A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

1º SEMINÁRIO NACIONAL DE LOGÍSTICA E 10º SEMINÁRIO DE TRANSPORTES MULTIMODAIS DE MINAS GERAIS 2010 – OURO PRETO MG CREA MG -Cargas e passageiros, compartilhamento.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "1º SEMINÁRIO NACIONAL DE LOGÍSTICA E 10º SEMINÁRIO DE TRANSPORTES MULTIMODAIS DE MINAS GERAIS 2010 – OURO PRETO MG CREA MG -Cargas e passageiros, compartilhamento."— Transcrição da apresentação:

1 1º SEMINÁRIO NACIONAL DE LOGÍSTICA E 10º SEMINÁRIO DE TRANSPORTES MULTIMODAIS DE MINAS GERAIS 2010 – OURO PRETO MG CREA MG -Cargas e passageiros, compartilhamento desafiante para o desenvolvimento socioeconômico. INEDITISMO. - o Transporte de Cargas e os desafios da logística de abastecimento. INEDITISMO.

2 A ORIGEM -Anos 70/80: 1º e 2º choque do petróleo; -Auge da tecnocracia no Brasil que adotou como tese o excesso de investimentos públicos em transporte rodoviário nas definições de política pública; É preciso parar de investir em estradas de rodagem para priorizar outros modais de transporte -As crises de petróleo passaram; -Os preços internacionais se acomodaram; -O Brasil ficou auto-suficiente em petróleo; -O TRANSPORTE RODOVIÁRIO CONTINUOU NA BERLINDA.

3 O GRAVE -A geração que hoje comanda o país em quase todos os níveis da administração pública, formou- se ao som deste mantra e acabou sendo fortemente influenciada pelo mito do Rodoviarismo Brasileiro, instalado no inconsciente coletivo. -Os nossos gestores públicos embarcaram neste mito, tão fácil o quanto é falso. -Precisamos desconstruir o mito do Rodoviarismo Brasileiro.

4 FORO PRIVILEGIADO -A quem não é do ramo nem tem a obrigação de entender de Transporte Rodoviário o que não é o caso dessa platéia que como formadora de opinião poderá somar aos nossos esforços para desmistificar o Rodoviarismo Brasileiro; - À mídia de modo a oferecer contraponto à opinião dominante sobre o tema; -Às autoridades e parlamentares que tomam as decisões de políticas públicas e fazem as dificílimas escolhas em matérias orçamentárias diante das demandas crescentes e recurso limitados que definem a qualidade dos gastos públicos; -À comunidade acadêmica para o desenvolvimento de mais conhecimentos, em bases científicas, para quebrar paradigmas e preconceitos que toldam e distorcem a visão correta da realidade.

5

6

7 12,2% das estradas são pavimentadas e 1,2% são de padrão ótimo

8 CORRELAÇÃO COMPARADA Índice de Mortara

9 RELAÇÃO ENTRE AS INFRA- ESTRUTURAS DAS 3 MODALIDADES (comparativo entre as extensões das respectivas redes em cada país)

10 ÍNDICE DE MORTARA PARA RODOVIAS, FERROVIAS E HIDROVIAS

11 DENSIDADE: ÍNDICE DE UTILIZAÇÃO Quantidade de veículos por Km de rodovia pavimentada

12 EXPOSIÇÃO AO RISCO DE ACIDENTES

13 NOTAS RELEVANTES -O estudo cuida basicamente da oferta de infra- estrutura de transportes em termos quantitativos; -Apesar de muito relevante não se trata aqui da qualidade da infra-estrutura, bem como da demanda brasileira por transporte que deságua na conhecida representação da matriz de transporte, traduzida em Ton/Km, diante da qual é gerado o grande espanto com a participação majoritária do modal rodoviário, cerca de 60%.

14 MATRIZ

15 REFLEXÃO -Como explicar, como e por que, o transporte rodoviário mesmo diante de tantas fragilidades arrostando todas sorte de obstáculos, consegue predominar no mercado? 1- A demanda é que determina a preferência dos agentes privados que contratam transporte; 2- A inteligência empreendedora dos transportadores autônomos de carga; 3- A inteligência empresarial das Empresas de Transportes de Carga mesmo com baixa capitalização e baixo nível de rentabilidade.

16 LOGÍSTICA DE ABASTECIMENTO URBANO Os planos diretores das cidades/metrópoles, centrados no uso e ocupação do solo não reconhecem as questões da mobilidade urbana e do abastecimento urbano. A sociedade percebe, de forma cada vez mais clara, que as causas básicas do caos urbanos estão na ausência de políticas públicas de planejamento urbano, particularmente no tocante à logística da mobilidade e abastecimento urbano. De novo o Mito do Rodoviarismo se impõe nas decisões de políticas públicas com a demanda por infra-estrutura viária maior que a oferta, cresce a cada dia a intensidade do caos no trânsito e a 1ª providência do poder público é restringir a circulação de caminhões.

17 A REALIDADE O Transporte Rodoviário de Cargas é o único modal capaz de fazer o produto chegar na ponta do consumo; Transporte Rodoviário é o único modal capaz de operacionalizar a multimodalidade: Cargas e Passageiros; Responsável por 5% do fluxo de veículos automotores, só será capaz de contribuir com o percentual equivalente nas soluções do problema do caos urbano.

18 AGENDA DO TRANSPORTE SETCEMG -Capacitação empresarial; -Capacitação da mão-de-obra técnica e operacional; -Acesso às novas tecnologias e renovação de frota; -Segurança do transito – inspeção veicular; -Meio ambiente – controle de emissão de poluentes; -Aproximação com os centros de conhecimento; -Consolidação da cadeia produtiva do transporte; -Normatização, regulação e fiscalização do modal rodoviário; - Atualização da legislação trabalhista brasileira; RENTABILIDADE SUSTENTÁVEL = CAPACIDADE DE INVESTIMENTO

19 CARTA DO SEMINÁRIO - A desmistificação do Rodoviarismo Brasileiro, através da inclusão na pauta dos estudos e pesquisas, promovendo o desenvolvimento de conhecimentos em base científica, descontaminados, da realidade precária da infra-estrutura e transportes no Brasil em todos os seus modais, como estratégia básica do desenvolvimento econômico e social sustentável.

20 Luciano Medrado (31) MUITO OBRIGADO!


Carregar ppt "1º SEMINÁRIO NACIONAL DE LOGÍSTICA E 10º SEMINÁRIO DE TRANSPORTES MULTIMODAIS DE MINAS GERAIS 2010 – OURO PRETO MG CREA MG -Cargas e passageiros, compartilhamento."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google