A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

1 O Ensino e a Qualidade Congresso TOC: Novos Desafios, Melhor Futuro Lúcia Lima Rodrigues Universidade do Minho.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "1 O Ensino e a Qualidade Congresso TOC: Novos Desafios, Melhor Futuro Lúcia Lima Rodrigues Universidade do Minho."— Transcrição da apresentação:

1 1 O Ensino e a Qualidade Congresso TOC: Novos Desafios, Melhor Futuro Lúcia Lima Rodrigues Universidade do Minho

2 2 Para fazer justiça a este tópico muitas horas seriam necessárias => olhar para o ensino da contabilidade apenas sob três vertentes: Breve evolução do ensino da Contabilidade ao longo do tempo; Ensino de Contabilidade hoje: O Processo de Bolonha e a CTOC; Deixar alguns contributos para melhorar a qualidade do ensino.

3 3 Breve evolução do ensino da Contabilidade -I Aula do Comércio, 1759, primeira escola pública a formar profissionais de contabilidade; Curso teórico-prático de três anos; partida dobrada, matemática; câmbios, pesos e medidas; e seguros. É reconhecido que esta Escola (através dos profissionais que formou) : Foi instrumental para o desenvolvimento do comércio e do mercantilismo em Portugal. Contribuiu para a organização das Finanças Públicas (introdução da partida dobrada no Real Erário). Deu origem a um grupo profissional reconhecido socialmente.

4 4 Breve evolução do ensino da Contabilidade -II Aula do Comércio => existência autónoma até 1844 => foi anexada ao Liceu de Lisboa => Secção Comercial ou Escola do Comércio; Perda de autonomia => o ensino da contabilidade e a profissão perdem prestígio => o ensino do comércio foi desanexado do Liceu de Lisboa e integrado no Instituto Industrial de Lisboa => Instituto Industrial e Comercial de Lisboa.

5 5 Breve evolução do ensino da Contabilidade -III Porto: a primeira Escola de Comércio apareceu em 1803 com a criação da Academia Real da Marinha e Comércio do Porto. Reforma do ensino de 1837 => as Academias de Marinha de Lisboa e Porto foram transformadas em Politécnicas; =>a Academia Politécnica do Porto fica com a função do ensino do comércio.

6 6 Breve evolução do ensino da Contabilidade -IV 1886: alteração do Instituto Industrial do Porto para Instituto Industrial e Comercial (IIC) => Academia Politécnica do Porto perde importância => extinta em Só no IIC de Lisboa era ministrado o ensino superior do comércio (Porto: apenas o ensino elementar e preparatório). Em 1905, o Porto foi dotado com o Curso Superior do Comércio.

7 7 Breve evolução do ensino da Contabilidade -V Implantação da República => o Instituto Industrial e Comercial de Lisboa é desdobrado em Instituto Superior Técnico e Instituto Superior de Comércio. 1918: o ensino da Contabilidade passa a ser ministrado no Instituto Comercial de Lisboa e no Instituto Comercial do Porto (Reforma Azevedo Neves). 1930: o Instituto Superior de Comércio é integrado na Universidade Técnica de Lisboa com o nome de Instituto Superior de Ciências Económicas e Financeiras.

8 8 Breve evolução do ensino da Contabilidade -VI 1976: os ICs => ISCAs => conferem o grau de bacharelato (a lei nunca foi executada no que respeita ao grau de licenciatura e doutoramento); Novas perspectivas com publicação do DL n.º 443/85 => autorizou a criação de Cursos de Estudos Superiores Especializados (equivalentes ao grau de licenciatura).

9 9 Breve evolução do ensino da Contabilidade -VI Em 1988: ISCAs foram Integrados no Ensino Superior Politécnico, conferem o grau de licenciatura. Entretanto a Faculdade de Economia do Porto (criada em 1953) e o Instituto Superior de Ciências Económicas e Financeiras apostaram desde sempre na formação de profissionais de Contabilidade.

