A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Tempestade de ideias  Como entendo o papel da(o) secretária(o) paroquial?  (em uma palavra...)

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Tempestade de ideias  Como entendo o papel da(o) secretária(o) paroquial?  (em uma palavra...)"— Transcrição da apresentação:

1 Tempestade de ideias  Como entendo o papel da(o) secretária(o) paroquial?  (em uma palavra...)

2 Discípulos(as) missionários(as) no serviço da secretaria pastoral Encontros de Secretários(as) da Diocese de Guaxupé Org.: Suzana Costa Coutinho

3 Evangelii Gaudium Evangelii Gaudium – A Alegria do Evangelho  Exortação Apostólica pós sinodal:  Anúncio do Evangelho ao mundo contemporâneo  Face evangelizadora da Igreja  Vaticano II e Conferência de Aparecida

4 O que é a Igreja?  Prolongar Cristo:  Sacramento (sinal vivo)  Jesus Cristo é o Reino de Deus: vida, obras, palavras  Dimensões humanas: projeto de Jesus

5 Proposta de Jesus...  O Reino de Deus (Cf. Lc 4,43)  Amor do Pai: acolhe, conduz, perdoa  Finalidade da evangelização:  Manifestar a glória do Pai (EG 267)

6 Desafios...  Acédia (tédio) pastoral (EG ):  Estagnação,  “Psicologia do túmulo”,  “Tristeza melosa”,  “Escuridão e cansaço”.

7 “ ” Não deixemos que nos roubem a alegria da evangelização! EG 83

8 Desafios...  Derrotismo, pessimismo e desencantamento:  Sem coragem, entusiasmo ou ousadia (EG 84-86)  Desertificação espiritual, esterilidade da fé:  Perseguição, indiferentismo, aversão religiosa

9 “ ” Não deixemos que nos roubem a esperança! EG 86

10 Desafios...  Mundanismo espiritual:  Fascínio por experiências ou conhecimentos misteriosos (racional e sentimental)  Confiança em si mesmo; vida cristã narcisista e autoritária, discriminante e moralista

11 Mundanismo espiritual...  Exibicionismo:  Litúrgico, doutrinal e prestígio;  Fascínio pelo poder, vida social, funcionalismo empresarial (EG 95);  Aparência sem dimensão transcendental.

12 “ ” Não deixemos que nos roubem o Evangelho! EG 97

13  Pelos pecados, erros passados, por divisões em tua Igreja, ó Senhor...  Senhor, piedade...  Quem não te aceita, quem te rejeita, pode não crer por ver cristãos que vivem mal...  Hoje se a vida é tão ferida,  deve-se à culpa e indiferença dos cristãos...

14 Conversão  Eucaristia/ comunhão:  Participação na vida de Deus e entre si;  Igreja em estado permanente de conversão (EG 25-33);  Estruturas, metodologia paroquial, das instituições, de divisão em Igrejas particulares (EG 27-30).

15 Conversão  Para ser fiel:  À sua vocação (EG 26);  Ao seu núcleo essencial e ao de sua missão (EG 35-36).

16 Conversão eclesial (EG 26)  Aprofundar a consciência de si mesma e meditar sobre o seu próprio mistério;  Comparar o seu rosto real com aquele que desejou Jesus.

17 Conversão eclesial  Deixar de lado costumes não ligados ao Evangelho (EG 43):  Para não tornar pesada a vida dos fiéis, centrar nos preceitos que Cristo deixou (EG 43).

18 Desencanto do Evangelho  Individualismo, crise de identidade e declínio do fervor:  Agentes evangelizadores influenciados pela cultura midiática;  Geram desconfiança da mensagem da Igreja e desencanto do Evangelho (EG 78-79).

19 Desencanto do Evangelho  Agentes agem como:  Se Deus não existisse;  Se os pobres não existissem;  Se aqueles que não receberam o anúncio não existissem.

20 “ ” Não nos deixemos roubar o entusiasmo missionário! EG 80

21  Tenho que gritar, tenho que arriscar, ai de mim se não o faço! Como escapar de Ti, como calar, se tua voz arde em meu peito?  Tenho que andar, tenho que lutar, ai de mim se não o faço! Como escapar de Ti, como calar, se tua voz arde em meu peito?

22 Comunidade cristã  Mística humana e cristã de viver em comunidade corre perigo (EG 87-92);  Tendência pós-moderna de reduzir os círculos de relação e a densidade histórico-encarnacional da Salvação.

23 Desafio primordial da evangelização  Urgência de apresentar ao mundo um Jesus verdadeiro:  Que se faz carne e se compromete com a história humana X ;  Forma alienante, sem carne e descomprometido do “humano” (EG 89).

24 Desafio primordial da evangelização  Redescobrir a grandeza sagrada do(a) outro(a);  Reaprender a encontrar Deus em cada ser humano;  Suportar as dificuldades da convivência;  Voltar à fraternidade.

