A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

David Anderson Bandeira da Silva Outubro, 2011 Universidade Federal do Acre Liga Acadêmica Acriana de Doação de Órgãos e Tecidos para Transplantes.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "David Anderson Bandeira da Silva Outubro, 2011 Universidade Federal do Acre Liga Acadêmica Acriana de Doação de Órgãos e Tecidos para Transplantes."— Transcrição da apresentação:

1 David Anderson Bandeira da Silva Outubro, 2011 Universidade Federal do Acre Liga Acadêmica Acriana de Doação de Órgãos e Tecidos para Transplantes

2 Hematopoiese Medular Área linfoide Linfoma

3 Medula óssea Linfoma Linfócitos B Linfócitos Pré-T Linhagem linfoide Timo Linfócitos T Tecido linfoide

4 Linfoma

5 Linfonodo Linfoma

6 Folículo linfático Linfoma

7 Quando biopsiar o linfonodo? Linfoma Tamanho Superior a 2cm Supraclavicular ou Escalênico Crescimento Progressivo Consistência Endurecida Aderidos a Planos Profundos

8 Quadro clínico Linfoma Linfadenomegalia Sintomas B – Febre – Sudorese noturna – Perda ponderal Fadiga, prurido

9 Complicações Linfoma Infiltração da medula óssea Anemia hemolítica ou trombocitopenia Compressão de estruturas por doença volumosa – Medula Espinhal – Ureteres Derrame Pleural/Pericárdico, ascite

10 Linfadenopatia Linfoma

11 Classificação Linfoma Linfomas HODGKIN Linfomas NÃO-HOGKIN

12 Diferenças clínicas Linfoma Hogkin é SISTEMÁTICO – Disseminação por contiguidade – Acometimento extranodal (raro) – Mediastino (comum) – Adultos jovens – Maior chance de cura – Distribuição centrípeta Não-Hogkin é ZONEADO – Disseminação hematogênica – Acometimento extranodal (comum) – Mediastino (2 tipos) – Média 60 anos – Menor chance de cura – Distribuição centrífuga

13 Linfoma Hodgkin Linfoma TUMORES MEDIASTINO ANTERIORES – Tireoide – Timoma – Teratoma – “Terrível” linfoma

14 Célula de Reed-Sternberg Linfoma /sizes/z/in/photostream/ Biópsia excisional

15 Célula de Reed-Sternberg Linfoma The Scream, 1893 Edvard Munch

16 Célula de Reed-Sternberg Linfoma Clone neoplásico das células B Célula RS é patognomônica de LH? – NÃO! Linfoma Não-Hogkin Mononucleose infecciosa Micose fungoide Carcinomas e Sarcomas

17 Linfoma Hogdkin Linfoma QUADRO CLÍNICO – Distribuição bimodal Mulheres anos Homens > 50 anos – Adenomegalia Cervical, Supraclavicular ou Mediastinal

18 Linfoma Hogdkin Linfoma FAIXA ETÁRIA DO LH NO CANADÁ

19 Linfoma Hogdkin Linfoma QUADRO CLÍNICO – Febre de Pel Ebstein – Dor após Ingestão Alcoólica – Infecções Deficiência da imunidade celular – Síndrome nefrótica Por lesão mínima

20 Linfoma Hogdkin Linfoma DIAGNÓSTICO – Biópsia do Linfonodo Suspeito TIPOS – Esclerose Nodular – Celularidade Mista – Predomínio “rico” Linfócitico – Depleção Linfocitária

21 Linfoma Hogdkin Linfoma ESTADIAMENTO – Depende das cadeias ganglionares afetadas: Quantidade Localização

22 Linfoma Hogdkin Linfoma ESTADIAMENTO – Exames investigativos Raio X de Tórax Tc de Tórax e Abdome PET Scan Aspirado de MO (?)

23 Linfoma Hogdkin Linfoma PET SCAN

24 Linfoma Hogdkin Linfoma PET SCAN – Exames investigativos Raio X de Tórax Tc de Tórax e Abdome PET Scan Aspirado de MO (?)

25 Linfoma Hogdkin Linfoma ESTADIAMENTO A ou B Doença Volumosa (X): Massa > 10 cm Estágio IEstágio II Estágio III Estágio IV (Ann Arbour modificado por Costwold)

26 Linfoma Hogdkin Linfoma TRATAMENTO – Precoce QT (ABVD) + Radio – Tardio QT (ABVD + MOPP) – Recidiva QT (HDC/HSCT)

27 Linfoma Não-Hodgkin Linfoma COMPARAÇÃO COM HOGKIN – Tipo de disseminação (Hematogênica) – Acometimento extranodal (Comum) – Mediastino (2 tipos) – Média de 60 anos – Menor chance de cura

28 Linfoma Não-Hodgkin Linfoma CLASSIFICAÇÃO – 26 TIPOS – Indolentes – Agressivos – Altamente agressivos (?)

29 Linfoma Não-Hodgkin Linfoma INDOLENTES – Mais Comum: B Folicular (22% casos) – Representado por centrócito e centroblasto – Idade: Mulheres anos – Curso: Insidioso – Sobrevida > 70% em 5 anos – Estadiamento: III ou IV – Tratamento: Rituximab + CHOP ou Radioterapia

30 Linfoma Não-Hodgkin Linfoma AGRESSIVOS – Mais Comum: B Difuso de Grandes Células (31% dos casos de LNH) – Representado pelos centroblatos – Idade: Homens anos – Curso: Rápido – Sobrevida > 46% em 5 anos?(significa cura) – Estadiamento: I e II em 55% dos casos – Tratamento: Rituximab + CHOP

