A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

DIMENSÕES DO CAPITAL SOCIAL: CONCEITOS E APLICAÇÕES

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "DIMENSÕES DO CAPITAL SOCIAL: CONCEITOS E APLICAÇÕES"— Transcrição da apresentação:

1 DIMENSÕES DO CAPITAL SOCIAL: CONCEITOS E APLICAÇÕES
UNIJUÍ - UNIVERSIDADE REGIONAL DO NOROESTE DO ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL DCS – DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS SOCIAIS PROGRAMA DE PESQUISA EM CIÊNCIAS SOCIAIS LINHA DE PESQUISA: SOCIEDADE, CULTURA E PODER DIMENSÕES DO CAPITAL SOCIAL: CONCEITOS E APLICAÇÕES Elaboração: Dejalma Cremonese DCS – UNIJUÍ – RS – BRASIL

2 CAPITAL SOCIAL: É POSSIVEL UMA DEFINIÇÃO?
A expressão capital social ainda carece de uma definição clara. O termo capital nos remete a um recurso econômico, porém, o foco da problematização está centrado nas relações sociais. Apesar de controverso e contraditório, trata-se de um paradigma emergente, rico em conceitos aplicáveis em realidades sociais que demandam programas promotores do aumento da participação para enfrentar a criminalidade, melhorar o rendimento escolar e superar a pobreza.

3 O capital social é um conceito novo com um crescimento rápido nas Ciências Sociais nos anos 90.
Há dificuldade na definição – não é um conceito homogêneo. O entendimento conceitual continua a se desenvolver.

4 O “espírito” do capital social vem da teoria social clássica do século XIX:
– Teóricos como Tocqueville, Stuart Mill, Durkheim, enfatizaram longamente a importância da sociedade civil e associações voluntárias como vitais para a consolidação da democracia Os “escritos” sobre capital social: – Início do século XX: Reformador na Educação (Hanifan) – Meio do século XX: ativista urbano (Jacobs) – Fim do século XX: Cientistas Politicos (Coleman, Putnam)

5 Capital social: primeira definição
Esses ativos intangíveis que contam para a maioria das pessoas na vivência diária: isto é confiança, companheirismo, simpatia, e relacionamento social entre os indivíduos e famílias que compõem uma unidade social. (L. J. Hanifan, 1916) Fran Baum

6 “Estruturas sociais” (Coleman) “obrigações recíprocas”
“canais de informações” “normas sociais” “Ordenamento das organizações sociais” (Putnam) “confiança, normas e redes”, engajamento civico e comunitário. “bonding”, “bridging”, “linking” (Banco Mundial) Fonte:

7 Putnam apoiou-se no modelo de associação voluntária de Tocqueville
cívica Associação política Igualdade Democracia

8 A popularidade do conceito é atribuída à repercussão do trabalho de Robert Putnam, cientista político da Universidade de Harvard. Obras: Making Democracy Work: Civic Traditions in Modern Italy (publicado em 1993), (Comunidade e Democracia: a experiência da Itália moderna 1996). Putnam estudou detalhadamente as diferenças de desempenho institucional verificadas entre as administrações regionais italianas, ao longo dos vinte anos que se seguiram à sua implantação, ocorrida em 1970. A principal contribuição de Putnam para a popularidade do conceito de capital social, talvez esteja relacionada com outro artigo seu, publicado em 1995, intitulado Bowling Alone: America’s Declining Social Capital.

9 CAPITAL SOCIAL – DEFINIÇÃO
“O capital Social é o envolvimento individual em atividades coletivas, construção de redes de confiança recíproca, construção de virtudes cívicas que possibilitam o fortalecimento da democracia” Robert Putnam

10 CAPITAIS DA COMUNIDADE
Capital natural: ar, água, solo, biodiversidade – animais, plantas – paisagens) Capital humano: cultura, conhecimento Capital material: bens móveis e imóveis Capital financeiro: recursos, dinheiro Capital político: organizações, poder, vóz/expressões, connections Capital social: redes, cooperação, associação, confiaça (CS. É mais um elemento agregador da comunidade)

11 CAPITAIS DA COMUNIDADE
Capital Humano Capital Social Ecossistema saudável Economia vital Igualdade social Capital Natural Capital financeiro/ construções

