A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Poluição Profº Everaldo (Neno) CAMPO GRANDE - MS 2013.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Poluição Profº Everaldo (Neno) CAMPO GRANDE - MS 2013."— Transcrição da apresentação:

1

2 Poluição Profº Everaldo (Neno) CAMPO GRANDE - MS 2013

3 Principais impactos à litosfera Considerando apenas os solos, vemos os seguintes impactos: Erosão, ressecamento, sobrepastoreiro e desertificação; Contaminação por fertilizantes, defensivos agrícolas e dejetos animais, nas atividades agropecuárias; Resíduos, alguns deles altamente tóxicos, em consequência das atividades industriais; Acúmulo de lixo urbano, principalmente nas periferias das grandes cidades ou nas margens das rodovias; Contaminação por poluentes descartados nas águas e no ar.

4 Principais impactos à litosfera Áreas contaminadas no estado de São Paulo

5 A poluição agropecuária Os campos cultivados e as pastagens ocupam mais de 30% das terras não cobertas de gelo do planeta. Agricultura sofreu os efeitos da revolução verde. A biodiversidade de vastas regiões foi reduzida, afetando mecanismos naturais de autorregulação. Intensa poluição dos solos rurais Aplicação de pesticidas em videiras, França, 2003 MAURITIUS/LATINSTOCK

6 A poluição industrial A atividade industrial é uma das principais fontes de poluentes. Larga escala e acelerado ritmo de crescimento, inexistência ou permissividade dos mecanismos de controle Os poluentes gerados na indústria chegam ao homem não apenas por contato direto com os resíduos, por ingestão de águas contaminadas ou aspiração do ar poluído, mas também por meio da cadeia alimentar. Dos metais pesados usualmente descartados pela indústria, o mercúrio é considerado o mais perigoso.

7 O lixo urbano Depois dos resíduos industriais e dos insumos agropecuários, o lixo urbano é o principal fator de poluição dos solos. Estima-se que cada ser humano produza, em média, mais de 1 kg de lixo por dia. Os padrões de produção e consumo das modernas sociedades capitalistas, baseados na fabricação crescente de artigos descartáveis e na superutilização de embalagens, impulsionam fortemente a geração de lixo. Campanha de reciclagem de celulares em Washington, EUA, 2005 JOE RAEDLE/GETTY IMAGES

8 O lixo urbano Perfil do lixo não orgânico no Brasil

9

10 TEMPO DE DECOMPOSIÇÃO DO LIXO. Material Tempo de Degradação Aço MAIS DE 100 ANOS Alumínio 200 A 500 ANOS Chicletes 5 ANOS Cordas de nylon 30 ANOS Embalagens Longa Vida ATÉ 100 ANOS (ALUMÍNIO) Embalagens PET MAIS DE 100 ANOS Esponjas INDETERMINADO Filtros de cigarros 05 ANOS Luvas de borracha INDETERMINADO Metais (componentes de equipamentos) CERCA DE 450 ANOS Papel e papelão CERCA DE 06 MESES Plásticos (embalagens, equipamentos) ATÉ 450 ANOS Pneus INDETERMINADO Sacos e sacolas plásticas MAIS DE 100 ANOS Vidros INDETERMINADO

11 A reciclagem no Brasil De modo geral, apenas 25,93% das capitais brasileiras dispõem de aterros sanitários.

12 O que fazer com tanto lixo Aterros sanitários O lixo é depositado sobre um terreno coberto de argila e plástico, para evitar que o chorume produzido pelos dejetos se infiltre no solo e contamine as águas subterrâneas. O chorume é um dos resíduos mais tóxicos produzidos pelo homem. ANA CAROLINA FERNANDES/FOLHA IMAGEM

13 O que fazer com tanto lixo Incineração Em alguns casos, o calor resultante do processo é usado na produção de energia elétrica e aquecimento da água, além da redução do volume de lixo. Mas a instalação de usinas de incineração é cara, e a queima do lixo lança grande quantidade de gases poluentes. Compostagem Decomposição feita por micro-organismos, o composto ajuda a fertilizar o solo. A primeira condição para que a compostagem seja feita de maneira adequada é a coleta seletiva.

14 ReciclagemJunto com a compostagem, é o método mais limpo e sustentável. Consiste em reutilizar materiais descartados como matéria-prima na produção de outros bens. Usina de reciclagem de alumínio em São Paulo-SP, 1995 DANIEL AUGUSTO JR/PULSAR IMAGENS

15 Capítulo 2 A poluição das águas PAUL SOUDERS/ CORBIS/LATINSTOCK

16 A poluição das águas A crise da água, por escassez ou poluição, decorrente do uso abusivo e irresponsável, tornou-se uma das questões mais importantes e urgentes da atualidade. Necessário para sobrevivência e quase todas as formas de produção; a quantidade de água consumida: domicílios a apenas 8% do total, enquanto 80% são destinados à agricultura e 12% à indústria. A consagração com o uso da água está presente nos rituais de várias religiões. Batismo cristão na Costa do Sol, Espanha. GUIDO COZZI/CORBIS/LATINSTOCK

17 A poluição agropecuária Contaminação da água subterrânea em área agrícola

18 A escala das atividades agropecuárias e industriais e os modos de produção adotados nos campos e nas cidades aumentaram em todo o mundo o uso da água. Para produzir 1 kg de milho gastam-se 400 litros de água. No sistema de irrigação por pivô central parte da água é desperdiçada pela evaporação, Rio Verde (GO), em LUCIANO CANDISANI/KINO

