A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

HAS Tratamento Medicamentoso Curso “Doenças Crônicas nas Redes de Atenção à Saúde” Ministério da Saúde.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "HAS Tratamento Medicamentoso Curso “Doenças Crônicas nas Redes de Atenção à Saúde” Ministério da Saúde."— Transcrição da apresentação:

1 HAS Tratamento Medicamentoso Curso “Doenças Crônicas nas Redes de Atenção à Saúde” Ministério da Saúde

2 INÍCIO DO TRATAMENTO FARMACOLÓGICO As recomendações para o início do tratamento medicamentoso estão bem estabelecidas. A indicação, em linhas gerais, incluem pacientes não controlados com as mudanças de estilo de vida, com níveis pressóricos: ≥ 160 mmHg de PAS e/ ou ≥ 100 mmHg PAD, com ou sem fatores de risco, com ou sem lesão em órgão alvo; ≥ 140 mmHg PAS e/ou ≥ 90 mmHg PAD com fatores de risco ou com lesão em órgão alvo ou alto risco cardiovascular.

3 Decisão terapêutica Brasil. Ministério da Saúde. Caderno de Atenção Básica. Hipertensão Arterial Sistêmica, 2006.

4 O objetivo primordial do tratamento da hipertensão arterial é a redução da morbidade e da mortalidade cardiovasculares. Anti-hipertensivos devem não só reduzir a pressão arterial, mas também os eventos cardiovasculares fatais e não-fatais, e, se possível, a taxa de mortalidade. As evidências provenientes de estudos de desfechos clinicamente relevantes, com duração relativamente curta, de três a quatro anos, demonstram redução de morbidade e mortalidade com: Diuréticos, Beta-bloqueadores (BB), Inibidores da ECA (IECA), Bloqueadores dos Canais de Cálcio (BCC), Bloqueadores dos Receptores de Angiotensina (BRA). Tratamento medicamentoso Objetivos

5 Tratamento medicamentoso Princípios Gerais O tratamento medicamentoso deve: Ser iniciado com < doses efetivas preconizadas para cada situação clínica; Considerar associação de medicamentos para usuários hipertensos em estágio 2; Ser utilizado por um período mínimo de 4 semanas; Ser utilizado adicionalmente à instrução ao paciente sobre a doença hipertensiva; Considerar as condições socioeconômicas.

6 Tratamento medicamentoso Classes Diuréticos Inibidores adrenérgicos Ação central – agonistas alfa-2 centrais Betabloqueadores – b. beta-adrenérgicos Alfabloqueadores – b. alfa-1-adrenérgicos Alfabloqueadores e Betabloqueadores Bloqueadores dos canais de cálcio Inibidores da ECA Bloqueadores do receptor AT1 da angiotensina II Vasodilatadores diretos

7 A escolha inicial envolve estas 5 classes: diuréticos tiazídicos, BB (exceto em idosos), IECA (exceto em negros), BCC BRA Deve-se levar em consideração na escolha os fatores como idade, raça, indicações formais, contraindicações, e preferências do médico e do paciente, além do custo e disponibilidade. Tratamento medicamentoso Classes

8 Medicação de Escolha Diretriz americana e Revisão Sistemática Cochrane mantém a recomendação, dentre as 5 classes, dos diuréticos tiazídicos como droga de primeira escolha. Chobanian AV, Bakris GL, Black HR, Cushman WC, Green LA, Izzo JL, et al. The Seventh Report of the Joint National Committee on Prevention, Detection, Evaluation, and Treatment of High Blood Pressure: the JNC 7 report. JAMA May 21;289( (Print)):2560–72. Wright JM, Musini VM. First-line drugs for hypertension. Cochrane.Database.Syst.Rev. 2009;( X (Electronic)):CD Devido a consistência e força das evidências em relação à efetividade semelhante ou superior comparada às demais classes, além de apresentar poucos efeitos colaterais em doses baixas, posologia única diária e baixo custo. “Superioridade dos Tiazídicos em baixa dose – efetividade pelo menos similar, bem tolerados e muito baixo custo.” Fuchs, F.D. In: Duncan, BB et al, 2004.

9 Indicações Formais das Classes Referência Tabela 8, página 15 do VII JNC

10 Tratamento medicamentoso Algoritmo Brasil. Ministério da Saúde. Caderno de Atenção Básica. Hipertensão Arterial Sistêmica, 2006.

11 BIBLIOGRAFIA BRASIL. MINISTÉRIO DA SAÚDE. SECRETARIA DE ATENÇÃO À SAÚDE. Hipertensão arterial sistêmica. Cadernos de Atenção Básica. Brasília: MS, CHOBANIAN, A. V. et al. The Seventh Report of the Joint National Committee on Prevention, Detection, Evaluation, and Treatment of High Blood Pressure: the JNC 7 report. JAMA, v. 289, n (Print), p. 2560–2572, 21 maio Dalla MDB, Stein AT, De Castro ED. Aderência a tratamento medicamentoso [cited 2012 Nov 22]; Available from: Fahey T, Schroeder K, Ebrahim S. Interventions used to improve control of blood pressure in patients with hypertension. Cochrane.Database.Syst.Rev. 2005;( X (Electronic)):CD Fuchs, FD. Hipertensão Arterial Sistêmica. In: Duncan BB, Schmidt MI, Giugliani ERJ & cols. Medicina Ambulatorial: Condutas de atenção primária baseadas em evidências. 3ª ed. Porto Alegre (RS): ARTMED; VI Diretrizes Brasileiras de Hipertensão. Arquivos Brasileiros de Cardiologia, v. 95, p. I–III, WRIGHT, J. M.; MUSINI, V. M. First-line drugs for hypertension. Cochrane.Database.Syst.Rev., n X (Electronic), p. CD001841, 2009.


Carregar ppt "HAS Tratamento Medicamentoso Curso “Doenças Crônicas nas Redes de Atenção à Saúde” Ministério da Saúde."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google