A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

EESC - FEG/UNESP - 2011 ENGENHARIA ECONÔMICA E SISTEMA DE CUSTOS FEG – UNESP Marly Mizue Kaibara de Almeida 2011.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "EESC - FEG/UNESP - 2011 ENGENHARIA ECONÔMICA E SISTEMA DE CUSTOS FEG – UNESP Marly Mizue Kaibara de Almeida 2011."— Transcrição da apresentação:

1 EESC - FEG/UNESP - 2011 ENGENHARIA ECONÔMICA E SISTEMA DE CUSTOS FEG – UNESP Marly Mizue Kaibara de Almeida 2011

2 EESC - FEG/UNESP - 2011 Análise de custo-volume-lucro

3 EESC - FEG/UNESP - 2011 A margem de contribuição unitária é o preço de venda do produto menos seus custos variáveis. mc = p – cv Representa a parcela do preço que está disponível para a cobertura dos custos fixos e para a geração do lucro. Margem de contribuição

4 EESC - FEG/UNESP - 2011 cv 6,0010,00 mc4,0010,00 Exemplo Qual é o melhor produto? Produto AProduto B p10,0020,00 (%)40 %50 %

5 EESC - FEG/UNESP - 2011 Exemplo Utilização diferenciada da estrutura de produção. Produto AProduto B p10,0020,00 cv 6,0010,00 mc4,0010,00 (%)40 %50 % produção/hora3 un.1 un. mc / h12,0010,00

6 EESC - FEG/UNESP - 2011 C C B BA A P1P1 P2 Exemplo p = $750 / un v = $300 / un p = $600 / un v = $300 / un 10 min/un 25 min/un30 min/un 50 min/un 5 min/un Qual é o melhor produto? mc 1 = 750 - 300 = $ 450 / unidade mc 2 = 600 - 300 = $ 300 / unidade

7 EESC - FEG/UNESP - 2011 Exemplo  Restrição do sistema: Operação B Produto P1 Produto P2 p750,00600,00 cv300,00 mc450,00300,00 (%)60 % 50 % tempo gargalo 50 min30 min mc / min9,0010,00

8 EESC - FEG/UNESP - 2011 O ponto de equilíbrio é o nível de produção onde o lucro é nulo. Ponto de equilíbrio

9 EESC - FEG/UNESP - 2011 Q o = ponto de equilíbrio (unidades físicas) mc = margem de contribuição unitária CF = custos fixos Ponto de equilíbrio Q o = CF mc

10 EESC - FEG/UNESP - 2011 Ponto de equilíbrio RECEITA = p.Q QUANTIDADE $ CF CUSTOS = CF + v.Q Qo Ro

11 EESC - FEG/UNESP - 2011 Ponto de equilíbrio Aumento nos custos fixos RECEITA = p.Q QUANTIDADE $ CUSTOS = CF + v.Q Qo Ro CUSTOS' = CF' + v.Q Qo' Ro'

12 EESC - FEG/UNESP - 2011 Ponto de equilíbrio Aumento no preço QUANTIDADE $ CUSTOS = CF + v.Q RECEITA = p.Q Qo Ro RECEITA' = p'.Q Qo' Ro'

13 EESC - FEG/UNESP - 2011 Ponto de equilíbrio Aumento nos custos variáveis RECEITA = p.Q QUANTIDADE $ Qo Ro CUSTOS = CF + v.Q CUSTOS' = CF + v'.Q Qo' Ro'

14 EESC - FEG/UNESP - 2011 Exemplo Empresa A Empresa B p10,0020,00 cv 6,0016,00 CF300.000 mc4,00 (%)40 %20 % Q o 75.000

15 EESC - FEG/UNESP - 2011 Exemplo QUANTIDADE $ 75.000 Custos A Receita A Receita B Custos B 750.000 1.500.000

16 EESC - FEG/UNESP - 2011 Exemplo Empresa AEmpresa M p10,00 cv 2,00 6,00 CF70.00030.000 mc8,004,00 (%)80 %40 % Q o 8.7507.500

17 EESC - FEG/UNESP - 2011 Exemplo

18 EESC - FEG/UNESP - 2011 Ponto de equilíbrio contábil, financeiro e econômico A diferença fundamental entre os três são os custos fixos considerados.

