A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Prof. Rodrigo Braz de Castilho Almeida IMPORTÂNCIAS DAS FLORESTAS.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Prof. Rodrigo Braz de Castilho Almeida IMPORTÂNCIAS DAS FLORESTAS."— Transcrição da apresentação:

1 Prof. Rodrigo Braz de Castilho Almeida IMPORTÂNCIAS DAS FLORESTAS

2 -Influências no clima -Conservação do solo -Funções Sociais -Biodiversidade ASSUNTOS PRINCIPAIS

3 -Áreas florestadas podem evitar o aquecimento global -CO2 Fixação de carbono -Diminuição de CO2 na atmosfera: -Plantas C3; C4 e CAM -Desmatamento e queimadas causam o aumento de CO2 na atmosfera de CO2 na atmosfera -1,7 bilhões de toneladas/ano de CO2 -Efeito Estufa INFLUÊNCIAS NO CLIMA

4 -Interferências no micro-clima e no clima de uma região -Funcionam como reguladores climáticos -Contribuem para a formação de nuvens devido a transpiração das plantas a transpiração das plantas INFLUÊNCIAS NO CLIMA

5 -A floresta amortece os impactos das gotas de chuva no solo -Ocorre a infiltração mais lenta da água no solo -Recarga dos aquíferos -Diminuição da erosão e riscos de deslizamentos de encostas CONSERVAÇÃO DO SOLO

6 -Diminuição do arraste de substâncias evitando o desgaste do solo (camada fértil) o desgaste do solo (camada fértil) -Evita o assoreamento dos mananciais hídricos -Protege o solo contra a perda excessiva de água e dos raios ultravioletas CONSERVAÇÃO DO SOLO

7 -MATAS CILIARES: exemplo de importância -Barreira física -Interceptação e absorção da luz -Estabilização térmica dos pequenos riachos -Fonte de matéria orgânica para o ambiente aquático CONSERVAÇÃO DO SOLO

8 -Potencial das florestas para o desenvolvimento de atividades educativas e recreativas -Turismo ecológico - ecoturismo -Desmatamento provoca a desfiguração da paisagem -Perda do valor estético e qualidade cênica do ambiente -Desaparecimento de culturas locais FUNÇÃO SOCIAL DAS FLORESTAS

9 -Perda do valor estético e qualidade cênica do ambiente -Desaparecimento de culturas locais -Atividades extrativistas equilibradas com a natureza -Populações tradicionais: indígenas, quilombolas e caiçaras FUNÇÃO SOCIAL DAS FLORESTAS

10 -São os hábitats da fauna silvestre -Degradação da vegetação causa extinção -Fauna é responsável pela manutenção das espécies vegetais (polinização e dispersão) -Alterações ambientais interferem diretamente Nas complexas interações entre plantas e animais -BIODIVERSIDADE!!! FORMAÇÕES VEGETAIS NATIVAS

11 BIODIVERSIDADE E BIOLOGIA DA CONSERVAÇÃO PORQUÊ CONSERVAR A BIODIVERSIDADE? - A espécie humana é dependente da Biodiversidade QUESTÃO DE SOBREVIVÊNCIA QUESTÃO DE SOBREVIVÊNCIA Recursos Biológicos Recursos Biológicos - 40% da economia mundial - cerca de 100% da alimentação mundial - 30% da fonte de energia no Brasil

12 BIODIVERSIDADE E BIOLOGIA DA CONSERVAÇÃO BIODIVERSIDADE E BIOLOGIA DA CONSERVAÇÃO PORQUÊ CONSERVAR A BIODIVERSIDADE? -Matéria prima de importantes fármacos - Estima-se que 2 a 8% das espécies atuais estarão extintas em 25 anos - Além da tragédia ecológica, terá graves influências no desenvolvimento social e econômico mundial

13 -Crise da Biodiversidade: atrai a atenção de toda a comunidade mundial a comunidade mundial -Biologia da Conservação: voltada para a perda da diversidade diversidade -Projetos Conservacionistas e Publicações BIODIVERSIDADE E BIOLOGIA DA CONSERVAÇÃO BIODIVERSIDADE E BIOLOGIA DA CONSERVAÇÃO

14 -Comunidades biológicas: levaram milhões de anos para se desenvolver desenvolver -Ação antrópica: transformação dos sistemas naturais -Espécies diminuem à ritmo de extinção -Ciclos naturais hidrológicos e químicos vêm sendo perturbados BIODIVERSIDADE E BIOLOGIA DA CONSERVAÇÃO BIODIVERSIDADE E BIOLOGIA DA CONSERVAÇÃO

