto, mostra ao cliente vários outros muito inferiores antes de mostrar o que quer vender. Os Profissionais de TI no mercado atual

65 •Benevolência - os avaliadores avaliam os sujeitos acima do que realmente são. •Severidade - o avaliador, ciente do erro de benevolência, acaba sendo severo demais com os sujeitos em questão •Tendência central - quando os avaliadores não conhecem muito bem os indivíduos, tendem a lhes dar uma avaliação central, isto é, uma avaliação média em relação a todos os traços •Paradigma - ocorre quando os avaliadores se deixam levar pela impressão geral que lhes provoca o indivíduo •Lógico - os avaliadores acreditam que dois traços de um indivíduo possuem uma relação. Por julgarem estar logicamente relacionados, dão a mesma avaliação a ambos. •Contraste - é conseqüência do avaliador colocar-se como ponto de referência para avaliar outras pessoas. Avalia os sujeitos de modo exatamente oposto ao que faria a si próprio. Qual destes erros eu cometo com mais freqüência ? Erros de avaliação

66 “O estado de isolamento nos provoca ansiedade e, quando ansiosos, procuramos nos aproximar de outras pessoas.” [Aroldo Rodrigues] Relacionamento interpessoal As pessoas se inter-relacionam para : •serem incluídas; •serem amadas; •controlarem outras pessoas.

67 •controle direto (físico, por violência, exploração, etc.); •controle organizacional; •pelos resultados (econômico, competição, colaboração, etc.); •ideológico - Cosmovisão ou Dominação. •amor (identificação, carisma, fascínio, sedução); •dissuasão / ameaça. Relacionamento interpessoal Modos de controle social

68 Repressão Retirada de idéias, afetos ou desejos perturbadores da consciência, pressionando-os para o inconsciente. Amnésia motivada. Formação reativa Fixação de uma idéia, afeto ou desejo na consciência, opostos ao impulso inconsciente temido. Representar uma atitude ou emoção como seu oposto. Projeção Sentimentos próprios indesejáveis são atribuídos a outras pessoas. Atribuir erroneamente algum aspecto de si próprio a outrem. Regressão Retorno a formas de gratificação de fases anteriores, devido aos conflitos que surgem em estágios posteriores do desenvolvimento. Racionalização Substituição do verdadeiro, porém assustador, motivo do comportamento por uma explicação razoável e segura. Atribuir estados mentais a falsas razões. Mecanismos de auto-engano / Mecanismos de defesa

69 Negação Recusa consciente para perceber fatos perturbadores. Retira do indivíduo não só a percepção necessária para lidar com os desafios externos, mas também a capacidade de valer-se de estratégias de sobrevivência adequadas. Acreditar falsamente que não se tem certa atitude. Deslocamento Redirecionamento de um impulso para um alvo substituto. Redirecionar emoções ou atitudes de seu objeto para um substituto. Anulação (ou Ação) Através de uma ação, busca-se o cancelamento da experiência prévia e desagradável. Agir precipitadamente para prevenir a percepção consciente. Introjeção (ou internalização, identificação) Estreitamente relacionada com a identificação, visa resolver alguma dificuldade emocional do indivíduo, ao tomar para a própria personalidade certas características de outras pessoas. Atribuir erroneamente algum aspecto de outrem a si mesmo. Mecanismos de auto-engano / Mecanismos de defesa

70 Sublimação Parte da energia investida nos impulsos sexuais é direcionada à consecução de realizações socialmente aceitáveis (p.ex. artísticas ou científicas). Rejeição Não acreditar numa memória ou percepção verdadeiras. Isolamento Desprover o pensamento de afeto Mecanismos de auto-engano / Mecanismos de defesa

71 Transtornos neuróticos ou de ansiedade. Preservam a personalidade organizada razoavelmente. Preserva o contato com a realidade do mundo interno e externo. A pessoa mantém razoável compreensão de si mesma.. Funções sociais preservadas, com exceção de alguns casos de T. O. C. O distúrbio se apóia na ansiedade (sintomas psicológicos e somáticos). Ausência de delírios (pensamento) e alucinações (percepção). Não há fragmentação do pensamento. São transtornos sem uma base orgânica demonstrável. As bases são sempre reativas ou funcionais.. Pode-se fazer uso de medicamentos (anti-depressivos e anti-ansiolíticos). Faz-se uso da abordagem psicoterápica pois são baseados em conflitos intra-psíquicos ou acontecimentos vitais ansiogênicos. Aparecem ou manifestam-se clinicamente (fobias, obsessões, compulsão, somatização, hipocondria) Diagnostic and Statistical Manual of Mental Disorders / DSM - IV Classificação Estatística Internacional de Doenças e Problemas Relacionados com a Saúde / CID - 10 Os Profissionais de TI no mercado atual Alterações