19 EESC - FEG/UNESP - 2011 Pto Equil. contábil, financ. e eco econôm. A diferença fundamental entre os três são os custos fixos considerados.  Contábil: Custos contábeis.  Econômico: São adicionados os custos de oportunidades e outros de gênero.  Financeiro: Consideram-se apenas os custos não desembolsados.

20 EESC - FEG/UNESP - 2011 Exemplo preço de venda: $ 8 / unidade custos variáveis = $ 6 / unidade custos fixos = $ 14.000 / ano depreciação = $ 4.000 / ano patrimônio líquido = $ 50.000 taxa mínima de atratividade = 10% ao ano mc = 8 - 6 = $ 2,00 / unidade

21 EESC - FEG/UNESP - 2011 Ponto de equilíbrio (Contábil) Q c = = 7.000 un. / ano 14.000 2

22 EESC - FEG/UNESP - 2011 Ponto de equilíbrio (Econô- mico) Q e = = 9.500 un/ano 14.000 + 5.000 2

23 EESC - FEG/UNESP - 2011 Ponto de equilíbrio ( Financeiro) Q f = = 5.000 un/ano 14000 - 4000 2

24 EESC - FEG/UNESP - 2011 O ponto de fechamento é o nível de produção abaixo do qual é vantajoso para a empresa o encerramento temporário de suas atividades. Ponto de fechamento

25 EESC - FEG/UNESP - 2011 Q f = ponto de fechamento (unidades físicas) mc = margem de contribuição unitária CF elim = custos fixos elimináveis Ponto de fechamento Q f = CF elim mc

26 EESC - FEG/UNESP - 2011 Exemplo mc = $ 2 / unidade custos fixos = $ 14.000 / ano – CF elimináveis = $ 6.000 / ano – CF não elimináveis = $ 8.000 / ano Q f = = 3.000 un. / ano 6.000 2 Q c = = 7.000 un. / ano 14.000 2

27 EESC - FEG/UNESP - 2011 Empresas multiprodutoras Cada produto deve cobrir seus custos diretos e a margem de contribuição que sobra propicia a cobertura dos custos indiretos fixos e a geração do lucro.

28 EESC - FEG/UNESP - 2011 Exemplo  Analisar a rentabilidade dos produtos. receita10004000 100010000 (%)10%40% 10%100% CV700280036009008000 MC30012004001002000 ProdutoABCDTotal (%)30 % 10 % 20 %

29 EESC - FEG/UNESP - 2011 Exemplo Partic. Vendas Rentabilidade 25% 20% DA B I II IIIIV C

30 EESC - FEG/UNESP - 2011 Empresas multiprodutoras Partic. Vendas Rentabilidade III IIIIV Aumentar margem de contribuição. Aumentar vendas.

31 EESC - FEG/UNESP - 2011 Custo padrão Custos para controle

32 EESC - FEG/UNESP - 2011 Controle No que consiste o controle?  Fixar um referencial.  Conhecer a realidade.  Compará-la com o padrão, obtendo rapidamente os desvios.  Determinar prontamente as causas.  Rápida ação corretiva.

33 EESC - FEG/UNESP - 2011 Custo Padrão O método do custo padrão vai:  Fixar um custo padrão.  Determinar o custo real.  Levantar a variação (desvio).  Analisar a variação, auxiliando na procura pelas causas.

34 EESC - FEG/UNESP - 2011 Padrão de Matéria-Prima MP p = pc p. Q p Quantidade Preço QpQp pc p

35 EESC - FEG/UNESP - 2011 Custos Reais de MP MP r = pc r. Q r Preço Quantidade pc r QrQr

36 EESC - FEG/UNESP - 2011 Variação de Matéria-Prima V MP = MP p - MP r Preço Quantidade pc r QrQr pc p QpQp

37 EESC - FEG/UNESP - 2011 Variação de Preço pc r QrQr Preço Quantidade pc p QpQp MP preço = Q p. (pc p - pc r )

38 EESC - FEG/UNESP - 2011 Variação de Quantidade pc r QrQr Preço Quantidade pc p QpQp MP quant = pc p. (Q p - Q r )

39 EESC - FEG/UNESP - 2011 Variações pc r QrQr Preço Quantidade pc p QpQp MPpreço MPquant ?

40 EESC - FEG/UNESP - 2011 Variação Mista pc r QrQr Preço Quantidade pc p QpQp MP mista = (Q p - Q r ). (pc r - pc p )

41 EESC - FEG/UNESP - 2011 MP preço pc r QrQr Preço Quantidade pc p QpQp MP quant Variações de Matéria-Prima

42 EESC - FEG/UNESP - 2011 Método dos Centros de Custos, das Seções Homogêneas ou RKW

43 EESC - FEG/UNESP - 2011 Característica Principal  Trabalha com custos indiretos, não apropiado para os custos diretos.  Organização dividida em centros de custos, aos quais os custos são alocados através de bases de distribuição.  Dos centros, os custos são repassados aos produtos.

