A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

FACULDADE DE MEDICINA DE S. J. DO RIO PRETO DEPARTAMENTO DE GINECOLOGIA E OBSTETRÍCIA DISCIPLINA DE OBSTETRÍCIA DEPARTAMENTO DE GINECOLOGIA E OBSTETRÍCIA.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "FACULDADE DE MEDICINA DE S. J. DO RIO PRETO DEPARTAMENTO DE GINECOLOGIA E OBSTETRÍCIA DISCIPLINA DE OBSTETRÍCIA DEPARTAMENTO DE GINECOLOGIA E OBSTETRÍCIA."— Transcrição da apresentação:

1 FACULDADE DE MEDICINA DE S. J. DO RIO PRETO DEPARTAMENTO DE GINECOLOGIA E OBSTETRÍCIA DISCIPLINA DE OBSTETRÍCIA DEPARTAMENTO DE GINECOLOGIA E OBSTETRÍCIA DISCIPLINA DE OBSTETRÍCIA FUNFARME/FAMERP

2 ABORTAMENTO I. Definição II. Classificação III. Incidência IV. Aspectos Éticos e Médico-legais V. Etiologia VI. Diagnóstico VII. Formas Clínicas e Condutas I. Definição II. Classificação III. Incidência IV. Aspectos Éticos e Médico-legais V. Etiologia VI. Diagnóstico VII. Formas Clínicas e Condutas

3 ABORTAMENTO DEFINIÇÃO É a expulsão ou a extração do concepto pesando menos de 500g dias de gestação semanas de gestação semanas de gestação É a expulsão ou a extração do concepto pesando menos de 500g dias de gestação semanas de gestação semanas de gestação OMS/FIGO (1976): REZENDE, 1998; FEBRASGO, 2000; MINISTÉRIO DA SAÚDE, 2001; NEME, 2000 Latim: Aboriri separação do sítio adequado

4 A. IDADE GESTACIONAL: ABORTAMENTO B. FORMA: CLASSIFICAÇÃO - 1. Precoce - 2. Tardio - 1. Precoce - 2. Tardio - 1. Espontâneo - 2. Induzido - 1. Espontâneo - 2. Induzido REZENDE, 1998; FEBRASGO, 2000; MINISTÉRIO DA SAÚDE, 2001; NEME, 2000

5 1. PRECOCE antes da 12 a semana de gestação (80% dos casos) ABORTAMENTO 2. TARDIO após a 12 a semana de gestação (20% dos casos) CLASSIFICAÇÃO - IDADE GESTACIONAL REZENDE, 1998; FEBRASGO, 2000; MINISTÉRIO DA SAÚDE, 2001; NEME, 2000

6 1. ESPONTÂNEO ABORTAMENTO 2. INDUZIDO - Terapêutico é a interrupção deliberada e legal com a intenção de proteger a vida materna. Ex: patologias maternas graves - Criminoso é a interrupção ilegal da gestação - Eletivo é a interrupção legal da gestação, quando não existe indicação médica. Ex: estupro - Terapêutico é a interrupção deliberada e legal com a intenção de proteger a vida materna. Ex: patologias maternas graves - Criminoso é a interrupção ilegal da gestação - Eletivo é a interrupção legal da gestação, quando não existe indicação médica. Ex: estupro CLASSIFICAÇÃO - FORMA REZENDE, 1998; FEBRASGO, 2000; MINISTÉRIO DA SAÚDE, 2001; NEME, 2000

7 Abortamento Espontâneo em torno de 62% Abortamento Clínico 15% das gestações terminam em aborto, espontaneamente, entre 4 e 20 semanas Abortamento Clínico 15% das gestações terminam em aborto, espontaneamente, entre 4 e 20 semanas Abortamento Sub-Clínico 27,6% - 2 primeiras semanas pós-fertilização desconhecimento da gravidez (menstruação abundante) Abortamento Sub-Clínico 27,6% - 2 primeiras semanas pós-fertilização desconhecimento da gravidez (menstruação abundante) ABORTAMENTO BRASIL (MS/SUS): - 12,5% dos óbitos por complicações de aborto - 22,5% adolescentes internadas por abortamento BRASIL (MS/SUS): - 12,5% dos óbitos por complicações de aborto - 22,5% adolescentes internadas por abortamento INCIDÊNCIA REZENDE, 1998; FEBRASGO, 2000; MINISTÉRIO DA SAÚDE, 2001; NEME, 2000