12 UM CAPITAL PODE AUMENTAR OUTROS CAPITAIS?
Capital político Capital humano Capital Social Liderança: Reconhecendo Oportunidades & mobilizando recursos para aumentar capitais Capital Natural Construir Capital financeiro Capital Cultural

13 Capital Social Construindo confiança mútua Reciprocidade
Formação e colaboração entre grupos Identidade coletiva Senso de partilha futura Trabalhando juntos

14 CAPITAL SOCIAL Espírito comunitário Voluntarismo
Ajuda mútua e governança Participação em assuntos locais Organização civica Envolvimento na comunidade e atividades sociais Ajudando os vizinhos e as pessoas que estão com necessidades

15 Construir confiança mútua
Capital social é Construir confiança mútua Construir um futuro compartilhado Formação de grupos Colaboração entre grupos Fortalecer a Identidade coletiva

16 linking bonding bridging

17 Ausência de capital social

18 Capital Social Bonding

19 Capital Social Bridging
State Market Capital Social Bridging Market State Civil Society

20 O que deve ser considerado para medir capital social:
Participação política Participação cívica Participação religiosa União e associações profissionais Conexão social informal Voluntarismo e filantropia Confiança, honestidade, cooperação e reciprocidade

21 CAPITAL SOCIAL E PADRÕES DE PARTICIPAÇÃO POLÍTICO-SOCIAL EM IJUÍ - RS
Este estudo teve como objetivo geral analisar os níveis de participação político-social em âmbito local, ao tratar, especificamente, do município de Ijuí – Noroeste do Estado do Rio Grande do Sul.

22 METODOLOGIA Para a estruturação desta tese, foram empregadas várias técnicas de investigação. Revisão bibliográfica Método estatístico, através da aplicação e análise dos resultados do survey aplicado entre os dias 02 de maio a 31 de agosto de 2005 junto à população urbana do município. Comparação longitudinal entre os dados do survey 2005 com um survey aplicado no mesmo município em 1968, pelo Núcleo de Pesquisas e Documentação da Política Rio-Grandense – NUPERGS/UFRGS. Entrevistas pessoais (escritas e orais) com lideranças comunitárias, políticas e educacionais de Ijuí. Analisaram-se também os indicadores políticos, sociais e econômicos do município, (TRE, IBGE, FEE) Pesquisas em arquivos: MADP e nos documentos do Arquivo Histórico do Rio Grande do Sul.

23 Escolaridade do ijuiense I

24 Escolaridade do ijuiense II
1968 2005 Sem instrução/ menos de um ano 12,3 2,0 Fundamental incompleto 70,8 53,5 Fundamental completo 4,6 7,3 Médio incompleto 1,9 16,0 Médio completo 5,7 7,0 Superior 4,7 14,3 Total N=  367  400  Fonte: Trindade (1968) e dados elaborados pelo autor a partir da Pesquisa: Desenvolvimento Sustentável e Capital Social - NIEM/ NUPESAL/ UNIJUÍ

25 Faixa de renda per capita mensal do ijuiense 2005 (%)
Até 1 Salário Mínimos 51,6 De 1 a 3 Salário Mínimos 43,5 De 3 a 5 Salário Mínimos 2,9 De 5 a 10 Salário Mínimos 1,3 Mais de 10 Salário Mínimos 0,6  Total N=400 Fonte: Dados elaborados pelo autor a partir da Pesquisa: Desenvolvimento Sustentável e Capital Social - NIEM/ NUPESAL/ UNIJUÍ

26 A religião do ijuiense 1968-2005 (%)
1968 2005 Católica 73,6 61,8 Protestantes (evangélicos luteranos) 16,9 5,8 Evangélicos (pentecostais)  - 23,0 Ateu 1,1 2,5 Espírita 1,9 0,5 Não respondeu 0,2 4,0 Outros 6,3  Total N=  367  400  Fonte: Trindade (1968) e dados elaborados pelo autor a partir da Pesquisa: Desenvolvimento Sustentável e Capital Social - NIEM/ NUPESAL/ UNIJUÍ