19 A poluição industrial

20 A poluição por esgotos domésticos Em todo o mundo, cerca de 2,6 bilhões de pessoas, em torno de 40% da população total, não dispõem de saneamento básico adequado. No Brasil, mais de 40 milhões de pessoas não têm acesso aos recursos de canalização e tratamento de esgoto, ou mesmo ao tratamento da água consumida. Rio poluído por dejetos domésticos em Pasay, Filipinas JOHN JAVELLANA/REUTERS/LATINSTOCK

21 O desperdício Poluição de mananciais, maus hábitos individuais, segundo a ONG ambientalista Instituto Socioambiental, cerca de 45% da água retirada dos mananciais das capitais brasileiras é desperdiçada em vazamentos e fraudes. A Região Metropolitana de São Paulo apresenta sérios problemas para garantir água em quantidade e qualidade adequada para seus 19 milhões de habitantes.

22 A poluição dos mares e oceanos Um dos maiores impactos ambientais marítimos é causado pelo despejo voluntário ou acidental de petróleo. O mar Mediterrâneo, o mar do Norte, o canal da Mancha e os mares próximos ao Japão se destacam por possuírem os maiores índices de poluição. Ave atingida por derramamento de petróleo cru na costa do País de Gales, em 1996 SIMON FRASER/SPL/LATINSTOCK

23 Capítulo 3 A poluição do ar PAUL SOUDERS/ CORBIS/LATINSTOCK

24 Primeiras manifestações A poluição atmosférica – que se intensificara com a Revolução Industrial, no século XIX – apresentou novo pico de crescimento a partir da Segunda Guerra Mundial ( ). Desde essa época, os níveis de poluição do ar tiveram aumento muito mais rápido do que o crescimento da população.

25 Ilhas de calor e tempestades urbanas O aumento da temperatura do ar das grandes cidades é um fenômeno da urbanização recente, fruto do crescimento das manchas urbanas. Em São Paulo chegou a ser registrada uma diferença de 10 ºC entre as temperaturas medidas no centro e na periferia da cidade. Essa anomalia decorre de diversos fatores, como poluição atmosférica, alta densidade demográfica, diminuição das áreas verdes, pavimentação, construção de prédios que dificultam a circulação do ar, enorme contingente de veículos etc. Enchente na avenida Nove de Julho, em São Paulo, durante tempestade em 23 de fevereiro de 2009 MOACYR LOPES JUNIOR/FOLHA IMAGEM

26

27 Capítulo 4 Desenvolvimento sustentável PAUL SOUDERS/ CORBIS/LATINSTOCK

28 Definição Conforme a definição adotada pela ONU em 1983, desenvolvimento sustentável é aquele capaz de suprir as necessidades da geração atual, sem comprometer a capacidade de atender as necessidades das gerações futuras.

29 O paradoxo de Jevons Plataforma de exploração de petróleo no lago de Maracaibo, na Venezuela Das primeiras minas de carvão às modernas plataformas de exploração de petróleo o salto tecnológico foi enorme. Isso não significa que o impacto ambiental tenha diminuído. Gravura de George Walker ( ) AKG/LATINSTOCK REUTERS/LATINSTOCK

30 A ECO-92 e a Agenda : Conferência das Nações Unidas sobre o Meio Ambiente e o Desenvolvimento, popularmente denominada Cúpula da Terra ou ECO-92. A Agenda 21, o documento elaborado nessa conferência, consagrou o conceito de desenvolvimento sustentável e reconheceu a necessidade de os países em desenvolvimento receberem apoio financeiro e tecnológico para avançarem nessa direção. Essas negociações foram prejudicadas pela resistência dos EUA, na época sob a presidência de George Bush, em fixar limites para as emissões de gases de efeito estufa.

31 Luta contra a pobreza Evolução das modalidades de consumo Dinâmica demográfica e sustentabilidade Proteção e fomento da saúde humana Proteção da atmosfera Enfoque integrado do planejamento e da ordenação dos recursos das terras Luta contra o desmatamento Ordenação dos ecossistemas frágeis: luta contra a desertificação e a seca Algumas metas da Agenda 21

32 O Protocolo de Kyoto Compromisso mais rígido na limitação das emissões de gases de efeito estufa Os EUA se opuseram fortemente ao protocolo. Os efeitos da poluição em Hong Kong, 2008 TIM GRAHAM/GETTY IMAGES

33 A revolução ponto-com De início, acreditou-se que o aumento explosivo do uso de computadores pessoais e de outros dispositivos eletrônicos informatizados contribuiria para a proteção do meio ambiente. Mas... Computadores, laptops, celulares, iPhones, iPods, aparelhos de MP3 etc. precisam de matérias- -primas e energia para serem produzidos, comercializados e operacionalizados. Além disso... Seu descarte, cada vez mais rápido devido à inovação tecnológica desenfreada, gera quantidades colossais de lixo. 4 Desenvolvimento sustentável

34 Lixão digital em Pequim, China (2001) BOB SACHA/CORBIS/LATINSTOCK


Carregar ppt "Poluição Profº Everaldo (Neno) CAMPO GRANDE - MS 2013."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google