8 Artigo Código Penal : Não se pune o aborto praticado por médico: I - Se não há outro meio de salvar a vida; II - Se a gravidez resultar de estupro e o aborto é precedido de consentimento da gestante ou, quando incapaz, de seu representante legal. II - Se a gravidez resultar de estupro e o aborto é precedido de consentimento da gestante ou, quando incapaz, de seu representante legal. ABORTAMENTO ASPECTOS ÉTICOS E MÉDICO-LEGAIS

9 Artigo 28 - Código de Ética Médica: (amparado pela Constituição) Artigo 28 - Código de Ética Médica: (amparado pela Constituição) O médico poderá se recusar a realizar atos médicos, que embora permitidos por lei, sejam contrários aos ditames de sua consciência. ABORTAMENTO ASPECTOS ÉTICOS E MÉDICO-LEGAIS

10 - DESCONHECIDA EM 1/3 DOS CASOS ABORTAMENTO ETIOLOGIA REZENDE, 1998; FEBRASGO, 2000; MINISTÉRIO DA SAÚDE, 2001; NEME, 2000

11 1. ALTERAÇÕES CROMOSSÔMICAS E GÊNICAS (8 a 64%): - Maior causa de abortamento precoce - Tardio: 6 a 8% - Trissomias (50%), triploidias, tetraploidias, translocações, etc - Principal causa alterações ovulares 1. ALTERAÇÕES CROMOSSÔMICAS E GÊNICAS (8 a 64%): - Maior causa de abortamento precoce - Tardio: 6 a 8% - Trissomias (50%), triploidias, tetraploidias, translocações, etc - Principal causa alterações ovulares 2. OVOPATIAS - MALFORMAÇÕES DO OVO: - Determinismo genético - Fatores ambientais: radiações 2. OVOPATIAS - MALFORMAÇÕES DO OVO: - Determinismo genético - Fatores ambientais: radiações ABORTAMENTO ETIOLOGIA REZENDE, 1998; FEBRASGO, 2000; MINISTÉRIO DA SAÚDE, 2001; NEME, 2000

12 3. PLACENTOPATIAS: - Vilosidades avasculares/Enfartes/Placentites - Hematomas intervilosos, marginais e na superfície materna - Formas anômalas (circunvalada) 3. PLACENTOPATIAS: - Vilosidades avasculares/Enfartes/Placentites - Hematomas intervilosos, marginais e na superfície materna - Formas anômalas (circunvalada) 4. FUNICULOPATIAS (CORDÃO UMBILICAL): - Achordia/Cordão rudimentar 4. FUNICULOPATIAS (CORDÃO UMBILICAL): - Achordia/Cordão rudimentar 5. ALTERAÇÕES DAS MEMBRANAS OVULARES: - Amniotites/Corionites 5. ALTERAÇÕES DAS MEMBRANAS OVULARES: - Amniotites/Corionites 6. GEMELIDADE ABORTAMENTO ETIOLOGIA REZENDE, 1998; FEBRASGO, 2000; MINISTÉRIO DA SAÚDE, 2001; NEME, 2000

13 7. MECANISMOS IMUNOLÓGICOS 8. GINECOPATIAS: - Endométrio atrófico insuficiência estrogênica/curetagens rudes/seqüelas de endometrite/caústicos anticoncepcionais - Endométrio hiperplásico ciclos anovulatórios - Endométrio misto insuficiência do corpo lúteo: Esterilidade (impede implantação) Abortamento subclínico (inadequado à nutrição do ovo) 8. GINECOPATIAS: - Endométrio atrófico insuficiência estrogênica/curetagens rudes/seqüelas de endometrite/caústicos anticoncepcionais - Endométrio hiperplásico ciclos anovulatórios - Endométrio misto insuficiência do corpo lúteo: Esterilidade (impede implantação) Abortamento subclínico (inadequado à nutrição do ovo) 9. MIOMAS UTERINOS: - Submucosos e intramurais deformam a cavidade uterina 9. MIOMAS UTERINOS: - Submucosos e intramurais deformam a cavidade uterina ABORTAMENTO ETIOLOGIA REZENDE, 1998; FEBRASGO, 2000; MINISTÉRIO DA SAÚDE, 2001; NEME, 2000

