A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Uni IBMR – Instituto Brasileiro de Medicina de Reabilitação Centro Universitário Hermínio da Silveira Curso de Fisioterapia Eficácia da cinesioterapia.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Uni IBMR – Instituto Brasileiro de Medicina de Reabilitação Centro Universitário Hermínio da Silveira Curso de Fisioterapia Eficácia da cinesioterapia."— Transcrição da apresentação:

1 Uni IBMR – Instituto Brasileiro de Medicina de Reabilitação Centro Universitário Hermínio da Silveira Curso de Fisioterapia Eficácia da cinesioterapia ativa na prevenção de quedas em idosos Autor: Paulo Tasso Aquino de Castro Outubro de 2005

2 Castro, Paulo Tasso A. Uni IBMR - Centro Universitário Hermínio da Silveira Curso de Fisioterapia Eficácia da cinesioterapia ativa na prevenção de quedas em idosos Outubro/2005 MÉTODO Atualização literária (1987–2005) MATERIAL Artigos publicados, livros didáticos e rede internacional de informação JUSTIFICATIVA A queda é um dos principais fatores de injúria e morte entre os idosos. Assim, resolvi pesquisar se haveria uma forma de prevenir este problema através de técnicas de cinesioterapia ativa.

3 Castro, Paulo Tasso A. Uni IBMR - Centro Universitário Hermínio da Silveira Curso de Fisioterapia Eficácia da cinesioterapia ativa na prevenção de quedas em idosos Outubro/2005 PROBLEMA Será a cinesioterapia ativa eficaz na prevenção de quedas em idosos? OBJETIVO Verificar, através de uma atualização bibliográfica sistematizada, se, com a cinesioterapia ativa, é possível diminuir a incidência de quedas, proporcionando uma maior qualidade de vida para a terceira idade.

4 Castro, Paulo Tasso A. Uni IBMR - Centro Universitário Hermínio da Silveira Curso de Fisioterapia Eficácia da cinesioterapia ativa na prevenção de quedas em idosos Outubro/2005 A população idosa pode ser definida como aquela a partir dos 60 anos de idade, de acordo com a Organização Mundial da Saúde – OMS (1980). Nos países desenvolvidos, entretanto, admite-se 65 anos de idade, em razão da utilização desse índice há várias décadas. No Brasil, a lei nº , de 1º de outubro de 2003, (Estatuto do Idoso), em seu art. 1º, volta a definir a idade igual ou superior aos 60 anos para designar a população idosa. Idoso Definição

5 Castro, Paulo Tasso A. Uni IBMR - Centro Universitário Hermínio da Silveira Curso de Fisioterapia Eficácia da cinesioterapia ativa na prevenção de quedas em idosos Outubro/2005

6 Castro, Paulo Tasso A. Uni IBMR - Centro Universitário Hermínio da Silveira Curso de Fisioterapia Eficácia da cinesioterapia ativa na prevenção de quedas em idosos Outubro/2005 Pessoas idosas saudáveis representam um bem para suas famílias, comunidades e para a economia como um todo. (OMS, Declaração de Brasília a respeito do envelhecimento saudável, 1996). A OMS (2002) adotou o termo “envelhecimento ativo” para expressar o processo de otimização das oportunidades de saúde, participação e segurança, com o objetivo de melhorar a qualidade de vida à medida que as pessoas ficam mais velhas.

