A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

GESTÃO DE OPERAÇÕES II MRP – MATERIAL REQUIREMENT PLANNING ( cap 18) JIT – JUSTI IN TIME ( PRODUÇÃO ENXUTA) ( Cap 20)

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "GESTÃO DE OPERAÇÕES II MRP – MATERIAL REQUIREMENT PLANNING ( cap 18) JIT – JUSTI IN TIME ( PRODUÇÃO ENXUTA) ( Cap 20)"— Transcrição da apresentação:

1 GESTÃO DE OPERAÇÕES II MRP – MATERIAL REQUIREMENT PLANNING ( cap 18) JIT – JUSTI IN TIME ( PRODUÇÃO ENXUTA) ( Cap 20)

2 PROF PAULO ROBERTO LEITE NOÇÕES BÁSICAS DE MRP MRP = MATERIAL REQUIREMENT PLANNING ( PLANEJAMENTO DAS NECESSIDADES DE MATERIAIS). MRP II = MANUFACTURE RESOURCES PLANNING ( PLANEJAMENTO DOS RECURSOS DE MANUFATURA ). DEFINIÇÃO: Sistemas de planejamento e controle do fluxo de materiais em atividades industriais, utilizando a noção de relação de dependência entre os itens e softwares de computadores para identificar as necessidades de materiais e recursos no período de planejamento operacional.

3 PROF PAULO ROBERTO LEITE HISTÓRICO Com o desenvolvimento dos computadores a partir dos anos 60 foi possível o tratamento individual dos diversos itens dos estoques. Evolução : MRP MRP II ERP (Enterprise Resources Planning) ou planejamento dos recursos da empresa Atualmente: Os sistemas ERP contem os módulos MRP E MRP II Conhecidos pela marca da empresa de software: SAP; IBM, ORACLE, ETC.

4 PROF PAULO ROBERTO LEITE A CHAVE DO SUCESSO DO MRP Trabalha com projeções calculadas dos itens dependentes Itens independentes : Materiais em estoque cuja demanda não depende de outro item dos estoque. Exemplos: produtos acabados Itens dependentes : Materiais cuja demanda depende da demanda de outro item. Exemplo: itens componentes ou matérias primas Previsão de demanda Itens independentes >>>>> técnicas de previsão Itens dependentes >>>>> calculo da demanda

5 PROF PAULO ROBERTO LEITE ESTRUTURA DO PRODUTO PRODUTO COMPONENTE A DEGHF COMPONENTE B 2X 10kg 4x Componentes podem ser fabricados ou montados na empresa ou comprados no mercado

6 PROF PAULO ROBERTO LEITE LÓGICA DO SISTEMA MRP Previsão de vendas dos produtos acabados ou pedidos na mão. Cálculo das quantidades de itens dependentes e/ ou recursos necessários (MRP II). Lead time (tempo de entrega) ou de produção do componente. Cálculo para trás das datas de compras e produção dos componentes de forma a minimizar estoques.

7 PROF PAULO ROBERTO LEITE FLUXOGRAMA GERAL DO SISTEMA PREVISÃO DE VENDAS PREVISÃO DE ESTOQUES PROGRAMA MESTRE ESTOQUES DE PROD. ACABADOS DE ITENS DIVERSOS ESTRUTURA DE PRODUTOS DADOS CADASTRAIS EXPLOSÃO DAS NECESSIDADES BRUTAS CALCULO DAS NECESSIDADES LIQUIDAS CALCULO DOS ESTOQUES FINAIS PLANO DE COMPRAS E PRODUÇÃO EXECUÇÃO CONTROLE MODIFICAÇÕES -DEMANDA - PEDIDOS -T.R. PEDIDOS EM CARTEIRA REPROGRAMAÇÃO

8 PROF PAULO ROBERTO LEITE CARACTERISTICAS DOS SISTEMAS MRP E MRP II DECISÕES CENTRALIZADAS Operadores executam funcões Todos os passos estão planejados M.O. Tende a não se envolver com resultados. Mudanças na linha de produção, Quantidades, cadências, etc somente com autorização central. PLANEJAMENTO DA FRENTE P/ TRÁS A produção é empurrada Realizada na data mais tarde