14 . 10. MALFORMAÇÕES UTERINAS (30% DOS CASOS): - Ducto de Müller mais comum: útero septado - cir. de Strassmann. 10. MALFORMAÇÕES UTERINAS (30% DOS CASOS): - Ducto de Müller mais comum: útero septado - cir. de Strassmann 11. INCOMPETÊNCIA ISTMOCERVICAL 12. PATOLOGIAS GERAIS: - Neoplasias, anemia e desnutrição, infecções crônicas, obesidade acentuada, hipertensão grave, cardiopatia descompensada, etc 12. PATOLOGIAS GERAIS: - Neoplasias, anemia e desnutrição, infecções crônicas, obesidade acentuada, hipertensão grave, cardiopatia descompensada, etc ABORTAMENTO ETIOLOGIA REZENDE, 1998; FEBRASGO, 2000; MINISTÉRIO DA SAÚDE, 2001; NEME, 2000

15 14. EXERCÍCIOS / VIAGENS / TRABALHO: - Quando moderados, não ocasionam danos 14. EXERCÍCIOS / VIAGENS / TRABALHO: - Quando moderados, não ocasionam danos 13. INFECÇÕES: - Sífilis, toxoplasmose, rubéola, listeriose, brucelose, clamídia e ureaplasma 13. INFECÇÕES: - Sífilis, toxoplasmose, rubéola, listeriose, brucelose, clamídia e ureaplasma 15. PATOLOGIAS ENDÓCRINAS: - Hipo e hipertireoidismo, diabetes 15. PATOLOGIAS ENDÓCRINAS: - Hipo e hipertireoidismo, diabetes ABORTAMENTO ETIOLOGIA REZENDE, 1998; FEBRASGO, 2000; MINISTÉRIO DA SAÚDE, 2001; NEME, 2000

16 ABORTAMENTO QUADRO CLÍNICO EXAMES COMPLEMENTARES - ANAMNESE - EXAME FÍSICO GERAL - EXAME OBSTÉTRICO - ANAMNESE - EXAME FÍSICO GERAL - EXAME OBSTÉTRICO - TESTE DE GRAVIDEZ - ULTRASSOM - TESTE DE GRAVIDEZ - ULTRASSOM DIAGNÓSTICO REZENDE, 1998; FEBRASGO, 2000; MINISTÉRIO DA SAÚDE, 2001; NEME, 2000

17 ABORTAMENTO 1. ANAMNESE: - Atraso menstrual - Perda sangüínea via uterina - Dor tipo cólica na região hipogástrica - Atraso menstrual - Perda sangüínea via uterina - Dor tipo cólica na região hipogástrica DIAGNÓSTICO - QUADRO CLÍNICO REZENDE, 1998; FEBRASGO, 2000; MINISTÉRIO DA SAÚDE, 2001; NEME, 2000

18 ABORTAMENTO 2. EXAME OBSTÉTRICO: - Especular visualização do colo uterino e vagina: Origem intra-uterina do sangramento Detectar a presença de restos ovulares no canal cervical e vagina - Especular visualização do colo uterino e vagina: Origem intra-uterina do sangramento Detectar a presença de restos ovulares no canal cervical e vagina - Toque: Permeabilidade do colo uterino Tamanho uterino compatível ou não com a idade gestacional - Toque: Permeabilidade do colo uterino Tamanho uterino compatível ou não com a idade gestacional - Ausculta do Batimento Cardiofetal DIAGNÓSTICO - QUADRO CLÍNICO REZENDE, 1998; FEBRASGO, 2000; MINISTÉRIO DA SAÚDE, 2001; NEME, 2000

19 ABORTAMENTO 1. TESTE DE GRAVIDEZ: - - HCG 2. ULTRASSOM: - Vitalidade do concepto - Hematoma retro-ovular - Presença de restos ovulares - Idade gestacional - Batimento cardíaco - Vitalidade do concepto - Hematoma retro-ovular - Presença de restos ovulares - Idade gestacional - Batimento cardíaco DIAGNÓSTICO - EXAMES COMPLEMENTARES REZENDE, 1998; FEBRASGO, 2000; MINISTÉRIO DA SAÚDE, 2001; NEME, 2000