44 EESC - FEG/UNESP - 2011 Exemplo Empresa Custos = $ 1.000,00 ABC Distribuição $ 500,00$ 300,00$ 200,00

45 EESC - FEG/UNESP - 2011 ABC $ 500,00$ 300,00$ 200,00 Produto P1Produto P2 Exemplo Distribuição $140 $60 $180 $120 $400 $100 $ 340,00$ 660,00

46 EESC - FEG/UNESP - 2011 Formação dos Centros de Custos  Centros determinados por motivos de organização, localização, responsabilidade e homogeneidade.  De acordo com o relacionamento com os produtos, os centros de custos podem ser classificados em Diretos e Indiretos.

47 EESC - FEG/UNESP - 2011 Homogeneidade  Um centro é homogêneo se o trabalho realizado nele independe do produto que o utiliza.  Quanto mais homogêneos forem os centros (seções), melhor será a qualidade da distribuição dos custos.

48 EESC - FEG/UNESP - 2011 Exemplos de Seções Produtivas  Seção composta por tornos similares.  Seção de tornos de capacidades variadas.  Teares do mesmo tipo, largura e velocidade.  Teares de diferentes larguras, tipos e velocidades.  Seção de prensas de mesmo tipo e tamanho.  Prensas de várias capacidades. Seções homogêneas e não homogêneas

49 EESC - FEG/UNESP - 2011 Exemplo Empresa Custos = $ 1.000,00 ABC $ 500,00$ 300,00$ 200,00 Distribuição

50 EESC - FEG/UNESP - 2011 Exemplo $140 $180 $120 $400 $100 Produto P1 $ 340,00 Produto P2 $ 660,00 $60 Distribuição ABC $ 500,00$ 300,00$ 200,00

51 EESC - FEG/UNESP - 2011 Centros de Custos  Centros diretos: envolvem-se com os produtos. Há como encontrar “boas” bases de distribuição.  Centros indiretos: não se envolvem com os produtos. Prestam apoio a outros centros. Seus custos não podem ser diretamente distribuídos aos produtos, mas sim a outros centros.

52 EESC - FEG/UNESP - 2011 Exemplo Empresa Custos = $ 1.000,00 Distribuição primária ABC $ 500,00$ 300,00$ 200,00

53 EESC - FEG/UNESP - 2011 Exemplo ABC $ 500,00$ 300,00$ 200,00 Produto P1Produto P2 Distr. secundária 50 150

54 EESC - FEG/UNESP - 2011 ABC $ 650,00$ 350,00 Produto P1Produto P2 Exemplo Distribuição $210 $140 $520 $130 $ 340,00$ 660,00

55 EESC - FEG/UNESP - 2011 RKW - Etapas  Separar os custos em itens.  Dividir a empresa em centros de custos.  Identificar os custos com os centros (distribuição primária).  Redistribuir os custos dos centros indiretos aos diretos (distribuição secundária).  Identificar os custos dos centros diretos com os produtos (distribuição final).

56 EESC - FEG/UNESP - 2011 Distribuição Primária  As bases de distribuição primárias devem refletir a efetiva utilização dos recursos pelos centros.

57 EESC - FEG/UNESP - 2011 Bases de Distribuição Primárias - Exemplos

58 EESC - FEG/UNESP - 2011 Distribuição Secundária  As bases de distribuição secundárias devem refletir a efetiva utilização dos serviços dos centros indiretos pelos centros diretos.

59 EESC - FEG/UNESP - 2011 Bases de Distribuição Secundárias - Exemplos

60 EESC - FEG/UNESP - 2011 Matriz de Custos Distrib. secundária Itens de custos Bases de rateio Valor Centros comuns Centros auxilia- res Centros de vendas Totais Distrib. primária Centros produ- tivos

61 EESC - FEG/UNESP - 2011 Distribuição Final  A atividade de cada seção produtiva é medida por uma unidade de trabalho e, assim, os custos da seção podem ser acompanhados e alocados aos produtos.

