A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

O Fisioterapeuta na Saúde do Idoso. Profª.: Fabiana Dias.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "O Fisioterapeuta na Saúde do Idoso. Profª.: Fabiana Dias."— Transcrição da apresentação:

1 O Fisioterapeuta na Saúde do Idoso. Profª.: Fabiana Dias

2 I. INTRODUÇÃO Em 1992, foi realizada em Viena, uma conferência mundial da ONU, sobre o envelhecimento da qual participou o Brasil. Seu principal objetivo era discutir os problemas que a humanidade deveria enfrentar, em decorrência do crescimento populacional deste segmento da sociedade. Em 1992, foi realizada em Viena, uma conferência mundial da ONU, sobre o envelhecimento da qual participou o Brasil. Seu principal objetivo era discutir os problemas que a humanidade deveria enfrentar, em decorrência do crescimento populacional deste segmento da sociedade. De acordo com a Carta de Viena, os países deveriam desenvolver uma política de atendimento ao idoso nas áreas econômica, social, de saúde e legal, de forma que as pessoas pudessem usufruir, no seio da própria família e, em sua comunidade, de uma vida plena, saúdável, segura e satisfatória. De acordo com a Carta de Viena, os países deveriam desenvolver uma política de atendimento ao idoso nas áreas econômica, social, de saúde e legal, de forma que as pessoas pudessem usufruir, no seio da própria família e, em sua comunidade, de uma vida plena, saúdável, segura e satisfatória.

3 I. INTRODUÇÃO A lei de 04/01/94, regulamentada pelo decreto nº de 03/07/96, dispõe sobre a Política Nacional do Idoso (PNI), que propiciou ações que visam assegurar os direitos sociais do idoso, criando condições para promover sua autonomia, integração e participação efetiva na sociedade. A lei de 04/01/94, regulamentada pelo decreto nº de 03/07/96, dispõe sobre a Política Nacional do Idoso (PNI), que propiciou ações que visam assegurar os direitos sociais do idoso, criando condições para promover sua autonomia, integração e participação efetiva na sociedade. A PNI foi elaborada em setembro de 1998, sendo um modelo de assistência para os profissionais que atuam neste setor- Geriatria e Gerontologia. Estabeleceu-se algumas diretrizes, entre elas: A PNI foi elaborada em setembro de 1998, sendo um modelo de assistência para os profissionais que atuam neste setor- Geriatria e Gerontologia. Estabeleceu-se algumas diretrizes, entre elas:

4 I. INTRODUÇÃO PNI: PNI: Promoção do envelhecimento saudável; Promoção do envelhecimento saudável; Manutenção da capacidade funcional; Manutenção da capacidade funcional; Assistência às necessidades de saúde do idoso; Assistência às necessidades de saúde do idoso; Recuperação da capacidade funcional comprometida. Recuperação da capacidade funcional comprometida.

5 II. JUSTIFICATIVA Antes de tudo, a promoção da saúde desenvolve ações que: incrementam a saúde dos não- enfermos; mudam a forma de entender e atuar em saúde e reduzem as diferenças no estado de saúde da população (equidade). Antes de tudo, a promoção da saúde desenvolve ações que: incrementam a saúde dos não- enfermos; mudam a forma de entender e atuar em saúde e reduzem as diferenças no estado de saúde da população (equidade). Sendo a promoção da saúde obrigação de todos os profissionais da área, cabe ao fisioterapeuta elaborar, a todo momento, e em cada atividade terapêutica, ações que visem a promoção da saúde, seja no âmbito individual de atendimento, nas atividades em gurpo ou na comunidade. Sendo a promoção da saúde obrigação de todos os profissionais da área, cabe ao fisioterapeuta elaborar, a todo momento, e em cada atividade terapêutica, ações que visem a promoção da saúde, seja no âmbito individual de atendimento, nas atividades em gurpo ou na comunidade.