20 ABORTAMENTO A. Ameaça de Abortamento B. Abortamento Inevitável C. Abortamento Completo D. Abortamento Incompleto A. Ameaça de Abortamento B. Abortamento Inevitável C. Abortamento Completo D. Abortamento Incompleto E. Abortamento Retido F. Abortamento Infectado G. Abortamento habitual E. Abortamento Retido F. Abortamento Infectado G. Abortamento habitual FORMAS CLÍNICAS REZENDE, 1998; FEBRASGO, 2000; MINISTÉRIO DA SAÚDE, 2001; NEME, 2000

21 ABORTAMENTO FORMAS SANGRA- DOR EX. ESPECULAR TOQUE ULTRASSOM CONDUTA CLÍNICAS MENTO Ameaça Abortamento Ameaça Abortamento Inevitável Abortamento Inevitável Ausente; + Discreto; ++ Moderado; +++ Intenso Sangramento / + Sangramento / + Colo fechado Útero=id.gest. Colo fechado Útero=id.gest. Vitalidade Id. Gest. Vitalidade Id. Gest. Repouso Analgésicos Repouso Analgésicos ++/ / / / +++ Sangramento ++/+++ Memb.ovulares presentes ou não Sangramento ++/+++ Memb.ovulares presentes ou não Colo permeável Útero id.gest. Colo permeável Útero id.gest. Dispensado Até 16 sem: Winteragem + Curetagem ou aspiração vácuo > 16 sem: indução e depois W + C Até 16 sem: Winteragem + Curetagem ou aspiração vácuo > 16 sem: indução e depois W + C FORMAS CLÍNICAS - CONDUTAS REZENDE, 1998; FEBRASGO, 2000; MINISTÉRIO DA SAÚDE, 2001; NEME, 2000

22 ABORTAMENTO FORMAS SANGRA- DOR EX. ESPECULAR TOQUE ULTRASSOM CONDUTA CLÍNICAS MENTO Ausente; + Discreto; ++ Moderado; +++ Intenso Ausente; + Discreto; ++ Moderado; +++ Intenso Abortamento Completo Abortamento Completo Abortamento Incompleto Abortamento Incompleto Abortamento Retido Abortamento Retido Sang. + Colo fechado Útero

23 - Agentes mais comuns: Peptococos, Peptoestreptococos, E. coli, Bacteróides, Clostridium perfringens ou welchii - Agentes mais comuns: Peptococos, Peptoestreptococos, E. coli, Bacteróides, Clostridium perfringens ou welchii ABORTO INFECTADO - Classificação (Neuwirth & Friedman): - GRAU I - GRAU II - GRAU III - Classificação (Neuwirth & Friedman): - GRAU I - GRAU II - GRAU III ABORTAMENTO - Pode ser conseqüência do abortamento provocado ou espontâneo FORMAS CLÍNICAS - CONDUTAS REZENDE, 1998; FEBRASGO, 2000; MINISTÉRIO DA SAÚDE, 2001; NEME, 2000

24 ABORTO INFECTADO - CLASSIFICAÇÃO (Neuwirth & Friedman) ABORTO INFECTADO - CLASSIFICAÇÃO (Neuwirth & Friedman) GRAU I. Infecção limitada ao conteúdo da cavidade uterina, decídua e miométrio GRAU I. Infecção limitada ao conteúdo da cavidade uterina, decídua e miométrio ABORTAMENTO - Febre - Regular estado geral - Exame pélvico tolerável - Dor no baixo ventre tipo cólica, discreta ou moderada - Sangramento discreto ou moderado - Colo fechado ou permeável - Útero idade gestacional - Febre - Regular estado geral - Exame pélvico tolerável - Dor no baixo ventre tipo cólica, discreta ou moderada - Sangramento discreto ou moderado - Colo fechado ou permeável - Útero idade gestacional Conduta winteragem + curetagem + antibioticoterapia + correção distúrbios metabólicos Conduta winteragem + curetagem + antibioticoterapia + correção distúrbios metabólicos Quadro Clínico: FORMAS CLÍNICAS - CONDUTAS REZENDE, 1998; FEBRASGO, 2000; MINISTÉRIO DA SAÚDE, 2001; NEME, 2000