62 EESC - FEG/UNESP - 2011 Unidades de Trabalho - Exemplos

63 EESC - FEG/UNESP - 2011 Homogeneidade  Se uma seção é homogênea, os custos unitários dos elementos que constituem a seção são aproximadamente iguais ao custo unitário médio da seção. Então, a distribuição dos custos torna-se mais correta.

64 EESC - FEG/UNESP - 2011 Exemplo de Seções Homogênea $ 5 / h Torno universal Torno universal Torno universal Média = $ 5 / h Não Homogênea $ 5 / h $ 7 / h $ 12 / h Torno universal Torno automático Torno revólver Média = $ 8 / h

65 EESC - FEG/UNESP - 2011 Exemplo Ilustrativo  1 centro comum: administração geral  1 centro auxiliar: manutenção  2 centros produtivos: usinagem e montagem  4 itens de custos: salários, depreciação, energia elétrica e materiais de consumo.  2 produtos: P1 e P2 (200 un. P1 e 100 un. P2)

66 EESC - FEG/UNESP - 2011 Rateio Primário Item de custo Salários En. elétr. Deprec. Mat. cons. Valor ($) 5.000,00 500,00 1.000,00 2.000,00 Base de rateio direto potência valor requis. Bases de rateioAdmin. geral Manut.Usin.Mont. potência instal. (HP) valor dos equip. ($) mater. requisit. ($) 5 800 200 10 7.200 450 30 8.000 500 5 0 850 Admin. geral Manu- tenção Usina- gem Mon- tagem 2.500,00500,001.500,00500,00 50,00100,0050,00300,00 -50,00450,00500,00 850,00200,00450,00500,00 1.400,002.800,001.500,002.800,00

67 EESC - FEG/UNESP - 2011 Rateio Secundário Base de rateio Admin. geral Manu- tenção Usina- gem Mon- tagem Item de custo Salários En. elétr. Deprec. Mat. cons. direto2.500,00500,001.500,00500,00 50,00 potência50,00100,00300,00 -valor50,00450,00500,00 850,00 Valor ($) 5.000,00 500,00 1.000,00 2.000,00requis.200,00450,00500,00 1.400,002.800,001.500,002.800,00 número de empregados Bases de rateioManu- tenção Usina- gem Mon- tagem tempo de manut. (h) número de empr. - 5 108 15 12 30 1.680,00280,00840,00 3.080,001.780,003.640,00 tempo de manutenção 178,001.602,00 3.258,005.242,00

68 EESC - FEG/UNESP - 2011 Unidades de Trabalho Pro- duto P1 P2 UsinagemMontagem tempo 0,9h 0,1h tempo 0,1h 1,4h UT 20h 140h UT 180h 10h Qtde 200un 100un Qtde 200un 100un 190 h 160 h A unidade de trabalho é o tempo em ambos os centros

69 EESC - FEG/UNESP - 2011 Custos dos Produtos Custo unitário (usinagem) = $ 5.242,00 / 190 h = $27,59/h Custo unitário (montagem) = $ 3.258,00 / 160 h = $20,36/h Pro- duto P1 P2 UsinagemMontagem tempo 0,9h 0,1h tempo 0,1h 1,4h $/h 27,59 custo 24,83 2,76 $/h 20,36 custo 2,04 28,51 Custo unitário 26,87 31,27

70 EESC - FEG/UNESP - 2011 CUSTEIO BASEADO EM ATIVIDADES ACTIVITY-BASED COSTING (ABC)

71 EESC - FEG/UNESP - 2011 Histórico  O ABC já era conhecido no início do século XX, segundo alguns autores.  Conhecido e usado na década de 60.  Divulgação extensiva nos anos 80 (Robert Kaplan e Robin Cooper).

72 EESC - FEG/UNESP - 2011 Métodos Tradicionais  Os métodos “tradicionais” normalmente usam bases de rateio relacionadas com o volume de produção, como MOD e horas-máquina.  Muitos itens de custos importantes variam não de acordo com o volume de produção, mas sim com a complexidade do sistema produtivo.

73 EESC - FEG/UNESP - 2011 Custos da Complexidade Fábrica AFábrica B  Qual fábrica tem maiores custos de movimentação, PCP, preparação de máquinas, controle de materiais, estoques, etc?  Por quê?

