A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

1 REFERÊNCIAS TEÓRICAS DA DIDÁTICA FRANCESA: o caso da transposição e da antropologia didática Afonso HENRIQUES UESC Departamento de Ciências.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "1 REFERÊNCIAS TEÓRICAS DA DIDÁTICA FRANCESA: o caso da transposição e da antropologia didática Afonso HENRIQUES UESC Departamento de Ciências."— Transcrição da apresentação:

1 1 REFERÊNCIAS TEÓRICAS DA DIDÁTICA FRANCESA: o caso da transposição e da antropologia didática Afonso HENRIQUES UESC Departamento de Ciências Exatas e Tecnológicas – DCET GPEMAC / EECM

2 2 Registros de Representação Semiótica Duval (1993) Teoria da Instrumentação Rabardel (1995) No curso Grandes Teorias / Quadro teórico Teoria Antropológica da Didática (TAD) Chevallard (1991) Teoria de Situações Didática (TSD) Brousseau (1998) Teoria de Campos Conceituais (TCC) G. Vergnaud (1996) GRANDES TEORIAS EM DIDÁTICA Transposição Didática Chevallard (1985) Seqüência Didática Chevallard (1985)

3 3 Teorias / Curso Transposição Didática Chevallard (1985) Um objeto de saber é o conjunto dos conhecimentos socialmente disponíveis na literatura, isto é, publicado nas revistas ou apresentados nos meios de comunicação e reconhecidos como válidos pela comunidade científica. Portanto, antes de ser “Objeto ensinado”, o “Objeto de saber” sofre um grande número de transformações e adaptações chamado de Transposição didática. Qual é o papel do Professor nesse processo? Transposição Didática: Conjunto de transformações que sofre um objeto de saber (conhecimento) com a finalidade de ser ensinado. Desenvolveu a noção de transposição didática para distinguir os diferentes saberes envolvidos no processo Ensino e Aprendizagem. Necessidade da existência da Matemática do Professor... distinta daquela do Matemático / aluno. Classe de Objetos a ensinar...

4 4 Teoria Antropológica da Didática A TEORIA ANTROPOLÓGICA DA DIDÁTICA Chevallard (1992) TRANSPOSIÇÃO DIDÁTICA O ponto de partida : “TUDO É OBJETO”. Tipos de OBJETOS específicos: 1.INSTITUIÇÕES (I) 2.PESSOAS (X) 3.POSIÇÕES que ocupam as pessoas nas instituições Antropologia Religiosa Objeto de estudo: Religião Antropologia Política Objeto de estudo: Política Antropologia Didática Objeto de estudo: Didática Ex. estudar o aluno diante de um problema matemático O CONHECIMENTO - e o saber Entra então em cena com a noção de RELAÇÃO 1.INSTITUIÇÕES (I) 2.PESSOAS (X) 3.OBJETOS DO SABER (O) Elementos primitivos

5 5 Instituição I Pessoa X Objeto Todo saber é ligado ao menos a uma instituição, na qual é desenvolvido, num dado domínio real. O ponto essencial, é portanto, que um saber não existe “in vacuo”, num vazio social. Todo conhecimento aparece, num dado momento, numa dada sociedade, ancorado numa ou numas instituições, Chevallard (1989). I O X Relação entre el. Primitivos R(X,O) R(I,O) A relação pessoal de uma pessoa a um objeto de saber só pode ser estabelecida quando a pessoa entra na instituição onde existe esse objeto.

6 6 3 ABORDAGEM (TAD)  PRAXEOLÓGICA  ECOLÓGICA  OSTENSIVOS E NÃO OSTENSIVOS O saber matemático, enquanto forma particular do conhecimento, é fruto da ação humana institucional, e é algo que: se produz, se utiliza, se ensina ou de uma forma geral, que transita nas instituições. Chevallard propôs a noção de organização praxeológica ou simplesmente praxeologia (como conceito chave) para estudar as práticas institucionais relativas a um objeto do saber, em particular, as práticas sociais em matemática. A abordagem praxeológica é, portanto, um modelo para análise da ação humana institucional.

7 7  PRAXEOLÓGICA ►Tipo de EXERCÍCIOS (T) ►Tipo de TÉCNICAS (  ) ►TECNOLOGIA (θ) ►TEORIA (  ) Quatro termos É adotado o símbolo T para representar um tipo de exercício identificado numa praxeologia, contendo ao menos um exercício t. Uma técnica, denotada por , é uma maneira de fazer ou realizar um tipo de exercícios T. A Tecnologia, denotada por θ, é um discurso racional (o logos) tendo por objetivo justificar a técnica , garantindo que esta permite realizar os exercícios do tipo T. Uma segunda função da tecnologia é a de explicar, tornar compreensível a técnica. A Teoria, representada por , tem a função de justificar e tornar compreensível uma tecnologia θ.

8 8  PRAXEOLÓGICA ►Tipo de EXERCÍCIOS (T) ►Tipo de TÉCNICAS (  ) ►TECNOLOGIA (θ) ►TEORIA (  ) [T/  /  /  ] Organização Praxeológica completa [T/  ] [/][/] Saber – fazer [ praxe ] Tecnológico - teórico [ logôs ] Quatro termos

9 9 EXEMPLOS Adição de números no sistema decimal : é um TIPO DE EXERCÍCIO T contendo pelo menos um exercício t. TÉCNICAS (  ): usando os dedos TECNOLOGIA ( θ ): Contar tudo ou Contar na Seqüência TEORIA (  ): Conjunto de conhe- cimentos natos. Resolver uma equação do segundo grau: é um TIPO DE EXERCÍCIO T contendo pelo menos um exercício t. TÉCNICAS (  ): Determinação de Δ TECNOLOGIA ( θ ): BHASKARA TEORIA (  ): Conj. de conhecimentos matemáticos ensinados para estabelecer o teorema de Bhaskara

10 10 Como descrever uma Praxeologia Completa?

11 11 FIM Obrigado Pela vossa atenção UESC Departamento de Ciências Exatas e Tecnológicas – DCET GPEMAC / EECM CONCLUSÃO


Carregar ppt "1 REFERÊNCIAS TEÓRICAS DA DIDÁTICA FRANCESA: o caso da transposição e da antropologia didática Afonso HENRIQUES UESC Departamento de Ciências."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google