25 GRAU II. Infecção miométrio, paramétrios, anexos e peritônio pélvico ABORTAMENTO Conduta winteragem + curetagem + antibioticoterapia + correção distúrbios metabólicos Conduta winteragem + curetagem + antibioticoterapia + correção distúrbios metabólicos - Maior comprometimento do estado geral - Exame pélvico quase impossível - Sangramento com secreção purulenta, fétida (anaeróbio: fecalóide) - Temperatura elevada - Colo permeável - Pelviperitonite - Maior comprometimento do estado geral - Exame pélvico quase impossível - Sangramento com secreção purulenta, fétida (anaeróbio: fecalóide) - Temperatura elevada - Colo permeável - Pelviperitonite Quadro Clínico: FORMAS CLÍNICAS - CONDUTAS ABORTO INFECTADO - CLASSIFICAÇÃO (Neuwirth & Friedman) ABORTO INFECTADO - CLASSIFICAÇÃO (Neuwirth & Friedman) REZENDE, 1998; FEBRASGO, 2000; MINISTÉRIO DA SAÚDE, 2001; NEME, 2000

26 GRAU III. Infecção generalizada ABORTAMENTO Conduta histerectomia + antibioticoterapia + correção dos distúrbios metabólicos Conduta histerectomia + antibioticoterapia + correção dos distúrbios metabólicos Quadro Clínico: - Peritonite - Septicemia - Choque séptico - Peritonite - Septicemia - Choque séptico FORMAS CLÍNICAS - CONDUTAS ABORTO INFECTADO - CLASSIFICAÇÃO (Neuwirth & Friedman) ABORTO INFECTADO - CLASSIFICAÇÃO (Neuwirth & Friedman) REZENDE, 1998; FEBRASGO, 2000; MINISTÉRIO DA SAÚDE, 2001; NEME, 2000

27 ABORTAMENTO HABITUAL DEFINIÇÃO 3 ou mais abortos consecutivos, sem a ocorrência de feto viável intercalado DEFINIÇÃO 3 ou mais abortos consecutivos, sem a ocorrência de feto viável intercalado CLASSIFICAÇÃO: a.Primário quando não ocorre gravidez de termo anterior à seqüência de perdas consecutivas b.Secundário quando ocorre gravidez de termo anterior à seqüência de perdas consecutivas a.Primário quando não ocorre gravidez de termo anterior à seqüência de perdas consecutivas b.Secundário quando ocorre gravidez de termo anterior à seqüência de perdas consecutivas INCIDÊNCIA 0,4 a 1% ABORTAMENTO FORMAS CLÍNICAS - CONDUTAS REZENDE, 1998; FEBRASGO, 2000; MINISTÉRIO DA SAÚDE, 2001; NEME, 2000

28 ETIOLOGIA: - Útero bicorno/septado - Leiomiomas - Incompetência istmocervical - Sinéquias uterinas - Diabetes - Tireoidopatias - Insuficiência lútea - Fatores infecciosos - Fatores imunológicos - Útero bicorno/septado - Leiomiomas - Incompetência istmocervical - Sinéquias uterinas - Diabetes - Tireoidopatias - Insuficiência lútea - Fatores infecciosos - Fatores imunológicos ABORTAMENTO FORMAS CLÍNICAS - CONDUTAS ABORTAMENTO HABITUAL REZENDE, 1998; FEBRASGO, 2000; MINISTÉRIO DA SAÚDE, 2001; NEME, 2000

29 INCOMPETÊNCIA ÍSTMO - CERVICAL DEFINIÇÃO incapacidade do colo uterino permanecer ocluído até o término da gestação DEFINIÇÃO incapacidade do colo uterino permanecer ocluído até o término da gestação ETIOLOGIA: - Congênita - Adquirida: Conização Amputação cervical Curetagens Lacerações cervicais devido ao uso de fórceps Parto complicado - Congênita - Adquirida: Conização Amputação cervical Curetagens Lacerações cervicais devido ao uso de fórceps Parto complicado ABORTAMENTO FORMAS CLÍNICAS - CONDUTAS REZENDE, 1998; FEBRASGO, 2000; MINISTÉRIO DA SAÚDE, 2001; NEME, 2000

