A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Stela Cota Contribuições: Valeria Cuccia, Carolina B.Freire Centro de Desenvolvimento da Tecnologia Nuclear - CDTN/CNEN Belo Horizonte, MG, Brazil 13/agosto/2014.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Stela Cota Contribuições: Valeria Cuccia, Carolina B.Freire Centro de Desenvolvimento da Tecnologia Nuclear - CDTN/CNEN Belo Horizonte, MG, Brazil 13/agosto/2014."— Transcrição da apresentação:

1 Stela Cota Contribuições: Valeria Cuccia, Carolina B.Freire Centro de Desenvolvimento da Tecnologia Nuclear - CDTN/CNEN Belo Horizonte, MG, Brazil 13/agosto/2014 Gerência de Rejeitos Radioativos

2 IV SEN – UFRJ - 13/08/2004 Sumário Definição de rejeito radioativo (RR) Princípios da Gerência de RR (GRR) Tipos/classificação de RR Etapas da GRR (exemplo, CDTN) Segregação Armazenamento Tratamento/condicionamento Disposição final Transporte Controle/registro Gestão da qualidade

3 IV SEN – UFRJ - 13/08/2004 O que é rejeito radioativo? Rejeito = estrito controle da instalação geradora Não-rejeito = descarte sem dano Material resultante de atividades humanas que contenha radionuclídeos em quantidades acima aos níveis de dispensa (especificados na norma CNEN-NN 8.01) de acordo com sua classificação e para o qual a reutilização é imprópria ou não prevista. Norma CNEN-NN GERÊNCIA DE REJEITOS RADIOATIVOS DE BAIXO E MÉDIO NÍVEIS DE RADIAÇÃO. (Abril 2014)

4 IV SEN – UFRJ - 13/08/2004 Origem Centrais nucleares Instalações do ciclo do combustível Instituições de pesquisa Universidades Hospitais, clínicas, área médica Áreas mineral e industrial Exploração de petróleo Outros geradores

5 IV SEN – UFRJ - 13/08/2004 Tipos Líquidos aquosos Sólidos compactáveis Líquidos orgânicos Sólidos não-compactáveis Biológicos

6 IV SEN – UFRJ - 13/08/2004 Tipos Para-raios Fontes fora de uso Detectores de fumaça

7 IV SEN – UFRJ - 13/08/2004 Comercialização suspensa pela CNEN em 1989 – Não atende ao Princípio da Justificação Uso permitido até ser necessário trocá-lo (enviar para a CNEN) para-raios de Am-241 no Brasil (estimado) Tipos – Para-raios

8 IV SEN – UFRJ - 13/08/2004 Tipo 1 Tipo 2 Tipo 3 Tipo 4 Tipo 5 Tipo 6 Outros Tipos Tipos – Para-raios

9 IV SEN – UFRJ - 13/08/2004 Fonte: Endress+Hauser Tipos – Fontes industriais

10 IV SEN – UFRJ - 13/08/2004 Tipos – Fontes na medicina Teleterapia Braquiterapia Fonte: iaea.org Fonte: legacyeducators.wordpress.com Fonte: en.wikipedia.org

11 IV SEN – UFRJ - 13/08/2004 Atribuição da CNEN: recebimento, armazenamento intermediário, controle e deposição de fontes fora de uso no Brasil Maior causa de acidentes radiológicos! Exemplo: Cs-137 em Goiânia (1987) Fontes órfãs: problema de segurança potencial Fontes – Destino seguro

12 IV SEN – UFRJ - 13/08/2004 Outros tipos de RR Incrustações Fonte: oilpatchdispatch.areavoices.com NORM Combustíveis gastos Descomissionamento Fonte: ndreport.com

13 IV SEN – UFRJ - 13/08/2004 Norma CNEN NN 8.01 (Abril 2014): Níveis, natureza, meia-vida Classificação Classe 0 – Rejeitos Isentos (RI) Classe 1 – Rejeitos de Meia-Vida Muito Curta (RVMC): < 100 dias Classe 2 – Rejeitos de Baixo e Médio Níveis de Radiação (RBMN) Classe 2.1 – Rejeitos Meia-Vida Curta (RBMN VC): RBMN emissores beta/gama (T½ ≤ 30 anos); emissores alfa (T½ longa) e A ≤ 3700 kBq/kg (unidade) e ≤ 370 kBq/kg (conjunto). Classe 2.2 – Rejeitos Contendo Radionuclídeos Naturais (RBMN): extração petróleo (série U e Th). Classe 2.3 – Rejeitos Contendo Radionuclídeos Naturais (RBMN): minerais, naturais ou industrializadas (série U e Th). Classe 2.4 – Rejeitos de Meia-Vida Longa (RBMN VL): radionuclídeos T½ longa que não se enquadram em 2.2 e 2.3 Classe 3 – Rejeitos de Alto Nível de Radiação (RAN): potência térmica > 2 kW/m 3.

14 IV SEN – UFRJ - 13/08/2004 Princípios da GRR Não-geração. Redução de volume. Proteção do trabalhador, do público e do meio- ambiente. Proteção às gerações futuras.