6 II. JUSTIFICATIVA A Fisioterapia tem sua maior justificativa manter o idoso na comunidade e na família, como um cidadão, evitando, principalmente, sua institucionalização, respeitando sua individualidades e limitações. A Fisioterapia tem sua maior justificativa manter o idoso na comunidade e na família, como um cidadão, evitando, principalmente, sua institucionalização, respeitando sua individualidades e limitações. Desta forma promovem ações que fortalecem e educam o idoso e sua família na prevenção de doenças, evitando o asilamento precoce e/ou desnecessário. Desta forma promovem ações que fortalecem e educam o idoso e sua família na prevenção de doenças, evitando o asilamento precoce e/ou desnecessário.

7 III. OBJETIVOS GERAIS Manter a independência do idoso- social/financeira; Manter a independência do idoso- social/financeira; Prevenir acidentes e traumatismos; Prevenir acidentes e traumatismos; Evitar a evolução de doenças crônicas; Evitar a evolução de doenças crônicas; Prevenir a perda de destreza- manual/mental; Prevenir a perda de destreza- manual/mental; Prevenir o isolamento físico e solidão; Prevenir o isolamento físico e solidão; Prevenir a incontinência, os problemas de saúde mental; Prevenir a incontinência, os problemas de saúde mental; Reduzir a duração das internações ou evitá-las totalmente. Reduzir a duração das internações ou evitá-las totalmente.

8 IV. OBJETIVOS EPECÍFICOS Formar a consciência social do fisioterapeuta para a saúde do idoso; Formar a consciência social do fisioterapeuta para a saúde do idoso; Informar aos fisioterapeutas os benefícios cientificamente comprovados e, significativamente estatísticos, que o acompanhamento fisioterapêutico promove no público da Terceira Idade. Informar aos fisioterapeutas os benefícios cientificamente comprovados e, significativamente estatísticos, que o acompanhamento fisioterapêutico promove no público da Terceira Idade.

9 V. METODOLOGIA A clientela deve ser composta por idosos acima de 60 anos, independentes ou semi-dependentes, portadores de problemas de ordem física e/ou psicológica, permanentes ou não. A clientela deve ser composta por idosos acima de 60 anos, independentes ou semi-dependentes, portadores de problemas de ordem física e/ou psicológica, permanentes ou não. Estes são encaminhados aos centros pelos médicos ou assistentes sociais, podem vir diretamente, ou encaminhados por vizinhos e amigos. Estes são encaminhados aos centros pelos médicos ou assistentes sociais, podem vir diretamente, ou encaminhados por vizinhos e amigos. Execução de exercícios passíveis de serem realizados pelo paciente ou um membro da família. Execução de exercícios passíveis de serem realizados pelo paciente ou um membro da família. Os atendimentos deverão ser semanais e a freqüência dependerá de cada quadro clínico. Os atendimentos deverão ser semanais e a freqüência dependerá de cada quadro clínico.

10 VI. MATERIAIS Espelho; Espelho; Bastões (cabos de vassoura trazidos e pintados pelos próprios idosos; Bastões (cabos de vassoura trazidos e pintados pelos próprios idosos; Barras de apoio; Barras de apoio; Dez colchonetes; Dez colchonetes; Duas bolas; Duas bolas; Uma maca; Uma maca; Ultra-som; Ultra-som; Aparelho de TENS/FES; Aparelho de TENS/FES; Compressas frio/quente. Compressas frio/quente.

11 VII. DESENVOLVIMENTO Os idosos serão divididos em grupos (no máximo 15 por grupo) e realizarão exercícios terapêuticos, dentro de suas capacidades e particularidades. Os idosos serão divididos em grupos (no máximo 15 por grupo) e realizarão exercícios terapêuticos, dentro de suas capacidades e particularidades. O atendimento individual, priorizará o tratamento de patologias já instaladas e crônicas, visando uma adaptação e melhoria do idoso sequelado. O atendimento individual, priorizará o tratamento de patologias já instaladas e crônicas, visando uma adaptação e melhoria do idoso sequelado. Os fisioterapeutas ministrarão palestras, que serão abertas à comunidade, abordando temas de seu interesse (escolhidos pelos idosos), tais como prevenção de patologias, saúde bucal, tratamento e cuidado de pacientes com patologias crônico-degenerativas. Os fisioterapeutas ministrarão palestras, que serão abertas à comunidade, abordando temas de seu interesse (escolhidos pelos idosos), tais como prevenção de patologias, saúde bucal, tratamento e cuidado de pacientes com patologias crônico-degenerativas.

