A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Nome: Cristiane Prates. Professor: Dejalma Cremarese. Curso: História. Disciplina: Teoria Geral do Estado.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Nome: Cristiane Prates. Professor: Dejalma Cremarese. Curso: História. Disciplina: Teoria Geral do Estado."— Transcrição da apresentação:

1 Nome: Cristiane Prates. Professor: Dejalma Cremarese. Curso: História. Disciplina: Teoria Geral do Estado.

2 Muitos estudiosos, observadores e pensadores de todos os tempos, tem notado não só as multiplicidades de práticas e instituições políticas como também as crenças, as idéias, as normas e as tradições que dão um peculiar colorido e significação à vida política.

3 A cultura política, são as crenças, os conhecimentos e sua distribuição entre os indivíduos que a integram relativos às instituições, à prática política, as forças políticas operantes num determinado contexto, surgindo as tendências, como a indiferença, o cinismo e o dogmatismo.

4 Da cultura política não se descuram a linguagem e os símbolos especificamente políticos, como as bandeiras, as contra- senhas das várias forças políticas, as palavras de ordem.

5 Em 1963 os estudiosos definiram a cultura política como conjunto de tendências psicológicas dos membros de uma sociedade em relação à política, distinguem três tipos de tendências, três posições que o indivíduo pode assumir ou encarar os fatos e as relações sociais; A tendência cognitiva, a tendência Afetiva, a tendência Valorativa.

6 Cognetiva se revela no conjunto dos conhecimentos e crenças relativos ao sistema político. Afetiva se revela nos sentimentos nutridos em relação ao sistema, às estruturas. Valorativa compreende juízos e opiniões sobre fenômenos políticos e exige a combinação de informações e sentimentos e critérios de avaliação.

7 O surgimento de novas unidades políticas resultante do agrupamento de comunidades antes separadas pode ser considerado como um caso de transição que exigirá a passagem duma cultura política de tipo paraclerial a uma Cultura política de sujeição, na qual os problemas de transição de um regime autoritário para um regime democrático podem ser vistos como problemas relativos à reação, transformação e difusão de uma cultura política de tipo participante.

8 A Cultura política não é homogenia e sim que a cultura política de uma dada sociedade é normalmente constituída por um conjunto de subculturas, isto é, por um conjunto de atitudes, normas e valores diversos freqüentemente em contraste entre si. Em sociedades complexas, articuladas em estruturas bastantes diferenciadas e resultantes da agregação de comunidades com história e tradições diversas.

9 Do ponto de vista político, as diferenciações da cultura normas como o direito e dever dos cidadãos a participar da vida política, a obrigação de aceitar as decisões da maioria, as palavras de ordem e a linguagem.

10 Do ponto de vista político, as diferenciações mais óbvias da cultura política são as dependentes da existência de correntes de pensamento, símbolos e mecanismos de organização. Outra distinção importante é a cultura política das elites e a da cultura política de massas.


Carregar ppt "Nome: Cristiane Prates. Professor: Dejalma Cremarese. Curso: História. Disciplina: Teoria Geral do Estado."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google