A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Movimentação de Materiais 1.0 Movimentação de Materiais É a operação de deslocamento físico de materiais de um local para outro, dentro da instalação de.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Movimentação de Materiais 1.0 Movimentação de Materiais É a operação de deslocamento físico de materiais de um local para outro, dentro da instalação de."— Transcrição da apresentação:

1 Movimentação de Materiais 1.0 Movimentação de Materiais É a operação de deslocamento físico de materiais de um local para outro, dentro da instalação de armazenamento. 2.0 Formas de Movimentação Manual: quando as operações são executadas pelo homem sem auxílio de equipamento. Mecanizada: quando as operações são efetuadas por equipamentos de movimentação de materiais e dirigidas por homens. Automatizadas:quando operada por computador.

2 Função da Movimentação A movimentação de materiais pode ser considerada como tendo a função de movimento, lugar, tempo, quantidade e espaço. a) Movimento: deslocamento de peças, materiais e produtos acabados, de maneira mais eficientes. b) Lugar: responsabilidade de verificar se o material desejado está entregue no lugar certo.

3 Função da Movimentação c) Tempo: os materiais devem chegar ao local de trabalho, fábrica ou cliente no momento exato. d) Quantidade: providenciar para cada operação, a quantidade exata dos materiais necessários. e) Espaço: espaço de armazenagem é um dos elementos mais importantes em qualquer fábrica.

4 Equipamentos de Movimentação Conceito: são dispositivos utilizados para movimentação de materiais. Tipos de Equipamentos: os equipamentos de movimentação subdividem-se em:

5 Equipamentos de Movimentação a) Veículos Industriais Veículos motorizados ou não, empregados para mover cargas mistas ou uniformes, em caminhos variados com superfície adequada, onde as funções principais são manobrar e movimentar. Principais equipamentos: Empilhadeiras - frontal, lateral, patrola Carrinhos industriais Carrinhos porta-bandeira Paleteira manual Transpaleteira elétrica

6 Equipamentos de Movimentação b) Equipamentos de Elevação e Transporte Dispositivos aéreos utilizados para movimentar cargas variam, intermitente, entre dois pontos, dentro de uma área limitada, onde a função principal é transferir. Principais equipamentos: Guindastes Guindastes auxiliares para veículos Talhas Ponte rolante Monovia

7 Equipamentos de Movimentação c) Transportadores Contínuos Dispositivos motorizados ou transportadores por meio da gravidade, instalados em rotas fixas e de movimento contínuo, onde a função principal é transportar. Principais equipamentos: Transportadores de esteira Transportadores de rolo Transportadores de caçamba Plano inclinado

8 Intermodalidade

9 Intermodalidade Definição Ao analisar o conceito de transporte por mais de um modal encontramos na literatura um conjunto de definições que não convergem necessariamente. A grande divergência está relacionada à diferença entre os termos intermodalidade e multimodalidade.

10 Intermodalidade Histórico Conceitos Fase 1 - Movimentação caracterizada apenas pelo uso de mais de um modal. Fase 2 - Melhoria da eficiência na integração entre modais. A utilização de containeres, de equipamentos de movimentação em terminais, transferência de carga de um modal para outro, possibilita a melhoria do desempenho no transbordo da carga. Fase 3- Integração total da cadeia de transporte, de modo a permitir um gerenciamento integrado de todos os modais utilizados, caracterizando uma movimentação porta-a-porta com a aplicação de um único documento.

11 Custeio Transporte Rodoviário Introdução O transporte de carga rodoviário no Brasil chama a atenção por faturar mais de R$ 40 bilhões e movimentar 2/3 do total de carga do país. Por outro lado, destaca-se por ser palco de várias greves e impasses, quase sempre com um motivo comum: o valor do frete.

12 Transporte Rodoviário Dados Brasil 350 mil transportadores autônimos 12 mil empresas transportadoras 50 mil transportadoras frota própria

13 Custos Transporte Rodoviário Fixo: independem do nível de atividade Variáveis : aumentam de acordo com o crescimento do nível de atividade Dessa forma, todos os custos que ocorrem de maneira independente ao deslocamento do caminhão são considerados fixos e os custos que variam de acordo com a distância percorrida(Quilometragem) são considerados variáveis.

14 Etapas do Custeio 4 Etapas

15 Definição dos itens de Custos Principais : depreciação – do ponto de vista gerencial, a depreciação pode ser imaginada como o capital que deveria ser reservado para a reposição do bem ao fim de sua vida útil; remuneração do capital – diz respeito ao custo de oportunidade do capital imobilizado na compra dos ativos;(retorn. Investimento) pessoal (motorista) – deve ser considerado tanto o salário quanto os encargos e benefícios;

16 Definição dos itens de Custos seguro do veículo; IPVA/ seguro obrigatório; custos administrativos; combustível; pneus; lubrificantes; manutenção; pedágio;

17 Classificação em Fixos e Variáveis Fixos: depreciação; remuneração do capital; pessoal (motorista); custos administrativos; seguro do veículo; IPVA/ seguro obrigatório. Variáveis: pneus; combustível; lubrificantes; lavagem; lubrificação, manutenção e pedágio. O pedágio não deve ser alocado de acordo com a rota.

