A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Controle de Animais Sinantrópicos em hospitais Bruno Della Maggiori – Biólogo.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Controle de Animais Sinantrópicos em hospitais Bruno Della Maggiori – Biólogo."— Transcrição da apresentação:

1 Controle de Animais Sinantrópicos em hospitais Bruno Della Maggiori – Biólogo

2 Praga Qualquer organismo que cause algum tipo de transtorno ou prejuízo ao homem ou ambiente por ele ocupado; provocando ou transmitindo doenças e depreciando matérias primas, equipamentos ou incomodando o homem na partilha de espaço.

3 Principais Pragas Ratos Baratas Formigas Moscas Mosquitos Pulgas Aranhas Cupins Pombos Traças Vespas Abelhas Morcegos

4 Insetos Conceitos Básicos. Animal invertebrado, de corpo formado por cabeça, tórax e abdome, e dotado de três pares de patas.

5 Baratas No Brasil existem 2 espécies deste insetos: -Blatella germanica -Periplaneta americana

6 Blatella germanica São baratas pequenas medindo de 12 a 16 mm de comprimento de colorido amarelado, com duas faixas longitudinais castanho escuro. Gosta de locais úmidos e temperaturas de 21º C., são encontradas em cozinhas e dispensas concentrando-se em armários, balcões, pias, e prateleiras, especialmente quando feitas de madeira. Suas preferências alimentares são: Comidas fermentadas, gorduras enfim qualquer tipo de alimento para humanos ou animais domésticos.

7 Periplaneta americana É a maior de todas as espécies, chegando a ter 3,8 cm de comprimento e de cor castanho escuro com bordas amarelo no bordo superior do pronoto. Podem viver acima de 15 meses e voar a curtas distancias, preferem locais quentes e úmidos como rede de esgotos, ralos, banheiros, caixa de gordura, cestos de roupas e cantos de porão ou em qualquer lugar onde a comida seja preparada e estocada. Sua preferências alimentares são: Matéria orgânica em decomposição, papéis, amido, doces, roupas, etc.

8 Reprodução As baratas são insetos que apresentam metamorfose gradual ou parcial (simples) em três estágios: ovo, ninfa e adulto. Fêmea produz uma cápsula protetora dos ovos (ooteca), em forma de bolsa fechada, a qual contém duas fileiras de ovos justapostas e separadas por uma membrana. O número de ovos varia com a espécie podendo variar de 4 a 50 ovos. A ooteca é colocada, pela maioria das espécies, em um lugar seguro, próximo à uma fonte de alimentos, cerca de dois dias após sua formação. Apenas a Barata alemã (B.germanica) carrega a ooteca até cerca de horas antes da eclosão dos ovos. As próprias ninfas rompem a ooteca na maioria das espécies, à exceção da Barata-de-esgoto (P.americana) onde as formas jovens são liberadas com o auxílio da mandíbula materna. PERIPLANETA AMERICANA: as fêmeas produzem muitos ovos. Cada ooteca contém, em média, 13 ovos. Vivem mais de 15 meses BLATELLA GERMANICA: produzem uma ooteca a cada 20 ou 25 dias. Cada ooteca contém de 18 a 50 ovos. Podem viver mais de um ano.

9 Formigas 10 quatrilhões de formigas no planeta Associação com o homem Especializaram- se em conviver com o homem Adaptaram-se ao comportamento humano Dependem do homem

10 FORMIGAS As formigas são um excelente exemplo de insetos que se adaptaram às cidades, ocorrendo em todo mundo com exceção dos pólos. Muitas pessoas questionam sobre este problema: parece que o número de formigas nas residências vem aumentando a cada ano. No Brasil ocorrem aproximadamente 20 a 30 espécies de formigas urbanas, distribuídas pelas cidades, sendo que pelo menos 5 espécies são conhecidas por praticamente todo o Brasil, estas são em sua maioria, pequenas e fazem seus ninhos atrás de azulejos e dentro de conduítes elétricos. Elas entram em nossas casas pelas janelas, portas, frestas e ate mesmo em vasos de flores, caixas de supermercados e aparelhos eletrônicos novos que acabamos de comprar.

