A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Os Trabalhos/Abstracts mais Relevantes em Cirurgia de Câncer de Ovário Dr. José Carlos Sadalla ICESP-HCFMUSP.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Os Trabalhos/Abstracts mais Relevantes em Cirurgia de Câncer de Ovário Dr. José Carlos Sadalla ICESP-HCFMUSP."— Transcrição da apresentação:

1

2 Os Trabalhos/Abstracts mais Relevantes em Cirurgia de Câncer de Ovário Dr. José Carlos Sadalla ICESP-HCFMUSP

3 -Cirurgia inicial x QT neoadjuvante -Extensão da cirurgia primária -Cirurgia na recorrência do CA ovário -Papel da histerectomia no CA ovário Índice

4 Cirurgia inicial x QT neoadjuvante

5 Cochrane Database Syst Rev Chemotherapy versus surgery for initial treatment in advanced ovarian epithelial cancer.

6 Background -CA ovário epitelial geralmente está em estádio avançado. -Tratamento padrão é cirurgia primeiro (PDS) seguido de QT. -Não está claro se há vantagem no uso de QT neo antes da cirurgia. -Objetivo: avaliar se há vantagem no uso de QT neo antes da cirurgia comparando com PDS em relação à obtenção de R0.

7 Métodos -Revisão original: -Cochrane Central Register of Controlled Trials (CENTRAL, Issue 3, 2006) -MEDLINE (Silver Platter, de 1966 à 1 Set 2006) -EMBASE via Ovid (de 1980 à 1 Set 2006) -CANCERLIT (de 1966 à 1 Set 2006) -PDQ and MetaRegister (Set 2006)

8 Métodos -Para esta atualização com ensaios clínicos randomizados: -Cochrane Central Register of Controlled Trials (CENTRAL, Issue 3, 2011) -Cochrane Gynaecological Cancer Specialised Register (2011) -MEDLINE (Agosto, 2011) -EMBASE (até semana 31, 2011) -PDQ e MetaRegister (Agosto 2011)

9 Critérios de seleção -Ensaios clínicos randomizados -CA ovário epitelial estádios III/IV -2 grupos -QT neo seguido de cirurgia (IDS) -PDS seguido de QT

10 Resultados -1 ensaio clínico randomizado realizado de boa qualidade -3 outros ensaios clínicos randomizados ainda em andamento -718 mulheres com estádio III/IV randomizadas -Sem diferença em relação à sobrevida (670 mulheres; HR 0.98; 95% CI 0.82 à 1.18) -Sem diferença em relação à tempo livre de doença (670 mulheres; HR 1.01; 95% CI 0.86 to 1.17)

11 Resultados -Menor incidência de eventos cirúrgicos adversos no grupo de QT neo -Hemorragia (12 na QT neo vs 23 no PDS; RR 0.50; 95% CI 0.25 à 0.99) -TEV (nenhum na QT neo vs 8 no PDS; RR 0.06; 95% CI 0 à 0.98) -Infecção (5 na QT neo vs 25 no PDS; RR 0.19; 95% CI 0.07 à 0.50) -Qualidade de vida similar entre os dois grupos

12 Take home message -QT neo é alternativa factível à PDS, principalmente para grande volume tumoral nos estádios IIIC/IV. -QT neo deve ser considerada avaliando ressecabilidade, idade, histologia, estádio e performance status da paciente. -PDS é tto padrão nos estádios IIIA e IIIB. -Conclusões podem ser alteradas dependo dos resultados dos outros 3 estudos em andamento.

13 Extensão da cirurgia primária

14 Cochrane Database Syst Rev Optimal primary surgical treatment for advanced epithelial ovarian cancer.

15 Background -CA ovário é o 6o. CA mais comum em mulheres -PDS visa R0 -Tamanho do tumor residual após PDS é importante fator prognóstico -Conceito de citorredução ótima permanece controverso em vários serviços -GOG define citorredução ótima com tumor residual de até 1cm, sendo o ideal R0 (doença microscópica) -Apesar do tamanho do tumor residual após PDS ser importante fator prognóstico, não está claro se isto é decorrente da cirurgia ou das propriedades do tumor

16 Objetivo -Avaliar a efetividade e segurança da citorredução ótima no CA ovário avançado (III e IV). -Avaliar o impacto de vários tamanhos de tumor residual na sobrevida, indo de 0 à 2cm.