15 IV SEN – UFRJ - 13/08/2004 n Evitar e/ou minimizar a geração n Material suspeito de contaminação: monitoração n Segregação e caracterização pelo gerador n Os rejeitos devem ser tratados/ acondicionados de forma a atender os requisitos das normas n Controle de qualidade em todas as etapas da gerência n Manutenção de inventário atualizado Princípios da GRR no CDTN

16 IV SEN – UFRJ - 13/08/2004 Gerência de rejeitos radioativos 16  Conjunto de atividades administrativas e técnicas visando garantir o destino seguro dos RRs.  Responsabilidade compartilhada.  Exige o envolvimento do setor gerador, além do setor responsável pela gerência de rejeitos.

17 IV SEN – UFRJ - 13/08/2004 Inferior aos níveis de dispensa CNEN-NN-8.01 PRÁTICA Rejeito Radioativo Rejeito Isento T 1/2 muito curta < 100 dias T 1/2 muito curta < 100 dias T 1/2 Curta e longa (com restrições) Tratamento Condicionamento Armazenamento Transporte Deposição Tratamento Condicionamento Armazenamento Transporte Deposição Estocagem para decaimento Estocagem para decaimento Eliminação por via convencional CNEN-NN-8.01 Eliminação por via convencional CNEN-NN-8.01 Gerência de rejeitos radioativos

18 IV SEN – UFRJ - 13/08/2004 Fonte: SEGREGAÇÃOCARACTERIZAÇÃO COLETA MANUSEIO TRATAMENTO CONDICIONAMENTO TRANSPORTEARMAZENAMENTO CONTROLE DEPOSIÇÃO Fonte: Gerência de rejeitos radioativos 18

19 IV SEN – UFRJ - 13/08/2004 Origem no CDTNOrigem Externa Transporte interno Transporte externo - cliente PRFFUDF T½ < 100 dias não sim Armazenamento/ decaimento Liberado do controle radiológico Depósito de rejeitos não- tratados Orgânico Tratamento químico Cimentação Lama sólido líquido Aquoso Deposição Final Efluente líquido isento Compactação Corte Imobilização Desmonte DFONTE GRR no CDTN

20 IV SEN – UFRJ - 13/08/2004 De preferência a ser executado pelo gerador Segregação Radioativo e não radioativo Estado físico Sólidos: compactáveis / não compactáveis Líquidos: inorgânico / orgânico Meia-vida: curta / longa Biológicos: putrescíveis e patogênicos Outras características perigosas: explosividade, combustibilidade, inflamabilidade, corrosividade e toxicidade química

21 IV SEN – UFRJ - 13/08/2004 Segregação Recipiente apropriado às características do rejeito. Identificação. Prevenção de contaminação.

22 IV SEN – UFRJ - 13/08/2004 Tratamento Objetivo: modificar as características originais do rejeito, visando aumentar a segurança e minimizar os custos. REJEITO RADIOATIVO FRAÇÃO DESCONTAMINA DA REJEITO RADIOATIVO CONCENTRADO Fonte: Silva, E.M.P.

23 IV SEN – UFRJ - 13/08/2004 Tratamento FÍSICO COMPACTAÇÃO – Prensa hidráulica: sólidos compactáveis (papéis, tecidos, luvas, estopa etc.). VAPORIZAÇÃO – Destilação do solvente: pequenos volumes de rejeito líquido altamente radioativos. DESMONTE – Caixas de luva ou célula-quente: para-raios, detectores de fumaça e fontes selada de radiação. QUÍMICO PRECIPITAÇÃO – Reagentes químicos: grandes quantidades de rejeito líquido com baixa concentração de radionuclídeos. FÍSICO-QUÍMICO SORÇÃO – Argilas (Bentonitas, Vermiculitas, Caulinitas): grandes quantidades de rejeito líquido com baixa a média concentração de radionuclídeos.

24 IV SEN – UFRJ - 13/08/2004 Luvas, papéis, plásticos flexíveis Compactação Plásticos rígidosCorte Tratamento

25 IV SEN – UFRJ - 13/08/2004 Tubos, conexões, peças contaminadas Imobilização em cimento Rejeitos aquosos (T 1/2 longa) Tratamento químico e cimentação Rejeitos (T 1/2 curta) Aguarda decaimento Tratamento

26 IV SEN – UFRJ - 13/08/2004 Conjunto de operações que transformam o rejeito em uma forma apropriada para manuseio, transporte, armazenamento ou deposição. O produto de rejeito deve ser acondicionado em embalagem adequada. Condicionamento SOLIDIFICAÇÃO Cimento Betume Polímero Vidro IMOBILIZAÇÃO ESTABILIZAÇÃO