18 Gestão Estratégica do Transporte O transporte é o principal componente do sistema logístico. Sua importância pode ser medida através de pelo menos três indicadores financeiros: custos faturamento lucro Qualidade(tempo, confiabilidade e segurança)

19 Tomadas de Decisões GET Estratégicas: caracterizam-se pelo impacto de longo prazo e referem-se a aspectos estruturais; Operacionais:geralmente de curto prazo e referem-se a tarefas do dia a dia ou rotinas de trabalho.

20 Principal Decisão GET é a escolha do Modal São basicamente cinco os modais de transporte de cargas; rodoviário, ferroviário, aquaviário, dutoviário e aéreo. Cada um possui custos e características operacionais próprias; Em geral, quanto maior o desempenho em serviços, maior tende a ser o custo do mesmo.

21 Preços Diferentes Modais Verifica-se na tabela 1 que o preço do frete aéreo nos EUA é mais de cinco vezes superior ao rodoviário, mais de vinte vezes o do ferroviário, mais de 35 vezes o dutoviário, e cerca de 64 vezes o aquaviário. O rodoviário, por seu turno, custa em média quatro vezes mais do que o ferroviário, seis vezes mais do que o dutoviário, e 11 vezes mais do que o aquaviário. Figura 1: Preços Relativos dos Diferentes Modais (em US$ por 1000 ton-quilômetro) (*) Os dados do Brasil foram convertidos para US $ a uma taxa de 2,50 reais por dólar

22 A GET Dimensiona 5 Dimensões para medir o Modal Velocidade Consistência Capacitação Disponibilidade Frequência

23 Velocidade O mais veloz é o aéreo, seguido pelo rodoviário, ferroviário,aquaviário e dutoviário.O conceito real de velocidade para logística é o de porta a porta, por isso o aéreo só leva vantagem em distância médias e longas. Na prática, quanto maior a distância, maior vantagem aéreo pela velocidade. Já o rodoviário e ferroviário, a velocidade é diretamente vinculada ao estado de conservação das vias.

24 Consistência Representa a capacidade de cumprir os tempos previstos. O duto como a melhor opção. Por não ser afetado pelas condições climáticas ou de congestionamentos, o duto apresenta uma alta consistência, seguida na ordem pelo rodoviário, ferroviário, aquaviário e aéreo. O baixo desempenho do aéreo resulta de sua grande sensibilidade a questões climáticas.

25 Capacitação Relaciona-se à possibilidade de um determinado modal trabalhar com diferentes volumes e variedades de produtos. Melhor desempenho é o modal aquaviário, que praticamente não tem limites sobre o tipo de produto que pode transportar, assim como do volume, que pode atingir centenas de milhares de toneladas. O Duto e o aéreo apresentam sérias restrições em relação a esta dimensão. O duto é muito limitado em termos de produtos, pois só trabalha com líquidos e gazes, e o aéreo possui limitações em termos de volume e tipos de produtos.

26 Disponibilidade Refere-se ao número de localidades onde o modal se encontra presente. Aqui, aparece a grande vantagem do rodoviário, que quase não tem limites de onde pode chegar. Teoricamente, o segundo em disponibilidade é o ferroviário.Nos EUA, a malha ferroviária, com cerca de 300 mil Km de extensão. No Brasil nossa malha de apenas 29 mil Km. O modal aquaviário, embora potencial de alta disponibilidade devido à nossa costa de oito mil quilômetros, e nossos cinqüenta mil quilômetros de rios navegáveis, apresenta, de fato, uma baixa disponibilidade, função da escassez de infra- estrutura portuária.

27 Frequência O número de vezes em que o modal pode ser utilizado em um dado horizonte de tempo. O duto é o que apresenta o melhor desempenho. Por trabalhar 24 hs por dia, sete dias por semana, o duto pode ser acionado a qualquer momento, desde que esteja disponível no local desejado.

28 A Escolha do Modal A combinação de preço/custo com o desempenho operacional nestas cinco dimensões de serviços resulta na escolha do modal mais adequado para uma data situação de origem - destino e tipo de produto.

29 Comparação dos Modais

30 Market Share Modais


Carregar ppt "Movimentação de Materiais 1.0 Movimentação de Materiais É a operação de deslocamento físico de materiais de um local para outro, dentro da instalação de."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google