27 Cor ou etnia do ijuiense 2005 (%)
1968 2005 Branca 84,7 80 Negra 4,1 4,3 Morena/Parda/Mestiça 8,4 15,1 NR 2,8 0,6  Total N=  367  400  Fonte: Dados elaborados pelo autor a partir da Pesquisa: Desenvolvimento Sustentável e Capital Social - NIEM/ NUPESAL/ UNIJUÍ

28 Participação em organizações ou grupos sociais 2005 (%)
Associação religiosa - Igreja e grupo de jovens 12,5 Associação cultural e recreativa 8,3 Círculo de Pais e Mestres (escola) 2,3 Associação política - partido politico 2,0 Associação sindical – sindicato Associação esportiva – time de futebol 1,8 Associação de moradores 1,5 Associação educacional - grêmio e dir. acadêmico 0,5 Total N=400 Fonte: Dados elaborados pelo autor a partir da Pesquisa: Desenvolvimento Sustentável e Capital Social - NIEM/ NUPESAL/ UNIJUÍ

29 Confiança em instituições sociais e políticas 2005 (%)
Confia muito Confia pouco Não confia  Família 90 7,5 2,0 Igreja 60,8 27,8 10,5 Vizinhos 43 41 14,8 Judiciário 25,5 51,3 20,3 Associações comunitárias 23,8 50,8 19,5 Meios de Comunicação Social 21,8 54,3 20 Polícia 20,8 59 Sindicato 17,5 49,5 25,8 Governo Municipal 13 50,5 35 Governo Federal 10 53 36 Governo Estadual 5,3 54,5 38 Câmara de Vereadores 4,8 53,8 40 Partidos Políticos 3 43,3 51,5 Assembléia Legislativa 41,3 Congresso Nacional 1 47   Total N=400  Fonte: Dados elaborados pelo autor a partir da Pesquisa: Desenvolvimento Sustentável e Capital Social - NIEM/ NUPESAL/ UNIJUÍ

30 ANÁLISE DA VARIAÇÃO DO CAPITAL SOCIAL DE IJUÍ
Diminuiu a participação na resolução dos problemas locais 1968 2005 Sim 91,8 32,8 Não 6,3 65,8 NS/NR 1,9 1,5 Fonte: Trindade (1968) e dados elaborados pelo autor a partir da Pesquisa: Desenvolvimento Sustentável e Capital Social - NIEM/ NUPESAL/ UNIJUÍ

31 Uma sociedade onde impera o familismo amoral de Banfield
“Geralmente você não encontra parceiros e sim concorrentes [...]. Ijuí trabalha em grupos familiares fechados e, particularmente, tive muita dificuldade de entrar neste grupo quando cheguei aqui em anos atrás”. Liderança que não se identificou

32 Uma sociedade tipo bonding
Ou seja, entre os três tipos de capital social desenvolvidos no trabalho (bonding, bridging e linking) a sociedade ijuiense pode ser considerada do tipo bonding, (relações para dentro – laços fortes), onde práticas de solidariedade dão-se apenas entre pessoas dos mesmos laços étnicos, ou grupos familiares fechados.

33 Declínio na participação eleitoral
Dados elaborados pelo autor a partir de Pesquisa no TRE-RS

34 Declínio das manifestações da política convencional
Participação em reuniões políticas (%) 1968 2005 Sim/Já participou 27,8 24,3 Não 72 75 Total  N=  367 400 Fonte: Trindade (1968) e dados elaborados pelo autor a partir da Pesquisa: Desenvolvimento Sustentável e Capital Social - NIEM/ NUPESAL/ UNIJUÍ

35 Participação em partidos políticos (%) 1968 2005 Sim/Já participou
1968 2005 Sim/Já participou 20,5 18,3 Não 79,4 81,5 Total  N=  367 400 Fonte: Trindade (1968) e dados elaborados pelo autor a partir da Pesquisa: Desenvolvimento Sustentável e Capital Social - NIEM/ NUPESAL/ UNIJUÍ

36 Participação em comícios (%) 1968 2005 Sim/Já participou 59,4 40,1
1968 2005 Sim/Já participou 59,4 40,1 Não 38,7 59,5 Total  N=  367 400 Fonte: Trindade (1968) e dados elaborados pelo autor a partir da Pesquisa: Desenvolvimento Sustentável e Capital Social - NIEM/ NUPESAL/ UNIJUÍ