12 VII. DESENVOLVIMENTO Orientações para uma nutrição adequada; Orientações para uma nutrição adequada; Cuidados com a pele; Cuidados com a pele; Orientações quanto ao uso de órteses e próteses; Orientações quanto ao uso de órteses e próteses; O fisioterapeuta deverá realizar a cinesioterapia ativo- livre e/ou resistida, com intuito de preservação da capacidade funcional das articulações e músculos; evitar ou aliviar as dores e retardar os feitos da perda de massa óssea. O fisioterapeuta deverá realizar a cinesioterapia ativo- livre e/ou resistida, com intuito de preservação da capacidade funcional das articulações e músculos; evitar ou aliviar as dores e retardar os feitos da perda de massa óssea. Ainda dentro da cinesioterapia, o treino de marcha, exercícios de conscientização e auto-controle postural, com o objetivo de amenizar as seqüelas causadas por AVE e demais transtornos mentais. Ainda dentro da cinesioterapia, o treino de marcha, exercícios de conscientização e auto-controle postural, com o objetivo de amenizar as seqüelas causadas por AVE e demais transtornos mentais.

13 VII. DESENVOLVIMENTO Orientação para exercícios isotônicos e caminhadas, de fundamental importância para a regulação da pressão arterial, considerada fator de comorbidade em idosos. Orientação para exercícios isotônicos e caminhadas, de fundamental importância para a regulação da pressão arterial, considerada fator de comorbidade em idosos. É de responsabilidade do profissional a orientação e acompanhamento das atividades físicas aeróbicas para os idosos diabéticos, com a finalidade de reduzir glicose e evitar complicações. É de responsabilidade do profissional a orientação e acompanhamento das atividades físicas aeróbicas para os idosos diabéticos, com a finalidade de reduzir glicose e evitar complicações.

14 VIII. CONCLUSÃO O presente trabalho pretende reduzir as dores articulares entre os idosos atendidos; manter ou elevar, as amplitudes de movimento; manter a estabilidade e equilíbrio e, principalmente, promover a independência. O presente trabalho pretende reduzir as dores articulares entre os idosos atendidos; manter ou elevar, as amplitudes de movimento; manter a estabilidade e equilíbrio e, principalmente, promover a independência. Também é objetivo deste trabalho, buscar a longevidade sem perder a qualidade de vida; encurtar o tempo de doença, aumentando o período de vida autônoma e independente; retardar o aparecimento ou diminuir a incapacidade decorrentes das doenças e; recuperar e integrar o idoso na sua família e na sua comunidade, quando este apresentar alguma incapacidade. Também é objetivo deste trabalho, buscar a longevidade sem perder a qualidade de vida; encurtar o tempo de doença, aumentando o período de vida autônoma e independente; retardar o aparecimento ou diminuir a incapacidade decorrentes das doenças e; recuperar e integrar o idoso na sua família e na sua comunidade, quando este apresentar alguma incapacidade.

15 IX. BIBLIOGRAFIA SANTOS, D. M., Fisioterapia- Atuação em um Centro-Dia Para a Terceira Idade Numa Comunidade Carente, IN: O Fisioterapeuta na Saúde da População- Atuação Transformadora, Rio de Janeiro, Ed. Fisiobrasil, SANTOS, D. M., Fisioterapia- Atuação em um Centro-Dia Para a Terceira Idade Numa Comunidade Carente, IN: O Fisioterapeuta na Saúde da População- Atuação Transformadora, Rio de Janeiro, Ed. Fisiobrasil, 2002.


Carregar ppt "O Fisioterapeuta na Saúde do Idoso. Profª.: Fabiana Dias."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google