7 Castro, Paulo Tasso A. Uni IBMR - Centro Universitário Hermínio da Silveira Curso de Fisioterapia Eficácia da cinesioterapia ativa na prevenção de quedas em idosos Outubro/2005 DoençaDesuso Tempo Fragilidade humana (Spirduso, 1995) Declínio e fragilidade funcionais

8 Castro, Paulo Tasso A. Uni IBMR - Centro Universitário Hermínio da Silveira Curso de Fisioterapia Eficácia da cinesioterapia ativa na prevenção de quedas em idosos Outubro/2005 Quedas Definição “É o deslocamento não-intencional do corpo para um nível inferior à posição inicial com incapacidade de correção em tempo hábil, determinado por circunstâncias multifatoriais, comprometendo a estabilidade". (Pereira et al, 2001) “Queda é uma mudança de posição inesperada, não intencional, que faz com que o indivíduo permaneça em um nível inferior, por exemplo sobre o mobiliário ou no chão. Este evento não é conseqüência de uma paralisia súbita, ataque epilético ou força externa extrema.” (Tinetti et al, 1997)

9 Castro, Paulo Tasso A. Uni IBMR - Centro Universitário Hermínio da Silveira Curso de Fisioterapia Eficácia da cinesioterapia ativa na prevenção de quedas em idosos Outubro/2005 Controle postural e quedas Mecanismos aferentes: Sistemas visual, vestibular e proprioceptivo Mecanismo central : SNC Mecanismo eferente: Sistema músculo-esquelético (Paixão e Heckmann, 2002)

10 Castro, Paulo Tasso A. Uni IBMR - Centro Universitário Hermínio da Silveira Curso de Fisioterapia Eficácia da cinesioterapia ativa na prevenção de quedas em idosos Outubro/2005 Mais de um terço das pessoas com 65 anos ou mais caem a cada ano (Hornbrook 1994; Hausdorff 2001); 50% das pessoas com mais de 80 anos caem a cada ano (O'Loughlin et al, 1993). A queda é a causa mais comum de lesões não fatais e admissões hospitalares por trauma (Alexander 1992). Idosos são cinco vezes mais hospitalizados por lesões relacionadas a quedas do que a lesões por outras causas (Cryer, 1998). Idosos que caem uma vez têm probabilidade de duas a três vezes maior de cair de novo em um ano. (O'Loughlin et al, 1993). Fatos e estatísticas

11 Castro, Paulo Tasso A. Uni IBMR - Centro Universitário Hermínio da Silveira Curso de Fisioterapia Eficácia da cinesioterapia ativa na prevenção de quedas em idosos Outubro/2005 Uma queda sem lesão pode ainda assim ser fatal se o indivíduo for incapaz de levantar-se e não conseguir ajuda. Ficar no chão por mais de 12 horas é associado com úlceras de pressão, desidratação, hipotermia, pneumonia e morte. (Tinetti et al, 1994). Aproximadamente 50% das pessoas idosas institucionalizadas caem ao menos uma vez ao ano (Rubenstein et al, 1994); até 40% caem mais que uma vez ao ano (Salkeld et al, 2000; Thapa et al, 1995). Fatos e estatísticas

12 Castro, Paulo Tasso A. Uni IBMR - Centro Universitário Hermínio da Silveira Curso de Fisioterapia Eficácia da cinesioterapia ativa na prevenção de quedas em idosos Internações SUS por causas externas (nº e %), tempo médio de permanência – TMP – (em dias) e taxa de mortalidade hospitalar e de causa externa, Estado de SP, (Jorge et al, 2004) Outubro/2005

13 Gasto médio e custo-dia (em reais) das internações por causas externas segundo tipo de causa e tipo de saída, Estado de São Paulo, (Jorge et al, 2004)

14 Castro, Paulo Tasso A. Uni IBMR - Centro Universitário Hermínio da Silveira Curso de Fisioterapia Eficácia da cinesioterapia ativa na prevenção de quedas em idosos Outubro/2005 As quedas representam um grande custo, tanto para o setor público quanto para o privado. Em 1999, quedas custaram o equivalente a R$ milhões (€ 1414 milhões) para o Reino Unido em Serviços de Saúde e custos com Serviço Social. (Scuffham et al, 2003). Em 2000, custos médicos diretos chegaram a R$ 401 milhões (US$ 179 milhões) por quedas fatais e a R$ 42 bilhões (US$ 19 bilhões) por lesões em quedas não fatais nos E.U.A. (NCIPC - Centro Nacional para o Controle e Prevenção de Lesões, 2005). Custos