74 EESC - FEG/UNESP - 2011 Lógica de Funcionamento  Atividades consomem recursos, gerando custos, e produtos utilizam as atividades, absorvendo seus custos. Produtos Atividades usam consomem Recursos

75 EESC - FEG/UNESP - 2011  Custos alo- cados às atividades e, após, aos produtos. Modelo do ABC CustosAtividadesProdutos Custeio do Processo Custeio dos Produtos

76 EESC - FEG/UNESP - 2011 ABC - Etapas ¬Mapeamento das atividades. ­Alocação dos custos às atividades. ®Redistribuição dos custos das atividades indiretas às diretas. ¯Cálculo dos custos dos produtos.

77 EESC - FEG/UNESP - 2011 Mapeamento das Atividades  Atividade é mais detalhada do que centro de custos.  Visão horizontal (processos).  Detalhamento depende dos objetivos.

78 EESC - FEG/UNESP - 2011 Processo Macro atividade 1 Macro atividade 2 Macro atividade 3 Macro atividade 1 Atividade 1.1 Atividade 1.2 Atividade 1.3 Micro atividade 1.2.1 Micro atividade 1.2.2 Atividade 1.2 1.2.2.11.2.2.2

79 EESC - FEG/UNESP - 2011 Processos x Departamentos

80 EESC - FEG/UNESP - 2011 Alocação dos Custos às Atividades  Cálculo mais trabalhoso do que no RKW.  Muitos custos são diretos em relação aos centros de custos, mas indiretos em relação às atividades.  Rastreamento.

81 EESC - FEG/UNESP - 2011 Exemplo - Função Comercial Dedicação dos funcionários às atividades. Atividades: - Vendas de produtos.- Atendimento a clientes. - Vendas de sistemas.- Reparos de produtos. - Vendas por representantes.- Cursos para clientes. Fun-AtividadesSA- cio-VendasSuporteSomaLA- nárioProdutosSistemasRepres.Atend.ReparosCursosRIO Ana40555---100500João4030 ---100400José---701020100200Maria---40 20100 Total: 1200

82 EESC - FEG/UNESP - 2011 Exemplo - Função Comercial Alocação dos itens de custos às atividades. ItemAtividades de VendasSuporteTOTAL CustoProdutosSistemasRepres.Atend.ReparosCursos Salários36039514518060 1200,00Serv. Terc.-----200200,00 Comunic.20 120,00 Viagens25 --100,00Mat. Cons.10 2070,00Diversos55555530,00TOTAL420455205240953051720,00Percentual24%26%12%14%6%18%100 %

83 EESC - FEG/UNESP - 2011 Redistribuição Secundária CUSTOSCUSTOS A1 A2 A3 An...... P1 P2 Pk...... Sistema de dois estágios

84 EESC - FEG/UNESP - 2011 Redistribuição Secundária Sistema de múltiplos estágios CUSTOSCUSTOS AI1 AI2 AI3 AIn...... P1 P2 Pk...... AD1 ADi......

85 EESC - FEG/UNESP - 2011 Custeio dos Produtos  Os custos das atividades são alocados aos produtos através de direcionadores de custos (Cost Drivers).

86 EESC - FEG/UNESP - 2011 Direcionadores de Custos  Principais causas dos custos das atividades.  Representam as bases de geração de custos pelas atividades.  Conceito análogo às unidades de trabalho do método RKW.

87 EESC - FEG/UNESP - 2011 Direcionadores de Custos - Exemplos

88 EESC - FEG/UNESP - 2011 Exemplo - Vendas por representantes  Custo = $ 205  Número de pedidos = 8  Custo unitário = 205 / 8 = $ 25,625 / pedido P1 P2 P3 Produto 1 2 5 Pedidos 6,41 25,63 12,81 Custo unitárioCusto 25,62 51,25 128,13 Quantidade 4 2 10

89 EESC - FEG/UNESP - 2011 Exercício Alocar os custos das atividades aos produtos.

90 EESC - FEG/UNESP - 2011 Comentários  Melhor análise dos custos indiretos.  Modelo de apoio a decisões de longo prazo.  Melhor análise das despesas de estrutura (serviços).

91 EESC - FEG/UNESP - 2011 Comentários  Mecânica semelhante à do RKW.  Diferenças fundamentais na ótica do princípio.  Normalmente, associado ao custeio ideal (eliminação de desperdícios).  Visão horizontal.

92 EESC - FEG/UNESP - 2011 Análise do Processo  Análise detalhada das atividades.  Separação de atividades agregadoras ou não de valor.