9 PROF PAULO ROBERTO LEITE CARACTERISTICAS DOS SISTEMAS MRP E MRP II PARAMETROS DE ENTRADA SÃO FIXOS Tempos de ressuprimentos Tempos de preparação ( set-up) Níveis de desperdícios Cadastro dos materiais Estrutura dos produto

10 PROF PAULO ROBERTO LEITE EXEMPLO DE PROGRAMAÇÃO PRODUTO A (S) 2X B C (S-1) D E (S-2) A = 1 SEMANA DE MONTAGEM B = 2 SEMANAS DE COMPRA C = 1 SEMANA DE MONTAGEM D= 1 SEMANA DE COMPRA E= 2 SEMANAS DE COMPRA PARA A PRODUCAO DE 50 UNIDADES DE A:

11 PROF PAULO ROBERTO LEITE ESQUEMA DA PROGRAMAÇÃO (LT) B = 2 (LT ) E = 2 (LT) D =1 (LTM) C= 1 (LTM)A = 1 S-4S-3S-2S-1S (OC)E=100(OC)B=50(OM)C =100(OM)A=50A=50 (OC)D=100 OC = ORDEM DE COMPRA; LT= TEMPO RESSUPRIMENTO; LTM= TEMPO MONTAGEM

12 PROF PAULO ROBERTO LEITE CÁLCULO DAS NECESSIDADES LIQUIDAS POSICAO DOS ESTOQUES NA SEMANA A= (S) 10 UNIDADES B= (S-1) 5 UN. C= (S-1) 10 UN. D= (S-2) 10 UN. E = (S-2) 5 UN. S-4S-3S-2S-1S LIBERAÇÃO DE ORDEM (OC)E=65(OC)B=35(OM)C=70(OM)A=40A=50 LIBERAÇÃO DE ORDEM (OC)D=60 OBS:POR SIMPLICIDADE OS TEMPOS DE MONTAGEM FORAM MANTIDOS

13 PROF PAULO ROBERTO LEITE Registro básico do MRP Períodos Necessidades Brutas Recebimento Programados 100 Estoque projetado Receb, ordens planejadas Liberação de ordens planejadas Item de componente - LT = 3 períodos ES = 0

14 Tamanho de Lotes no MRP Lotes mínimos de fornecimento Quantidade mínima para abertura de uma ordem de compra ou de fabricação Lotes máximos de aceitação Restrições de espaço Estoques de segurança Incertezas Lead Time e ou no consumo PROF PAULO ROBERTO LEITE

15 Registro básico com estoque de segurança Períodos Necessidades Brutas Recebimento Programados 100 Estoque projetado Receb, ordens planejadas Liberação de ordens planejadas Item de componente - LT = 3 períodos ES = 200

16 PROF PAULO ROBERTO LEITE VANTAGENS DOS SISTEMAS MRP E MRP II Sistema dinâmico= reprogramação Trabalha com estrutura de produtos complexos com vários níveis e vários componentes por níivel. Aceita demandas instáveis Trata item dependente como consequência lógica dos independentes. Gera organização e conhecimento de todos os parãmetros da emprêsa. A emprêsa usa a organização metodológica para outros fins: custos industriais, recursos humanos etc. Otimiza recursos diversos

17 PROF PAULO ROBERTO LEITE RESTRIÇÕES DO MRP Software caro e complexo Dificuldade de adaptação Exige pré organização da empresa Exige disciplina na organização Sistema passivo= aceita os parâmetros; não exige a crítica dos mesmos. O engajamento, a responsabilidade dos funcionários não e condição necessária para o funcionamento do sistema. Funcionários podem ser cumpridores de tarefas. Exige treinamento específico das equipes que gerem os sistemas

18 Exercício(rever ) PROF PAULO ROBERTO LEITE Períodos Necessidades Brutas Recebimento Programados Estoque projetado Receb, ordens planejadas 20 Liberação de ordens planejadas 20 Dada a estrutura do produto e os dados cadastrais de cada componente a seguir complete 3 (TRÊS) registros MRP para A, B e C A CB ( X2) LOTELEAD TIME EST. INICIAL ES A B402 0 C INDEFINI DO 1500 PRODUTO A

