A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Prevalência de diabetes na terceira idade em sete países da América Latina e Caribe (ALC): Projeto SABE (Saúde, Bem-estar e Envelhecimento) Barceló, Alberto;

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Prevalência de diabetes na terceira idade em sete países da América Latina e Caribe (ALC): Projeto SABE (Saúde, Bem-estar e Envelhecimento) Barceló, Alberto;"— Transcrição da apresentação:

1 Prevalência de diabetes na terceira idade em sete países da América Latina e Caribe (ALC): Projeto SABE (Saúde, Bem-estar e Envelhecimento) Barceló, Alberto; Pelaez, Martha; Rodriguez-Wong, Laura; Meiners, Micheline. Organização Pan-Americana da Saúde / Organização Mundial da Saúde (OPAS/OMS), Washington, DC. Correspondência: Desenho e métodos do estudo: SABE foi um estudo multicêntrico sobre a saúde e o bem-estar de pessoas idosas em sete centros urbanos na América Latina e Caribe conduzido entre 1999–2000. Seu desenho baseou-se numa amostragem representativa, probabilística, multietápica e estratificada, realizada por conglomerados de população idosa não institucionalizada das sete cidades participantes - Buenos Aires (Argentina), Bridgetown (Barbados), São Paulo (Brasil), Santiago (Chile), Havana (Cuba), Cidade do México (México) e Montevidéu (Uruguai). A pesquisa incluiu participantes, obtendo uma taxa de resposta de 85% em Bridgetown, São Paulo e Cidade do México; 60% em Buenos Aires, 84% em Santiago, 95% em Havana e 66% em Montevidéu. Os dados foram ponderados para representar a população de cada cidade. O erro estândar foi ajustado para representar o desenho amostral do conglomerado. Resultados de diversos modelos de regressão logística foram aplicados às taxas de prevalência para ajuste por idade, sexo e IMC dado a variabilidade observada nesses parâmetros entre as cidades amostradas. Usou-se um modelo logístico com múltiplas variáveis para analisar a associação entre a idade, sexo, nível de escolaridade, IMC, hábito de fumar, atividade física e o diabetes diagnosticado. Conclusões: Encontrou-se uma alta prevalência de diabetes comprovado entre as pessoas da terceira idade de sete cidades da América Latina e Caribe. Um maior risco de apresentar diagnóstico de diabetes foi encontrado em Bridgetown, São Paulo, Havana e cidade do México que em Buenos Aires, Santiago e Montevidéu. Mais da metade dos participantes idosos da Cidade do México apresentaram alguma deficiência no metabolismo da glicose (diabetes diagnosticada ou alteração da glicose em jejum). Uma grande parcela destas pessoas desconheciam esta situação. Assim, considerando os resultados encontrados, espera-se que ocorra um aumento na prevalência do diabetes num futuro próximo, influenciado pelo processo de transição demográfica e pela mudança de hábitos alimentários que vem ocorrendo no continente americano. Além de obesidade e sobrepeso, o baixo nível de escolaridade e o sedentarismo foram identificados como fatores correlacionados aos casos de diabetes diagnosticado. Sugere-se a inclusão de prevenção e controle destes fatores de risco como estratégia de políticas e programas orientados à prevenção do diabetes na terceira idade. A prevalência da diabetes está aumentando em nível mundial. Estimativas da OMS prevêem que a prevalência de diabetes na América Latina e Caribe aumentará de 34 milhões em 2000 a 64 milhões em O diabetes é uma importante causa de morbi-mortalidade entre idosos, sendo responsável pelo significativo incremento da incidência das incapacidades e da mortalidade prematura. Considerando o processo de envelhecimento que está ocorrendo na maioria dos países em desenvolvimento, o diabetes logo converter-se-á em um grave problema de saúde. Em 2002 o custo estimado de diabetes na América Latina e Caribe foi de $65 bilhões de dólares. O objetivo deste estudo foi examinar a prevalência de diabetes diagnosticada ou auto- notificada em sete cidades—Buenos Aires, Argentina; São Paulo, Brasil; Santiago, Chile; Havana, Cuba; Cidade do México, México; e Montevidéu, Uruguai—que participaram no estudo SABE sobre Saúde, Bem-estar e Envelhecimento. Resumo Objetivo: Conhecer a prevalência de diabetes mellitus (DM) com diagnóstico conhecido na população idosa de sete cidades da América Latina e Caribe—Buenos Aires, Bridgetown, São Paulo, Santiago, Havana, Cidade do México, e Montevidéu—num total de participantes, assim como a prevalência de diabetes não diagnosticada na cidade do México, utilizando-se a base de dados do Projeto SABE (Saúde, Bem-estar e Envelhecimento). Desenho e metodologia da pesquisa: O Projeto SABE foi um estudo multicêntrico sobre a saúde e o bem- estar na terceira idade que desenvolveu-se em sete centros urbanos da América Latina e Caribe. A amostragem da pesquisa baseou-se num desenho representativo, probabilístico, estratificado e multietápico de acordo aos conglomerados de população de idosos não institucionalizados das sete cidades participantes. Foram aplicados questionários e feitas medições corporais (peso e porte) de maneira padronizada por entrevistadores treinados. Os dados foram ponderados para representar a população de cada cidade. Ajustou-se o erro estândar para representar a amostragem do conglomerado. Aplicaram-se resultados de vários modelos de regressão logística às taxas de prevalência para ajustar por idade, sexo e Índice de Massa Corporal (IMC), dado a variabilidade observada desses parâmetros entre as cidades amostradas. Resultados: A prevalência ajustada por idade de diabetes diagnosticada entre pessoas de 60 anos de idade e mais foi 17,0% (95%-CI 15.9–18.2), sendo a taxa de prevalência mais alta informada em Bridgetown e a mais baixa em Buenos Aires; Houve um aumento da prevalência entre os grupos de 60–64 anos y 65–69 anos e depois descendeu levemente nos outros grupos etários. A inatividade física, o IMC maior ou igual a 25 e o baixo nível de escolaridade foram indicadores independentes para o diabetes diagnosticado em cinco cidades. Participantes de Barbados, Brasil, Cuba e México tinham também um maior risco de padecer de diabetes, estatisticamente significativo. A análise da amostra da Cidade do México indicou que a prevalência de diabetes diagnosticada (21,5%) subestimava a prevalência real de diabetes (34,3%). Conclusões: Encontrou-se uma alta prevalência de DM diagnosticado entre os idosos de sete cidades incluídas no estudo. A proporção de pessoas com DM diagnosticado em uma dada população poderia estar influenciada pela disponibilidade de serviços de saúde. A prevalência de DM diagnosticado teve uma forte associação com um alto IMC, baixo nível de educação e inatividade física; estratégias para modificar estes fatores devem estar incluídas em políticas para reduzir a prevalência da diabetes na terceira idade.


Carregar ppt "Prevalência de diabetes na terceira idade em sete países da América Latina e Caribe (ALC): Projeto SABE (Saúde, Bem-estar e Envelhecimento) Barceló, Alberto;"

Apresentações semelhantes


Anúncios Google