25 “ ” Não deixemos que nos roubem a comunidade! EG 92

26 Comunidade  Sofrimento: tensões e conflitos internos  Inveja, ciúmes e brigas (EG );  Quem queremos evangelizar com esse comportamento?  Testemunho de comunhão fraterna: lei do amor (EG ).

27 “ ” Não deixemos que nos roubem o amor fraterno! EG 101

28  Somos gente da esperança, que caminha rumo ao Pai. Somos povo da aliança que já sabe aonde vai.  De mãos dadas, à caminho, porque juntos somos mais, pra cantar um novo hino de unidade, amor e paz.

29 Igreja: povo de Deus  Trindade, povo de Deus e missão:  Igreja: povo peregrino e evangelizador;  Todo o povo de Deus anuncia o evangelho;  Todos somos discípulos missionários (EG ).

30 Igreja: povo de Deus  Discípulos(as) missionários(as):  Ser fermento de Deus no meio da humanidade (EG 114);  Missão: paixão por Jesus e pelo povo;  Entrada no coração do povo (EG );

31 Igreja missionária  Missão e evangelização – fio condutor da Exortação  Estado permanente da Igreja;  Tudo o que ela faz deve estar imbuído da intenção missionária (EG ).

32 Discípulo(a) missionário(a)  Encontro com Cristo: leva imediatamente ao anúncio  Fecundidade missionária;  Alegria do evangelho  Nasce do encontro com Cristo.

33  Venha, povo de Deus, celebrar nosso encontro de fraternidade. É Jesus, nosso Mestre e Senhor, que nos chama a viver na unidade.

34 Mudanças concretas (EG 46-47)  Falar às pessoas, ao seu coração;  Superar a predominância do administrativo sobre o pastoral (EG 63);  Manter as portas abertas (da Igreja e do coração).

35 Mudanças concretas (EG 46-47)  Agentes: arte do acompanhamento e formação (EG );  Crescer numa decidida confiança no Espírito Santo (EG 280).

36 Mudanças concretas (EG 46-47)  Unidade entre vida e missão (EG 265);  Importância da oração e da intercessão (EG ).

37  1 - Um dia escutei teu chamado, divino recado batendo no coração. Deixei deste mundo as promessas e fui bem depressa no rumo da tua mão.  Tu és a razão da jornada, Tu és minha estrada meu guia, meu fim. No grito que vem do teu povo, te escuto de novo chamando por mim.  2 - Os anos passaram ligeiro, me fiz um obreiro do reino de paz e amor. Nos mares do mundo navego e às redes me entrego, tornei-me teu pescador  3 - Embora tão fraco e pequeno, caminho sereno com a força que vem de i. A cada momento que passa revivo esta graça de ser teu sinal aqui.

38 Igreja humilde e pobre, a serviço dos pobres  O verdadeiro poder é o serviço:  Cruz e São José;  Acolher, com afeto e ternura, a humanidade inteira, especialmente os mais pobres, os mais fracos, os mais pequeninos.

39 Igreja humilde e pobre, a serviço dos pobres  Simplicidade, volta ao fundamental, opção evangélica pelos pobres;  Dimensão social da evangelização (Cap. IV);  Vínculo indissolúvel entre a fé e os pobres (EG 48).

40 Pobre  Embasamento bíblico- cristológico:  Ouvir o clamor dos pobres (EG 187);  Deus que se faz pobre por nós (EG 198).

41 Pobre  Categorização:  Teológica – Jesus Cristo;  Eclesiológica – Igreja dos pobres (EG 198);

42 Solidariedade  Nova mentalidade:  Prioridade da vida de todos sobre a apropriação dos bens por parte de alguns (EG 188).

43  1. As mesmas mãos que plantaram a semente aqui estão. O mesmo pão que a mulher preparou aqui está. O vinho novo que a uva sangrou jorrará no nosso altar!  A liberdade haverá, a igualdade haverá e nesta festa onde a gente é irmão, o Deus da vida se faz comunhão!(bis)  2. Na flor do altar o sonho da paz mundial. A luz acessa é fé que palpita hoje em nós. Do livro aberto o amor se derrama total no nosso altar!  3. Bendito sejam os frutos da terra de Deus. Benditos sejam o trabalho e a nossa união. Bendito seja Jesus que conosco estará além do altar!

44 Referência  CAVACA, Osmar. Uma eclesiologia chamada Francisco: estudo da eclesiologia do papa Francisco a partir da Evangelii gaudium. In: Revista de Cultura Teológica. São Paulo: IESP/PFTNSA. Ano XXII, n. 83. Jan-jun 2014.

45 Proposta para atividades em grupos  Quais os desafios que encontramos em nossa missão?  Como superá-los à luz da Exortação Apostólica pós Sinodal “A Alegria do Evangelho”?


Carregar ppt "Tempestade de ideias  Como entendo o papel da(o) secretária(o) paroquial?  (em uma palavra...)"

Apresentações semelhantes


Anúncios Google