19 Exercício(rever ) PROF PAULO ROBERTO LEITE Períodos Necessidades Brutas Recebimento Programados Estoque projetado 21 Receb, ordens planejadas Liberação de ordens planejadas Dada a estrutura do produto e os dados cadastrais de cada componente a seguir complete 3 (TRÊS) registros MRP para A, B e C A CB ( X2) LOTELEAD TIMEES A2010 B4020 C INDEFINIDO 10 PRODUTO A

20 PROF PAULO ROBERTO LEITE Períodos Necessidades Brutas40 Recebimento Programados Estoque projetado Receb, ordens planejadas40 Liberação de ordens planejadas40 B Períodos Necessidades Brutas Recebimento Programados Estoque projetado Receb, ordens planejadas20 Liberação de ordens planejadas20 A Períodos Necessidades Brutas20 Recebimento Programados Estoque projetado Receb, ordens planejadas20 Liberação de ordens planejadas20 C LOTELTEIES A B402 0 CINDEFINIDO1500 A CB ( X2)

21 Exercício PROF PAULO ROBERTO LEITE B D C (X4) E F(X3) Períodos Necessidades Brutas ou Liberação de Ordens LOTELEAD TIME EST. INICIAL ES B C MULTIPLO F INDEFINI DO B ELABORAR O REGISTRO MRP DOS ITENS B,C e F. PARA O ITEM F CONSIDERAR RECEBIMENTO PROGRAMADO DE NO PERIODO 1. VARIANTE DO EX, PAG.561 – FIGURA Correa&Correa

22 PROF PAULO ROBERTO LEITE Períodos Necessidades Brutas Recebimento Programados Estoque projetado Receb, ordens planejadas 300 Liberação de ordens planejadas 300 ITEM B: Lote=300; LT=1; EI=350;ES=0 Períodos Necessidades Brutas 1200 Recebimento Programados Estoque projetado Receb, ordens planejadas Liberação de ordens planejadas ITEM C ( x4 de B) : Lote= múltiplo de 500 ; LT=2;EI=250;ES=250 C = Nec. Bruta – EI + ES C = = 1200 Maior que ES C = = 900 C = = 1100

23 PROF PAULO ROBERTO LEITE Períodos Necessidades Brutas 1200 Recebimento Programados Estoque projetado Receb, ordens planejadas Liberação de ordens planejadas Períodos Necessidades Brutas Recebimento Programados 4500 Estoque projetado Receb, ordens planejadas Liberação de ordens planejadas Item F ( X3 de C) : Lote indefinido; LT=1;EI=500;ES=150 – Rec. Programado de 4500 no período 1 Item C C= =2650

24 SISTEMA JUST IN TIME PROF. PAULO ROBERTO LEITE Cap 20

25 PROF PAULO ROBERTO LEITE ALGUNS RESULTADOS NA DECADA DE 70 E 80 ÍNDICE DE ROTATIVIDADE DE ESTOQUES (CUSTO DAS VENDAS / ESTOQUE MÉDIO) CRESCIMENTO USA3,54,014% EUROPA4,0 0% JAPAO5,07,240% ÍNDICE DE VENDAS LÍQUIDAS / ATIVOS FIXOS CRESCIMENT O USA4,03,0- 25% EUROPA2,83,0+7% JAPAO5,37,0+ 32%

26 Breve Histórico Japão após guerra ( ) Pensadores de qualidade total Sucesso face ao ocidente ( ) Adoção pelo ocidente ( 1980 em diante ) PROF PAULO ROBERTO LEITE

27 DIVERSAS DEFINIÇÕES Filosofia de administração e controle do fluxo logístico de materiais através de constante redução de estoques. Filosofia de administrar o fluxo logístico realizando tudo apenas a tempo de possibilitar a atividade seguinte. Todas as atividades que não conduzam a acréscimo de valor devem ser eliminadas. Uma filosofia de qualidade total como ambiente organizacional para melhorias.

