A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

FORMAÇÃO CONTINUADA 4 série SMED 2009 AVALIAÇÃO Edna Heloisa Schaeffer.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "FORMAÇÃO CONTINUADA 4 série SMED 2009 AVALIAÇÃO Edna Heloisa Schaeffer."— Transcrição da apresentação:

1 FORMAÇÃO CONTINUADA 4 série SMED 2009 AVALIAÇÃO Edna Heloisa Schaeffer

2 Cada momento histórico define um currículo e diferentes concepções. Ou seja não é possível desconsiderar o contexto histórico em que se definem concepções e currículos. Cada momento histórico define um currículo e diferentes concepções. Ou seja não é possível desconsiderar o contexto histórico em que se definem concepções e currículos. Ao trabalhar o contexto histórico no ensino da Matemática, precisamos tomá-lo como um instrumento que contribua para perceber a realidade marcada pelas transformações produzidas pelo movimento histórico e suas contradições. Ao trabalhar o contexto histórico no ensino da Matemática, precisamos tomá-lo como um instrumento que contribua para perceber a realidade marcada pelas transformações produzidas pelo movimento histórico e suas contradições.

3 A avaliação só tem função social quando está intimamente vinculada a um projeto de vida para os homens. Educa-se, ensina-se para a sociedade que se deseja ver transformada (ou não). Se não existe projeto de vida para os homens obterem o que ainda não foi alcançado, não há necessidade social de avaliação a não ser a de preencher com notas os boletins curriculares individuais. A avaliação só tem função social quando está intimamente vinculada a um projeto de vida para os homens. Educa-se, ensina-se para a sociedade que se deseja ver transformada (ou não). Se não existe projeto de vida para os homens obterem o que ainda não foi alcançado, não há necessidade social de avaliação a não ser a de preencher com notas os boletins curriculares individuais.

4 A avaliação é parte fundamental do processo ensino-aprendizagem. É o momento em que se verifica o nível de apropriação dos conteúdos pelo aluno, sendo o ponto de partida de acompanhamento e reorientação permanente da prática docente, como forma de comprovar se os resultados foram alcançados, a partir de objetivos previamente definidos. A avaliação é parte fundamental do processo ensino-aprendizagem. É o momento em que se verifica o nível de apropriação dos conteúdos pelo aluno, sendo o ponto de partida de acompanhamento e reorientação permanente da prática docente, como forma de comprovar se os resultados foram alcançados, a partir de objetivos previamente definidos.

5 OBJETIVO DA MATEMÁTICA Analisar as relações quantitativas das formas espaciais, ou seja, analisar as relações intra e inter espaciais das formas, do movimento e dos números associados a essas relações, em situações da realidade social, desenvolvendo as características humanas (raciocínio lógico, imaginação, percepção, atenção voluntária, memória reflexiva, linguagem, dentre outras) na perspectiva de compreender o contexto sócio- cultural, apreendendo o movimento que o produz, bem como suas contradições. Analisar as relações quantitativas das formas espaciais, ou seja, analisar as relações intra e inter espaciais das formas, do movimento e dos números associados a essas relações, em situações da realidade social, desenvolvendo as características humanas (raciocínio lógico, imaginação, percepção, atenção voluntária, memória reflexiva, linguagem, dentre outras) na perspectiva de compreender o contexto sócio- cultural, apreendendo o movimento que o produz, bem como suas contradições.

6 MÉTODO - é o conjunto de determinados princípios que permitem filosófica e cientificamente aprender a realidade para atuar nela, objetivando a emancipação humana. MÉTODO - é o conjunto de determinados princípios que permitem filosófica e cientificamente aprender a realidade para atuar nela, objetivando a emancipação humana. METODOLOGIA - é o conjunto de meios materiais e procedimentos que possibilitam a operacionalização do processo (materialização do método). METODOLOGIA - é o conjunto de meios materiais e procedimentos que possibilitam a operacionalização do processo (materialização do método).

7 METODOLOGIA AÇÃO- REFLEXÃO – AÇÃO; AÇÃO- REFLEXÃO – AÇÃO; FUNÇÃO SOCIAL; FUNÇÃO SOCIAL; PROBLEMATIZAÇÃO: PROBLEMATIZAÇÃO: –COMO O SUJEITO ORGANIZA O PENSAMENTO; –CONSIDERAR OS CONHECIMENTOS PRÉVIOS DAS CRIANÇAS; –PROFESSOR MEDIADOR DO PROCESSO;

8 ENCAMINHAMENTO METODOLÓGICO NO ENSINO DA MATEMÁTICA RESOLUÇÃO DE PROBLEMAS; RESOLUÇÃO DE PROBLEMAS; JOGOS; JOGOS; MATERIAIS MANIPULÁVEIS; MATERIAIS MANIPULÁVEIS; BRINCADEIRAS; BRINCADEIRAS; TECNOLOGIAS; TECNOLOGIAS; HISTÓRIA DA MATEMÁTICA; HISTÓRIA DA MATEMÁTICA; ETNOMATEMÁTICA; ETNOMATEMÁTICA; GÊNEROS TEXTUAIS. GÊNEROS TEXTUAIS.

9 PLANEJAMENTO ELEMENTOS QUE COMPÕEM: ELEMENTOS QUE COMPÕEM: –OS OBJETIVOS (PARA QUE ENSINAR); –OS CONTEÚDOS (O QUE ENSINAR); – OS ALUNOS E SUAS POSSIBILIDADES (A QUEM ENSINAR); –OS MÉTODOS E TÉCNICAS (COMO ENSINAR); –AVALIAÇÃO ESTÁ INTIMAMENTE RELACIONADA AOS DEMAIS.

