A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

André Amorim. Representação Gráfica MÊS 0 MÊS 1 MÊS 1/2 MÊS 2 Fluxo Operacional Ciclo Econômico Rotação do Estoque Prazo Médio de Pagamento Prazo Médio.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "André Amorim. Representação Gráfica MÊS 0 MÊS 1 MÊS 1/2 MÊS 2 Fluxo Operacional Ciclo Econômico Rotação do Estoque Prazo Médio de Pagamento Prazo Médio."— Transcrição da apresentação:

1 André Amorim

2 Representação Gráfica MÊS 0 MÊS 1 MÊS 1/2 MÊS 2 Fluxo Operacional Ciclo Econômico Rotação do Estoque Prazo Médio de Pagamento Prazo Médio de Recebimento Ciclo Financeiro Compra da Mercadoria Venda da Mercadoria Pagamento do Fornecedor Recebimento de Duplicatas Necessidade de Capital de Giro

3 Capital de Giro (CG) ou Capital Circulante (C.C) O capital de giro corresponde ao ativo circulante de uma empresa. Em sentido amplo, o capital de giro representa o valor total dos recursos demandados pela empresa para financiar seu ciclo operacional, o qual engloba, conforme comentado, as necessidades circulantes identificada desde a aquisição de matérias-primas até a venda e recebimento dos produtos elaborados (Assaf Neto).

4 Capital de Giro Líquido (CGL) ou Capital Circulante Líquido (CCL). É a interpretação mais usual. Representa, de maneira geral, o valor líquido das aplicações (deduzidas das dívidas a curto prazo) processadas no ativo (capital) circulante da empresa. Segundo essa conceituação, a forma mais direta de observa-se o valor do capital de giro líquido é mediante a simples diferença entre o ativo circulante e o passivo circulante, ou seja: CGL (CCL) = Ativo Circulante – Passivo Circulante

5 Capital de Giro Líquido (CGL) ou Capital Circulante Líquido (CCL). Segundo um enfoque mais rigoroso, o capital circulante líquido representa normalmente a parcela dos recursos de longo prazo (recursos permanentes) aplicada em itens ativos de curto prazo (circulantes). Na realidade, essa interpretação acurada do capital de giro líquido é processada de “baixo para cima” no balanço, isto é, identificando-se os valores passivos de longo prazo (próprios ou de terceiros) que estão financiando o ativo circulante da empresa. Em outras palavras, o CCL representa a parcela do financiamento total de longo prazo que excede as aplicações também de longo prazo (Assaf Neto). Algebricamente, o cálculo desse valor pode ser obitido pela seguinte expressão. CGL (CCL) = (Patrimônio Líquido + Exigível a Longo Prazo) – (Ativo Permanente + Realizável a Longo Prazo)

6 Capital de Giro Líquido (CGL) ou Capital Circulante Líquido (CCL). Segue balanço por massas patrimoniais para evidenciar os conceitos: Observa-se que o valor do capital circulante líquido apresenta, para qualquer das identidades sugeridas, resultado idêntico, ou seja: CCL = R$ – R$ = R$ ,00OU CCL= (R$ R$ ) – (R$ ) R$ – R$ = R$ Ativo Circulante R$ Realizável a LP R$ Ativo Permanente R$ Passivo Circulante R$ Exigível a LP R$ Patrimônio Líquido R$

7 Capital de Giro Líquido (CGL) ou Capital Circulante Líquido (CCL). Do total de R$ aplicados no ativo circulante, R$ são oriundos de créditos de curto prazo (passivo circulante), e os R$ restantes (que representam o CCL) estão identificados nos recursos permanentes da empresa (exigível a longo prazo e patrimônio líquido) que estão financiando o giro. De forma inversa, dos R$ de fundos levantados a longo prazo, R$ estão alocados em ativos também de longo prazo (realizável a longo prazo e ativo permanente), enquanto excedentes (CCL) foram destinados a financiar o ativo circulante. Ativo Circulante R$ Realizável a LP R$ Ativo Permanente R$ Passivo Circulante R$ Exigível a LP R$ Patrimônio Líquido R$

8 Capital de Giro Próprio (CGP) Um indicador de captial de giro utilizado na prática é o denominado capital de giro próprio. É comumente obtido pela seguinte expressão de cálculo O valor assim obtido é interpretado como o volume de recursos próprios que a empresa tem aplicado em seu ativo circulante. Uma maneira mais simplificada e também bastante adotada pelo mercado é calcular o capital de giro próprio pela simples diferença entre o patrimônio liquido e o ativo perante. Patrimônio LíquidoXXX (-) Aplicações Permanentes: Ativo PermanenteXXX Realizável a Longo PrazoXXX Capital de Giro PróprioXXX

9 Capital de Giro Próprio (CGP) Segue balanço por massas patrimoniais para evidenciar os conceitos: Verifica-se no demonstrativo que o capital de giro próprio é de R$ 20 (patrimônio Líquido = R$ 80 – Ativo permanente = R$ 60), no qual encontra-se financiamento o ativo circulante e o realizável a longo prazo, juntamente com as exigibilidades da empresa (passivo e Exigível a longo prazo). Dizer-se que o patrimônio liquido de R$ 80 excede em R$ 20 as aplicações em ativo permanente, e que essa diferença (capital próprio) vai financiar outros itens ativos. Ativo Circulante R$ 100 Realizável a LP R$ 40 Ativo Permanente R$ 60 Passivo Circulante R$ 50 Exigível a LP R$ 70 Patrimônio Líquido R$ 80


Carregar ppt "André Amorim. Representação Gráfica MÊS 0 MÊS 1 MÊS 1/2 MÊS 2 Fluxo Operacional Ciclo Econômico Rotação do Estoque Prazo Médio de Pagamento Prazo Médio."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google