27 IV SEN – UFRJ - 13/08/2004 Condicionamento Desmonte de para-raios

28 IV SEN – UFRJ - 13/08/2004 Condicionamento Imobilização de rejeitos não-compactáveis

29 IV SEN – UFRJ - 13/08/2004 Condicionamento Desmonte de blindagens e condicionamento de fontes

30 IV SEN – UFRJ - 13/08/2004 Objetivo: Confinamento de rejeitos radioativos por um período definido DEPÓSITO INICIAL - destinado ao armazenamento de RR cuja responsabilidade para administração e operação é do titular. DEPÓSITO INTERMEDIÁRIO - destinado a receber e acondicionar os RR, objetivando sua remoção para depósito final. DEPÓSITO PROVISÓRIO - recebe RR provenientes de acidentes que serão transferidos para depósitos intermediários ou final. Armazenamento

31 IV SEN – UFRJ - 13/08/2004 Armazenamento Depósito inicial no CDTN (RR não tratados)

32 IV SEN – UFRJ - 13/08/2004 Armazenamento Depósito intermediário no CDTN (RR tratados)

33 IV SEN – UFRJ - 13/08/2004 Armazenamento CLAB/SKB - Suécia (combustíveis gastos)

34 IV SEN – UFRJ - 13/08/2004 Destinado a receber os RR sem a intenção de removê-los; também designado repositório. Diferentes tipos dependendo do tipo de RR: superficial, geológico. Variados tipos e níveis de barreiras: de engenharia e naturais. Licenciamento: Demonstração de que o projeto do repositório e sistema de deposição propostos são adequados através da elaboração de uma coleção de argumentos relacionados à segurança (“safety case”), incluindo análises de segurança operacional e pós-fechamento. Deposição final

35 IV SEN – UFRJ - 13/08/2004 Deposição final RR de baixo/médio níveis : El Cabril - Espanha

36 IV SEN – UFRJ - 13/08/2004 Deposição final Futuro repositório para combustíveis queimados: Suécia

37 IV SEN – UFRJ - 13/08/2004 Repositório de Baixo e Médio Nível Acidente radiológico de Goiânia (1987) CNEN - Abadia de Goiás – GO Equipamento: Fonte de Teleterapia Fonte: Césio Forma Química: CsCl Quantidade: 93 gramas Volume de rejeitos gerados: m 3 Massa: 6000 ton

38 IV SEN – UFRJ - 13/08/2004 Transporte Interno - operação de movimentação de rejeitos radioativos e de fontes fora de uso realizada em área interna à instalação. Transporte Externo - operações e condições associadas com o movimento de material radioativo por terra, água ou ar, em local externo à instalação. Orgãos que regulamentam o transporte de MR CNEN Vigilância Sanitária ANTT ANTAQ IBAMA Transporte Normas da CNEN para operação do transporte CNEN NE 5.01 – Transporte de Material Radioativo - PR 5.01/001 – Transporte de material radioativo por motocicleta CNEN NE 5.02 – Transporte, Recebimento, Armazenamento e Manuseio de Elemento Combustível de Usinas Nucleoelétricas CNEN NE 5.03 – Transporte, Recebimento, Armazenamento e Manuseio de Itens de Usinas Nucleoelétricas CNEN NE 2.01 – Proteção física de unidades operacionais da área nuclear

39 IV SEN – UFRJ - 13/08/2004 Transporte Segurança depende basicamente do projeto da embalagem: Evitar dispersão; Evitar emissão de radiação; Evitar surgimento de reação em cadeia; e Evitar exposição à temperaturas elevadas. Fonte: LEET/CDTN

40 IV SEN – UFRJ - 13/08/2004 Etiquetas Guias Fichas Protocolos Banco de dados RECUPERAÇÃO RASTREABILIDADE CONTROLE DO INVENTÁRIO Toda instalação que manuseia material radioativo deve manter registros atualizados dos rejeitos gerados de acordo com o programa de garantia da qualidade da instalação. Registros Arquivo físico de registros

41 IV SEN – UFRJ - 13/08/2004 Registros

42 IV SEN – UFRJ - 13/08/2004 Gestão da qualidade Requisitos de um sistema de gestão da qualidade (ABNT NBR ISO 9001/2008): garantir a conformidade, consistência e melhoria constante na execução dos processos. A gerência de rejeitos é uma cadeia de ações com produtos que são transferidos a outros atores e com um horizonte temporal longo: É essencial garantir a qualidade dos processos com vista a produtos conformes e a rastreabilidade das informações/dados.

43 IV SEN – UFRJ - 13/08/2004 Documentação controlada ( políticas, MQ, procedimentos, registros) Definição de responsabilidades Auditorias internas/externas Análises críticas da direção Tratamento de não-conformidades Controle de equipamentos de monitoramento e medição Controle na aquisição Treinamento de pessoal envolvido Melhoria contínua Gestão da qualidade - Requisitos

44 IV SEN – UFRJ - 13/08/2004 Gestão da qualidade - Documentos

45 IV SEN – UFRJ - 13/08/2004 Gestão da qualidade - Registros

46 IV SEN – UFRJ - 13/08/2004 Maiores informações

47 IV SEN – UFRJ - 13/08/2004 Grata!


Carregar ppt "Stela Cota Contribuições: Valeria Cuccia, Carolina B.Freire Centro de Desenvolvimento da Tecnologia Nuclear - CDTN/CNEN Belo Horizonte, MG, Brazil 13/agosto/2014."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google