15 -Bilhões de toneladas de solo vão para rios, lagos e oceanos -A diversidade genética diminuiu -Clima do planeta alterado: poluição atmosférica e desmatamento BIODIVERSIDADE E BIOLOGIA DA CONSERVAÇÃO BIODIVERSIDADE E BIOLOGIA DA CONSERVAÇÃO

16 PERDA DA BIODIVERSIDADE -Demandas de uma população humana que cresce rapidamente -Contínuos avanços tecnológicos -A desigualdade na distribuição de renda, no mundo e no Brasil (MEGADIVERSIDADE): a situação é ainda pior no Brasil (MEGADIVERSIDADE): a situação é ainda pior BIODIVERSIDADE E BIOLOGIA DA CONSERVAÇÃO BIODIVERSIDADE E BIOLOGIA DA CONSERVAÇÃO

17 -Causas sinergéticas: vários fatores independentes atuando como pressões seletivas -Fatores: chuva, corte e transporte de madeira e caça e pesca predatória, outros fatores... e pesca predatória, outros fatores... -O QUE É RUIM PARA A DIVERSIDADE BIOLÓGICA, É RUIM PARA A ESPÉCIE HUMANA É RUIM PARA A ESPÉCIE HUMANA BIODIVERSIDADE E BIOLOGIA DA CONSERVAÇÃO BIODIVERSIDADE E BIOLOGIA DA CONSERVAÇÃO

18 -Seres humanos: obtêm no ambiente natural o ar, água, matérias-primas, alimento, medicamentos, e outras mercadorias matérias-primas, alimento, medicamentos, e outras mercadorias e serviços de que tanto dependem e serviços de que tanto dependem -Ações estão sendo e serão tomadas para impedir a destruição -As próximas décadas determinarão quantas espécies sobreviverão BIODIVERSIDADE E BIOLOGIA DA CONSERVAÇÃO BIODIVERSIDADE E BIOLOGIA DA CONSERVAÇÃO

19 -BRASIL: proteção de espécies, criação de áreas de conservação, proteção aos parques nacionais, determinarão quais espécies serão preservadas e quais serão extintas -NO FUTURO: as gerações atuais serão lembradas como um período que poucas pessoas determinadas salvaram inúmeras espécies e comunidades biológicas BIODIVERSIDADE E BIOLOGIA DA CONSERVAÇÃO BIODIVERSIDADE E BIOLOGIA DA CONSERVAÇÃO

20 -Têm significados diferentes -FUNDO MUNDIAL PARA A NATUREZA: A riqueza da vida na Terra, os milhões de plantas, animais e microrganismos, os genes que eles contêm e os intrincados ecossistemas que eles ajudam a construir no meio ambiente BIODIVERSIDADE OU DIVERSIDADE BIOLÓGICA BIODIVERSIDADE OU DIVERSIDADE BIOLÓGICA

21 -A DIVERISDADE BIOLÓGICA deve ser considerada em três níveis principais: Nível de Espécie Nível de Espécie Nível de Comunidades Nível de Comunidades Nível de Ecossistemas Nível de Ecossistemas BIODIVERSIDADE OU DIVERSIDADE BIOLÓGICABIODIVERSIDADE OU DIVERSIDADE BIOLÓGICA

22 -Níveis da diversidade biológica: são necessários para a sobrevivência contínua das espécies e das comunidades naturais e todos são importantes para a espécie humana -Diversidade das espécies: representa o alcance das adaptações evolucionárias e ecológicas das espécies em determinados ambientes -Diversidade de espécies: fornece recursos e alternativas às pessoas BIODIVERSIDADE OU DIVERSIDADE BIOLÓGICABIODIVERSIDADE OU DIVERSIDADE BIOLÓGICA

23 -Diversidade genética: necessária para as espécies manterem a vitalidade reprodutiva, a resistência a doenças e a habilidade para se adaptar a mudanças -Diversidade genética: em plantas e animais é especificamente importante para programas de melhoramento voltados para desenvolver, manter e melhorar espécies agrícolas modernas BIODIVERSIDADE OU DIVERSIDADE BIOLÓGICABIODIVERSIDADE OU DIVERSIDADE BIOLÓGICA