17 Métodos -Cochrane Central Register of Controlled Trials (CENTRAL) (The Cochrane Library 2010, Issue 3) -Cochrane Gynaecological Cancer Review Group Trials Register -MEDLINE e EMBASE (até Agosto/2010) -Registros de ensaios clínicos, resumos de encontros científicos, lista de referência dos estudos incluídos e opinião de experts.

18 Métodos -Estudos clínicos randomizados OU prospectivos OU estudos observacionais retrospectivos que incluíam 100 ou mais mulheres adultas com CA ovário epitelial avançado submetidas à PDS e com QT adjuvante com platina. -Incluídos apenas estudos com tumor residual de no máximo 2cm.

19 Resultados -Nenhum ensaio clínico randomizado, nem prospectivo -11 estudos retrospectivos que preencheram os critérios de inclusão -Todos mostraram importância de R0 na OS e PFS -Comparando sub-ótima (>1cm) com ótima (<1cm), a sobrevida não era tão boa quanto R0, mas mantinha diferença estatística -Comparando doença residual >2cm) com <2cm, não houve diferença estatística na OS, com diferença borderline na PFS (hazard ratio (HR) 1.65, 95% CI 0.82 à 3.31; e HR 1.27, 95% CI 1.00 à 1.61, P = 0.05 pra OS e PFS respectivamente) -Alto risco de viés devido à natureza retrospectiva dos estudos, principalmente viés de seleção.

20 Take home message -Objetivo da PDS no CA epitelial de ovário é R0. -Se R0 não for possível, tentar citorredução quase ótima (< 1 cm). -Mudar termos: -Citorredução ótima: R0 -Citorredução quase ótima: <1cm -Citorredução subótima: >1cm

21 Gynecol Oncol The impact of disease distribution on survival in patients with stage III epithelial ovarian cancer cytoreduced to microscopic residual: a Gynecologic Oncology Group study.

22 Objetivo - Avaliar o impacto na sobrevida da distribuição inicial de doença em pacientes com CA epitelial de ovário estádio III com citorredução R0.

23 Métodos -Revisão de 417 casos estádio III ovário com R0. -Todos receberam QT adjuvante com Carbo e Taxol. -Divisão pré-operatória em 3 grupos -Grupo 1: doença mínima (MD) definida por tumor pélvico e meta retroperitoneal -Grupo 2: doença peritoneal abdominal (APD) com doença limitada à pelve, retroperitôneo, abdome inferior e omento -Grupo 3: doença em abdome superior (UAD) com doença afetando diafragma, baço, fígado ou pâncreas.

24 Resultados -Maior sobrevida no grupo MD, comparada ao APD e UAD (p<0,05) -% de sobrevida em 5 anos -MD: 67% -APD: 63% -UAD: 45% -Na análise multivariada, o grupo UAD teve pior prognóstico (Sobrevida livre de doença (PFS) Hazards Ratio (HR) 1.44; P=0.008 e sobrevida global (OS) HR 1.77; P= comparando com MD+APD).

25 Take home message - Estádio III de CA ovário epitelial com doença inicial no abdome superior tem prognóstico pior, mesmo com citorredução R0.

26 Cochrane Database Syst Rev Ultra-radical (extensive) surgery versus standard surgery for the primary cytoreduction of advanced epithelial ovarian cancer.

27 Background -CA ovário é o 6o. CA mais comum em mulheres -CA ovário é a principal causa de morte dos tumores ginecológicos malignos -Diferentes opiniões em relação à cirurgia ultra-radical (extensa) como PDS

28 Objetivo -Avaliar a efetividade e morbidade da cirurgia ultra-radical (extensa) no CA ovário avançado (III e IV).

29 Métodos -Cochrane Central Register of Controlled Trials (CENTRAL) (The Cochrane Library 2010, Issue 4) -Cochrane Gynaecological Cancer Review Group Trials Register -MEDLINE e EMBASE (até Novembro/2010) -Registros de ensaios clínicos, resumos de encontros científicos, lista de referência dos estudos incluídos e opinião de experts.

