A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

O Processo Epidêmico PROF. DRA. THALYTA CARDOSO ALUX TEIXEIRA UNIVERSIDADE PAULISTA GRADUAÇÃO EM ENFERMAGEM E NUTRIÇÃO.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "O Processo Epidêmico PROF. DRA. THALYTA CARDOSO ALUX TEIXEIRA UNIVERSIDADE PAULISTA GRADUAÇÃO EM ENFERMAGEM E NUTRIÇÃO."— Transcrição da apresentação:

1 O Processo Epidêmico PROF. DRA. THALYTA CARDOSO ALUX TEIXEIRA UNIVERSIDADE PAULISTA GRADUAÇÃO EM ENFERMAGEM E NUTRIÇÃO

2 O Processo Epidêmico A Doença pode ser caracterizada como: –Presente em nível endêmico –Presente em nível epidêmico –Presente com casos esporádicos –Inexistente

3 ENDEMIA/FAIXA ENDÊMICA habitualmente presenteDoença habitualmente presente em uma população, cuja incidência se situe na faixa endêmica que foi previamente convencionada, aceitando-se que as flutuações de incidência não são resultado de alterações na estrutura epidemiológica* (*fatores relacionados ao agente, ao ambiente ou à suscetibilidade)

4 ENDEMIA/FAIXA ENDÊMICA Método: Diagrama de ControleMétodo: Diagrama de Controle Freqüência Média de casos de 10 anos anteriores (excluindo-se anos epidêmicos) Incidência média mensal e Desvio-Padrão

5 Freqüência Máxima e Mínima esperadas ENDEMIA/FAIXA ENDÊMICA

6 DIAGRAMA DE CONTROLE

7 EPIDEMIA único caso autóctoneUm único caso autóctone de uma doença previamente inexistente pode ser considerado como Epidemia Não existe um número universalmente aceitoNão existe um número universalmente aceito para se definir Epidemia os níveis que ultrapassem o Limite SuperiorA rigor considera-se como epidêmico os níveis que ultrapassem o Limite Superior (LS= média + 1,96* desvio padrão)

8 EPIDEMIA

9 EPIDEMIA aumento seja brusco e não gradual a) O aumento seja brusco e não gradual, um aumento gradual representa uma alteração no nível endêmico da doença e não uma epidemia. estatisticamente significanteO aumento deve ser estatisticamente significante, ( devemos adotar um critério estatístico que nos permita dizer que o aumento observado ultrapassou a ocorrência habitual da doença). aumento seja temporário b) O aumento seja temporário havendo um retorno da incidência aos níveis endêmicos previamente observados.

10 CURVA EPIDÊMICA LIMIAREPIDÊMICO Progressão Regressão Egressão Decréscimo de incidência endêmica Incidência Máxima Incidência em nível epidêmico Incidência em nível endêmico Coeficientes de Incidência TEMPO

11 Abrangência das Epidemias Surto Epidêmico – Ocorrência epidêmica restrito a um espaço extremamente delimitado. Calcula-se a taxa de ataque Pandemia – Ocorrência epidêmica caracterizada por uma larga distribuição espacial, atingindo várias nações.

12 Aspectos diferenciais em Epidemias Epidemias explosivas (rápida progressão) Epidemias lentas

13 Epidemia progressiva ou propagada (transmissão de pessoa para pessoa) Epidemia por fonte comum (transmissão água, alimento, ar ou por inoculação) Epidemia por fonte pontual (exposição por curto intervalo de tempo) Epidemia por fonte persistente (exposição prolongada) Aspectos diferenciais em Epidemias

14 Conglomerado Espacial doentes exibindo sintomas e sinais iguais território circunscrito Casos de doença de etiologia conhecida ou desconhecida, com doentes exibindo sintomas e sinais iguais, para os quais podem ser suspeitadas ou evidenciada uma origem idêntica, ou mesmo comum, associada a algum fator ou fatores, surgidos em um território circunscrito cujos limites podem ser perfeitamente definidos.

15 Conglomerado Espacial

16 Conglomerado Espacial (Responsabilidade pela eclosão da doença) Casos autóctones – origem dentro dos limites do lugar. Casos alóctones - casos importados. Fatores inerentes – agentes etiológicos e as condições propiciatórias contribuintes para a geração da doença sempre existiram dentro do limite da área em estudo. Fatores agregados – fatores até então inexistente na área, trazidos de outros lugares ou gerados por modificação na estrutura epidemiológica.

17 Conglomerado Temporal doentes exibindo sintomas e sinais iguais dentro dos limites de intervalo de tempo significativamente iguais Casos de doença de etiologia conhecida ou desconhecida, com doentes exibindo sintomas e sinais iguais, para os quais podem ser suspeitadas ou evidenciada uma origem idêntica, ou mesmo comum, associada a algum fator ou fatores, dentro dos limites de intervalo de tempo significativamente iguais, medidos a partir do suposto evento que lhes deu origem. (cluster).

18 Referências Pereira MG. Epidemiologia: teoria e prática. Rio de Janeiro, Guanabara Koogan, Rouquayrol, M. Z.; Almeida-Filho, Naomar, Epidemiologia & Saúde. Rio de Janeiro, Medronho, Roberto A. Epidemiologia. São Paulo: Editora Atheneu


Carregar ppt "O Processo Epidêmico PROF. DRA. THALYTA CARDOSO ALUX TEIXEIRA UNIVERSIDADE PAULISTA GRADUAÇÃO EM ENFERMAGEM E NUTRIÇÃO."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google