A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Publicidade e Propaganda1 Publicidade e Propaganda 3ª Parte.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Publicidade e Propaganda1 Publicidade e Propaganda 3ª Parte."— Transcrição da apresentação:

1 Publicidade e Propaganda1 Publicidade e Propaganda 3ª Parte

2 Publicidade e Propaganda2 Minha gente, quer dizer, brasileiros e brasileiras... A grande maioria dos políticos ainda acreditam que são os donos da padarias... Ainda acreditam que publicitário é tudo ladrão... Que fazendo ele mesmo, fica bom e barato...

3 Publicidade e Propaganda3 Minha gente, quer dizer, brasileiros e brasileiras... Por sorte um ou outro acaba se convencendo do contrário; Após enfrentar uma desgastante campanha eleitoral; Investir o que tem e o que não tem; E ainda sentir o gosto amargo de ver o outro assumir o cargo tão desejado.

4 Publicidade e Propaganda4 Minha gente, quer dizer, brasileiros e brasileiras... Muitos políticos desconhecem as possibilidades que um publicitário ou profissional de marketing oferecem; Os iniciantes na carreira política desconhece a própria estrutura política em que pretendem se inserir; Vereadores fazem planos de governo que nem presidente da república conseguiria implementar. Se os candidatos desconhecem suas atribuições, o que dizer das regras que regulam uma campanha eleitoral?

5 Publicidade e Propaganda5 Regras para a propaganda eleitoral Vivemos num país de várias leis, muitas vezes regulamentando o mesmo assunto; Com as eleições não é diferente; Dentre as diversas leis sobre o processo eleitoral a compilação mais abrangente seria a Lei nº 9.504, de 30 de setembro de 1997, que engloba, entre outras, a regras da propaganda eleitoral.

6 Publicidade e Propaganda6 Regras para a propaganda eleitoral De acordo com essa lei: –A propaganda eleitoral só pode acontecer a partir de 5 de julho do ano em que ocorre o pleito; –O 1º turno acontece sempre no primeiro domingo de outubro; –O 2º turno (se necessário) no último domingo; –A véspera da eleição fica determinada como prazo final para a propaganda eleitoral; –O horário político no RD e na TV deve se encerrar um dia antes, ou seja, na antevéspera.

7 Publicidade e Propaganda7 Regras para a propaganda eleitoral Porque ter prazos para início e fim de propaganda eleitoral? –Candidatos com maiores recursos e candidatos à reeleição (em exercício) viveriam em campanha; –Teríamos um desvirtuamento do processo eleitoral: A vida das pessoas e da justiça seria um verdadeiro inferno

8 Publicidade e Propaganda8 Regras para a propaganda eleitoral Período das eleições Acontecem a cada dois anos; Intercalando as disputa para; –presidente e vice-presidente da República, – governador e vice-governador de Estado e do DF, –senador e –deputado estadual e –deputado federal com a disputa para cargos de –prefeito, vice prefeito e –vereador.

9 Publicidade e Propaganda9 Regras para a propaganda eleitoral De acordo com o parágrafo 5º do artigo 39, constituem crime, no dia da eleição, puníveis com detenção, de 6 meses a 1 ano, a alternativa de prestação serviços à comunidade pelo mesmo período, e com valor de 5 a 15 mil UFIRS (1, /2008): –O uso de alto-falantes e amplificadores de som ou a promoção de comício ou carreata; –A distribuição de material de propaganda política, inclusive volantes e outros impressos, ou a prática de aliciamento, coação ou manifestação tendentes a influir na vontade do eleitor.

10 Publicidade e Propaganda10 Regras para a propaganda eleitoral A Lei nº é bastante completa no que se refere à propaganda eleitoral, estabelecendo punições criminais e eleitorais. Vai do preciosismo de determinar o percentual de painéis de outdoor a ser distribuído entre os diversos candidatos; Ao cuidado de estabelecer o limite de aparições de um mesmo candidato em debates transmitidos pelas diferentes emissoras de TV.

11 Publicidade e Propaganda11 Regras para a propaganda eleitoral A legislação eleitoral brasileira pode ser considerada uma das mais completas do mundo e, se excessos e abusos ainda ocorrem, é muito mais pela falta de fiscalização do que pela ausência de rigor na lei.

12 Publicidade e Propaganda12 Profissional x resultado da eleição: cadê o culpado? Uma campanha pode assumir proporções muito variadas, indo de; –estruturas grandiosas; –a disputas cuja organização não necessita de mais que uma casa bem localizada. O que muda é o tamanho e diversidade dos eleitores a serem conquistados. Uma campanha presidencial: –Regionalismo –Crenças; –Prioridades.