15 Castro, Paulo Tasso A. Uni IBMR - Centro Universitário Hermínio da Silveira Curso de Fisioterapia Eficácia da cinesioterapia ativa na prevenção de quedas em idosos Outubro/2005 Conseqüências apresentadas pelos idosos internados após a queda, Ribeirão Preto, ( Fabrício et al 2004)

16 Castro, Paulo Tasso A. Uni IBMR - Centro Universitário Hermínio da Silveira Curso de Fisioterapia Eficácia da cinesioterapia ativa na prevenção de quedas em idosos Outubro/2005 Fraturas

17 Percentagem de idosos, segundo nível de dificuldade para realização de atividades da vida diária, antes e após a queda, Ribeirão Preto, (Fabrício et al 2004)

18 Castro, Paulo Tasso A. Uni IBMR - Centro Universitário Hermínio da Silveira Curso de Fisioterapia Eficácia da cinesioterapia ativa na prevenção de quedas em idosos Outubro/2005 Etiologia (Manual Merck de Geriatria, 2005) O maior indício de propensão à queda é uma queda anterior. Contudo, quedas em idosos raramente têm uma única causa ou fator de risco. A queda é normalmente causada por uma interação complexa entre fatores intrínsecos (declínio de função decorrente da idade, desordens e efeitos colaterais causados por drogas), fatores extrínsecos (perigos do ambiente), e fatores circunstanciais (relacionados com determinada atividade realizada).

19 Castro, Paulo Tasso A. Uni IBMR - Centro Universitário Hermínio da Silveira Curso de Fisioterapia Eficácia da cinesioterapia ativa na prevenção de quedas em idosos Outubro/2005 Fatores intrínsecos Alterações relacionadas com o envelhecimento podem deteriorar os sistemas responsáveis pela manutenção do equilíbrio e da estabilidade. No sistema vestibular, células ciliadas labirínticas e fibras nervosas sofrem perdas, privando o cérebro de receber um input sensório vestibular ideal. (Manual Merck de Geriatria, 2005)

20 Castro, Paulo Tasso A. Uni IBMR - Centro Universitário Hermínio da Silveira Curso de Fisioterapia Eficácia da cinesioterapia ativa na prevenção de quedas em idosos Outubro/2005 Fatores intrínsecos A propriocepção nos membros inferiores é diminuída. A acuidade visual, sensibilidade à luz, percepção da profundidade e adaptação ao escuro diminuem. Alterações nos padrões de ativação muscular podem prejudicar a habilidade de manter ou recuperar o equilíbrio em resposta às suas ameaças. Desordens crônicas e agudas e o uso de drogas são os maiores fatores de risco para quedas. O risco de quedas aumenta conforme o número de drogas utilizadas. Drogas psicoativas são as mais comumente relacionadas com o aumento do risco de quedas e ferimentos. (Manual Merck de Geriatria, 2005)

21 Castro, Paulo Tasso A. Uni IBMR - Centro Universitário Hermínio da Silveira Curso de Fisioterapia Eficácia da cinesioterapia ativa na prevenção de quedas em idosos Outubro/2005 Fatores intrínsecos Desordens Regulação da pressão sangüínea (ex: anemia, arritmias) Processamento central (ex: demência e delírios) Marcha (ex: deformidades nos pés, artrite) Função neuromotora (ex: doença de Parkinson, AVE) Visão (ex: catarata, glaucoma) Propriocepção (ex: neuropatias periféricas, déficit de vitamina B12) Função vestibular (ex: labirintite aguda, perda de audição) Controle postural (ex: fraqueza muscular, hipotensão postural) (Manual Merck de Geriatria, 2005)