30 ANAMNESE: antecedentes obstétricos: EXAME PÉLVICO: Durante a gestação Na ausência de gestação EXAME PÉLVICO: Durante a gestação Na ausência de gestação ABORTAMENTO Manobras traumáticas de dilatação cervical Perdas fetais anteriores Partos vaginais traumáticos ou instrumentados Cirurgia cervical prévia Manobras traumáticas de dilatação cervical Perdas fetais anteriores Partos vaginais traumáticos ou instrumentados Cirurgia cervical prévia ULTRASSOM FORMAS CLÍNICAS - CONDUTAS INCOMPETÊNCIA ÍSTMO - CERVICAL - DIAGNÓSTICO REZENDE, 1998; FEBRASGO, 2000; MINISTÉRIO DA SAÚDE, 2001; NEME, 2000

31 INCOMPETÊNCIA ÍSTMO-CERVICAL - DIAGNÓSTICO ABORTAMENTO EXAME PÉLVICO - DURANTE A GESTAÇÃO: - Colo uterino permeável - Útero do tamanho da idade gestacional - Ausência de sangramento - Pode estar presente protusão bolsa amniótica - Colo uterino permeável - Útero do tamanho da idade gestacional - Ausência de sangramento - Pode estar presente protusão bolsa amniótica FORMAS CLÍNICAS - CONDUTAS REZENDE, 1998; FEBRASGO, 2000; MINISTÉRIO DA SAÚDE, 2001; NEME, 2000

32 INCOMPETÊNCIA ÍSTMO-CERVICAL - DIAGNÓSTICO ABORTAMENTO EXAME PÉLVICO - NA AUSÊNCIA DE GESTAÇÃO: - Vela de Hegar n o 8 - Histerossalpingografia - Vela de Hegar n o 8 - Histerossalpingografia FORMAS CLÍNICAS - CONDUTAS REZENDE, 1998; FEBRASGO, 2000; MINISTÉRIO DA SAÚDE, 2001; NEME, 2000

33 INCOMPETÊNCIA ÍSTMO-CERVICAL - CONDUTA CIRÚRGICA - CERCLAGEM CERVICAL - DURANTE A GESTAÇÃO: Técnica de Shirodkar ou McDonald - FORA DA GESTAÇÃO: Operação de LASH CIRÚRGICA - CERCLAGEM CERVICAL - DURANTE A GESTAÇÃO: Técnica de Shirodkar ou McDonald - FORA DA GESTAÇÃO: Operação de LASH ABORTAMENTO FORMAS CLÍNICAS - CONDUTAS REZENDE, 1998; FEBRASGO, 2000; MINISTÉRIO DA SAÚDE, 2001; NEME, 2000

34 INCOMPETÊNCIA ÍSTMO-CERVICAL - CONDUTA CERCLAGEM CERVICAL - FORA DA GESTAÇÃO Operação de LASH CERCLAGEM CERVICAL - FORA DA GESTAÇÃO Operação de LASH ABORTAMENTO FORMAS CLÍNICAS - CONDUTAS REZENDE, 1998; FEBRASGO, 2000; MINISTÉRIO DA SAÚDE, 2001; NEME, 2000

35 INCOMPETÊNCIA ÍSTMO-CERVICAL - CONDUTA CERCLAGEM CERVICAL - DURANTE A GESTAÇÃO - Dilatação cervical < 4 cm - Apagamento cervical < 60% - Bolsa amniótica sem protusão importante - Bolsa íntegra - Ausência de infecções vaginais - Dilatação cervical < 4 cm - Apagamento cervical < 60% - Bolsa amniótica sem protusão importante - Bolsa íntegra - Ausência de infecções vaginais - Condições para a realização da cirurgia: ABORTAMENTO FORMAS CLÍNICAS - CONDUTAS REZENDE, 1998; FEBRASGO, 2000; MINISTÉRIO DA SAÚDE, 2001; NEME, 2000

36 - 12 a e a 16 a semana técnica de Shirodkar ou McDonald Após a embriogênese (maior risco de abortamento por malformações) e antes da solicitação dos mecanismos de continência - Contra-indicações sangramento intenso, amniorexe, amniotite, malformações fetais - Complicações amniorrexe, corioamniotite, descolamento da sutura e parto prematuro - 12 a e a 16 a semana técnica de Shirodkar ou McDonald Após a embriogênese (maior risco de abortamento por malformações) e antes da solicitação dos mecanismos de continência - Contra-indicações sangramento intenso, amniorexe, amniotite, malformações fetais - Complicações amniorrexe, corioamniotite, descolamento da sutura e parto prematuro ABORTAMENTO INCOMPETÊNCIA ÍSTMO-CERVICAL - CONDUTA CERCLAGEM CERVICAL - DURANTE A GESTAÇÃO FORMAS CLÍNICAS - CONDUTAS REZENDE, 1998; FEBRASGO, 2000; MINISTÉRIO DA SAÚDE, 2001; NEME, 2000