11 Controle e Prevenção Acompanhar populações de pragas Instalar armadilhas ( adesivos com atrativos alimentares e/ou sexual) Correção de falhas estruturais ou procedimentos Treinamento de pessoal Aplicação de defensivos

12 Produtos utilizados no controle de Insetos Ação desalojante Ação de choque Ação residual prolongada (Piretróides) Hidrametilnone (iscas alimentares e sexuais)

13 Abelhas As abelhas são insetos sociais, vivendo em colônias organizadas em que os indivíduos se dividem em castas, possuindo funções bem definidas que são executadas visando sempre à sobrevivência e manutenção do enxame. Numa colônia, em condições normais, existe uma rainha, cerca de a operárias e de 0 a 400 zangões. A rainha tem por função a postura de ovos e a manutenção da ordem social na colméia A capacidade de postura da rainha pode ser de até a ovos por dia, em condições de abundância de alimento. Ela pode viver e reproduzir-se por até 3 anos ou mais.. Quando ocorre a morte da rainha ou quando ela deixa de produzir feromônios e de realizar posturas, em virtude de sua idade avançada, ou ainda quando o enxame está muito populoso e falta espaço na colméia, as operárias escolhem ovos recentemente depositados ou larvas de até 3 dias de idade, que se desenvolvem em células especiais para a produção de novas rainhas. Os zangões são os indivíduos machos da colônia, cuja única função é fecundar a rainha durante o vôo nupcial.

14 Abelhas Entre as abelhas Apis mellifera, a comunicação pode ser feita por meio de sons, substâncias químicas, tato, danças ou estímulos eletromagnéticos. A transferência de alimento parece ser uma das maneiras mais importantes de comunicação, uma vez que, durante as transferências, ocorrem também trocas de algumas secreções glandulares. Esse simples gesto de troca de alimento pode informar a necessidade de néctar e água, odor e sabor da fonte de alimento e as mudanças na qualidade e quantidade de néctar coletado, afetando a postura, criação da prole, secreção de cera e armazenamento do mel, entre outras atividades sistema de comunicação utilizado para informar sobre a localização da fonte de alimento, observando que as abelhas costumam realizar três tipos de dança Dança em círculo: Informa sobre fontes de alimento que estão a menos de cem metros de distância da colméia Dança do requebrado: Usada para fontes de alimento que estão a mais de cem metros de distância. Nessa dança, a abelha descreve a direção e a distância da fonte Dança da foice: Considerada uma dança de transição entre a dança em círculo e a do requebrado. É utilizada quando o alimento se encontra a até cem metros da Colméia

15 Problemas Relacionados Impacto psicológico Danos materiais às residências/hospitais Lesões de pele. Vetores de microorganismos Soluções glicosadas Denigrem a imagem da instituição

16 Roedores A característica principal dos roedores é a presença dos dentes incisivos com crescimento contínuo, daí a necessidade de roer para gastar a dentição. Dessa forma, estragam muito mais alimentos do que realmente necessitam. São animais de hábitos noturnos por ser mais seguro saírem de seus abrigos à noite, à procura de alimento. Possuem várias habilidades físicas, como nadar, subir em locais altos se houver base de apoio, saltar, equilibrar-se em fios e mergulhar, entre outras. Encontram principalmente no lixo doméstico o seu alimento. Escolhem aqueles alimentos que estão em condições de serem ingeridos, pois, por meio do seu olfato e paladar apurados separam os alimentos de sua preferência e ainda não estragados. São considerados onívoros, isto é, alimentam-se de tudo o que serve de alimento ao homem. Nas áreas urbanas encontramos três espécies de ratos: Rattus norvegicus, Rattus rattus e Mus musculus.