22 Castro, Paulo Tasso A. Uni IBMR - Centro Universitário Hermínio da Silveira Curso de Fisioterapia Eficácia da cinesioterapia ativa na prevenção de quedas em idosos Outubro/2005 Osteoporose “Mulheres com osteoporose apresentaram menores condições musculoesqueléticas em comparação com as mulheres sem osteoporose, o que pode aumentar o risco de quedas e, conseqüentemente, de fraturas. Estas observações permitem propor que mulheres com osteoporose participem de programas de exercícios físicos preventivos.” (Henriques, 2004)

23 Castro, Paulo Tasso A. Uni IBMR - Centro Universitário Hermínio da Silveira Curso de Fisioterapia Eficácia da cinesioterapia ativa na prevenção de quedas em idosos Outubro/2005 Fatores extrínsecos (Manual Merck de Geriatria, 2005) Fatores ambientais podem aumentar o risco de quedas independentemente de fatores intrínsecos ou, de uma forma ainda mais efetiva, ao interagirem com os mesmos. O risco é mais elevado quando o ambiente requer maior controle postural e mobilidade, e quando o ambiente não é familiar. Podem ser citados como exemplo: iluminação fraca, pisos escorregadios, superfícies irregulares, luzes ou janelas inacessíveis, carpetes e tapetes soltos e mudança para um novo lar.

24 Castro, Paulo Tasso A. Uni IBMR - Centro Universitário Hermínio da Silveira Curso de Fisioterapia Eficácia da cinesioterapia ativa na prevenção de quedas em idosos Outubro/2005 Fatores circunstanciais (Manual Merck de Geriatria, 2005) Certas atividades ou decisões podem aumentar o risco de quedas e de ferimentos relacionados às quedas. Podem ser citados como exemplo: andar com meias compridas ou com sapatos de salto alto, correr até o banheiro e correr para atender o telefone.

25 Castro, Paulo Tasso A. Uni IBMR - Centro Universitário Hermínio da Silveira Curso de Fisioterapia Eficácia da cinesioterapia ativa na prevenção de quedas em idosos Outubro/2005 Papel do fisioterapeuta Realizar uma avaliação gerontológica no paciente, verificando possíveis alterações posturais; Prevenir futuras quedas, treinar os pacientes para lidar com as quedas e recuperar a segurança e auto-estima do paciente; Prescrever acessórios que auxiliem a manutenção da estabilidade; Identificar os fatores de risco da queda, agindo sobre eles sempre que possível. (Johnson, 2001; Pereira et al, 2002)

26 Castro, Paulo Tasso A. Uni IBMR - Centro Universitário Hermínio da Silveira Curso de Fisioterapia Eficácia da cinesioterapia ativa na prevenção de quedas em idosos Outubro/2005 Intervenções efetivas Promovendo equilíbrio e força: Exercícios, Tai chi chuan Promovendo e mantendo uma mobilidade segura Calçados, Dispositivos deambulatórios auxiliares, Protetores de quadril Promovendo um ambiente domiciliar seguro Tipo de piso, Escadas, Iluminação, Avaliar e modificar o ambiente doméstico Intervenções médicas Revisão da medicação, Vitamina D e cálcio, Correções visuais Múltiplas intervenções (Easterbrook et al, 2001)

27 Castro, Paulo Tasso A. Uni IBMR - Centro Universitário Hermínio da Silveira Curso de Fisioterapia Eficácia da cinesioterapia ativa na prevenção de quedas em idosos Outubro/2005 Avaliação do risco de queda em idosos Timed get up & go Escala de marcha de Tinetti (P.O.M.A.) Escala de equilíbrio de Berg Teste de alcance funcional Teste de Romberg Mini mental Escore de quantificação e avaliação da marcha (G.A.R.S.) (Hageman, 2001; Perracini, 2000; Manual Merck de Geriatria, 2005 )