10 QUESTOES PARA REFLEXÃO (análise das avaliações) Que nível de pensamento crítico este instrumento de avaliação requer do aluno? Que nível de pensamento crítico este instrumento de avaliação requer do aluno? Que tipo de instrumento permite identificar? Que tipo de instrumento permite identificar? O que desse instrumento demonstra a prática do professor ou da escola? O que desse instrumento demonstra a prática do professor ou da escola? Em que medida esse instrumento permite detectar os níveis de aprendizagem do aluno? Em que medida esse instrumento permite detectar os níveis de aprendizagem do aluno? Que saberes este instrumento de avaliação considera? Contempla os diferentes ritmos de aprendizagem das crianças? Como? Que saberes este instrumento de avaliação considera? Contempla os diferentes ritmos de aprendizagem das crianças? Como? Estes instrumentos de avaliação permitem observar o tipo de erro que o aluno comete? Estes instrumentos de avaliação permitem observar o tipo de erro que o aluno comete?

11 Para onde vamos? De uma avaliação a serviço da classificação, seleção, seriação... De uma avaliação a serviço da classificação, seleção, seriação... De uma atitude de reprodução, de alienação, de cumprimento de normas... De uma atitude de reprodução, de alienação, de cumprimento de normas... Da intenção prognóstica, somativa, de explicação e apresentação de resultados finais... Da intenção prognóstica, somativa, de explicação e apresentação de resultados finais...

12 ETAPASPROCEDIMENTOSMETAAVALIAÇÃO 1ª Definição do propósito ou objetivo da atividade avaliativa 2ª Definição do conteúdo (ou conteúdos) a serem avaliados 3ª Escolha da estratégia (atividade por meio da qual a avaliação será realizada) 4ª Realização da atividade avaliativa 5ª Análise dos resultados/confronto com os objetivos inicialmente definidos e com os padrões estabelecidos no sistema de avaliação utilizado 6ª Qualificação (atribuição de um grau, conceito ou menção ao resultado obtido)

13 MODALIDADEAVALIATIVA OBJETIVOS PRINCIPAIS DIAGNÓSTICA Traçar bases ou detectar os conceitos já consultados que servirão de base para as futuras aprendizagens. Permite adequar as metodologias a ser utilizadas e definir os procedimentos avaliativos. FORMATIVA Verificar o ritmo e os estilos de aprendizagens dos alunos. Realimentar o processo ensino-aprendizagem, permitindo efetuar correções. Enfatizar conteúdos e objetivos mais importantes. Oportunizar a obtenção de maior sucesso escolar, por meio da detecção e da correção dos erros mais freqüentes, aumentando a motivação dos alunos e minimizando a evasão e repetência escolares. SOMATIVA Comparar o desempenho demonstrado pelos alunos com os objetivos inicialmente definidos. Classificá-los em relação ao desempenho, atribuindo-lhes uma menção (grau, conceito, nota). Verificar a possibilidade dos alunos atingirem estágios posteriores de aprendizagem. METAAVALIAÇÃO Avaliar o próprio sistema de avaliação utilizado. Verificar a adequação das atividades e estratégias de avaliação selecionadas.

14 A concepção de avaliação presente no Projeto Político Pedagógico de sua escola está em consonância com essas premissas? Quais os indicativos, as evidências? A concepção de avaliação presente no Projeto Político Pedagógico de sua escola está em consonância com essas premissas? Quais os indicativos, as evidências?

15 Avaliação Avaliação 1. O que avaliamos é o processo de ensino e de aprendizagem, portanto o trabalho docente também é objeto da avaliação de forma concomitante. 2. Os instrumentos de avaliação que possibilitam o registro dos progressos individuais dos educandos, os quais, sendo analisados à luz dos objetivos, da natureza dos conteúdos e dos percursos realizados constituir-se-ão em fonte de informação para a reorganização de todo o processo ensino- aprendizagem.

16 3. Planejamento e avaliação: avaliação na perspectiva histórico crítica exige a ressignificação da ação de planejar, onde precisamos superar a visão do planejamento como mera exigência burocrática. Ao estabelecer nossos objetivos estamos definindo os critérios de avaliação. São os objetivos que devem expressar exigências significativas de análise, de observação e de síntese para minimizar as exigências de mera memorização e reprodução.

17 4. Torna-se importante quando necessário retomar o conteúdo de outra forma. Ex. Projeto de Monitoria, incentivar o aluno para pesquisar sobre o assunto, as aulas em grupos, discussões para compreender melhor onde o processo de aprendizagem foi interrompido. 5. Erro!!! Como entendemos? Nesta perspectiva é considerá-lo como indicativo de processo não concluído. Dito de outro modo, aquilo que a criança não consegue ainda realizar sozinha, e que causa o erro, mais tarde, com o auxílio de educador, ela poderá superá-lo. 6. A avaliação de forma escrita deve evitar questões descontextualizadas, ou seja que utilizam por exemplo o número pelo número, a informação pela informação. A contextualização é importante (a partir de situações de vida real).


Carregar ppt "FORMAÇÃO CONTINUADA 4 série SMED 2009 AVALIAÇÃO Edna Heloisa Schaeffer."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google