93 EESC - FEG/UNESP - 2011 Atividade Vendas por Representantes Alocação dos itens de custos às micro-atividades.

94 EESC - FEG/UNESP - 2011 Análise dos Processos  Vendas / Suporte 1. Vendas de produtosAV 2. Vendas de sistemasAV 3. Vendas por representantesAV 4. Atendimento a clientesNAV 5. Reparos de produtos defeituososNAV 6. Cursos a clientesAV

95 EESC - FEG/UNESP - 2011 Análise da Atividade  Vendas por Representantes 1. Cadastro de representantesNAV 2. Acompanhamento de representantesNAV 3. Atendimento aos representantesNAV 4. Recebimento de pedidosAV 5. Arquivamento de pedidosNAV 6. ViagensNAV 7. Burocracia internaNAV 8. Atividades de promoçãoNAV

96 EESC - FEG/UNESP - 2011 ABM  Gerenciamento por atividades (Activity-Based Management).  Gestão da empresa focalizada nas atividades.

97 EESC - FEG/UNESP - 2011 ABM Gerenciamento das atividades - planejamento - medidas de desempenho - ações corretivas ABC Custeio por atividades ABC e ABM

98 EESC - FEG/UNESP - 2011 Exemplo Ilustrativo  1 departamento produtivo  2 Matérias-primas (M1, M2)  3 produtos (P1, P2, P3) M1 M2 P1 P2 P3

99 EESC - FEG/UNESP - 2011 Exemplo Ilustrativo - Dados P1P2P3TOTAL Produção (unid.)10.000200 10.400 MP ($/un)10,00 104.000,00 Horas MOD (h/un)0,6 6.240MOD ($/un)6,00 62.400,00Horas-máquina0,5 5.200CIF ($)223.400,00

100 EESC - FEG/UNESP - 2011 Método RKW Rateio por horas-máquina TAXA = 223400 / 5200 = $42,96 / hmáq CIF P1 = CIF P2 = CIF P3 = (0,5).(42,96) = $21,48 Custo = MP + MOD + CIF C P1 = C P2 = C P3 = 10 + 6 + 21,48 = $37,48

101 EESC - FEG/UNESP - 2011 Análise das Atividades  Recebimento de materiais.  Movimentação de materiais.  Preparação de máquinas.  PCP  Operação

102 EESC - FEG/UNESP - 2011 Direcionadores de Custos

103 EESC - FEG/UNESP - 2011 Dados Complementares P1P2P3TOTAL Produção e vendas (unid.)10.000200 10.400 Horas-máquina0,5 5.200 Lotes produzidos5010 70Ordens de produção16 2 220Lotes de MP recebidos50101 61CIF ($):223.400,00 - Recebimento: - Movimentação: - Preparação de máquinas: - PCP: - Operação: 54.900,00 17.500,00 7.000,00 40.000,00 104.000,00 MP1 MP2 20 un/lote 200 un/lote P1 P220 un/lote 200 un/lote

104 EESC - FEG/UNESP - 2011 Custos Unitários das Atividades Recebimento = 54900 / 61= $900 / lote recebido Movimentação = 17500 / 70= $250 / lote processado Prepar. máq. = 7000 / 70= $100 / lote processado PCP = 40000 / 20 = $2.000 / ordem Operação = 104000 / 5200= $ 20 / h-máq.

105 EESC - FEG/UNESP - 2011 Custeio dos Produtos CIF P1 = (50x900 +50x250 +50x100 +16x2000) / 10000 + 0,5x20 = $19,45 CIF P2 = (10x900 + 10x250 + 10x100 + 2x2000) / 200 + 0,5x20 = $92,50 CIF P3 = (1x900 + 10x250 + 10x100 + 2x2000) / 200 + 0,5x20 = $52,00 C P1 = 10 + 6 + 19,45 = $ 35,45 C P2 = 10 + 6 + 92,50 = $108,50 C P3 = 10 + 6 + 54,00 = $ 68,00

106 EESC - FEG/UNESP - 2011 ABC x RKW  Por quê o custo de P1 caiu?  Por quê o custo de P2 é maior do que o de P3?  O custo de P2 apresentou uma diferença de 189%.


Carregar ppt "EESC - FEG/UNESP - 2011 ENGENHARIA ECONÔMICA E SISTEMA DE CUSTOS FEG – UNESP Marly Mizue Kaibara de Almeida 2011."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google