37 SÍNDROME ANTIFOSFOLÍPIDE É a presença de anticorpo antifosfolípide no soro de indivíduos com: - Trombose arterial ou venosa - Óbito fetal - Abortos recorrentes - Trombocitopenia É a presença de anticorpo antifosfolípide no soro de indivíduos com: - Trombose arterial ou venosa - Óbito fetal - Abortos recorrentes - Trombocitopenia Em obstetrícia caracteriza-se por: - Perdas fetais recorrentes - Abortamentos ou óbitos fetais - Patologias placentárias (vilites, vilosites, tromboses, intervilosites) - Doença inflamatória pélvica - Infertilidade e insucesso no tratamento de esterilidade Em obstetrícia caracteriza-se por: - Perdas fetais recorrentes - Abortamentos ou óbitos fetais - Patologias placentárias (vilites, vilosites, tromboses, intervilosites) - Doença inflamatória pélvica - Infertilidade e insucesso no tratamento de esterilidade ABORTAMENTO FORMAS CLÍNICAS - CONDUTAS REZENDE, 1998; FEBRASGO, 2000; MINISTÉRIO DA SAÚDE, 2001; NEME, 2000

38 DIAGNÓSTICO: - Presença de altos títulos de anticorpos Anticardiolipina e Anticoagulante lúpico Associado a duas ou mais das seguintes manifestações: - Perdas embrionárias e/ou fetais recorrentes - Trombose venosa - Oclusão arterial - Úlcera de membro inferior - Livedo retucularis - Anemia hemolítica - Trombocitopenia DIAGNÓSTICO: - Presença de altos títulos de anticorpos Anticardiolipina e Anticoagulante lúpico Associado a duas ou mais das seguintes manifestações: - Perdas embrionárias e/ou fetais recorrentes - Trombose venosa - Oclusão arterial - Úlcera de membro inferior - Livedo retucularis - Anemia hemolítica - Trombocitopenia ABORTAMENTO FORMAS CLÍNICAS - CONDUTAS SÍNDROME ANTIFOSFOLÍPIDE - DIAGNÓSTICO REZENDE, 1998; FEBRASGO, 2000; MINISTÉRIO DA SAÚDE, 2001; NEME, 2000

39 GESTAÇÃOGESTAÇÃO ASPIRINA - Iniciar após a 12 a semana - 80mg/dia/VO - Suspender na 36 a semana HEPARINA - Iniciar a partir do momento do diagnóstico UI 12/12 horas/SC - Suspender 24 a 48 horas antes do parto CÁLCIO ASPIRINA - Iniciar após a 12 a semana - 80mg/dia/VO - Suspender na 36 a semana HEPARINA - Iniciar a partir do momento do diagnóstico UI 12/12 horas/SC - Suspender 24 a 48 horas antes do parto CÁLCIO PUERPÉRIO PUERPÉRIO manter medicação até 40 dias (Heparina) ABORTAMENTO FORMAS CLÍNICAS - CONDUTAS SÍNDROME ANTIFOSFOLÍPIDE - CONDUTA REZENDE, 1998; FEBRASGO, 2000; MINISTÉRIO DA SAÚDE, 2001; NEME, 2000

40 INSUFICIÊNCIA LÚTEA (PROGESTERONA) - Supositórios de progesterona (25-50mg) via vaginal Até a 14 a semana, 2 a 3 vezes/dia - Supositórios de progesterona (25-50mg) via vaginal Até a 14 a semana, 2 a 3 vezes/dia TRATAMENTO ABORTAMENTO FORMAS CLÍNICAS - CONDUTAS REZENDE, 1998; FEBRASGO, 2000; MINISTÉRIO DA SAÚDE, 2001; NEME, 2000


Carregar ppt "FACULDADE DE MEDICINA DE S. J. DO RIO PRETO DEPARTAMENTO DE GINECOLOGIA E OBSTETRÍCIA DISCIPLINA DE OBSTETRÍCIA DEPARTAMENTO DE GINECOLOGIA E OBSTETRÍCIA."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google