24 -Diversidade ao nível de comunidade: representa a resposta coletiva das espécies às diferentes condições ambientais -Comunidades biológicas em desertos, pântanos e florestas, dão continuidade ao funcionamento apropriado de ecossistemas, fornecendo serviços benéficos tais como controle de enchentes, proteção do solo contra a erosão e filtragem do ar e da água BIODIVERSIDADE OU DIVERSIDADE BIOLÓGICA BIODIVERSIDADE OU DIVERSIDADE BIOLÓGICA

25 -A maior diversidade biológica do mundo é encontrada nas regiões tropicais, com grande concentração nas florestas tropicais, recifes de corais, lagos e oceanos -A maioria das espécies do mundo ainda não foi descrita ou identificada BIODIVERSIDADE OU DIVERSIDADE BIOLÓGICA BIODIVERSIDADE OU DIVERSIDADE BIOLÓGICA

26 PERDENDO UM BEM DE VALOR -Para descobrir, catalogar e preservar a grande diversidade de espécies, uma nova geração de técnicos conservacionistas deve ser treinada -Mudanças no pensamento político e social atual -Diversidade biológica é de extremo valor – na verdade essencial para a existência humana EXTINÇÃO E ECONOMIA

27 -As mudanças ocorrerão somente se as pessoas sentirem que estão realmente perdendo algo de valor ao continuar a danificar as comunidades biológicas EXTINÇÃO E ECONOMIA

28 PADRÕES DE EXTINÇÃO -A diversidade de espécies no planeta Terra está aumentando desde que surgiu a vida -São períodos instáveis caracterizados por perídos de mudança mínima e episódios de extinção em massa EXTINÇÃO E ECONOMIA

29 PADRÕES DE EXTINÇÃO -A especiação é um processo lento -Taxa de especiação se torna igual ou excede a taxa de extinção, e a biodiversidade permanece constante ou aumenta EXTINÇÃO E ECONOMIA

30 PADRÕES DE EXTINÇÃO -Ação antrópica: tem causado extinção em uma proporção que excede, em muito a taxa de reposição das espécies -A perda de espécies atual não tem precedentes: é única e pode ser irreversível!!! - A Terra está passando pelo sétimo evento de mega-extinção EXTINÇÃO E ECONOMIA

31 QUAIS OS PRINCIPAIS PROCESSOS RESPONSÁVEIS PELA PERDA DE BIODIVERSIDADE? - Destruição e fragmentação de hábitat - Introdução de espécies e doenças exóticas - Exploração excessiva de espécies - Uso de híbridos e monoculturas na agroindústria e nos reflorestamentos

32 EXTINÇÃO E ECONOMIA QUAIS OS PRINCIPAIS PROCESSOS RESPONSÁVEIS PELA PERDA DE BIODIVERSIDADE? -Contaminação do solo, água e ar por poluentes - Mudanças climáticas -Principal Agente causador: -Principal Agente causador: HOMEM

33 ECONOMIA AMBIENTAL -Este novo campo da economia está desenvolvendo métodos para estimar o valor da diversidade biológica -Surgem argumentos precisos para a proteção e conservação biológica -Grandes projetos de desenvolvimento estão cada vez mais sendo analisados por avaliações de impacto ambiental e análises de custo-benefício, antes de serem aprovados. EXTINÇÃO E ECONOMIA

34 VALORES ECONÔMICOS DIRETOS -Designado a produtos que são colhidos e consumidos pelas pessoas -Dividido em valor de consumo e valor produtivo EXTINÇÃO E ECONOMIA

35 VALORES ECONÔMICOS DIRETOS -VALOR DE CONSUMO: é dado a produtos que são consumidos localmente – tais como madeira para queima, medicamentos locais e material para construção -VALOR PRODUTIVO: é um valor direto atribuído a produtos que são extraídos do ambiente e vendidos no comércio nacional ou internacional. EX: Castanha do Pará EXTINÇÃO E ECONOMIA

36 VALORES ECONÔMICOS DIRETOS - EXEMPLOS DE VALOR PRODUTIVO: Corresponde a 4,5% do PIB dos EUA (87 bilhões de dólares) Corresponde a 4,5% do PIB dos EUA (87 bilhões de dólares) A madeira é o principal produto extraído das florestas A madeira é o principal produto extraído das florestas Caça, borrachas e resinas, plantas medicinais também têm grande valor de uso produtivo Caça, borrachas e resinas, plantas medicinais também têm grande valor de uso produtivo EXTINÇÃO E ECONOMIA

37 VALORES ECONÔMICOS DIRETOS Produtos não madeireiros, juntamente com o valor das florestas em outras funções são fortes argumentos conservacionistas Produtos não madeireiros, juntamente com o valor das florestas em outras funções são fortes argumentos conservacionistas Existem novas possibilidades para a indústria, agricultura e para o melhoramento genético Existem novas possibilidades para a indústria, agricultura e para o melhoramento genético EXTINÇÃO E ECONOMIA