37 Interesse por política (%) 1968 2005 Sim 29,7 26
1968 2005 Sim 29,7 26 Mais ou Menos 31 36 Não 38,7 37  Total N=  367  400  Fonte: Trindade (1968) e dados elaborados pelo autor a partir da Pesquisa: Desenvolvimento Sustentável e Capital Social - NIEM/ NUPESAL/ UNIJUÍ

38 Estagnação do PIB e declínio no Índice de Desenvolvimento Humano (IDH)
Evolução da participação econômica da RNC no PIB do RS Fonte: Luis Roque Klering (Disponível em

39 Evolução do IDH de Ijuí (1970-1991)
Fonte: PNUD/Atlas de Desenvolvimento Humano (www.pnud.org.br)

40 Evolução do IDH de Ijuí (1991-2000)
Fonte: PNUD/Atlas de Desenvolvimento Humano (www.pnud.org.br)

41 Colocação do PIB de Ijuí em
relação aos demais municípios do RS - Ordem Crescente.

42 Evolução do PIB per capita de Ijuí e
Panambi RS ( ) Fonte: Fundação de Economia e Estatística (FEE) Núcleo de Contabilidade Social

43 Pouca alternância no poder local: predomínio de um só partido nos últimos 25 anos.
Personalismo político (Mânica, Perondi, Burmann e Heck). Carência de novas lideranças políticas Enfraquecimento dos partidos mais à esquerda no espectro político. Baixa confiança interpessoais: (27% confiam, enquanto que 71,5% dos entrevistados responderam que não se pode confiar nas pessoa) Baixa confiança dos cidadãos ijuienses em relação às instituições políticas. Com 97,8% de pouca confiança e não-confiança, o Congresso Nacional, Partidos Políticos com 94,8%... No que se refere à participação em grupos e organizações sociais, 32,5% responderam que participam, enquanto que a maioria (67%) não participa de grupos ou organização social.

44 Conclusões... A partir da análise comparativa dos resultados dos surveys aplicados no município, 1968 e 2005; das opiniões de lideranças locais; da análise do desempenho econômico e de IDH (IBGE e FEE) e da evolução da participação eleitoral (TRE-RS) é possível comprovar a hipótese geral do trabalho de tese. Isto é: houve um declínio de manifestações cívicas com a diminuição da participação política convencional (reuniões partidárias, partidos políticos, comícios, eleições); altos índices de desconfiança (interpessoal, instituições políticas); redução do associativismo e cooperação (individualismo, familismo amoral, baixa participação comunitária), além da estagnação econômica e da qualidade de vida – estas são algumas manifestações do impacto negativo do capital social de Ijuí que esta tese procurou evidenciar no decorrer de suas páginas.

45 NÍVEIS DE EDUCAÇÃO E CAPITAL SOCIAL EM IJUÍ - RS

46

47

48

49

50

51

52 Teses centrais O declínio do capital social é uma realidade mundial (Europa, EUA, RS Quanto menor for a incidência de relações hierárquicas e autocráticas sobre uma coletividade, maior a possibilidade de auto-construção de uma comunidade, acúmulo e reprodução de capital social. Quanto maior for o clientelismo e violência dos governantes (como reguladores autocráticos) menor a possibilidade de criar capital social. Quanto maior for a cooperação entre as pessoas maior será a possibilidade de sucessos dos agentes na promoção de resultados satisfatórios. Quanto menor o grau de instrução menor o interesse por assuntos políticos Quanto maior o grau de instrução maior a insatisfação com o funcionamento da democracia no Brasil Quanto menor o grau de instrução maior a desconfiança entre as pessoas Quanto maior for o grau de instrução mais importante a pessoa considera a sua participação na resolução dos problemas do país Quanto menor o grau de instrução menor a identificação com algum partido político

53 UMA ANOTAÇÃO FINAL “A diferença das outras formas de capital que se consomem com seus uso, o Capital Social é a única forma de capital que quanto mais se usa mais cresce”. Albert Hirschman (Princeton)

54 Agradecemos a atenção !!!


Carregar ppt "DIMENSÕES DO CAPITAL SOCIAL: CONCEITOS E APLICAÇÕES"

Apresentações semelhantes


Anúncios Google