13 Publicidade e Propaganda13 Profissional x resultado da eleição: cadê o culpado? Complexidade (não dificuldade): Eleição do governador de São Paulo; Eleição do prefeito de Lorena. Geralmente, todas as campanhas são difíceis (com exceção de uma ou outra barbada), principalmente para os políticos. Barbada –substantivo feminino 1 o lábio inferior do cavalo 2 (1958)Rubrica: turfe. Regionalismo: Brasil. Uso: informal. cavalo favorito de um páreo, por sua comprovada superioridade em relação aos demais; carne-assada 3 Derivação: por extensão de sentido. Rubrica: esportes. Regionalismo: Brasil. Uso: informal. competição considerada fácil de ser vencida Ex.: este jogo vai ser uma b. 4 Derivação: por extensão de sentido. Regionalismo: Brasil. Uso: informal. qualquer tarefa em que se alcança êxito com facilidade Ex.: o vestibular foi uma b. 5 Rubrica: veterinária. ferida ou calo formado no local onde se prende a barbela

14 Publicidade e Propaganda14 Profissional x resultado da eleição: cadê o culpado? O que muda mesmo é o tamanho e diversidade de eleitores a ser conquistados; Independentemente do tamanho, as decisões são tomadas por um grupo muito pequeno de pessoas; Pode acontecer de um só profissional encarregado de centralizar as decisões; Essa centralização nem sempre é bem interpretada; Confundem o profissional vs político para quem ele trabalhava. O profissional deve ser encarado como um outro que escreve roteiros para comerciais de cigarro e bebidas.

15 Publicidade e Propaganda15 Profissional x resultado da eleição: cadê o culpado? As pessoas acreditam que o trabalho desenvolvido está atrelado a relacionamentos políticos (ideologias, convicções); Crenças individuais não podem exercer nenhuma influência no trabalho; Desenvolver uma campanha de um candidato com convecção de esquerda não quer dizer que ele seja de esquerda.

16 Publicidade e Propaganda16 Profissional x resultado da eleição: cadê o culpado? Agências desenvolvem campanhas de candidatos com perfis opostos em estados diferentes; Muitas vezes os resultados surpreendem, contrariando as pesquisas e previsões; A culpa da derrota pode ser atribuída ao trabalho desenvolvido pela agência; Algumas derrotas podem ser de responsabilidade do marketeiro.

17 Publicidade e Propaganda17 O resultado das urnas Os resultados das urnas, algumas vezes de absoluta aberração: –Nível cultural do eleitorado; –A região do país; –O perfil dos candidatos; Exemplo: no sul candidatos de posicionamento ditos de esquerda levam vantagem: imigrantes europeus politizados e a estrutura produtiva de pequenas propriedades, com forte influência cooperativista.

18 Publicidade e Propaganda18 O resultados das urnas Exemplo: no nordeste temos um domínio político familiar histórico. Gerações se revezam no poder em diversos estados. Mesmo nessa regiões onde os resultados são previsíveis, vemos que o comportamento do eleitor é diferente do consumidor: –Eleitor busca relação pessoal com o candidato (velho amigo). –Em algumas regiões, o aperto de mão pode ser considerado a mais eficiente das estratégias eleitorais. –Desprezam-se até a posição partidária.

19 Publicidade e Propaganda19 Partidos A configuração partidária no Brasil faz com que as poucas pessoas sejam capazes de diferenciar as metas entre os vários partidos: PPB, PFL, PT, PV, PC, PC do B, etc. No Brasil a figura do partido político no processo eleitoral vale muito pouco Brasileiros votam em pessoas e não em ideologias políticas.

20 Publicidade e Propaganda20 Pesquisas As pesquisas qualitativas são a essência e o ponto de partida do planejamento de uma campanha política. Contrata-se um instituto de pesquisa: –Passa-se um briefing contendo as principais orientações sobre o candidato; –Suas pretensões políticas (cargo almejado, partido político, plataforma básica, materiais das campanha anteriores, etc.)

21 Publicidade e Propaganda21 Pesquisas Com essas informações, um grupo de pessoas, que estatisticamente representam a comunidade a ser pesquisada, é selecionado. 10, 12 ou 15 pessoas são agrupadas e entrevistadas (médicos, donas de casa, operários); Um formulários preparado previamente é utilizado. A reunião pode durar várias horas: –Fornece informações sobre a personalidade do candidato; –Principais reivindicações; –Pontos positivos e negativo (caso seja uma figura conhecida), etc. O resultado da pesquisa é tabulado e passado para a agência que faz um planejamento da campanha

22 Publicidade e Propaganda22 Pesquisas É da pesquisa que saem decisões sobre a foto que será utilizada; A principal proposta política a ser apresentada à comunidade; O material básico da campanha. O restante da campanha é monitorado por outras pesquisas qualitativas, realizadas de acordo com a necessidade. Variáveis sempre modificam, com mais ou menos intensidade, o planejamento inicial

23 Publicidade e Propaganda23 Tópicos para a criação de textos A vida pregressa do candidato; As propostas de trabalho (plataforma eleitoral); Os trabalhos já realizados; A padronização e a diversificação das peças; A linguagem a ser utilizada; A diversificação dessa linguagem; O dinamismo da criação; A cumplicidade com o leitor; O compromisso com a honestidade; A importância de ser eleito; Prometer e cumprir; A frase da campanha.

24 Publicidade e Propaganda24 Exercício em grupos de 4 pessoas Utilizando como approach a vida pregressa do candidato desenvolva uma série de 4 anúncios (2 para jornal, 1 para revista e 1 outdoor). Oriente-se pelas informações a seguir: a)Produto: Marcio Solimões. Candidatura pleiteada: Deputado Federal. b)Partido: PMDB. Estado: Rio de Janeiro c)Realizações nas áreas da Saúde e Educação. Idealize uma vida profissional para o candidato baseada em atividades nessas áreas. d)Um membro do grupo deverá fazer uma apresentação das peças desenvolvidas na próxima aula.


Carregar ppt "Publicidade e Propaganda1 Publicidade e Propaganda 3ª Parte."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google