17 Mus musculus Popularmente chamado de camundongo, é o de menor tamanho entre as três espécies urbanas. De hábito preferencialmente intradomiciliar, costuma fazer seus ninhos dentro de armários, fogões e despensas. Tem comportamento curioso, sendo de presa fácil nas ratoeiras. É facilmente transportado em caixas de alimentos e outros materiais, possibilitando sua fácil dispersão na área urbana. Por sua característica morfológica e hábitos domiciliares, o camundongo não causa a mesma repulsa que os ratos maiores, sendo até tolerado

18 Rattus Conhecido como rato de telhado, rato de forro, rato de paiol ou rato preto, caracteriza-se por possuir grandes orelhas e cauda longa. Como o próprio nome já diz, costuma habitar locais altos como sótãos, forros e armazéns, descendo ao solo em busca do alimento e raramente escava tocas. Está presente e em dispersão na cidade de São Paulo. Possui grandes habilidades, como caminhar sobre fios elétricos e subir em galhos de árvores, além de escalar superfícies verticais, adaptando-se perfeitamente à arquitetura urbana formada por grandes edifícios e casarões assobradados muitas vezes transformados em cortiços, locais onde encontra grande facilidade para se abrigar e obter alimentos, propiciando a expansão e dispersão da espécie.

19 Rattus Novergicus Nas grandes cidades perdem parcialmente algumas características de comportamento como a neofobia (desconfiança a objetos e alimentos estranhos), pela próxima convivência com o homem e à dinâmica da cidade. Na abundância de alimentos, como os provenientes do lixo orgânico inadequadamente disposto ou tratado, a proliferação desses roedores tem se acentuado. É, portanto, a espécie de roedor mais favorecida pelo ambiente urbano degradado por ocupações clandestinas, adensamento de locais carentes de infra-estrutura básica de habitação e saneamento, sendo responsável por surtos de leptospirose, mordeduras e agravos causados por alimentos contaminados por suas fezes e urina.

20 Comprimento 18/25 cm corpo + cauda 16 cm 16/21 cm + cauda 20 cm8 a 9 cm+ cauda 12 cm HabilidadesNadar, escavar, roer Escalar, equilibrar-se, roer Escalar e roer Período ativoNoturno TerritórioGalerias, esgotos etc Predominantemente acima do solo, intra e extradomiciliar Intradomiciliar Característica biológicaRatazanaRato de telhadoCamundongo Características Principais

21 Agrupamento socialColônias Famílias CorpoRobusto troncudoEsguioDelicado CabeçaGrandeAfilada CaudaGrossa e peludaFina com poucos pelosFina sem pelos PésPlanta estreita Plantas largas formando uma espécie de ventosa Sem interdigitais PelagemGrosseira e ásperaDelicada ColoraçãoDorso castanhoDorso preto/cinzaCinza Característica biológicaRatazanaRato de telhadoCamundongo Características Principais

22 Produtos utilizados no controle de Roedores Iscas parafinadas e saches Interferem no metabolismo da vitamina K no fígado Distúrbios de coagulação

23 Procedimentos Adotados Monitoramento Relatório de ocorrência por áreas Observação visual e informações Planejamento

24 Monitoramento e Avaliação Segurança no controle de roedores.

25

26

27

28

29 Documentos de apoio.

30

31

32

33 NÃO é Controle de Pragas NÃO é sinônimo de aplicação de defensivos químicos!!

34 Somente produtos químicos não são suficientes para o sucesso no controle de pragas. Onde houver os 3 “As” : –Água; –Abrigo; –Alimento. A presença de pragas será inevitável.

35 OBSERVE ALGUNS CUIDADOS BÁSICOS: Não permitir o acúmulo de resíduos em balcões, gavetas, interior de armários etc., Ao término de lanches ou refeições, deve-se recolher os resíduos, colocando-os em sacos plásticos vedados.

36 Resíduos de café, sucos, refrigerantes são altamente atrativos para formigas e outros insetos.

37 Não permitir que restos de alimentos e bebidas permaneçam expostos em qualquer ambiente.

38 Manter uma manutenção periódica em grelhas, com instalação de telas finas. Manutenção de caixas de esgoto eliminando qualquer fresta.

39 Se todos se empenharem nestes cuidados básicos, temos certeza que os riscos de proliferação de formigas ou qualquer outro tipo de inseto será extremamente reduzido.

40

41

42

43

44

45

46

47

48

49

50

51 Fax (11) Fone (11) Fone (11) 3966 – 3240


Carregar ppt "Controle de Animais Sinantrópicos em hospitais Bruno Della Maggiori – Biólogo."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google