A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

NEONATOLOGIA Atendimento e reanimação em sala de parto Aluno: Gustavo Bonilha Lisboa.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "NEONATOLOGIA Atendimento e reanimação em sala de parto Aluno: Gustavo Bonilha Lisboa."— Transcrição da apresentação:

1 NEONATOLOGIA Atendimento e reanimação em sala de parto Aluno: Gustavo Bonilha Lisboa

2 Introdução -Aproximadamente 10%dos RN necessitam de apoio na transição da vida fetal -Essencial treinamento,material, história obstétrica.

3 Fatores de risco p/ asfixia perinatal Causas de asfixia neonatal: 1.Pré -natais:HAS,DM, “drâmnios”, infecções, gestação múltipla, RCIU, pós-termo, Prematuro, 2.Trabalho de parto e parto: Drogas Ilícitas, opiáceos, diazepínicos, ↑ tempo de extração, Roprema, placenta, apresentações anômalas.

4 Asfixia Hipóxia progressiva Acúmulo CO2 Acidose Asfixia Lesão Cerebral, Morte

5 Progressão da asfixia Deprivação de O2 Inicialmente ↑ FR, porém superficializa-se Com persistência, inicia-se depressão cardiorrespiratória Hipotonia progressiva Apnéia Primária Estímulo tátilO2

6 Asfixia persistente Respiração profunda(Gasping) c/ séria depressão cardiorrespiratória Ultimo movimento respiratório Apnéia secundária Ventilação Assistida + massagem cardíaca SN Em sala de parto, toda apnéia é considerada SECUNDÁRIA !

7 Material Prevenção de perda de calor: berço, campos, compressas aquecidos Perviedade VA: Aspirador conectado à sonda(6,8,10), Guedel, laringoscópio(0, 1), cânulas(duas de cada: 2,5 a 4), adaptador p/ aspirar mecônio. Oxigenação:fonte de O2 a 5L/min, AMBU+reservatório, máscara(RNPT E RNT) Medicações: adrenalina1:1000, bicarbonato, naloxone, expansores, H2O dest., seringas, agulhas. Outros: luvas, pilhas, estetoscópio neonatal, material p/ fixação, material p/ cateterismo. Sempre utilizar precauções contra contaminação!Bicarbonato é controverso...

8 Avaliando o recém-nascido Perguntas: 1.Gestação a termo? 2.Meconiado? 3.RN chora/respira? 4.Tônus? SIM? Cuidados de rotina: CALOR, SECAR, ASPIRAR, VERIFICAR COR+FC+FR, apresentar à mãe e estímulo a amamentação.Alojamento conjunto.

9 Procedimentos de rotina Coto umbilical: clampear a 2-3cm do anel umbilical, envolver c/ gase embebida em álcool 70%, 2A:1V. Profilaxias da vulvovaginite e oftalmia gonocócica: 1 gota de nitrato de prata em cada olho e no intróito vaginal Permeabilidade: narinas (atresia de coanas?), TGI (atresia de esôfago?), excesso de secreção estomacal (obstrução intestinal alta?), anal. Identificar: bracelete + impressões

10

11 NÃO? Em 30 segundos: 1.Prover calor 2.Posicionar cabeça 3.Aspirar boca e nariz 4.Secar e desprezar campos úmidos 5.Estímulo tátil 6.Reposicionar RN

12 30 s

13 RN c/ FR regular, tônus em flexão e FC>100 = somente passos iniciais RN c/ FR irregular, hipotônico, e FC<100 = aspirar boca, hipofaringe e traquéia c/ cânula. Reavaliar. Há líquido amniótico MECONIADO?

14 ABC da reanimação Airway: posicionar, aspirar, entubar SN Breathing: estimular, VPP( balão-máscara ou balão-tubo) Circulation: massagem, medicações.

15 Indicações:RN c/ respiração expontânea e efetiva; FC> cianose central Indicações VPP: RN c/ apnéia ou gasping, FC<100, Cianose central persistente. OBS: só será efetiva se mover caixa torácica de 0,5-1cm.

16 Indicações massagem cardíaca: FC<60 após 30s de VPP c/ O2 100% Técnicas: polegares ou 2 dedos. 1 ventilação(30/min): 3 compressões(90/min) Checar pulso: cordão, braquial, femural.

17 Indicações EOT Aspirar traquéia sob visualização na vigência de mecônio VPP quando ventilação c/ máscara é ineficaz Necessidade de massagem cardíaca (melhor coordenação e proteção de VA inferiores) Suspeita de hérnia diafragmática P/ RNPT< 30semanas, p/ futura terapia com surfactantes

18 Escolhendo a cânula Idade gestacional (semanas) Peso (Kg)Diâmetro da cânula (mm) <28<12, ,5 > P/ confirmar: inspeção, ausculta, RX (cânula entre T3-T4) OBS: cada tentativa de EOT não deve ultrapassar 20s e, de preferência, oferecer O2 inalatório durante tentativa.

19

20 Drogas Veia umbilical é a via de eleição, porém utilização da via aérea é mais pratica. Adrenalina: FC<60, 30s VPP, massagem. EV: 0,1-0,3ml/kg/dose de solução 1:10000 Endotraqueal: 0,1mg/kg(o,1 ml da sol. 1:1000) Resposta esperada = FC>100 em 30s Repetir a cada 3-5s

21 Volume: se tentativas c/ adrenalina forem frustrantes (SF ou Ringer). 10ml/kg EV em 5-10 min esperado: ↑PA, melhora pulsos e palidez. s/ resposta: novo bolus e considerar dopamina ou bicarbonato OBS: Uso do Bicarbonato é controverso (tem de haver certeza de VPP efetiva)

22 O papel do APGAR Não tem utilidade na iniciação da reanimação, porém avalia sua resposta. Grande valor prognóstico ( em especial o 5° minuto)

23 É isso que temos que saber!!!


Carregar ppt "NEONATOLOGIA Atendimento e reanimação em sala de parto Aluno: Gustavo Bonilha Lisboa."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google