38 VALORES ECONÔMICOS DIRETOS Produtos não madeireiros, juntamente com o valor das florestas em outras funções são fortes argumentos conservacionistas Produtos não madeireiros, juntamente com o valor das florestas em outras funções são fortes argumentos conservacionistas Existem novas possibilidades para a indústria, agricultura e para o melhoramento genético- Exemplo: variedade de milho Existem novas possibilidades para a indústria, agricultura e para o melhoramento genético- Exemplo: variedade de milho EXTINÇÃO E ECONOMIA

39 VALORES ECONÔMICOS INDIRETOS -Podem ser destinados a aspectos da diversidade biológica, tais como processos ambientais e serviços proporcionados por ecossistemas, que propiciam benefícios econômicos sem terem que ser colhidos e destruídos durante o uso EXTINÇÃO E ECONOMIA

40 VALORES ECONÔMICOS INDIRETOS -Podem ser destinados a aspectos da diversidade biológica, tais como processos ambientais e serviços proporcionados por ecossistemas, que propiciam benefícios econômicos sem terem que ser colhidos e destruídos durante o uso -Valor Não Consumista; Valor de Opção; Valor de Existência -Considerações Éticas EXTINÇÃO E ECONOMIA

41 VALOR NÃO CONSUMISTA –EX: polinização das culturas -Produtividade do ecossistemas -Proteção da água e recursos do solo -Controle climático -Dejetos EXTINÇÃO E ECONOMIA

42 VALOR NÃO CONSUMISTA –EX: polinização das culturas -Relacionamento entre espécies -Recreação e ecoturismo -Valor educacional e científico -Indicadores ambientais EXTINÇÃO E ECONOMIA

43 VALOR OPÇÃO -O valor de opção de uma espécie é seu potencial para fornecer um benefício econômico para a sociedade humana em algum determinado momento do futuro EXTINÇÃO E ECONOMIA

44 VALOR DE EXISTÊNCIA -Muitas pessoas no mundo todo se preocupam com a vida selvagem e com plantas e estão voltadas para a sua conservação EXTINÇÃO E ECONOMIA

45 CONSIDERAÇÕES ÉTICAS - TODAS AS AS ESPÉCIES TEM O DIREITO DE EXISTIR -Todas as espécies são interdependentes -Limites: os mesmos para os homens e as outras espécies -A sociedade tem a responsabilidade de proteger a Terra EXTINÇÃO E ECONOMIA

46 CONSIDERAÇÕES ÉTICAS -O respeito pela a vida e diversidade humana é compatível com o respeito pela diversidade biológica -A natureza tem um valor estético e espiritual que transcende seu valor econômico -A diversidade biológica é necessária para determinar a origem da vida EXTINÇÃO E ECONOMIA

47 Economia x Ecologia Costuma-se pensar que ecologia faz parte da economia. Ecologia é, segundo esta visão, custo para a empresa, como por exemplo tratamento de efluentes. Na verdade, é o contrário. A economia é uma parte da ecologia. É a parte da ecologia que possui um preço." Lester Brown Earth Policy Institute, Washington DC

48 DEFININDO O PROCESSO DE CONSERVAÇÃO Decidir o que conservar é uma questão básica e crucial em qualquer atividade de conservação. Após a constatação da diversidade entre as espécies, o foco da questão é alterado - conservar a espécie não é suficiente! Deve ser conservado o potencial evolutivo da espécie, representado pela variabilidade genética existente dentro e entre as populações. Deve ser conservado o potencial evolutivo da espécie, representado pela variabilidade genética existente dentro e entre as populações. CONSENSO NOS ESTUDOS: os esforços de conservação devem focalizar grupos de linhagens evolutivas nas espécies (unidades evolutivamente significativas), identificados como unidades de conservação.