28 PROF PAULO ROBERTO LEITE LÓGICA E VANTAGENS DO SISTEMA LÓGICA ( sistema puxado) Fabricar apenas -a- tempo de vender Submontar conjuntos apenas-a-tempo de monta-los Comprar apenas-a-tempo de utilizar na produção VANTAGENS DO SISTEMA Redução de custos de estoques Qualidade dos produtos melhorada Desperdícios ou refugos reduzidos Motivação e responsabilidade das equipes de funcionários Produtividade das fábricas

29 PROF PAULO ROBERTO LEITE CARACTERÍSTICAS BÁSICAS NECESSIDADE DE ALTA EFICIENCIA : Pequenos lotes Material apenas a tempo de utilizar Material direto para linha de produção; eliminação de estoques ESTOQUES DE SEGURANCA MINIMIZADOS Melhorias de previsões Aumento de velocidade de entrega Resolução de problemas de qualidade Tamanho de lotes para horas Estoques medidos em dias ao invés de meses / ano FÁBRICAS POR LINHA DE PRODUTOS E PEQUENAS ESPECÍFICOS SOFTWARE E EQUIPAMENTOS

30 PROF PAULO ROBERTO LEITE CARACTERÍSTICAS BÁSICAS (cont) CARACTERISTICA ATIVA DO SISTEMA Melhorias são obrigatórias portanto os parâmetros de performance são constantemente melhorados. Decorre a necessidade de sistema de qualidade total como suporte do mesmo. TIPOS DE DESPERDÍCIOS ELIMINADOS PELO JIT Definição: toda atividade que não acrescenta valor ao produto ou serviço. Estoques = investimentos em capital e espaço Superprodução = produção antecipada Espera= estoques intermediários Transporte = interno e externo Processo = somente o necessário Defeituosos = fazer só uma vez

31 PROF PAULO ROBERTO LEITE O CICLO DE MELHORIAS DO SISTEMA JIT REDUÇÃO GRADATIVA DOS ESTOQUES APARECIMENTO DE PROBLEMAS RESOLUÇÃO GRADATIVA DOS PROBLEMAS NOVAS REDUÇÕES DE ESTOQUE

32 PROF PAULO ROBERTO LEITE ORGANIZAÇÃO Uso do Kanban Troca rápida de ferramentas Projeto de fábricas e layouts Projeto dos produtos Decisões no chão da fábrica e colegiadas Polivalência de funcionários Cooperação entre fornecedores e clientes ( supply chain) Gerência do fluxo de materiais da cadeia completa Adaptação do projeto do produto a flexibilidade industrial Filosofia de relações humanas: Carreira longa; Avaliação de longo prazo; Decisões de consenso/ comprometimento.

33 Prof. Paulo Roberto Leite PARCERIAS Redução no numero de fornecedores Contratos de longo prazo Valorização mutua Desenvolvimento do fornecedor Informações comerciais compartilhadas Fornecedor conhece tudo Trabalha como uma área da empresa Planejamento conjunto Informações de projeto compartilhadas Evoluções técnicas Modificações de projeto

34 Prof. Paulo Roberto Leite LOCALIZAÇÃO DA REDE OPERACIONAL Localização dos fornecedores Baixos custos de transportes Flexibilidade nas entregas Simplificação nos transportes Redução no custo de embalagem Sistema in home O fornecedor esta na área da fabrica do cliente : linhas de envazamento ; fabricação de embalagens, etc Sistema through the wall O fornecedor esta ao lado do cliente mercadoria atravessa a parede Sistemas de cooperativa Várias fabricas dentro de uma unidade de montagem Ex: volkswagen caminhões

35 PROF PAULO ROBERTO LEITE PRINCIPAIS DIFERENÇAS ENTRE O SISTEMA JIT E TRADICIONAL JUST IN TIME TRADICIONAL FABRICACOES: REPETITIVAS FLEXIVEIS PRODUCAO:PUXADA EMPURRADA SISTEMA : ATIVO PASSIVO DEFEITUOSOS : NA HORA ACEITA % LOTES : PEQUENOS MEDIOS / GRANDES DECISOES :COLEGIADAS CENTRALIZADAS CONTROLE : PROCESSO PRODUTO TRABALHO :INTEGRADO ESTANQUE LAY-OUT : POR CELULAS POR SECCOES CAPACIDADE :EXCEDENTE OTIMIZADA COMPUTADOR: POUCO INTENSO TRABALHADORES: POLIVALENTES ESPECIALIZADOS


Carregar ppt "GESTÃO DE OPERAÇÕES II MRP – MATERIAL REQUIREMENT PLANNING ( cap 18) JIT – JUSTI IN TIME ( PRODUÇÃO ENXUTA) ( Cap 20)"

Apresentações semelhantes


Anúncios Google