28 Castro, Paulo Tasso A. Uni IBMR - Centro Universitário Hermínio da Silveira Curso de Fisioterapia Eficácia da cinesioterapia ativa na prevenção de quedas em idosos Outubro/2005 Força e resistência Equilíbrio/marcha Hipotensão postural Incontinência urinária Depressão Medo de cair Capacidade funcional Cinesioterapia ativa no idoso pode modificar (Skelton and Dinan, 1999)

29 Castro, Paulo Tasso A. Uni IBMR - Centro Universitário Hermínio da Silveira Curso de Fisioterapia Eficácia da cinesioterapia ativa na prevenção de quedas em idosos Outubro/2005 Um programa de cinesioterapia ativa na prevenção de quedas Flexão/extensão do quadril

30 Castro, Paulo Tasso A. Uni IBMR - Centro Universitário Hermínio da Silveira Curso de Fisioterapia Eficácia da cinesioterapia ativa na prevenção de quedas em idosos Outubro/2005 Um programa de cinesioterapia ativa na prevenção de quedas Flexão Plantar/Dorsal

31 Castro, Paulo Tasso A. Uni IBMR - Centro Universitário Hermínio da Silveira Curso de Fisioterapia Eficácia da cinesioterapia ativa na prevenção de quedas em idosos Outubro/2005 Um programa de cinesioterapia ativa na prevenção de quedas Flexão de joelho

32 Castro, Paulo Tasso A. Uni IBMR - Centro Universitário Hermínio da Silveira Curso de Fisioterapia Eficácia da cinesioterapia ativa na prevenção de quedas em idosos Outubro/2005 Um programa de cinesioterapia ativa na prevenção de quedas Abdução de quadril

33 Castro, Paulo Tasso A. Uni IBMR - Centro Universitário Hermínio da Silveira Curso de Fisioterapia Eficácia da cinesioterapia ativa na prevenção de quedas em idosos Outubro/2005 Um programa de cinesioterapia ativa na prevenção de quedas Transferência da posição sentada para a de pé

34 Castro, Paulo Tasso A. Uni IBMR - Centro Universitário Hermínio da Silveira Curso de Fisioterapia Eficácia da cinesioterapia ativa na prevenção de quedas em idosos Outubro/2005 Um programa de cinesioterapia ativa na prevenção de quedas Apoio unipodal

35 Castro, Paulo Tasso A. Uni IBMR - Centro Universitário Hermínio da Silveira Curso de Fisioterapia Eficácia da cinesioterapia ativa na prevenção de quedas em idosos Outubro/2005 Um programa de cinesioterapia ativa na prevenção de quedas Marcha na ponta dos pés e nos calcanhares

36 Castro, Paulo Tasso A. Uni IBMR - Centro Universitário Hermínio da Silveira Curso de Fisioterapia Eficácia da cinesioterapia ativa na prevenção de quedas em idosos Outubro/2005 Um programa de cinesioterapia ativa na prevenção de quedas Marcha calcanhar-dedo

37 Castro, Paulo Tasso A. Uni IBMR - Centro Universitário Hermínio da Silveira Curso de Fisioterapia Eficácia da cinesioterapia ativa na prevenção de quedas em idosos Outubro/2005 Um programa de cinesioterapia ativa na prevenção de quedas Andar fazendo oito

38 Castro, Paulo Tasso A. Uni IBMR - Centro Universitário Hermínio da Silveira Curso de Fisioterapia Eficácia da cinesioterapia ativa na prevenção de quedas em idosos Outubro/2005 Artigos Esse estudo conclui que a intervenção fisioterapêutica favoreceu a agilidade dos participantes do grupo de exercícios, tornando-os possivelmente menos propensos a quedas. Mobilidade Funcional de Idosos Submetidos a Intervenção Fisioterapêutica. (Alfieri et al, 2004)