10 10 Ensino da Contabilidade - Hoje Hoje: o ensino da Contabilidade é feito tanto no ensino superior universitário como no ensino politécnico, tanto no ensino público como no ensino privado; As Universidades tem vindo a ministrar cursos de 2º ciclo (mestrados) e de 3ª ciclo (doutoramento) em Contabilidade; a partir deste ano, os Politécnicos passam a poder conferir o grau de mestre.

11 11 O Processo de Bolonha e o Ensino Superior da Contabilidade -I Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior: Dec.-lei nº 74/2006, de 24 de Março – Graus Académicos e Diplomas do Ensino Superior. Câmara dos Técnicos Oficiais de Contabilidade (CTOC).

12 12 Bolonha e o Ensino Superior da Contabilidade -I I Art. 61º, nº 2: –Passagem de um ensino baseado na transmissão de conhecimentos para um ensino baseado no desenvolvimento de competências; –Da orientação da formação ministrada para os objectivos específicos;

13 13 Bolonha e o Ensino Superior da Contabilidade -III Um licenciado em Contabilidade é aquele que (art. 5º): –Possua conhecimentos e capacidade de compreensão em Contabilidade; –Saiba aplicar os conhecimentos e compreenda o trabalho desenvolvido na Contabilidade; –Seja capaz de resolver problemas no âmbito da Contabilidade e de construir e fundamentar da sua própria argumentação.

14 14 O processo de Bolonha e o Ensino Superior da Contabilidade -IV Um licenciado em Contabilidade é aquele que (art.5º): –Tem competências na área da Contabilidade que lhe permite comunicar informação, ideias, problemas e soluções, tanto a públicos constituídos por especialistas como por não especialistas; –Tem competências de aprendizagem que lhe permitem uma aprendizagem ao longo da vida com elevado grau de autonomia.

15 15 O processo de Bolonha e o Ensino Superior da Contabilidade -V O Mestre em Contabilidade: Sabe aplicar os seus conhecimentos e a sua capacidade de compreensão e de resolução de problemas contabilísticos em situações novas e não familiares, em contextos alargados e multidisciplinares; Tem capacidade para integrar conhecimentos, lidar com questões contabilísticas complexas.

16 16 O processo de Bolonha e o Ensino Superior da Contabilidade -VI O Doutor em Contabilidade tem de ter: Capacidade de compreensão sistemática em Contabilidade; Competências, aptidões em métodos de investigação associados à Contabilidade; Realizado um conjunto significativo de trabalhos de investigação original que tenha contribuído para o alargamento das fronteiras do conhecimento em Contabilidade, publicado em revistas científicas; Ser capaz de promover o progresso tecnológico, social e cultural, numa sociedade baseada no conhecimento.

17 17 O processo de Bolonha e o Ensino Superior da Contabilidade -VII ECTS: sistema europeu de unidades de crédito => a transferência de estudantes entre instituições; representam as horas de trabalho dos estudantes; Tutorias: período destinado a rever e a discutir matérias e temas apresentados na aula ou a preparar trabalhos => Tutores e tutorados => Decúrias => Decuriões e Decuriados.

18 18 CTOC e o Processo de Bolonha -I A adequação ao Processo de Bolonha => garantir que o candidato a Técnico Oficial de Contas (TOC) tenha competências que lhe permitam exercer a profissão num ambiente crescentemente complexo. O conjunto de conhecimentos e competências que o TOC necessita adquirir está constantemente em mudança e em expansão, obrigando-o a uma permanente actualização.

19 19 CTOC e o Processo de Bolonha -II A Comissão eventual para o acompanhamento do Processo de Bolonha da CTOC, reconhecendo os grandes desafios da profissão para os próximos anos, propôs: Grau académico do ensino superior com a duração mínima de três anos; Valor mínimo de 84 ECTs de formação nas áreas nucleares; Valor mínimo de 45 ECTs nas áreas complementares.

20 20 Críticas normalmente apontadas ao ensino da Contabilidade –não forma profissionais capazes de se adaptarem de forma constante à evolução da sociedade; –currículos não são adequados para a realidade empresarial do momento, dado que os professores não acompanham a evolução dos tempos; –Estudos empíricos revelam que os empregadores estão insatisfeitos com a capacidade em resolver problemas, embora estejam satisfeitos com as capacidades técnicas no âmbito da Contabilidade.