72 Transtornos psicóticos. Grau maior de comprometimento da personalidade (percepção, afeto, pensamento e motivação). O contato com a realidade (dita normal) pode estar comprometido. Perturbações na percepção. Fragmentação do pensamento. Perda da capacidade crítica em relação à doença. Extrema ambivalência nas relações afetivas. Pode haver substrato orgânico. A personalidade deteriora-se Diagnostic and Statistical Manual of Mental Disorders / DSM - IV Classificação Estatística Internacional de Doenças e Problemas Relacionados com a Saúde / CID - 10 Os Profissionais de TI no mercado atual Alterações

73 O que pode alterar a PERCEPÇÃO?

74 Filtros perceptivos Sensação Percepção Crenças/ Valores Cognição Emoção Ação

75 Habilidades Sociais •Assertividade – passivo / assertivo / agressivo •Capacidade reforçadora – elogiar / receber elogios •Sensibilidade perceptiva – CNV •Comunicação Verbal •Análise de interlocutor •Auto-apresentação positiva •Flexibilidade

76 Passivo: •Dificuldade de se impor. •Suas ações deficientes geram desprezo dos outros. •Ficam frustradas consigo mesmas. Agressivo: •Permite que a pessoa alcance suas metas temporariamente. •Comunicação marcada por conflitos. •Provocam agressão alheia. Assertivo: •Não garante que as metas serão sempre alcançadas, mas este comportamento permite que a pessoa se sinta bem consigo mesma. •Mais equilibrado. Habilidades Sociais ASSERTIVIDADE : Características

77 Habilidades Sociais ASSERTIVIDADE : Características NV Vocal: • Voz suave. • Muitas pausas Face: • Pouco contato ocular. • Tensão facial - medo. Gestos: • Retorce e esconde mãos. • Mudança freqüente de posição. Vocal: • Voz alta. • Fala rápida. Face: • Olhar fixo - Encarar. • Tensão facial – raiva. Gestos: • Punhos cerrados. • Dedo apontado. • Posição corporal rígida. Vocal: •Volume Moderado. • Fala Uniforme. • Frases Declarativas. Face: • Relaxada • Olha nos olhos. • Sorriso. Gestos: • Mãos abertas. • Posição do corpo relaxada. Passivo Agressivo Assertivo Persistência : Disco quebrado

78 Razões que Impedem a Manifestação um Comportamento Socialmente Hábil Habilidades Sociais •Déficits em Habilidades Sociais •Ansiedade Condicionada •Cognições e Avaliações Destorcidas •Discriminação Errônea

79 Manipulação – Manobras de bloqueio do comportamento assertivo Indiferença A sua afirmação é respondida com uma piada. Manobra de acusação Você é acusado pelo problema. A agressão A sua afirmação é respondida com um ataque pessoal. Manobra de adiamento A sua afirmação é respondida com um “agora não, estou cansado...”. Manobra do “por quê” Toda afirmação assertiva é bloqueada com uma série de “por quês”. Manobra da autopiedade A sua afirmação encontra lágrimas e a mensagem oculta de que você está sendo sádico. Evasivas A outra pessoa quer discutir com você sobre a legitimidade daquilo que você sente ou a magnitude do problema e assim por diante. Ameaças Você é ameaçado com afirmações do tipo “se continuar a falar assim comigo, você pode se dar mal”.

80 1.Assertividade – passivo / assertivo / agressivo 2.Capacidade reforçadora – elogiar / receber elogios 3.Sensibilidade perceptiva – CNV 4.Comunicação Verbal 5.Análise de interlocutor 6.Auto-apresentação positiva 7.Flexibilidade COMO SOU? Habilidades Sociais *

81 Octavio Ocampo

82

83

84 Predisposição perceptiva Os Profissionais de TI no mercado atual

85 Predisposição perceptiva Os Profissionais de TI no mercado atual

86 Predisposição perceptiva X Os Profissionais de TI no mercado atual

87 Predisposição perceptiva X 5 Os Profissionais de TI no mercado atual

88 Ricardo Portella de Aguiar Programa Os processos perceptivos As bases filosóficas da Informática Personalidade – O que é? Erros de Avaliação Traços de Personalidade para os profissionais de Informática Habilidades sociais – Preciso disto? Manipulação: estão bloqueando a minha assertividade? Bibliografia


Carregar ppt "Os Profissionais de TI no mercado atual Palestrante Ricardo Portella de Aguiar 8866-8362 Realização:"

Apresentações semelhantes


Anúncios Google