30 Métodos -Estudos clínicos randomizados OU não randomizados visando comparar cirurgia ultra- radical (extensa) com cirurgia padrão no CA ovário avançado (III e IV).

31 Resultados -1 estudo não randomizado apenas mulheres com CA ovário epitelial IIIC -Análise multivariada, ajustada para fatores prognósticos, mostrou melhor sobrevida doença específica para o grupo de cirurgia ultra-radical, porém SEM significância estatística (Hazard ratio (HR) = 0.64, 95% CI: 0.40 à 1.04). -No subgrupo com carcinomatose (144 pacientes) houve melhor sobrevida doença específica para o grupo de cirurgia ultra-radical (HR = 0.64, 95% CI 0.41 à 0.98). -PFS e qualidade de vida não relatados -Estudo com alto risco de vieses

32 Take home message -Há apenas evidência de baixa qualidadepodendo sugerir que a cirurgia ultra- radical seja melhor que a padrão para pacientes com CA ovário avançado e carcinomatose. -Não está claro se há diferença na PFS, nem dados sobre qualidade de vida e morbidade após este procedimento. -Estudos melhores, com maior poder e randomizados são necessários para responder à esta questão.

33 Cirurgia na recorrência do CA ovário

34 Eur J Surg Oncol Prognostic factors for patients treated for a recurrent FIGO stage III ovarian cancer: a retrospective study of 108 cases.

35 Objetivo -Determinar OS de pacientes com 1a recidiva de CA ovário estádio III, fora de ensaios clínicos randomizados, com longo seguimento. -Identificar fatores prognósticos.

36 Métodos -108 pacientes incluídos entre Dez/1999 e Nov/ Todos pacientes tratados com platina em caso de recidiva tardia (>6 meses) ou sem platina (<6 meses). -Parâmetros analisados: idade, tipo histológico, tipo de cirurgia inicial (completa ou não), PFS, local de recidiva, resposta à 2a. QT, tipo de citorredução secundária (SCS) qdo realizada.

37 Resultados -Tempo médio de seguimento até 1a recidiva: 40 meses -Das 108 pacientes, 35 fizeram SCS. -OS média (à partir da recidiva) de 13 meses no grupo não operado ou SCS não ótima x 35 meses no SCS ótima (p = 0.006). -Análise multivariada: -Idade (jovem) -PFS -Apresentação clínica da recidiva (pelve ou LN) -Resposta à 2a. QT -SCS ótima

38 Take home message -Fatores prognósticos de recidiva no CA ovário estão direta ou indiretamente relacionados à possibilidade de SCS ótima. -Sendo assim, a possibilidade de SCS ótima deve ser considerada como alternativa neste grupo de pacientes.

39 Papel da histerectomia no CA ovário

40 Int J Gynecol Cancer Routine hysterectomy in the surgical management of ovarian cancer: a retrospective case series, physician opinion survey, and review of the literature.

41 Objetivo -Protocolos internacionais recomendam histerectomia no tratamento cirúrgico do CA ovário epitelial -Há limitada evidência para esta recomendação. -Análise de casos operados de câncer de ovário com histerectomia.

42 Resultados -Maioria das mulheres submetidas à histerectomia não tinham envolvimento macroscópico uterino do CA ovário. -Quase metade tinha doença macroscópica residual ao término da citorredução. -Incidência de tumor sincrônico primário de endométrio foi de 5%, com sensibilidade do USG pré-operatório de 82%. -Pesquisa com ASGO (Sociedade Australiana de Ginecologia Oncológica) – maioria acredita que histerectomia deva ser realizada, mesmo com a falta de evidência na literatura.

43 Take home message -Histerectomia deve ser realizada no tratamento cirúrgico do CA ovário, mesmo com poucas evidências na literatura.

44 Obrigado


Carregar ppt "Os Trabalhos/Abstracts mais Relevantes em Cirurgia de Câncer de Ovário Dr. José Carlos Sadalla ICESP-HCFMUSP."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google