21 21 Como melhorar a Qualidade no ensino da Contabilidade? Não ensinar a Contabilidade de forma não histórica: muitos professores e manuais de Contabilidade apresentam as matérias contabilísticas apenas em termos de normas e práticas actuais, sem nunca sugerir que um dia não foi como é hoje. Explicar a evolução das técnicas contabilísticas.

22 22 Como melhorar a Qualidade no ensino da Contabilidade? O professor deve chamar à atenção de que a Contabilidade constrói-se socialmente, é moldada pelo ambiente; Por outro lado, a Contabilidade influencia também o meio envolvente:

23 23 Como melhorar a Qualidade no ensino da Contabilidade? A construção social da Contabilidade O professor deve mostrar como a Contabilidade se adapta ao meio envolvente é influenciado pela cultura e pelas características de cada país; O professor deve ensinar a contabilidade no contexto da gestão, deve preparar os graduados para o envolvimento no processo de gestão. O professor deve também ensinar como a Contabilidade influencia o próprio meio envolvente e qual é o papel da contabilidade na sociedade.

24 24 Como melhorar a Qualidade no ensino da Contabilidade? Ética Os professores devem ensinar princípios de ética e comportamento moral quando ensinam contabilidade; É contudo, necessário entender que os professores não podem ser responsáveis pela falta de ética dos seus estudantes após a graduação.

25 25 Como melhorar a Qualidade no ensino da Contabilidade? Ensino Técnico / Ensino Teórico Encontrar o balanço correcto entre as componentes práticas e teóricas no ensino da Contabilidade; Estimular os estudantes para a leitura dos grandes teóricos da contabilidade e não apenas de textos técnicos;

26 26 Como melhorar a Qualidade no ensino da Contabilidade? Ensino Técnico / Ensino Teórico Tem em atenção que: Não se deve ensinar a memorizar as normas contabilísticas sem explicar porquê; Ensinar apenas técnicas geralmente aceites leva a que os estudantes pensem que são imutáveis; Tentar educar o aluno para ser criativo; para que a profissão contabilística seja reconhecida como uma profissão liberal legítima, os seus fundamentos devem ser mais do que a simples aplicação de regras contabilísticas.

27 27 Como melhorar a Qualidade no ensino da Contabilidade? Ensino Técnico / Ensino Teórico Boas práticas devem ser baseadas em teorias sólidas. Boa ligação entre a teoria e a prática; apoio recíproco entre teóricos e práticos.

28 28 Como melhorar a Qualidade no ensino da Contabilidade? Recorrer à realidade para explicar as práticas contabilísticas: Estudantes devem ser encorajados a apreciar a complexidade da contabilidade através da exposição de casos reais e não através de exemplos meramente académicos; Usar artigos da imprensa económica e contabilística para desenvolver competências nos estudantes => ajudam os estudantes a conhecerem as organizações e os acontecimentos contemporâneos que afectam a profissão.

29 29 Conclusão É inegável que nas organizações dinâmicas de hoje a informação fornecida pela profissão contabilística é indispensável; É também inegável que graduados melhor preparados acabarão por ter um papel mais importante nas empresas e na sociedade. Compete aos professores de Contabilidade formar graduados bem preparados e indispensáveis.

30 30 Conclusão Aos académicos da contabilidade compete-lhes ser a consciência da profissão => O seu papel é fazer com que o ensino, a investigação e a prática contabilística sirvam as entidades económicas e a sociedade em geral; Como educadores devemos reflectir sobre se podemos melhorar a mundo através do que ensinamos e como ensinamos => formar graduados que sejam indispensáveis nas entidades económicas e úteis à sociedade.


Carregar ppt "1 O Ensino e a Qualidade Congresso TOC: Novos Desafios, Melhor Futuro Lúcia Lima Rodrigues Universidade do Minho."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google