49 ESTRATÉGIAS PARA CONSERVAÇÃO DA BIODIVERSIDADE - Criação de parques e áreas de proteção - Uso sustentável de áreas protegidas - Manejo de espécies ameaçadas - Criação em cativeiro - Banco de sementes e de germoplasma - Banco de sêmen e embriões - Conservação genética de espécies: local protegido in situ: local protegido amostras de DNA ex situ: amostras de DNA

50 MÉTODOS E ETAPAS PARA DEFINIR MÉTODOS E ETAPAS PARA DEFINIR UNIDADES DE CONSERVAÇÃO UNIDADES DE CONSERVAÇÃO Coleta e armazenamento de dados genéticos e ecológicos sobre as populações. Coleta e armazenamento de dados genéticos e ecológicos sobre as populações. Análise dos dados e identificação dos componentes do sistema, com o uso de técnicas fenéticas e cladísticas. Análise dos dados e identificação dos componentes do sistema, com o uso de técnicas fenéticas e cladísticas. Determinação das relações de hierarquia genético/ecológicas entre as populações. Decisão dos níveis apropriados dos esforços de conservação, com base no patrimônio evolutivo das espécies (escolha dos componentes evolutivos a preservar).

51 Todas as espécies correm o risco de perderem recursos genéticos em conseqüência da atividade humana, que causa alterações nos hábitos e na estrutura das populações Todas as espécies correm o risco de perderem recursos genéticos em conseqüência da atividade humana, que causa alterações nos hábitos e na estrutura das populações turismo exploração petrolífera urbanização pesca lazer atividade portuária especulação imobiliária ATIVIDADES HUMANAS

52 CONSERVAÇÃO DOS ESTOQUES NATURAIS Processos de exploração excessiva podem causar: Mudanças numéricas na captura por unidade de esforço Alterações na idade da primeira maturação Alterações na taxa de crescimento Mudanças na estrutura das populações (redução no intervalo de geração). Utilização de práticas de captura que removem seletivamente certos fenótipos, podem desequilibrar o sistema: Regulação do tamanho de nós das redes seleciona e remove indivíduos grandes, de crescimento precoce, de maturação tardia. Exploração de estoques mistos em áreas comuns de alimentação: Exploração de estoques mistos em áreas comuns de alimentação: Pode levar à extinção de estoques menores, menos produtivos, mas importantes para o equilíbrio do ecossistema.

53 CONSERVAÇÃO GENÉTICA ? Teve início a cerca de 20 anos, mas só a partir de 1995 teve reconhecimento científico Objetivo principal da conservação genética é estudar a diversidade genética das espécies, das populações naturais, que poderão sofrer ou já sofreram ação antrópica O primeiro passo é conhecer as relações genéticas entre os organismos estudados O segundo passo é aplicar técnicas de manejo para preservar a diversidade biológica das espécies união da ecologia, etologia, biologia molecular, genética de populações, estatística e sistemática evolutiva Conservação genética

54 QUANDO OCORREM OS ESTUDOS DE CONSERVAÇÃO GENÉTICA?. Destruição de habitats. grandes construções. turismo. especulação imobiliária. Indústrias. aterros,.... Redução no tamanho populacional de uma espécie. Redução no tamanho populacional de uma espécie. diminuição de pescado em determinadas regiões. desaparecimento de algumas espécies na área nativa como: macacos,araras,...

55 POR QUÊ A DIVERSIDADE GENÉTICA É TÃO IMPORTANTE? - Se a diversidade genética for baixa em vários genes numa espécie, esta espécie estará correndo sérios riscos de extinção - Se a maioria dos genes tiver apenas um alelo, todos os indivíduos serão praticamente idênticos - Se houver uma pressão seletiva ( ), nenhum indivíduo dessa população terá condições necessárias para suportar a nova condição, assim, a população sofrerá uma drástica redução - Se houver uma pressão seletiva (queda brusca de temperatura), nenhum indivíduo dessa população terá condições necessárias para suportar a nova condição, assim, a população sofrerá uma drástica redução

56 COMO OCORRE A REDUÇÃO DA DIVERSIDADE GENÉTICA? - A redução de diversidade genética nas populações é resultado de: (pressões seletivas, mudanças de migração, isolamento geográfico, estabelecimento de uma nova população por poucos indivíduos, efeito fundador) - Cada um destes fatores afetam os indivíduos da população resultando em diferentes freqüências alélicas nas futuras gerações. - Quanto menor a população, mais suscetível a estes fatores e a redução da diversidade genética

57 BIODIVERSIDADE E BIOLOGIA DA CONSERVAÇÃO CONSERVAR ESPÉCIES NÃO É SÓ TRABALHO PARA BIÓLOGOS; INÚMEROS PROFISSIONAIS ESTÃO ENVOLVIDOS NESTA MEGA-TAREFA RODRIGUES, E. MUITO OBRIGADO!!!!


Carregar ppt "Prof. Rodrigo Braz de Castilho Almeida IMPORTÂNCIAS DAS FLORESTAS."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google