39  Castro, Paulo Tasso A. Uni IBMR - Centro Universitário Hermínio da Silveira Curso de Fisioterapia Eficácia da cinesioterapia ativa na prevenção de quedas em idosos Outubro/2005 Artigos Esse estudo concluiu que a cinesioterapia ativa pode aprimorar a resistência, força muscular e marcha em idosos com tendências a queda. Concluiu, ainda, que o aumento da atividade física foi associado a uma redução na incidência de quedas quando ajustada para o nível de atividade realizada. Efeitos de um programa de exercícios em grupo na força, mobilidade e quedas em idosos com tendência a queda. (Rubenstein et al, 2000)

40 Castro, Paulo Tasso A. Uni IBMR - Centro Universitário Hermínio da Silveira Curso de Fisioterapia Eficácia da cinesioterapia ativa na prevenção de quedas em idosos Outubro/2005 Artigos Esse estudo concluiu que, dentre aqueles com uma única intervenção, o grupo que realizou somente exercícios foi o que apresentou melhores resultados (redução anual de quedas estimada em 6,9%). Mas o grupo com melhores resultados foi o que se submeteu a todas as três intervenções (14%) Estudo fatorial aleatório de prevenção de quedas entre idosos morando em seus domicílios. (Day, et al.2002)

41 Castro, Paulo Tasso A. Uni IBMR - Centro Universitário Hermínio da Silveira Curso de Fisioterapia Eficácia da cinesioterapia ativa na prevenção de quedas em idosos Outubro/2005 Artigos Estudo controlado aleatório de um programa de clínica geral de exercícios domiciliares para prevenir quedas em mulheres idosas. (Campbell et al, 1997) O estudo concluiu que um programa individual, baseado em fortalecimento muscular e treinamento de equilíbrio, melhorou a capacidade física e foi efetivo na redução de quedas e lesões em mulheres com 80 anos ou mais. Prevenção de quedas por 2 anos: um estudo controlado aleatório em mulheres com 80 anos ou mais. (Campbell et al, 1999) No estudo a percentagem de quedas permaneceu significantemente menor no grupo de exercício do que no grupo de controle.

42 Castro, Paulo Tasso A. Uni IBMR - Centro Universitário Hermínio da Silveira Curso de Fisioterapia Eficácia da cinesioterapia ativa na prevenção de quedas em idosos Outubro/2005 Artigos Efetividade e avaliação econômica de um programa de exercícios para a prevenção de quedas aplicado por um enfermeiro. (McRobertson et al, 2001) Esse estudo concluiu que um programa de exercícios domiciliares, bem-sucedido anteriormente quando aplicado por um fisioterapeuta, mostrou-se também efetivo quando aplicado por um enfermeiro treinado. Lesões sérias e internações por quedas também foram reduzidas. O programa mostrou-se economicamente viável em participantes com 80 anos ou mais comparado com os participantes mais jovens.

43 Castro, Paulo Tasso A. Uni IBMR - Centro Universitário Hermínio da Silveira Curso de Fisioterapia Eficácia da cinesioterapia ativa na prevenção de quedas em idosos Outubro/2005 Discussão Foram utilizados seis artigos que analisaram a eficácia da cinesioterapia ativa na prevenção de quedas em 1804 participantes. Os resultados desses estudos foram semelhantes e, no geral,apresentaram uma redução na incidência de quedas e/ou uma melhora nos fatores de risco para quedas nos participantes submetidos a uma intervenção com cinesioterapia ativa.

44 Castro, Paulo Tasso A. Uni IBMR - Centro Universitário Hermínio da Silveira Curso de Fisioterapia Eficácia da cinesioterapia ativa na prevenção de quedas em idosos Outubro/2005 Conclusão Concluí que existem evidências literárias de que a cinesioterapia ativa pode ser eficaz na prevenção de quedas, sendo mais eficiente quando complementada por outras intervenções nesse sentido e que políticas e medidas na prevenção de quedas em idosos devem ser encorajadas e colocadas em prática.

45


Carregar ppt "Uni IBMR – Instituto Brasileiro de Medicina de Reabilitação Centro Universitário Hermínio da Silveira Curso de Fisioterapia Eficácia da cinesioterapia."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google