31 Linfoma Não-Hodgkin Linfoma ALTAMENTES AGRESSIVOS – Mais Comum: Linfomas infantis (Burkitt e Linfoblástico) – Idade: Crianças – Curso: Muito Rápido – Sobrevida: 44% - Burkitt; 22% - Linfoblástico – Estadiamento: Maioria IV – Tratamento: Radioterapia + QT

32 Linfoma Não-Hodgkin Linfoma ALTAMENTES AGRESSIVOS – Síndrome da Lise Tumoral – Causada pelo excesso de: Ácido Úrico Cálcio (Ca) Fósforo (P) Potássio (K)

33 Linfoma Não-Hodgkin Linfoma ALTAMENTES AGRESSIVOS – Síndrome da Lise Tumoral – PROFILAXIA E TRATAMENTO: Hidratação Vigorosa Alopurinol + Bicarbonato de Sódio Rasburicase

34 Linfomas e AIDS Linfoma AIDS – ↑5 a 10x Linfoma Hodgkin Celularidade Mista – ↑100x Não Hogdkin Burkitt – Extranodal (SNC)

35 Linfomas e AIDS Linfoma LINFOMA DE BURKITT – Epstein Barr(95% do casos) Forma Endêmica Africana Mandíbula – HIV Forma Esporádica Abdome

36 Linfomas e AIDS Linfoma LINFOMA DE BURKITT

37 Linfomas - questões 1 – Adolescente masculino, 16 anos de idade, apresenta história de adenomegalia cervical unilateral há 6 meses de crescimento progressivo e, nos últimos 2 meses, apresenta febre diária, emagrecimento e sudorese. O diagnóstico mais provável é? a)Linfoma de Hodgkin b)Linfoma de Burkitt c)Linfoma de não Hodgkin d)Adenomegalia de parótida e)Carcinoma de tireóide

38 Linfomas - questões 2 – Homem, 22 anos de idade, previamente higido, há 2 meses apresenta adenomegalia bilateral e supraclavicular esquerda, febre diária e perda de peso. Procurou serviço médico onde foi realizado biópsia de gânglio cervical. O anatomo patológico mostrava células de reed stenberg, tmográfia sem outros acometimentos ganglionáres ou de órgão extranodáes, emograma S/A. Diagnóstico, estadiamento e tratamento são: a) Linfoma de Hodgkin-esclerose nodular; estádio IIB, QT e RT; b) Linfoma de Hodgkin predomínio linfocitário, estádio IIIA, QT; c) Linfoma não Hodgkin-zona do manto, estádio IIB, QT e RT; d) Linfoma não Hodgkin-folicular, estádio IIA, RT.

39 Linfomas - questões 3 – Homem, 30 anos, HIV positivo há 5 anos e sob terapia antiretroviral irregular, apresenta linfadenomegalia cervical e aumento de parótidas nas últimas 6 semanas. A contagem de CD4 é de 400 células/mm3. Radiograma de tórax evidencia infiltrado intersticial difuso. Considerando-se a hipótese de linfoma, qual o tipo histológico mais esperado nessa circunstância? a) Linfoma de Hodgkin; b) Linfoma de células B; c) Linfoma linfo-histiocítico; d) Linfoma de células T CD8 positivas; e) Linfoma de células T CD4 positivas.

40 Linfomas - questões 4 – Adolescente com queixa de tosse, apresentando ao exame físico linfonodomegalia cervical e esplenomegalia. Peso=50 kg, FC=80 bpm, FR=20 mpm, T=36,5ºC. Refere perda de peso de 3 Kg nos últimos 6 meses. A biópsia de linfonodo diagnosticou linfoma de Hodgkin, celularidade mista. TAC de tórax apresenta massa no mediastino. TAC de abdomen demonstra esplenomegalia. Estadiamento clínico desse caso é: a) IIIA; b) IIA; c) IIB; d) IIIB; e) IB.

41 Linfomas - questões 5 – Marcela, 22 anos, notou massa no pescoço a 2 semanas. Encontra-se em bom estado geral mas refere emagrecimento de 4 Kg nos últimos 5 meses. Estuda e trabalha mora com a família e tem um gato em casa. Ao exame físico: massa de 4 cm de diâmetro, indolor, de consistência endurecida e pouca mobilidade, abaixo do ângulo da mandíbula e anterior ao esternocleido- occipto-mastoideo. Restante ao exame físico sem anormalidades. O exame indicativo inicial é: a) Biópsia por agulha fina; b) Tomografia computadorizada; c) Laringoscopia direta e indireta; d) Biópsia excisional;

42 Linfomas - questões 6 – Mulher de 30 anos procura o médico devido a febre vespertina, sudorese noturna e adenomegalias cervicais e supraclaviculares a esquerda, indolores, bem individualizadas, de consistência aumentada que vem crescendo ao longo de 8 meses. No RX de tórax, alargamento do mediastino, o hemograma é normal. Não há organomegalias. A principal hipótese diagnóstica é: a) Leucemia mielóide aguda; b) Leucemia linfoide aguda; c) Linfoma linfoblástico de célula pré-B; d) Linfoma não Hodgkin; e) Doença de Hodgkin.

43 Linfomas - questões 7- Em relação ao linfoma MALT gástrico, assinale a alternativa correta: a)A QT é o tto de escolha; b)A RT é o tto de escolha; c)A regressão completa dos linfonodos de baixo grau, com tto antibiótico, tem sido relatada em 70 a 100% dos casos d)A associação de QT e RT é o tto de escolha; e)A gastrectomia total deve ser o tto de eleição devido ao padrão infiltrativo da doença.


Carregar ppt "David Anderson Bandeira da Silva Outubro, 2011 Universidade Federal do Acre Liga Acadêmica Acriana de Doação de Órgãos e Tecidos para Transplantes."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google